Início » Internacional » Trump gera polêmica com postagem de teor xenófobo
‘VOLTEM PARA SEUS PAÍSES’

Trump gera polêmica com postagem de teor xenófobo

Presidente americano é criticado por racismo e xenofobia em postagem no Twitter, na qual exortou quatro deputadas democratas a voltarem para seus países

Trump gera polêmica com postagem de teor xenófobo
Postagem tinha como alvo quatro deputadas do chamado ‘Esquadrão’ (Foto: Flickr/White House)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou quatro deputadas democratas em uma postagem em sua conta no Twitter no último domingo, 14.

Na postagem, Trump questionou por que as deputadas “não voltam para seus países” para “arrumar esses lugares” para depois retornarem para os EUA e dizer “como se faz”. O comentário foi apontado como racista e xenófobo e incendiou o debate entre parlamentares e eleitores americanos.

“Que interessante ver as congressistas democratas ‘progressistas’, que procedem de países cujos governos são uma completa e total catástrofe, e os piores, os mais corruptos e ineptos do mundo (nem sequer funcionam), dizerem em voz alta e com desprezo ao povo dos Estados Unidos, a maior e mais poderosa nação da Terra, como conduzir nosso governo. Por que elas não voltam para seus países e ajudam a arrumar esses lugares, que estão totalmente quebrados e tomados pela criminalidade? Aí voltem aqui e nos digam como se faz. Esses lugares precisam muito delas, quanto mais rápido elas forem, melhor. Tenho certeza de que Nancy Pelosi vai adorar lhes pagar a viagem!”, escreveu Trump.

Os alvos

Embora não tenha citado diretamente nenhum nome, além de Pelosi, a mensagem de Trump tinha um alvo claro: as deputadas Alexandria Ocasio-Cortez, Ayanna Pressley, Rashida Tlaib e Ihlan Omar. Jovens e novatas no Congresso americano, elas foram eleitas nas eleições de novembro de 2018, quando os democratas conseguiram a maioria na Câmara dos Representantes – enquanto os republicanos garantiram a maioria no Senado.

Segundo informações do jornal Washington Post, juntas, as quatro compõem o bloco que ganhou o apelido de “O esquadrão” e tiveram alguns atritos com a líder dos democratas na Câmara, a deputada Nancy Pelosi.

Ao exortar as deputadas a voltarem para seus países, Trump ignorou o fato de que três das quatro deputadas nasceram nos Estados Unidos. Alexandria Ocasio-Cortez é de Nova York e tem ascendência porto-riquenha; Ayanna Pressley é afro-americana nascida em Cincinatti, em Ohio; Rashida Tlaib é de Detroit, no Michigan, e é filha de palestinos; Já Ihlan Omar nasceu em Mogadíscio, na Somália, e migrou para os EUA com a família ainda criança.

Com uma ampla base de seguidores nas redes sociais, as quatro deputadas compõem a ala jovem do partido Democrata. Porém, o modo do “esquadrão” de fazer “política de Twitter”, se pronunciando pelas redes sociais, por vezes criticando os próprios colegas de partido, antes ou em vez de dialogar com os mesmos, já gerou uma severa resposta de Pelosi.

Na última quarta-feira, 10, segundo informou o portal americano Politico, Pelosi se reuniu com as quatro em uma reunião a portas fechadas, na qual repreendeu as deputadas. “Então, mais uma vez, vocês têm uma reclamação? Vocês vêm e falam comigo sobre o assunto. Mas não tuitem sobre nossos membros [do partido democrata] e esperem que achemos isso Ok”, disse Pelosi, segundo uma fonte presente na reunião.

No encontro, Pelosi também defendeu a necessidade de garantir o apoio de moderados, aponto-os como cruciais para que os democratas mantenham maioria na Câmara. Pelosi também disse às deputadas que orientem suas respectivas equipes de assessores a “pensarem duas vezes, antes de tuitar”.

A repercussão

Citada na postagem de Trump, Pelosi criticou o comentário do presidente americano, classificando-o como xenófobo.

“Quando @realDonaldTrump diz a quatro congressistas americanas que voltem para seus países, ele reafirma que seu plano de ‘tornar a América grande novamente’ sempre foi sobre tornar a América branca novamente. Nossa diversidade é nossa força e nossa união é nosso poder”, escreveu Pelosi em sua conta oficial no Twitter.

Parlamentares do partido Republicano, por sua vez, não expressaram apoio em massa ao comentário de Trump, mas também não se uniram em críticas ao presidente.

Nas redes sociais, muitos americanos ironizaram o comentário de Trump, lembrando que a esposa do presidente americano, a primeira-dama Melania Trump, de origem eslovena, migrou para os Estados Unidos e trabalhou por 10 anos como modelo, tendo apenas o visto de turista, que não permite que a pessoa trabalhe no país. Outros lembraram que a própria família de Trump é de origem imigrante – Trump vem de uma família de imigrantes alemães que chegou aos EUA em 1885. Por outro lado, também houve eleitores do presidente que expressaram apoio ao comentário.

Nesta segunda-feira, 15, Trump jogou mais gasolina na polêmica, ao rebater as acusações de racismo e xenofobia, acusando as deputadas de “ódio racista” e afirmando que as quatro deputadas deveriam pedir desculpas aos Estados Unidos, a Israel e a ele.

“Quando as congressistas de extrema esquerda vão pedir desculpas ao nosso país, ao povo de Israel e até mesmo à presidência, pelo linguajar rude que vêm usando e as coisas terríveis que dizem? Muitas pessoas estão irritadas com elas e com suas horríveis e repugnantes atitudes! Se os democratas querem se unir no linguajar rude e ódio racista vindo da boca e das ações destas deputadas impopulares e sem representação, será interessante de se ver. Posso afirmar que elas fizeram Israel se sentir abandonado pelos EUA”, escreveu Trump em sua conta no Twitter.

Leia também: Trump coloca deputada muçulmana no centro de uma polêmica

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *