Início » Economia » Nacional » MP militar pede libertação de soldados que fuzilaram músico no Rio
MAIS DE 80 TIROS

MP militar pede libertação de soldados que fuzilaram músico no Rio

Advogado de defesa dos militares, que fuzilaram o carro da família do músico com mais de 80 tiros, diz que a prisão é um ‘constrangimento ilegal’

MP militar pede libertação de soldados que fuzilaram músico no Rio
Subprocurador-geral militar diz que os soldados não falharam na conduta (Foto: Twitter)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Ministério Público Militar solicitou a liberdade de nove, dos dez soldados acusados de fuzilar e matar, com mais de 80 tiros, o músico Evaldo dos Santos Rosa.

O episódio ocorreu no dia 7 deste mês, em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro. Evaldo estava no carro com a família, a caminho de um chá de bebê, quando teve o veículo alvejado pelos soldados.

Além de Evaldo, também foi morto na ação o catador de lixo Luciano Macedo, atingido por disparos quando tentava ajudar a família. Ele foi socorrido, mas morreu dias depois, no Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

O advogado de defesa dos militares, Paulo Henrique Pinto de Mello, afirmou que a prisão é considerada como um “constrangimento ilegal”. Segundo Paulo Henrique, os militares preenchem todos os requisitos para responderem ao processo em liberdade. 

De acordo com o advogado, ainda é necessário aguardar o ministro Lucio Mário de Barros Goés se manifestar sobre o pedido de habeas corpus para que a defesa realize a sustentação oral do caso. Em paralelo, o subprocurador-geral militar Carlos Frederico de Oliveira Pereira também defendeu a ação dos soldados, afirmando que os militares não falharam na conduta, pois “tentavam salvar um civil da prática de um crime de roubo”.

Relembre o caso

No dia sete de abril, o carro de Evaldo foi atingido pelos soldados do Exército, quando trafegava pela Estrada do Camboatá, em Guadalupe. Segundo o Comando Militar do Leste (CML), os militares haviam reagido a uma “injusta agressão”. A família negou a versão dada pelos militares. De acordo com investigadores, os militares confundiram o carro de Evaldo com um veículo que estava praticando roubos na região.

Fontes:
Estadão-MP militar pede liberdade para acusados de matar músico com 80 tiros, diz advogado

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Áureo Ramos de Souza disse:

    Os policiais tem que ser expulsos pois estavam vendo que não era carro de traficante. Só porque o motorista o dono do veículo ser negro mataram tiros. Deixa esses mal experiente fora das forças armadas. Prisão para eles.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *