Início » Economia » Internacional » Noruega planeja banir Holocausto do currículo escolar
REFORMA CURRICULAR

Noruega planeja banir Holocausto do currículo escolar

Projeto de reforma curricular do governo pretende concentrar o ensino em conteúdos contemporâneos que, segundo os autores, sejam 'relevantes para o futuro'

Noruega planeja banir Holocausto do currículo escolar
Uma das áreas que sofrerá maior dano com a reforma é a de Ciências Sociais (Foto: Pixabay)

Na semana passada, o jornal norueguês Klassekampen informou sobre a exclusão do ensino sobre o Holocausto e a Segunda Guerra Mundial no projeto feito pelo governo conservador de Erna Solberg para reformar parte da educação. O projeto “Fagnynyelsen” pretende inovar na educação dos noruegueses em 2019, concentrando em conteúdos que sejam “relevantes para o futuro”, de acordo com os responsáveis.

De acordo com o projeto, uma das áreas que sofrerá maior dano é a de Ciências Sociais, principalmente a disciplina de História, que irá retroceder em conteúdo para dar espaço a assuntos contemporâneos. Com o resultado da mudança, temas como a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto serão retirados dos livros, o que despertou crítica e indignação.

“O Holocausto e a Segunda Guerra Mundial devem ter um lugar completamente natural no currículo escolar. É impensável apresentar um plano de estudos em 2018 sem incluir o maior conflito civil de nosso tempo”, lamentou ao jornal norueguês Ervin Kohn, presidente da comunidade judaica de Oslo.

A professora de Ciências Sociais e também coautora de uma das cartas contra o projeto, Irene Trysnes, criticou o novo plano para a área que leciona. Ela e outros professores universitários afirmam que tanto a História como os aspectos geográficos correm risco de desaparecer.

“Alguns objetivos [da iniciativa] são muito específicos, enquanto outros são mais vagos. Ressalta-se que os estudantes aprenderão a história dos lapões [grupo étnico das regiões setentrionais do país], mas não há nada sobre a Segunda Guerra Mundial ou o Holocausto. Os novos planos de estudo não estão muito preocupados sobre como o passado influiu no presente, ao enfatizarem valores como a tolerância e a democracia. Se entendemos o momento atual, também devemos entender como foi através da história”, disse Trysnes.

O diretor da União da Educação Norueguesa, Steffen Handal, tem o receio de que os planos de estudo sejam tão confusos e complexos, que até mesmo os professores já não possam encontrar apoio neles. “É difícil para uma sociedade aceitar que um dos maiores conflitos da civilização não deva ser abordado na escola”, relatou Handal.

O projeto de reforma no currículo escolar gerou diversos debates e críticas sociais. Os partidos da oposição pedem que o Governo de Solberg volte atrás na decisão. Através das redes sociais, políticos como a historiadora Anniken Huitfeld, que também é ex-ministra do Trabalho, Cultura e Igualdade, se manifestaram contra a medida. “É uma omissão grave se o Holocausto não for mencionado no currículo escolar”, disse Huitfeld na sua conta do Twitter.

Fontes:
El País-Polêmica na Noruega pela exclusão do Holocausto do currículo escolar

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Adolfo Rite Ler disse:

    Não tem que reclamar disso, os incomodados que se mudem, deve até ser fake news… Tem que mudar isso aí! Ficar lembrando de erros da extrema direita? Pra que isso gente? E a segurança na Noruega que ninguém fala? Tem que dar arma para o cidadão de bem da Noruega!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *