Início » Brasil » Ibama demite servidor que multou Bolsonaro em 2012
MULTA POR PESCA IRREGULAR

Ibama demite servidor que multou Bolsonaro em 2012

Bolsonaro foi multado pelo servidor em 2012, quando era deputado federal e foi flagrado pescando em área de proteção ambiental em Angra dos Reis

Ibama demite servidor que multou Bolsonaro em 2012
Bolsonaro foi flagrado pescando dentro da estação ecológica de Tamoios (Foto: Ibama)

O servidor do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que multou o presidente Jair Bolsonaro por pesca ilegal em 2012 foi exonerado do órgão na última quinta-feira, 28.

Na época da multa, Bolsonaro era deputado federal e foi flagrado pelo servidor pescando em uma área de proteção ambiental localizada em Angra dos Reis, município do sul do estado do Rio de Janeiro.

De acordo com a Folha de São Paulo, José Olímpio Augusto foi o único dos nove funcionários com o cargo comissionado de chefe do Centro de Operações Aéreas do Ibama, cargo subordinado à Diretoria de Proteção Ambiental, a ser exonerado pelo atual governo.

A multa foi aplicada após Bolsonaro ser flagrado dentro da estação ecológica de Tamoios, local que não permite a presença humana.

Na ocasião, Bolsonaro criticou a abordagem de José Olímpio Augusto, e afirmou ter se sentido como um “cachorro” devido ao tratamento dado pelo servidor.

“Fui abordado por um barco do Ibama. Eu estava com duas pessoas da região. E a primeira coisa que falaram para mim foi: Sai! ’. Como se fosse um cachorro. Esse cidadão aqui, repito o nome dele, José Augusto Morelli, falou: ‘Sai! Aqui, ninguém pode pescar, seja deputado ou não seja, porque o decreto que vocês votam tem de ser respeitado”, relatou Bolsonaro.

A multa ambiental, estipulada em R$ 10 mil, foi anulada no dia 4 de janeiro deste ano e o nome do presidente foi retirado do cadastro de pessoas físicas e jurídicas que têm dívida ativa com a União. O Ibama respeitou a decisão da Advocacia-Geral da União (AGU), que afirmou que Bolsonaro não teve direito à ampla defesa.

Reduzir o “controle excessivo” do Ibama

Em outubro de 2018, após ganhar o primeiro turno das eleições, Bolsonaro fez algumas declarações preocupantes sobre o meio ambiente, entre elas, a afirmação de que reduziria o controle excessivo da região rural pelo Ibama e pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ambos órgãos vinculados ao Ministério do Meio Ambiente.

“Queremos acabar com a prática de multas aplicadas pelo Ibama e o ICMBio no campo”, disse o atual presidente.

Fontes:
Congresso em Foco-Ibama exonera servidor que multou Bolsonaro por crime ambiental

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *