Início » Internacional » Estaleiro que construiu o Titanic declara falência
EUROPA

Estaleiro que construiu o Titanic declara falência

Criado em 1861, o famoso estaleiro Harland and Wolff, sediado em Belfast, declarou falência após anos de fraco desempenho

Estaleiro que construiu o Titanic declara falência
No início do século 1920, o estaleiro chegou a empregar 30 mil pessoas (Foto: Flickr/William Murphy)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Conhecido por ter sido o local onde foi construído o famoso transatlântico Titanic, o estaleiro Harland and Wolff, sediado em Belfast, na Irlanda do Norte, declarou falência na última segunda-feira, 5, após anos de fraco desempenho financeiro.

Segundo informações da AFP, o processo de falência será iniciado nesta terça-feira, 6, no Tribunal Superior de Belfast.

Criado em 1861, o estaleiro Harland and Wolff pertencia ao grupo norueguês Dolphin Drilling e seus enormes guindastes amarelos por muito tempo dominaram a paisagem de Belfast.

No início do século 1920, ele chegou a empregar 30 mil pessoas – um grande número para a época. Atualmente, o estaleiro tinha apenas 130 funcionários, que ultimamente vinham pedindo por uma intervenção do governo na empresa para que seus postos de trabalho fossem poupados.

Por muito tempo, o grupo Dolphin Drilling lutou para encontrar um comprador para o estaleiro antes de decretar falência.

Além de ter construído o Titanic – que em 1912 afundou matando mais de 1.500 de seu total de 2.200 passageiros – o Harland and Wolff também construiu cerca de 150 navios militares usados na Segunda Guerra Mundial. Com o passar dos anos, o estaleiro abandonou a construção naval, e ultimamente se dedicava a projetos de energia eólica e de engenharia naval.

Leia também: Cientistas apontam que Titanic pode desaparecer em breve

Leia também: O que aconteceu com o iceberg que afundou o Titanic?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Rogerio de Oliveira Faria disse:

    Aqui, em terras tupiniquins, as falências estão em alta: EISA, Ishibrás, Verolme, EAS, Riogrande, Mauá, Iguaçu, etc, etc…
    A construção naval brasileiro já foi a pique há muito tempo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *