Início » Internacional » Falha deixa milhões sem energia elétrica na Argentina e no Uruguai
'APAGÃO'

Falha deixa milhões sem energia elétrica na Argentina e no Uruguai

Falha em uma conexão de transporte de energia elétrica resultou em apagão nos dois países. Serviço começou a ser normalizado na tarde do último domingo, 16

Falha deixa milhões sem energia elétrica na Argentina e no Uruguai
Centro de controle da Edesur Argentina durante os trabalhos para tentar solucionar o problema (Fonte: Reprodução/Divulgação/Edesur)

Uma falha em uma conexão de transporte de energia elétrica entre duas centrais de distribuição provocou um “apagão” de grandes proporções na Argentina e no Uruguai neste domingo, 16. A informação foi divulgada pela Edesur Argentina, empresa de distribuição de energia do país.

Ainda de acordo com a Edesur Argentina, “toda a Argentina e o Uruguai” ficaram sem eletricidade. Os dois países têm ao todo cerca de 48 milhões de habitantes.

A empresa destacou que “a falha na rede que originou o apagão em nível nacional se originou em uma conexão de transporte de eletricidade entre as centrais de Yaciretá e de Salto Grande, no litoral argentino. Isso ativou as proteções das centrais geradoras, que saíram de funcionamento e produziram o apagão”.

Algumas áreas da Argentina que funcionam com outro sistema, no arquipélago da Terra do Fogo, não foram atingidas pelo “apagão”, ainda segundo a Edesur Argentina.

O Operador Nacional do Sistema (ONS) informou que não detectou qualquer reflexo no território brasileiro.

O serviço de fornecimento de energia elétrica começou a ser normalizado nos dois países no meio da tarde deste domingo. O problema começou por volta das 7h.

A agência estatal de notícias da Argentina informou que já foi solucionado na maior parte do país e do Uruguai.

Fontes:
Jornal de Notícias - Eletricidade restaurada em 90% da Argentina
G1 - Apagão deixa milhões sem energia na Argentina e no Uruguai

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *