Início » Internacional » O último dia de Theresa May
REINO UNIDO

O último dia de Theresa May

May deixa oficialmente o cargo de primeira-ministra para atuar interinamente até a escolha de seu substituto, que deve ser anunciado em meados de julho

O último dia de Theresa May
May não conseguiu garantir um Brexit com acordo aprovado pelos parlamentares (Foto: Number 10/Flickr)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Foram quase três anos à frente do Reino Unido, trabalhando, principalmente, para garantir um acordo para a saída do país da União Europeia (Brexit). No entanto, sem êxito, a primeira-ministra britânica, Theresa May, deixa a liderança do Partido Conservador nesta sexta-feira, 7.

May também deixa, oficialmente, o cargo de primeira-ministra. No entanto, a premier continuará atuando interinamente na função até que um novo líder seja anunciado, o que deve ocorrer apenas na segunda quinzena de julho, próximo ao recesso do Parlamento devido ao verão britânico.

Assim que os candidatos forem confirmados – as inscrições para concorrer ao cargo começam na próxima segunda-feira, 10 -, ocorrerão diferentes rodadas de eleições parlamentares. O processo eleitoral completo deve durar até meados da segunda quinzena de julho.

Apesar de não haver candidaturas oficiais, alguns políticos do Partido Conservador já anunciaram sua intenção de ocupar a função de primeiro-ministro. Entre os principais nomes está o ex-prefeito de Londres, Boris Johnson, – tido como o favorito -, e o secretário das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt.

Como a coalizão do Partido Conservador tem a maior parte das cadeiras no Parlamento, o próximo líder parlamentar também deverá pertencer ao partido. Diante disso, o Partido Trabalhista já afirmou que vai propor uma moção de confiança assim que o próximo primeiro-ministro assumir o cargo.

Enquanto permanece interinamente no cargo, May deve se dedicar às questões internas, focando em possíveis problemas emergenciais do Reino Unido. Tendo assumido a posição em julho de 2016, a primeira-ministra substituiu David Cameron justamente com a missão de definir as bases do Brexit.

Mesmo renunciando após o fracasso em garantir a saída do Reino Unido da União Europeia (UE), May deixa o cargo pela porta da frente. No último dia 24 de maio, ela fez um anúncio cercado de emoções. Permitindo-se lágrimas, May demonstrou o seu amor pelo país – que foi destacado pelo presidente americano Donald Trump em sua visita ao Reino Unido – e foi aplaudida até mesmo por quem a criticou.

O próximo primeiro-ministro terá uma difícil missão nas mãos: garantir o acordo do Brexit até o próximo dia 31 de outubro – data limite para a saída do Reino Unido da União Europeia. Anteriormente, a saída estava prevista para o último mês de março, mas May conseguiu estender o prazo em duas oportunidades, dando mais tempo para as negociações internas.

A União Europeia já se posicionou, em diferentes oportunidades, que é contrária a renegociação do acordo. O Reino Unido e o bloco econômico chegaram a um pacto durante a gestão de May, mas o Parlamento o rejeitou em várias oportunidades – o que desgastou a imagem da premier.

Para o Brexit, o próximo primeiro-ministro terá algumas possibilidades. Poderá optar por retirar o Reino Unido da União Europeia sem acordo; pode conquistar o apoio parlamentar e aprovar o pacto já acordado com o bloco; pode tentar renegociar o acordo com a UE; ou, o mais improvável, pode tentar reverter o processo e manter o país na União Europeia.

Leia mais: Relembre a trajetória de Theresa May como primeira-ministra

Fontes:
G1-Theresa May deixa liderança do Partido Conservador do Reino Unido nesta sexta
Reuters-Premiê britânica May deixa liderança do Partido Conservador

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *