Início » Vida » Ciência » Poluição é tão prejudicial quanto o fumo para grávidas
SAÚDE

Poluição é tão prejudicial quanto o fumo para grávidas

Estudo aponta que danos ao feto gerados pelo ar poluído são bem similares aos causados pelo tabagismo

Poluição é tão prejudicial quanto o fumo para grávidas
O risco de aborto variava substancialmente com o número de semanas de gravidez (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Em estudo apontou que a poluição do ar é tão prejudicial para gestantes quanto o fumo. Viver em um lugar de ar poluído pode ocasionar aborto espontâneo. A descoberta foi considerada perturbadora e os pesquisadores afirmaram que o ar tóxico deveria ser reduzido para proteger as próximas gerações.

Antes desta constatação, a poluição já era declarada como prejudicial por aumentar os riscos de parto prematuro e do bebê nascer com pouco peso. Também foram encontradas partículas de poluição nas placentas dos bebês. O estudo atual, feito em longo prazo, determinou o grande risco de aborto em decorrência do ar poluído.

Ele é o primeiro a avaliar o impacto da exposição em curto prazo à poluição do ar. Os níveis de dióxido de azoto são comuns em todo o mundo e foi verificado que 16% das mulheres do mundo correm o risco de perder o feto por conta deste nível elevado.

“É muito profundo. Se você comparar esse aumento no risco para outros estudos sobre os efeitos ambientais sobre o feto, é bem semelhante ao fumo do tabaco na perda de gravidez no primeiro trimestre”, disse o Dr. Matthew Fuller, do departamento de medicina de emergência da Universidade de Utah, que é um dos autores do estudo.

A pesquisa, publicada na revista Fertility and Sterility, foi realizada em Salt Lake, no estado de Utah, nos EUA. Mas Fuller relatou que os resultados são aplicáveis ​​em outros lugares. “Há muitos lugares no mundo que sofrem com uma poluição muito maior, então este não é um problema exclusivo de Utah. Este é um problema que todos nós estamos enfrentando”.

O cientista foi inicialmente alertado para a questão quando uma familiar sofreu um aborto durante um período particularmente ruim da qualidade do ar da cidade em 2016. “Isso desencadeou uma pergunta em minha mente e então comecei a notar que eu estava vendo picos nos números de abortos espontâneos”, disse Fuller.

Fuller juntou-se à cientista Claire Leiser, especializada em saúde pública, e a outros pesquisadores, para ver se o efeito era real. Eles analisaram os registros de mais de 1.300 mulheres que compareceram ao departamento de emergência após sofrerem abortos de 2007 a 2015.

Eles constataram que níveis mais altos de poluição por partículas estavam ligados a um risco maior de aborto espontâneo. No entanto, outros estudos recentes sobre a exposição em longo prazo à poluição por partículas no Irã, Itália, Mongólia e EUA encontraram laços significativos. Outros poluentes atmosféricos, incluindo ozônio e dióxido de enxofre, também foram abrangidos pelas análises.

O mecanismo pelo qual a poluição do ar poderia prejudicar o feto ainda não foi estabelecido, mas uma hipótese provável é que os poluentes causam estresse oxidativo e inflamação no feto.

“A poluição do ar é claramente prejudicial à saúde de milhões de mães, bebês e crianças em todo o mundo. Medidas para reduzir o impacto da poluição do ar são cruciais para garantir a saúde das gerações futuras”, disse a Dra. Sarah Stock, da Universidade de Edimburgo, que não faz parte da equipe de pesquisa.

Mas Stock observou que o risco de aborto variava substancialmente com o número de semanas de gravidez e que o estudo não havia conseguido registrar essa informação, potencialmente introduzindo um viés no resultado.

“Se pudéssemos obter o estágio de gestação, isso seria um benefício real, para ter uma noção de quando a mulher está mais em risco. É preciso realmente que haja mais estudos sobre essa questão específica. Mas sabemos o suficiente sobre a poluição do ar e os resultados do parto para dizer, se estiver grávida, conversar com seu médico”, disse Leiser.

Poluição no Brasil

O Brasil aparece em 144° no ranking mundial de países mais poluídos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). As cinco cidades com maior nível de poluição são:

1 – Região Metropolitana do Rio de Janeiro/RJ
2 – Região de Cubatão/SP
3 – Região de Campinas/SP
4 – Região Metropolitana de São Paulo/SP
5 – Região Metropolitana de Curitiba/SP

 

Fontes:
The Guardian-Air pollution 'as bad as smoking in increasing risk of miscarriage'
Site de Curiosidades-As cidades mais poluídas no Brasil e no Mundo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *