Início » Opinião » Artigos » Criminalidade trivial
Artigos

Criminalidade trivial

As camisetas são culpadas Os canais de televisão já mostraram as imagens incontáveis vezes. Os jornais, idem. O cinema, também. As revistas – nacionais e estrangeiras – a mesma coisa. As cenas já foram temas de livros: tanto de ficção quanto de não-ficção. Até os esquimós que vivem acima do círculo polar, ou os bosquímanos que habitam as regiões mais remotas da África, sabem que o crime no Rio de Janeiro tem um braço armado infanto-juvenil.

Os camelôs cariocas, sempre imaginativos, criaram uma camiseta onde vem impressa uma imagem que lembra uma placa de trânsito (fundo amarelo) com o desenho de dois jovens (em preto): uma menina carregando um fuzil e um garoto segurando uma metralhadora. Abaixo da sugestiva imagem, os dizeres, em inglês: Welcome to Rio de Janeiro. A peça de vestuário estava à venda no centro da cidade, na conhecida rua Uruguaiana, no começo deste mês. O preço era de R$ 15,00.

Pois bem. As autoridades cariocas se abespinharam com a camiseta. Viram nisso uma brincadeira de extremo mau gosto. Ou uma distorção. Ou apologia ao crime. Sua Excelência, o Secretário de Turismo do Estado do Rio de Janeiro, chegou a afirmar que os turistas não citam segurança como problema e arrematou tonitruante: idiota quem fabricou essas camisetas e mais idiota quem compra.

O episódio teria se esgotado com as declarações esquizofrênicas se não fosse a prisão de dois camelôs, numa ousada ação policial da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. Provavelmente no exato instante do flagrante, dezenas (ou centenas) de menores circulavam livremente pela cidade nas condições ilustradas pela t-shirt. Também no mesmo momento centenas (ou milhares) de camelôs estavam vendendo livremente pela cidade mercadorias roubadas, contrabandeadas ou falsificadas. Mesmo assim, o poder público decidiu prender os perigosos elementos que comercializavam a cena carioca, estampada em 14 camisetas. A partir de agora, eles respondem a um processo que mobilizará advogados, promotores, juizes, desembargadores, oficiais de justiça, escrivães, datilógrafos e peritos, depois de já ter mobilizado policiais, delegados, escrivães de polícia, além de secretários estaduais e municipais.

Dividindo-se o gasto com essa ação de enorme repercussão, pelas 14 camisetas apreendidas, conclui-se que nem aquelas de grife, vendidas nos melhores shopping centers cariocas, custam tão caro. Deve ser muito bom viver num estado em que os recursos públicos abundam de tal forma que podem ser empregados até contra a realidade dos fatos…

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Eduardo disse:

    Com o assalto cinematográfico do ônibus cheio de turistas ingleses em pleno parque do flamengo, o lema da camiseta se confirma! Welcome!

  2. Ronilson disse:

    a hipocrisia dos governantes brasileiros cresce na mesma proporçao em que cresce a violencia e a impunidade. A história se repete: pensam apenas no hoje e se esquecem do amanha. Vamos celebrar o país e sua corja de assassinos covardes e ladrões!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *