Início » Vida » Ciência » Mosquitos podem ajudar a espalhar microplásticos
ESTUDO

Mosquitos podem ajudar a espalhar microplásticos

Estudo aponta que mosquitos que ingerem microplásticos das águas dos rios e lagos poluem o ar e ameaçam a saúde de aves e outros animais

Mosquitos podem ajudar a espalhar microplásticos
Estudo é o primeiro a comprovar a transferência de microplástico da água para o ar (Foto: Pixabay)

Um novo estudo de pesquisadores da Universidade de Reading, no Reino Unido, revelou que mosquitos que ingerem microplásticos, partículas com menos de 5 mm, das águas dos rios e lagos, poluem o ar e ameaçam a saúde de aves e outros animais que se alimentam de insetos.

Os pesquisadores observaram a evolução de larvas de mosquitos da espécie culex pipiens, que haviam ingerido microplásticos e verificaram que as partículas permaneceram no organismo dos animais até a idade adulta.

“Os mosquitos adultos representam um vetor de contaminação ao meio ambiente e aos seus ecossistemas. As pesquisas têm se concentrado na poluição de plásticos nos oceanos, rios e lagos, mas agora constatamos que os resíduos de plástico estão contaminando também o ar”, disse Amanda Callaghan, uma dos autoras do estudo.

Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Biology Letters. Segundo os pesquisadores, esse estudo é o primeiro que comprova a transferência de microplástico da água para o ar, por meio de um inseto que divide os estágios de vida entre o habitat aquático e o terrestre.

Callaghan disse que é “bem provável” que outros insetos voadores, além dos mosquitos, que vivem em ambiente aquático no estágio inicial de sua evolução também retenham microplásticos. Isso afetaria a cadeia alimentar, porque aves, morcegos e aranhas comem um grande número de insetos e, portanto, iriam ingerir indiretamente resíduos de plásticos.

Outras pesquisas haviam encontrado microplásticos em aves marinhas, baleias e peixes, mas esse estudo é o primeiro a sugerir que animais terrestres que se alimentam de insetos estão ameaçados.

Matt Shardlow, executivo-chefe da ONG ambientalista Buglife, disse que bilhões de resíduos plásticos são jogados nos rios e, por isso, é preciso fazer pesquisas urgentes sobre o papel desempenhado por esses materiais na diminuição da vida aquática.

Porém, os pesquisadores alegam que a escassez de dados sobre o efeito de microplásticos em animais aquáticos impede que se faça uma avaliação precisa da ameaça ao seu ecossistema.

“Mas os seres humanos também estão ingerindo microplásticos, ao comerem frutos do mar, por exemplo. Testes também detectaram a presença de partículas de plástico na cerveja, no sal e no açúcar”, disse Callaghan. Com a previsão do aumento da produção de plástico em 40% nos próximos dez anos, a saúde dos seres humanos poderá ficar seriamente afetada.

A equipe de pesquisadores destacou a importância de realizar mais estudos para identificar o exato efeito da ingestão de microplásticos. Algumas partículas podem se contaminar com produtos químicos ou substâncias tóxicas e causar doenças.

Fontes:
The Guardian-Microplastics can spread via flying insects, research shows

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *