Início » Notícia » Morre no Rio de Janeiro Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto
Obituário

Morre no Rio de Janeiro Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto

Aos 88 anos, ele deixou dois filhos e três netos; nascido na cidade de Lodz, na Polônia, Aleksander Henryk Laks escapou pelo menos dez vezes da morte

Morre no Rio de Janeiro Aleksander Laks, sobrevivente do Holocausto
Aleksander Laks em entrevista para o 'O&N' em janeiro (Foto: Mariana Mauro)

Na última terça-feira, 21, morreu Aleksander Henryk Laks, um dos sobrevieventes do Holocausto. Aos 88 anos, ele estava se tratando de uma infecção pulmonar. A família vinha atualizando informações sobre o estado de saúde de Laks pelo perfil dele no Facebook.

Ele será velado nesta querta-feira, 22, até às 13h no Chevra Kadisha, localizado na Rua Barão de Iguatemi, 306, na Praça da Bandeira. O enterro acontecerá em seguida no cemitério Vila Rosali novo na Rua da Matriz, 1371, em São João de Meriti.

Nascido na cidade de Lodz, na Polônia, Aleksander Henryk Laks escapou pelo menos dez vezes da morte. Após enfrentar os horrores do Holocausto e perder a família, ele reconstruiu sua vida no Rio de Janeiro.  Além de ter sido presidente da Associação Brasileira dos Israelitas Sobreviventes da Perseguição Nazista, Sherit Hapleitá do Rio de Janeiro, escreveu junto com Tova Sender o livro “O Sobrevivente: memórias de um brasileiro que escapou de Auschwitz”.  Ele deixou dois filhos e três netos.

Em janeiro deste ano, Laks contou um pouco sobre sua história ao O&N. Ele, que costumava falar em escolas sobre seu passado, disse na entrevista: “Tudo que eu falo é sofrimento e tudo isso, claro…  Mas eu não faço palestra, eu trago meu testemunho. Todos ficam muito sensibilizados e choram, até crianças… Choram com lágrimas mesmo. Eu faço isso não para dizer ‘coitadinho de mim’, ‘eu sou tão infeliz’, não para dizer que comi o pão que o diabo amassou… Não tinha pão, eu não posso dizer isso, porque não tinha pão que o diabo amassasse. Mas o que eu faço é um alerta para saberem que isso nunca mais pode acontecer com ninguém. Eu bato muito nessa tecla e digo muito isso. Eles entendem, os jovens têm muito mais receptividade do que os adultos. E muitos, eu sei pelos e-mails e cartas que me mandam, dizem que eu mudei o pensamento e a vida deles.”

 

Fontes:
G1-Morre no Rio Aleksander Henryk Laks, sobrevivente do Holocausto
Folha de S. Paulo-Morre aos 88 o sobrevivente do Holocausto Aleksander Laks
Conib-Morre aos 88 anos no Rio de Janeiro Aleksander Laks, bem mais que um sobrevivente

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *