Início » Opinião » Artigos » Sacolas plásticas no centro da tempestade
Artigo

Sacolas plásticas no centro da tempestade

Um trilhão de sacolas plásticas são produzidas anualmente e utilizadas nos Estados Unidos. Nos últimos meses, entidades defensoras do meio ambiente iniciaram uma campanha focando a sua ira na até então inocente sacola de plástico distribuída nos supermercados, declarando-a inimiga número 1 do "verde" e da virtude ambientalista. As sacolas se transformaram num poderoso símbolo da irresponsabilidade e negligência humana.

Campanhas contra o uso desses utensílios estão acontecendo em todo o mundo e já começaram no Brasil. A cadeia de supermercados Pão de Açúcar, por exemplo, iniciou uma http://mudeomundo.com.br/2007/10/11/sacolas-retornaveis-no-pao-de-acucar/campanha de utilização de sacolas não-plásticas como aquelas de lona que nossas mães usavam nos anos 60 nas feiras livres. A iniciativa conta com a parceira da SOS Mata Atlântica e pode ser adquirida nas lojas da rede. No fim de novembro os 33 distritos de Londres deram a sua aprovação a uma proposta do parlamento inglês de proibir os cidadãos de descartar as sacolas plásticas.

Pequenas e grandes cidades em todo o mundo, como Modbury, Dacca e São Francisco, estão proibindo o uso das sacolas plásticas em supermercados. O Estado americano da Califórnia pretende bani-las definitivamente dos estabelecimentos. O governo da Irlanda impôs uma taxa de 0,15 centavos por sacola e o governo da Austrália pretende seguir os mesmos passos.

Os sacos descartáveis abandonados são extremamente perigosos para o meio ambiente. Eles provocam a morte de pássaros, peixes e pequenos e grandes mamíferos, como golfinhos e baleias. As sacolas, ao se decomporem, se transformam em pequenas moléculas que podem se misturar ao solo e terminar na cadeia de alimentos produzidos nas hortas.

Felizmente, existe uma luz no fim do túnel. Estão sendo produzidas sacolas feitas de plástico biodegradavel (produzidas a partir do milho) que se decompõe numa velocidade muito maior e cujos subprodutos são muito menos nocivos.

Apesar dos pequenos esforços que vem acontecendo, está faltando no Brasil um movimento similar com a força do movimento inglês.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Benedito Martins Filho disse:

    Eu moro na cidade de Mococa, e sou presidente de um Grupo Ecológico Olho D”água, nós estamos com um projeto de acabar com as sacolas plásticas na cidade, fizemos nossa sacola de lona, é trabalho de formiguinha, mas não vamos desistir

  2. Antonio Carlos disse:

    Eu tenho a solução para o uso racional das sacolas de plásticas de supermercados só preciso de uma oportunidade para apresentar o projeto.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *