Início » Opinião » Artigos » O maior assalto do Brasil
Artigos

O maior assalto do Brasil

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A manchete principal do Jornal do Brasil de hoje (9/8) refere-se ao assalto ao Banco Central em Fortaleza como "O maior assalto do Brasil".

Ledo engano. O assalto ao Banco Central é coisa de trombadinha. O maior assalto do Brasil é outro—capitaneado pelo PT e seus "aliados".

Senão, vejamos. Só a parte mais visível do iceberg—os "empréstimos" do Sr. Marcos Valério ao PT—já somam, segundo ele mesmo, R$ 100 milhões.

Imagine-se a grana mandada para o exterior! Hoje, Teresa Cruvinel reproduz em sua coluna no Globo declarações do ex-deputado Jorge Moura, que entre julho de 2003 e junho de 2004 presidiu o fundo de pensão dos ferroviários (REFER). Segundo o ex-deputado, o grupo chefiado pelo deputado Carlos Santana (PT-RJ) tentou terceirizar a gestão de R$ 1,4 bilhão da carteira de títulos do fundo, entregando-a aos bancos BMG, Rural, Santos (recém falido) e outros. A operação não teria se realizado pela ameaça do ex-deputado de denunciá-la publicamente.

Ora, com todo respeito, o REFER é café pequeno, quando comparado com a PREVI e a PETROS—para ficar somente com os dois maiores fundos. Quando as operações desses fundos serão analisadas? Ainda não foram porque a PETROS, por exemplo, recebeu um aporte de R$ 13 bilhões da Petrobras para cobrir seus rombos atuariais (equivalente a 100% do patrimônio da
instituição)? Qual a origem do rombo? Por que a CPMI dos Correios
decidiu não investigar os fundos de pensão? Por que ninguém explica?

Tem muito rabo preso nessa história. Por que o Sr. Severino Cavalcanti, presidente da Câmara dos Deputados, está procrastinando o envio dos pedidos de cassação de mandato dos deputados José Dirceu e Sandro Mabel à Comissão de Ética da Câmara?

Será que, depois de tudo que os cidadãos tiveram que aturar de roubo puro e simples do dinheiro público, teremos agora também que aturar que orgias sejam pagas com os nossos impostos? Insisto, o assalto ao Banco Central é coisa de trombadinha. Quem viver, verá.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Zeno José Otto disse:

    Pensei que a matéria ia tratar do Banestado. Esses números aí parecem troco quando se mergulha do caso Banestado.

  2. Gabryel disse:

    esses caras são uns otarios

  3. Anônimo disse:

    EU ACHO ISSO UM PLANO PERFEITO BEM ELABORADO

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *