Início » Economia » Internacional » Ford anuncia demissão de 12 mil pessoas na Europa
FECHAMENTO DE FÁBRICAS

Ford anuncia demissão de 12 mil pessoas na Europa

Montadora é mais uma empresa a mudar a forma de atuação na Europa. Mudança faz parte de um plano de reestruturação

Ford anuncia demissão de 12 mil pessoas na Europa
Demissões representam cerca de 23,5% da força total de trabalho da empresa na Europa (Foto: Divulgação)

A Ford vai fechar pelo menos seis fábricas e demitir 12 mil funcionários até o final de 2020 em toda a Europa. A mudança faz parte de um plano de reestruturação da montadora de veículos, anunciado na última quinta-feira, 27.

Entre as instalações fechadas e funcionários demitidos estão os da fábrica em Bridgend, no sul do País de Gales. No início de junho, a Ford já havia anunciado que iria fechar a instalação.

De acordo com um comunicado da montadora, as instalações da Ford na Europa serão reduzidas de 24, no início de 2019, para 18, até o fim de 2020. Em relação aos trabalhadores, cerca de 1,7 mil fazem parte da fábrica em Bridgend, e outros 2 mil integram um corte mundial, que foi anunciado em maio.

“A Ford será um negócio mais direcionado na Europa, consistente com o redesenho global da empresa, gerando retornos mais elevados através do nosso foco nas necessidades dos clientes e uma estrutura enxuta. […] Separar funcionários e fechar fábricas é a decisão mais difícil que tomamos e, reconhecendo o efeito nas famílias e comunidades, estamos oferecendo apoio para aliviar o impacto”, destacou Stuart Rowley, presidente da Ford Europa.

Em 2018, a Ford Europa registrou um prejuízo de US$ 398 milhões. No continente, a montadora americana empregava 51 mil pessoas antes dos cortes serem anunciados. As demissões representam aproximadamente 23,5% da força total de trabalho da empresa na Europa.

A Ford, porém, não é a única empresa que está mudando a sua forma de atuação na Europa este ano, em especial no Reino Unido. A Honda anunciou, em fevereiro, que vai encerrar as atividades no Reino Unido até 2021, colocando em risco 3,5 mil empregos.

Já a Nissan afirmou que vai produzir sua próxima geração de um modelo de automóvel no Japão, não em sua fábrica em Sunderland, no Reino Unido. A Jaguar Land Rover, por sua vez, anunciou a demissão de 4,5 mil funcionários.

Enquanto isso, a Toyota ainda analisa o cenário na Europa proporcionado pelo Brexit – processo de separação do Reino Unido com a União Europeia. O diretor da Toyota Europa, Johan Van Zyl, admitiu que a empresa pode deixar o território britânico se “o ambiente para os negócios se tornar muito”.

Fontes:
The Guardian-Ford to cut 12,000 jobs in Europe amid struggling car market

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *