Início » Economia » Internacional » Quando os arranha-céus transformam-se em caixas inflamáveis
Incêndio

Quando os arranha-céus transformam-se em caixas inflamáveis

Em Los Angeles, prédio residencial de cinco andares pega fogo

Quando os arranha-céus transformam-se em caixas inflamáveis
Os bombeiros e os inspetores de construção civil ficaram chocados com a intensidade do fogo (Reprodução/ Reuters)

O incêndio que iluminou o céu à noite em Los Angeles há poucas semanas e reduziu um prédio de apartamentos enorme e semiconstruído a cinzas, mostrou como é necessário ter normas de segurança mais rígidas para grandes prédios com estruturas de madeira.

Felizmente, como o incêndio foi à noite, não havia ninguém trabalhando no apartamento 526 do edifício Da Vinci, quando se incendiou. Mas as chamas quebraram as janelas dos prédios de escritórios vizinhos tornando-os inabitáveis. Os bombeiros e os inspetores de construção civil ficaram chocados com a intensidade do fogo.

Há muito tempo que Los Angeles não assistia a um incêndio em um prédio residencial tão grave. O edifício tinha cinco andares com estruturas de madeira, o tamanho máximo permitido pelas normas de construção civil da cidade, apoiados em dois pavimentos de concreto.

Nos Estados Unidos três materiais são os preferidos para construir estruturas, dependendo do tipo de edifício projetado. Os prédios muito altos, inclusive os arranha-céus, são construídos com uma estrutura de aço devido à alta proporção entre força e peso, além da flexibilidade maior para o acréscimo de novos andares. O concreto, que é menos denso do que o aço, mas tem uma proporção bem mais baixa entre força e peso, é uma escolha mais econômica para construções simples como garagens e prédios com poucos andares. E a madeira tem predominado na construção de casas de um ou dois andares. No entanto, as estruturas de madeira, como esse incidente recente mostrou, também são usadas em grandes blocos de apartamentos e prédios comerciais.

Fontes:
The Economist-When high-rise buildings become tinder boxes

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *