Início » Economia » Internacional » Papa planeja visitar o Iraque pela primeira vez na história
IGREJA CATÓLICA

Papa planeja visitar o Iraque pela primeira vez na história

Essa pode ser a primeira vez na história que um pontífice viaja ao Iraque. Em 2000, o Papa João Paulo II pretendia visitar o país, mas negociações fracassaram

Papa planeja visitar o Iraque pela primeira vez na história
O Iraque abriga dezenas de igrejas com religiões divergentes (Foto: Flickr/Presidencia de la República Mexicana)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Papa Francisco revelou, nesta segunda-feira, 10, que pretende viajar ao Iraque no próximo ano. Essa pode ser a primeira visita de um pontífice ao país.

Em meio a um discurso para membros de instituições de caridade que auxiliam cristãos no Oriente Médio, o Papa afirmou, em improviso, o anseio em visitar o Iraque.

“Um pensamento insistente me acompanha pensando no Iraque, onde tenho o desejo de ir no próximo ano, para que possa olhar adiante através da participação pacífica e partilhada na construção do bem comum”, afirmou o Papa.

O Iraque abriga dezenas de igrejas com religiões divergentes. Porém, muitos fiéis foram impossibilitados de praticar a religião devido ao vasto controle do Estado Islâmico, que foi parcialmente recuperado após a expulsão dos jihadistas.

Em 2000, o Papa João Paulo II pretendia visitar a cidade iraquiana de Ur, considerada como o berço tradicional de Abrãao. Na época, seria a primeira, de três etapas, de uma peregrinação que passaria pelo Iraque, Egito e Israel. Porém, as negociações com o então líder do país, Saddam Hussein, fracassaram e o pontífice não pôde realizar a viagem.

Na França, Papa Francisco impede comércio

No Santuário de Lourdes, localizado no sul da França, mundialmente conhecido pelas aparições da Virgem Maria na gruta, um centro de vendas foi criado. Nele, a maioria dos turistas e fiéis recebem outro tipo de tratamento, tornando-se apenas meros clientes para a compra de lembrança. Medalhas, lembranças e locais temáticos se transformaram em um “parque temático”, responsável pelo sustento de dezenas de habitantes.

Apesar dos dados, o Papa Francisco optou por intervir nessa política, alegando que o Santuário precisa recuperar sua dimensão espiritual, abandonando o lado financeiro. Na última quinta-feira, 6, o Papa enviou o monsenhor Antoine Hérouard para substituir o padre da diocese, Nicolas Jen Brouwet, com o objetivo de restabelecer a ordem.

Através de um editorial da diretoria da Santa Sé, o Vaticano afirmou que, no Santuário de Lourdes, deve ser “acentuada a primazia espiritual sobre a tentação de frisar demasiadamente o aspecto empresarial e financeiro, e quer promover cada vez mais a devoção popular que é tradicional nos santuários”.

Há bastante tempo, os funcionários do santuário estavam desgostosos devido à grande venda de imagens religiosas. De acordo com o gerente Guillaume de Vulpian, foi realizado um saneamento de contas, visto que, havia um prejuízo de 2,3 milhões de euros e era necessário o aumento do orçamento para 30 milhões de euros. Para a captação do dinheiro, foi realizado a elevação da taxa de pernoites e o aumento do tempo de trabalho de 330 funcionários, muitos já em idade avançada.

Fontes:
Reuters-Francisco diz querer fazer primeira visita papal ao Iraque
El País-Papa acaba com o negócio dos milagres em Lourdes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *