Início » Economia » União Europeia garante apoio ao acordo com o Mercosul
ACORDO INTERNACIONAL

União Europeia garante apoio ao acordo com o Mercosul

No entanto, ataques de Bolsonaro e pouca atenção à política ambiental ainda ameaçam o acordo, que só deve ser ratificado no segundo semestre de 2020

União Europeia garante apoio ao acordo com o Mercosul
Acordo também é visto com importância política internacional (Foto: Mapa/Divulgação)

A Comissão Europeia reforçou que o acordo entre a União Europeia e o Mercosul será mantido. A afirmação foi feita pela diretora-geral de Comércio da comissão, Sabine Weyand.

Weyand admitiu que os ataques de Bolsonaro ao possível financiamento do G7 para o combate aos incêndios na Amazônia e a membros da União Europeia influenciam  a visão internacional sobre o pacto. Ademais, afirmou que as ocorrências na Amazônia também podem influir sobre o sucesso do acordo. No entanto, Weyand acredita que o acordo é importante para a política mundial.

“Atualmente vivemos em um mundo em que a ordem internacional está por um fio. […] Nosso objetivo é uma configuração justa da globalização”, destacou a diretora-geral.

Apesar da garantia de que a União Europeia continua apoiando o pacto com o Mercosul, o posicionamento pode mudar à medida que as críticas internacionais aumentam. Weyand relembra que o acordo só poderá ser ratificado a partir do segundo semestre de 2020.

Já uma autoridade comercial da União Europeia ouvida pela agência Reuters disse que, em uma visão otimista, o pacto seria concluído até o fim do próximo ano. No entanto, pode demorar ainda mais para ser ratificado pelos blocos.

Enquanto a União Europeia garante o acordo e o governo da França segue dirigindo críticas ao governo brasileiro, a Alemanha ainda não demonstrou um posicionamento claro a respeito da ratificação do pacto.

A ministra da Agricultura da Alemanha, Julia Klöckner, afirmou que o país não vai assistir “passivamente” se o Brasil não manejar a Amazônia de forma sustentável. Segundo Klöckner, o governo brasileiro assumiu o compromisso quando assinou o acordo.

Por outro lado, o ministro da Economia, Peter Altmaier, lembrou que o acordo União Europeia-Mercosul vai além do Brasil, envolvendo vários países de ambos os blocos econômicos, citando o Uruguai como exemplo.

A mídia alemã também acompanha o que acontece no Brasil. Um programa humorístico alemão chamado Extra 3, apresentado por Christian Ehring, ironizou as políticas ambientais de Bolsonaro nesse início de governo.

Entre as críticas, o apresentador citou o acordo entre Mercosul e União Europeia. Além de criticar as políticas ambientais de Bolsonaro, Ehring chamou a atenção para o benefício dos países europeus. Isso porque o pacto prevê a transação de produtos agrícolas, o que tem potencial para alavancar o desmatamento na Amazônia e piorar a situação das queimadas.

Leia mais: Amazônia: por que Bolsonaro pode, sim, ir parar no Tribunal Penal Internacional?
Leia mais: Bolsonaro questiona intenção em ajuda internacional à Amazônia
Leia mais: Comunidade internacional reage a queimadas na Amazônia

Fontes:
DW-União Europeia diz manter apoio a acordo com Mercosul

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *