Início » Vida » Educação » Viúva de Mandela faz apelo por população jovem da África
DIREITOS DAS CRIANÇAS

Viúva de Mandela faz apelo por população jovem da África

Graça Machel alerta que, se não houver uma ação, até o ano de 2050, haverá no continente um bilhão de jovens ‘amargurados, subnutridos, semi-analfabetos e desempregados’

Viúva de Mandela faz apelo por população jovem da África
Alerta de Machel vem na esteira de um relatório sobre os direitos das crianças na África (Foto: Flickr/fronteirasweb)

Graça Machel, viúva de Nelson Mandela, alertou que a África pode se tornar um continente de um bilhão de jovens “amargurados, subnutridos, semianalfabetos e desempregados”, até o ano de 2050, se os governantes do continente não planejarem novos tipos de investimentos para os mesmos.

Frente a um relatório primordial sobre os direitos das crianças na África, Machel expressou uma grande preocupação de que uma “combinação tóxica” entre a subnutrição, educação precária e a crescente população jovem, represente uma ameaça para o continente.

“Mesmo que nossos jovens tenham o potencial de transformar a África, se negligenciados, eles podem exacerbar a pobreza e a desigualdade enquanto ameaçam a paz, a segurança e a prosperidade”, disse Machel, que é presidente do Conselho Internacional de Fiduciários do African Child Policy Forum (ACPF), responsável pelo Relatório sobre o Bem-Estar da Criança de 2018.

Esse relatório é responsável por categorizar 52 nações sobre como elas estão cumprindo os direitos das crianças sob convenções nacionais. Ele adverte que é de suma importância o investimento maciço, a fim de impedir que um bilhão de crianças e jovens se tornem desnutridos, semianalfabetos ou analfabetos, desempregados ou subempregados, até 2050. De acordo com estimativas, a população infantil e juvenil atingirá a marca de 750 milhões até o ano de 2030 e um bilhão até meados do século, representando, aproximadamente, 40% da população do continente.

O relatório da ACPF, que analisou o progresso do crescimento juvenil nos governos africanos na última década, destacou “melhorias notáveis” na qualidade de vida e bem-estar geral de crianças africanas. Foi citada uma redução de quase 50% da mortalidade infantil e aumento de acesso ao ensino primário. Porém, o relatório expressou uma preocupação sobre a desnutrição e educação abaixo do padrão em muitos países, o que ocasiona uma “crise” no desenvolvimento humano para o futuro.

“A África está à beira de uma séria crise de desenvolvimento humano, que traz graves consequências para o bem-estar social e econômico de seu povo e para o futuro do continente”, disseram os autores do relatório.

Segundo o diretor-executivo da ACPF, Assefa Bequele, “a desnutrição continua sendo um problema sério e persistente. É o maior desafio para as crianças de África”. A desnutrição permanece inaceitavelmente alta no continente, em 30,4%. Até metade de todas as mortes em menores de cinco anos estão associadas à desnutrição. E enquanto as crianças africanas podem frequentar a escola em grande número, elas não estão aprendendo. Duas em cada cinco crianças saem da escola primária sem aprender a ler, escrever ou fazer aritmética simples.

O relatório citou 11 governos que mais estão desenvolvidos em relação às melhorias para as crianças e jovens, dentre eles Argélia, África do Sul, Marrocos, Cabo Verde e Egito.

Também foram citados alguns governos que não foram tão bem listados com relação às melhorias, dentre eles, Guiné, República Democrática do Congo, Camarões, Sudão do Sul e Libéria.

Esses rankings são baseados em indicadores, incluindo nutrição, educação, orçamentos e proteção social.
O relatório mostrou que os investimentos em educação em toda a África estagnaram em uma média de 4% do PIB nas últimas duas décadas. Mais da metade das meninas não frequentam a escola secundária. Enquanto Lesoto e Botswana investiram mais de 10% do PIB, Zâmbia e a República Centro-Africana destinaram apenas 1%.
Para a Etiópia, a subnutrição infantil custou 16,5% de seu PIB, e para Uganda, 5,6%.

O estudo constatou que, enquanto diversos países possuem leis, políticas e instituições que auxiliam nos direitos das crianças, muitas leis são discriminatórias e inconsistentes com os padrões internacionais. Essa incidência contínua do trabalho e casamento infantil e violência contra crianças mostrou uma grande lacuna entre a retórica e a ação, bem como a má aplicação das leis.

Enquanto 36 de 52 países estabeleceram a idade mínima de 18 anos para o casamento, três em cada dez crianças africanas são casadas antes dos 18 anos, como, por exemplo, no Sudão, onde meninas podem se casar aos dez anos de idade.

Os autores do relatório pediram, com urgência, uma ação para combater a desnutrição e educação precária , assim como a criação de empregos e novas oportunidades econômicas para jovens.

Fontes:
The Guardian-Act now or a billion young Africans will be undone by 2050 – Mandela widow

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Vânia disse:

    Estes são dados que nos permitem uma análise sobre a realidades educacional e a falta de investimentos públicos para combater a desigualdade social.

  2. Antonio José Ferro Junior disse:

    Ao ler dados como este, cabe a mim orar Aquele que tudo vê e ouve, me lembro da passagem sobre a criança Ismael: E ouviu Deus a voz do menino Gênesis 21:17 _será que o Deus Criador esqueceu, não, aos homens deu as leis e Jesus Homem certamente disse:
    “Garantam justiça para os fraco se para os órfãos; mantenham os direitos dos necessitados e dos oprimidos.
    Salmos 82:3
    Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação.
    Salmos 68:5
    “Não prejudiquem as viúvas nem os órfãos;
    Êxodo 22:22
    A religião que Deus, o nosso Pai, aceita como pura e imaculada é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas em suas dificuldades e não se deixar corromper pelo mundo.
    Tiago 1:27
    “Eu virei a vocês trazendo juízo. Sem demora testemunharei contra os feiticeiros, contra os adúlteros, contra os que juram falsa­mente e contra aqueles que exploram os traba­lhadores em seus salários, que oprimem os órfãos e as viúvas e privam os estrangeiros dos seus direitos e não têm respeito por mim”, diz o Senhor dos Exércitos.
    Malaquias 3:5
    Você mandou embora de mãos vazia as viúvas e quebrou a força dos órfãos.
    Jó 22:9

    # Certamente o Juízo Final será tenebroso muito mais aqueles os quais Deus Supremo Juiz concedeu Autoridade para a Governança entre as Nações.

  3. carlos alberto martins disse:

    o maior de todos os problemas é que até o exato momento,o mundo está se proliferando feito ratos.todos se esquecem que o planeta não vai aumentar de tamanho.ao aumentar desenfreadamente a população mundial,o planeta Terra não terá como produzir alimento para todos.a poluição ceifará muitas vidas.não haverá controle sobre as doenças que virão.os povos entrarão em constantes guerras para sobreviver a um mundo completamente caótico.voltaremos aos tempos da selvageria.o descontrole será total.tenho dó das gerações futuras.de uma visão mais catastróficas aqueles que vierem a morrer,não serão sepultados e, sim serão transformados em alimentos. se estou sendo muito pessimista, basta ver o que já está acontecendo.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *