Início » Economia » Internacional » Rebeldes derrubam caça e helicóptero na região de Donetsk
Internacional

Rebeldes derrubam caça e helicóptero na região de Donetsk

Rebeldes separatistas pró-Rússia derrubaram um caça e um helicóptero médico na cidade de Yenakievo, um dos principais redutos rebeldes na região de Donetsk

Rebeldes derrubam caça e helicóptero na região de Donetsk
Otan voltou a pressionar a Rússia, convocando o país a retirar suas tropas da fronteira ucraniana (Reprodução/Internet)

Na última quinta-feira, 7, separatistas pró-Rússia derrubaram um caça Mig-29 e um helicóptero médico durante um confronto com forças ucranianas. As tropas ucranianas iniciaram uma ofensiva contra os rebeldes em Donetsk e Lugansk, no leste do país, e o Mig-29 foi abatido quando sobrevoava a cidade de Yenakievo, um dos principais redutos rebeldes na região de Donetsk.

“O caça certamente foi derrubado por um sistema de mísseis Buk”, afirmou o porta-voz militar ucraniano, Vladimir Selezniov. De acordo com informações de Kiev, o sistema Buk foi que em julho deste ano foi utilizado para derrubar o voo MH17 da Malaysia Airlines com 298 pessoas a bordo.

Selezniov disse que o piloto do caça conseguiu se ejetar da aeronave antes da queda e está vivo. Contudo, ele ainda não foi encontrado e as forças ucranianas o buscam para que não caia nas mãos dos inimigos. Já o helicóptero Mi-8 foi derrubado mesmo “sendo evidente de que não se tratava de uma aeronave de combate”, pois tinha a tradicional cruz vermelha pintada em sua fuselagem. O porta-voz também afirmou que o ataque violou um acordo firmado com os rebeldes separatistas para que veículos que fossem buscar soldados feridos em combate não fossem alvejados.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) voltou a pressionar a Rússia, convocando o país a retirar suas tropas da fronteira ucraniana e a não intervir sob o pretexto de uma manutenção da paz. “Faço um apelo à Rússia para que se retire da fronteira, e não utilize a manutenção da paz como um pretexto para a guerra”, afirmou em Kiev o secretário-geral da aliança militar, Anders Fogh Rasmussen, em Kiev.

Segundo a Otan, a presença militar da Rússia na fronteira com a Ucrânia passou de 12 mil homens em meados de julho, para 20 mil. A entidade teme que Moscou intervenha usando pretextos humanitários. “A liberdade e o futuro da Ucrânia estão sendo atacados. O apoio da Rússia aos separatistas continua, e se intensifica”, declarou Rasmussen, citando a queda do voo da Malaysia Airlines como uma das consequências deste apoio.

Fontes:
O Globo- Rebeldes separatistas derrubam caça e helicóptero na região de Donetsk

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *