Início » Brasil » Governo federal estuda ampliar oferta de voos em Congonhas
PROPOSTA

Governo federal estuda ampliar oferta de voos em Congonhas

Aumento de oferta seria feito através da revisão da política de contenção de voos estabelecida no aeroporto após o acidente da TAM, que matou 199 pessoas em 2007

Governo federal estuda ampliar oferta de voos em Congonhas
Proposta visa aumentar a quantidade de pousos e decolagens para até cinco por hora (Foto: EBC)

O governo estuda aumentar a oferta de voos em Congonhas no próximo ano. A medida visa atender a pressão das companhias aéreas, ajudar a Infraero a contornar as dificuldades financeiras e atender a um número crescente de passageiros.

Porém, o aumento de oferta de voos seria feito através da revisão da política de contenção de voos estabelecida no aeroporto pós o acidente da TAM que matou 199 pessoas em 2007.

A proposta – que foi elaborada em conjunto pela Secretaria de Aviação Civil (SAC), o Ministério do Transporte, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e a Agência Nacional de Aviação (Anac) – visa aumentar a quantidade de pousos e decolagens em Congonhas para até cinco por hora.

A informação já foi confirmada à Folha de S. Paulo, pelo secretário nacional de Aviação Civil, Dario Rais Lopes. As reservas de horários irão disparar os slots (autorização de pouso e decolagem) de atuais 34 para até 39. Com essas alterações, a capacidade do aeroporto sairá do atual patamar de 20 milhões para 25 milhões de passageiros por ano.

Em outubro de 2017, o presidente Michel Temer decidiu retirar Congonhas, que é considerada a “joia da coroa”, da lista de privatizações de aeroportos por questões políticas.

A decisão foi uma promessa feita ao ex-deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), em troca de votos de seu partido contra a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer na Câmara. Essa reviravolta aconteceu dois meses após o conselho do PPI (Programa de Parceria de Investimento) anunciar que o aeroporto também seria vendido.

Fontes:
Folha de S.Paulo-Governo revê política que cortou voos em Congonhas após acidente da TAM

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *