Início » Economia » Internacional » Onda de protestos faz Macron suspender aumento nos combustíveis
FRANÇA

Onda de protestos faz Macron suspender aumento nos combustíveis

Presidente francês decidiu suspender o aumento diante da onda de protestos que varreu a França nas últimas semanas e já resultou na prisão de mais de 400 pessoas

Onda de protestos faz Macron suspender aumento nos combustíveis
Protestos ocasionaram danos na casa de milhões de dólares (Foto: Flickr/EU2017EE)

O presidente francês Emmanuel Macron decidiu suspender o aumento dos impostos sobre a gasolina e o diesel, que estava previsto para entrar em vigor em janeiro de 2019 e acarretaria em um aumento de custos para o consumidor.

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, anunciou a decisão de Macron nesta terça-feira, 4, após uma reunião a portas fechadas no Parlamento, segundo informaram interlocutores ouvidos pelo jornal New York Times.

A decisão foi tomada diante da intensa onda de protestos no país – que começou contra a aprovação do aumento e evoluiu para protestos contra o alto custo de vida na França e pela renúncia de Macron. As manifestações se apresentam como um movimento intitulado “coletes amarelos”. Mais de 400 pessoas já foram presas no país durante os protestos.

Na última segunda-feira, 3, manifestantes do ensino médio anunciaram adesão à onda de manifestações e bloquearam mais de 100 escolas pelo país, em protesto contra algumas políticas de educação do governo e em apoio aos coletes amarelos.

A onda de protestos varreu a França nas últimas semanas. Os manifestantes se queixam de que a política fiscal de Macron resultou em queda no poder de compra e que moradores de áreas rurais ou periferias de grandes cidades enfrentam dificuldade para se sustentar.

No último fim de semana, os protestos se tornaram violentos em todo o país, principalmente em Paris, onde manifestantes entraram em confronto com tropas de choque, incendiaram carros, quebraram vitrines e atacaram bancos. Os protestos, que ocasionaram danos na casa de milhões de dólares, destacaram uma profunda divisão socioeconômica na França.

Atualmente, a França está dividida em duas partes: cidades com maior poder aquisitivo, onde moradores apoiam fortemente Macron; e as áreas rurais, que enfrentam dificuldades financeiras. Os franceses que foram às ruas contra Macron estão furiosos com a gestão do presidente e exigem sua renuncia. Em vários muros de Paris, manifestantes escreveram frases como “Renúncia de Macron”.

No último domingo, 2, Macron foi até o Arco do Triunfo para verificar os danos sofridos pelo monumento. Na última segunda-feira, ele almoçou com policiais. Em uma postagem no Twitter, Macron exaltou “a coragem sem limites” dos agentes.

Fontes:
The New York Times-France Suspends Fuel Tax Increase That Spurred Violent Protests

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *