Início » Brasil » Governo brasileiro promove ‘concurso de insultos’, diz Le Drian
CHANCELER FRANCÊS

Governo brasileiro promove ‘concurso de insultos’, diz Le Drian

Chanceler critica o uso de palavras agressivas e insultuosas por parte do governo brasileiro. No G7, Piñera chamou de ‘inacreditável’ a ofensa a Brigitte

Governo brasileiro promove ‘concurso de insultos’, diz Le Drian
Em agosto, Le Drian já havia ironizado a ‘urgência capilar’ de Bolsonaro (Foto: France en Russie/Twitter)

O ministro de Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, criticou o governo brasileiro no último domingo, 8, pelo comportamento de algumas autoridades do país em relação à primeira-dama francesa, Brigitte Macron.

Esposa do presidente Emmanuel Macron, Brigitte já foi alvo de chacota por parte de Bolsonaro e, mais recentemente, do ministro da Economia, Paulo Guedes, que, na semana passada, em uma palestra em Fortaleza, respaldou a ofensa endossada por Bolsonaro, afirmando que a primeira-dama francesa é “feia mesmo”. Para Le Drian, as autoridades brasileiras estão promovendo um “concurso de insultos”.

“Minha opinião pessoal é que não se administram relações internacionais organizando, qualquer que seja o país, um concurso de insultos. Isso é o que está acontecendo. […] A maneira como uma autoridade do governo brasileiro, um ministro ainda por cima, trata a sra. Macron é indigna, indigna para ela, para a França mas também para as mulheres, começando pelas brasileiras que protestaram contra esse tipo de declaração. Infelizmente, noto uma persistência de palavras agressivas, insultuosas, que são inaceitáveis”, destacou Le Drian, em entrevista à radio Europe1.

O argumento de Le Drien ilustra o temor de analistas internacionais, que alertam que a chamada “diplomacia da grosseria” do governo pode ter um preço caro a se pagar.

Esta não é a primeira crítica de Le Drien ao governo Bolsonaro. Em julho, o chanceler francês ironizou o que chamou de “urgência capilar” de Bolsonaro. O comentário foi referente ao fato do presidente ter cancelado, de última hora, uma reunião com o chanceler “por problemas de agenda” para aparecer na hora aproximada do encontro cortando cabelo em uma transmissão ao vivo nas redes sociais.

A ofensa de Bolsonaro e uma corrente criada por brasileiros em apoio a Brigitte chegaram até a primeira-dama francesa. No fim de agosto, ela fez questão de agradecer, em português, o apoio que recebeu dos brasileiros. “Muito obrigada”, disse a primeira-dama francesa.

“Inacreditável”, diz Piñera sobre ataque a Brigitte

Nesta segunda-feira, 9, segundo noticiou o Globo, veio a público um vídeo gravado à margem da última reunião do G7 – ocorrida entre os dias 24 e 26 de agosto – que mostra Macron comentando a chacota de Bolsonaro com o presidente do Chile, Sebastián Piñera, um dos maiores aliados do presidente brasileiro na America do Sul.

A conversa ocorreu nos bastidores da reunião, no segundo dia da cúpula, logo após Macron comentar o episódio em uma coletiva, na qual afirmou que o caso é “triste”, porém “mais triste para os brasileiros”, em especial para as mulheres brasileiras.

No vídeo, Piñera comenta a chacota de Bolsonaro, classificando-a como “inacreditável”. Macron responde: “Claro, eu tinha de reagir. Você entende. Eu queria ser pacífico. Queria ser correto, construtivo com o cara [Bolsonaro] e respeitar sua soberania. Tudo bem. Mas eu não poderia aceitar isso”, diz Macron, enquanto Piñera sinaliza afirmativamente.

Neste momento, a chanceler alemã Angela Merkel se aproxima dos dois e manifesta apoio à última frase de Macron. “Não”, diz Merkel.

Campanha contra misoginia

Diante dos novos comentários ofensivos contra Brigitte, a advogada Tiphaine Auzière, filha do primeiro casamento de Brigitte, lançou uma campanha contra a misoginia. Tiphaine, no entanto, não citou diretamente o governo brasileiro.

“Estamos em 2019 e dirigentes políticos ainda têm como alvo o físico de uma mulher que é uma personalidade pública. Isso ainda existe? Sim. […] Vamos, juntos, a partir de amanhã, reagir, nos engajar dentro de nossas famílias, no nosso trabalho e nas urnas para denunciar os misóginos”, afirmou Auzière, destacando que também é “mãe de uma menininha” e uma “advogada que defende mulheres”.

A campanha foi lançada pelas redes sociais em iniciativa própria. Auzière destacou que a França também não está livre de misoginia, relembrando casos de 2012 e 2013, quando autoridades francesas foram atacadas ou ironizadas por parlamentares do próprio país. Ao fim do vídeo, compartilhado nas redes sociais, Auzière exibiu um cartaz com a hashtag “#Balancetonmiso”, algo como “denuncie o seu misógino”, em tradução livre.

Leia também: Brigitte Macron e o sexismo

Fontes:
O Globo-Após ofensas a Brigitte Macron, chanceler francês diz que autoridades brasileiras estão promovendo 'concurso de insultos'
DW-Após ofensas, filha de Brigitte Macron lança campanha contra misoginia

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. ANTÔNIO GONÇALVES DA SILVA JÚNIOR disse:

    FAKE NEWS!!!

    ESQUERDOPATA DOENTE!!!

    INSULTO É O PRESIDENTE FRANCÊS USAR MENTIRAS PARA ATACAR O BRASIL E NOSSO PRESIDENTE!!!

  2. Rogerio de Oliveira Faria disse:

    Para os bolsominions e olavetes é natural este comportamento imbecil do Bozo.
    Como vcs acham que funcionam o lado cognitivos de seus eleitores??? Tudo igual, se merecem…

  3. Áureo Ramos de Souza disse:

    Eu já vi muitos presidentes deste meu Brasil, mas esta se tornando ridículo esses blá blá por parte de um presidente, se Bolsonaro que se tornar popular deixe de brincadeira e se lembre que além de um militar é o Presidente do Brasil, fala sério Bolsonaro,já estou ficando arretado com o senhor.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *