Início » Vida » Ciência » Quantas horas de sono são necessárias?
SAÚDE E BEM-ESTAR

Quantas horas de sono são necessárias?

O sono, segundo pesquisas, não é uma questão de ‘luxo’, mas sim essencial para a saúde física e mental

Quantas horas de sono são necessárias?
Funções mais complexas do sono ainda estão sendo descobertas (Foto: Pixabay)

Existem dúvidas sobre o porquê do ser humano passar praticamente um terço da vida dormindo, ou o que passa pela cabeça durante esse tempo em que as pessoas se “desligam” do mundo.

Um dos grandes mistérios é saber a origem do sono, como uma forma de evolução e estratégia. O sono é um ótimo mecanismo para equilibrar as substâncias do corpo, entre elas a necessidade de se alimentar, ou se o corpo está perdendo muitos nutrientes enquanto permanece adormecido.

O sono, segundo pesquisas, não é uma questão de ‘luxo’, mas sim essencial para a saúde física e mental. Porém, as funções mais complexas do sono, ainda estão sendo descobertas.

 O que acontece no cérebro enquanto dormimos?

O cérebro não se ‘desliga’ completamente. Ele gera dois tipos principais de sono: sono profundo e o sono REM, que é a última fase do sono, sendo praticamente iniciada após 90 minutos depois de adormecer.

Cerca de 80% do sono é a variação do ‘sono profundo’, que é caracterizada por ondas cerebrais lentas, músculos relaxados e respiração mais tranquila. Há fortes evidências de que o sono profundo é importante para a consolidação de memórias. Um estudo revelou que as conexões entre os neurônios, conhecidas como sinapses, encolhem durante o sono, resultando em conexões mais fracas, sendo removidas e esquecidas.

O ato de sonhar representa 20% do tempo total de sono. A duração pode variar de alguns segundos, até mais de uma hora. Os sonhos tendem a durar mais com o avançar da noite, e a maioria é rapidamente ou imediatamente esquecida. Durante o sono REM, o cérebro é altamente ativo, fazendo com que os músculos fique paralisados e a frequência cardíaca aumente, tornando a respiração errática. Acredita-se que o sonho desempenhe um papel importante no aprendizado e na memória.

Quanto tempo de sono é suficiente?

A Fundação Nacional do Sono dos EUA concluiu que a quantidade ideal para dormir é de sete a nove horas para adultos, e oito a dez horas para adolescentes. As crianças mais novas precisam de horas a mais de sono, como os recém-nascidos, que precisam de uma média de 17 horas por dia.

No entanto, especialistas afirmam que algumas pessoas podem sobreviver com menos horas, se este sono for de qualidade, mas ressaltam também que é prejudicial dormir mais do que dez horas seguidas.

Por que o sono surge na parte da noite?

Na década de 1970, cientistas descobriram uma peça crucial para isso é a cronometragem molecular. Em um experimento, encontraram um gene cuja atividade pareceu subir e descer de forma confiável, em um ciclo de 24 horas. Esse gene funcionava liberando uma proteína que se acumulava nas células durante a noite e que eram quebradas ao longo do dia.

Posteriormente, humanos mostraram ter o mesmo gene em uma pequena área do cérebro chamada supraquiasmático, que serve como canal entre a retina do olho e a glândula pineal do cérebro, bombeando o hormônio do sono, chamado de melatonina. Por isso, quando escurece, os humanos tendem a ter sono.

Na última década, cientistas descobriram que esses genes estão ativos em quase todos os tipos de células do corpo. A atividade das células do sangue, fígado, rins e pulmão aumentam e diminuem em um ciclo de aproximadamente 24 horas, assim como a preparação de enzimas digestivas no intestino, mudanças na pressão sanguínea, são influenciadas de maneira importante pela hora do dia em que essas atividades são normalmente necessárias.

O que acontece quando não se dorme o suficiente?

Em casos extremos, a privação do sono pode ser fatal. Os ratos que são completamente privados do sono morrem dentro de duas ou três semanas. Este experimento não se repetiu em humanos, mas até mesmo um ou dois dias de privação de sono podem fazer com que pessoas saudáveis ​​tenham alucinações e sintomas físicos. Depois de uma noite mal dormida, as habilidades cognitivas são imediatamente afetadas. A concentração e a memória são visivelmente afetadas e as pessoas ficam mais propensas a serem impulsivas.

E quanto à saúde física?

O acúmulo de sono pode ter consequências para a saúde a longo prazo. Ligações são vistas como obesidade, diabetes, doenças cardíacas e demência. No ano passado, uma revisão de 28 estudos existentes constatou que os trabalhadores do turno da noite tinham 29% mais chances de desenvolverem obesidade ou estar acima do peso do que os trabalhadores em turnos rotativos. Estudos baseados em mais de 2 milhões de pessoas descobriram que os turnos noturnos aumentaram o risco de um ataque cardíaco ou derrame em 41%. A privação do sono demonstrou alterar o metabolismo básico do corpo e o equilíbrio entre gordura e massa muscular .

A insônia é conhecida há muito tempo como um sintoma comum de demência, mas alguns cientistas também acreditam que o sono precário pode ter um papel na causa do mal de Alzheimer. Pesquisas mostraram que o cérebro ‘limpa’ a si mesmo de proteínas beta-amilóides ligadas ao Alzheimer durante o sono, e que a privação do do mesmo, faz com que os níveis dessas toxinas aumentem gradativamente.

Fontes:
The Guardian-Sleep: how much do we really need?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *