article image
Tiradentes foi um dos membros da Inconfidência Mineira, que lutou pela independência do país
Nesta Data

Tiradentes: um herói nacional e uma figura rara

Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, nasceu em 16 de julho de 1746

fonte | A A A

Um dos raros consensos de nosso tempo é o da ausência de heróis, de gigantes na paisagem humana e intelectual deste início de século, disse Carlos Heitor Cony em crônica escrita para a Folha de São Paulo em maio de 2004. No texto, o escritor ainda complementou seu pensamento afirmando que, se os heróis contavam com pouco espaço na história e nas cabeças das pessoas, os vilões não tinham esse problema: reis dos noticiários, esses têm vida breve e atuação datada, mas, enquanto estão atuando, roubam a cena de tal forma que fica impossível ignorá-los. Na ocasião, Cony citou Waldomiro Diniz, Cachoeira, Celso Pitta e Paulo Maluf. Não é difícil presumir que, fosse escrito hoje, o texto citaria Delúbios e Valérios.

Apesar da ausência de heróis na memória dos brasileiros, agravada pela tímida atenção que recebem dentro das salas de aula e nos livros escolares, algumas figuras ilustres se destacam e parecem ter seus feitos históricos bem claros para a maioria dos cidadãos. É o caso de Tiradentes – herói com direito a feriado nacional, o que torna mais fácil a sua memorização e valorização.

A ocorrência Tiradentes aparece aproximadamente 2.160.000 vezes no buscador Google, o que mostra que não é difícil encontrar dados relacionados a essa personalidade, diferente do que acontece com outros grandes nomes da história brasileira.

O fim da vida de Joaquim José da Silva Xavier, que viveu no século XVIII lutando pela independência do Brasil em meio à dominação dos portugueses, remete a questões relacionadas à impunidade que observamos ainda hoje no país. Quando a Inconfidência Mineira foi delatada, em 1789, por Joaquim Silvério dos Reis, seu líder Tiradentes não contava com influências políticas ou econômicas suficientes para reduzir a sua pena. Alguns filhos da aristocracia foram condenados a penas mais brandas quando houve o julgamento dos inconfidentes em 1792. Os castigos podiam ser, por exemplo, o açoite em praça pública ou o desterro. A Tiradentes – e apenas a ele, entre todos os membros da Inconfidência – restou a execução, em 21 de abril de 1792, e ainda a exposição de partes de seu corpo em postes da estrada que ligava o Rio de Janeiro a Minas Gerais. Sua casa foi queimada, seus bens foram confiscados e seus descendentes foram declarados infames.

Se ainda hoje nota-se e protesta-se contra o tratamento vip dado a presos que têm boas condições financeiras ou influências – ou ambos – em outros quesitos o Brasil atual é bem diferente da terra habitada por Tiradentes. Ele nasceu em 1746 na Vila de São João Del Rey, hoje a cidade mineira que leva o seu apelido – Tiradentes – e foi criado em Vila Rica – hoje Ouro Preto. Nessa época não havia no país constituição nem o direito de desenvolver indústrias em território brasileiro, e os impostos cobrados do povo pela metrópole eram extorsivos e provocavam revolta.

Tiradentes ficou órfão cedo, aos 11 anos. Trabalhou como mascate, pesquisou minerais e foi médico prático. Diz-se que tinha a habilidade de extrair dentes e colocar novos que ele mesmo fazia. Como militar, pertenceu ao Regimento dos Dragões de Minas Gerais. No posto de alferes comandava uma patrulha de ronda do mato, prendendo ladrões e assassinos.

A conspiração representada pela Inconfidência Mineira agregou militares, escritores de renome, poetas famosos, magistrados e sacerdotes e, influenciada pela independência dos Estados Unidos em 1776, tinha como principais idéias proclamar uma república independente, com a abolição imediata da escravatura; construir uma universidade; promover o desenvolvimento da educação para o povo e outras reformas sociais. O movimento planejava chamar o povo para protestar no dia em que o governo fizesse a chamada derrama – nome dado à cobrança de impostos – mas não chegou a se concretizar, devido à traição de Joaquim Silvério dos Reis, que se passou por companheiro para denunciar o grupo.

Tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional em 1938, a cidade de Tiradentes apresenta um acervo barroco que permaneceu escondido por muito tempo e hoje está sendo visto por visitantes de diversas origens. Entre seus pontos turísticos principais estão capelas construídas no período em que viveram os membros da Inconfidência – algumas foram habitadas por padres que participaram da conspiração – e o casarão da prefeitura, construído em 1720.

Templos históricos que remetem ao período vivido por Tiradentes, entre igrejas, museus e construções. Estão entre as atrações o Museu do Aleijadinho, o Museu da Inconfidência – que reúne documentos relacionados à Inconfidência – e 19 igrejas e capelas. A cidade foi também tombada como Patrimônio Nacional, em 1938, e declarada Patrimônio Cultural da Humanidade em 1980 pela Unesco.

De volta ao topo comentários: (83)

Sua Opinião

Nome (obrigatório)

E-mail (obrigatório)

Estado

Cidade

  1. kauanny arruda morais disse:

    muito grande

  2. Matheus disse:

    Nós adotamos a imagem de herói a Tiradentes pelo fato de que ele fez parte da minoria, além de ser pobre, daria uma ideia subentendida de que somente a minoria age, e se age não tem êxito. Ou seja, o grande motivo para Tiradentes ser considerado um HEROI é para servir de exemplo para toda a população de que se se revoltarem ao que está sendo imposto não terão êxito.
    Nós não buscamos justiça igual ao povo dá época, simplesmente aceitamos, então pelo fato de Tiradentes ter sido morto por buscar justiça todos que estavam pesando em ideias de independência desistiram, porque Tiradentes agora é um exemplo do que não se deve fazer, novamente simplesmente aceitaram.
    E é essa a imagem de repressão que ainda carregamos e continuaremos carregando se o povo não mudar o jeito de pensar.
    Uma democracia é voto da maioria, a maioria é o povo, e tem que ser assim como o povo quer e não como os políticos querem, e é isso que precisamos entender para conseguir correr atrás de nossos direitos, além da constituição.
    E sim! Tiradentes é realmente um herói, e se tem essa necessidade de ser, para passar à população a imagem de injustiça, de aceitação publica sem protesto, porque quem seguiria um exemplo fracassado? E assim o governo poderia manipular cada vez mais e mais o pensamento populacional.
    E se o governo consegue manipular a população, poucos tentarão mudar algo, pelo simples fato de ter esse exemplo. Então o governo teria uma democracia disfarçada, fazendo tudo o que quer e o povo não se incomodaria com nada, simplesmente aceitaria, pelo fato de seu HEROI ter fracassado, assim abrindo um espaço para o governo cobrar o que quiser quando e quando quiser, claro que os cidadãos terão direitos iguais, mas a voz que poderiam ter deixam de ter, por esse simples fato, pense nisto!

  3. Tarcisio Filho disse:

    Apesar de ter algumas informações sobre a vida dele não me agradou
    Mas a redação estava boa valeu a pena algumas partes do texto ;)

  4. Tarcisio Filho disse:

    Parabéns gostei muito… ja me ajudou com meus estudos valeu.

  5. Cristina disse:

    Nossa nunca vi um texto mais bem criativo do que esse.

  6. Rodrigo disse:

    … tão misterioso quanto o nome das outras 09 (nove) caravelas da época do descobrimento do Brasil, além Nina, Pinta e Sta. Maria, é um mistério o nome dos outros participantes desta tentativa de Revolução. Será que era Tiradentes um “Rambo” ou um “bode-expiatório” que morreu por não ser filho de nobres ?

  7. ROOSEWELT ALMEIDA SANTOS disse:

    Em que documento o autor encontrou a data de 15 de julho como a data do aniversário de Joaquim José da Silva Xavier. Seria uma suposição? O autor não comenta nada sobre Joaquim José da Silva Xavier e a Ordem Maçônica, uma vez que boa parte dos Inconfidentes eram e a simbologia apresentada na Bandeira de Minas Gerais vai de encontro a esta realidade. Foi ou não foi Maçom?.

  8. Alzira Esteves Ayres Mattos disse:

    Nem mesmo de um intelectual como V. Sa., ou mesmo se mineiro fosse, poderia compreender tal entusiasmo por uma figura quase lendária como foi Tiradentes. Sequer discutir obras contemporãneas justificariam a forma como defende a figura de uma pessoa cuja qualidade, se verdadeira, foi igual a tantos outros qe lutaram por uma sociedade brasileira mais justa. Quantas “virtudes” leio pela primeira vez , tudo na base do “diz-se que”… (???!!!). Quantos brasileiros morreram pela nossa pátria, lutando, efetiva e comprovadamente! recuso-me a apontar conflitos estrangeiros (muitos verdadeiros, é claro!) para comparar ou justificar este ou aquele momento a ser associado com hipotéticas açãoes do sr. Tiradentes. Quantos brasileiros lembram-se de José Bonifácio de Andrada e Silva. Dele temos provas escritas em universidades e Bibliotecas de nosso país, da Europa e Asia. Sobre seus passos como estudioso do Direito, da Ecologia (o 1º brasileiro a falar sobre ela), mineralogia, psicologia, diplomacia, segurança nacional (Brasília é o maior exemplo, pois foi tão visionário quanto Dom Bosco!). Deixou seu nome (ligado ao nosso país, espalhado pelo mundo. É considerado herói pelos governantes (só no papel) ? nem mesmo o governo paulista reconhece seu dia (está na lei, é 13 de junho), deslocando a capital paulista para a cidade de Santos, como dita a lei!!! Sei e reconheço que houve por todo nosso país, tantos outros heróis, muitos anônimos mas não esse sr. Tiradentes cujo nome encabeça o texto do jornalista Cony. Lamento paulistas mas nós abaixamos as orelhas para um herói de “araque”, porque até que me provem com documentos (os que li não me convencem…) como nós temos de José Bonifácio (inclusive de sua própria lavra!) e de tantos outros brasileiros, ele será sempre uma farsa. Tenho dito.

  9. Chicovsky disse:

    Imposto cobrado pela metrópole era extorsivo? Os portugueses eram otários mesmo…. cobravam o “QUINTO” 20% da renda…. Hoje o governo federal nos arranca 43%!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Se 20% era extorsivo e 43% o que é????????????????

  10. José Milton DeQuevedo disse:

    Gostem ou não porque Herói Brasileiro, no Brasil é como ser Vampiro, não tem graça nenhuma!

  11. Miguel Ribeiro Gomide disse:

    Tiradentes morreu na forca, não porque era o mais pobre dos Inconfidentes e sim, porque era judeu cristão novo, metalúrgico e maçon. Naquela época Portugal era dominado pela Inquisição. Nas cidades históricas durante o ciclo do ouro, a maior parte da população era de cristãos novos e seus descendentes. Em Vila Rica funcionava um tribunal da Inquisição. Outro vetor da História: de acordo com o livro TIRADENTES, autoria de Assis Brasil, Editora Imago, os maçons substituiram Tiradentes por um ator de circo, de nome Renzo Orsini, também condenado à forca por ter se apossado de um castiçal de ouro de uma igreja.

  12. João Cirino Gomes disse:

    As vezes eu me revolto e até concordo que os professores estão tendo salários insignificante pelo fato de; no passado ensinar que D Pedro é um herói por ter proclamado a independência!

    Os professores ou eram mal formados ou coniventes!

    Vejam bem; D Pedro não era filho do rei de Portugal?

    E se o pai que era rei de Portugal nos explorava com taxas absurdas, como o filho iria proclamar e Independência e ir contra os interesses de sua família e de seu país?

    Na verdade nós somos escravizados por falta de informação e boa formação!

    A realidade é que Tiradentes, ou Melhor Joaquim José da Silva Xavier foi enforcado e esquartejado para servir de exemplo aos revolucionários que lutavam por liberdade e justiça social!

    Depois de trinta anos que Tiradentes foi enforcado, o rei de Portugal notou que havia novos descontentamentos e a revolução iria ressurgir

    Então se reuniu ao filho D Pedro, e arquitetaram uma saída!

    E dai D Pedro molhou as mãos de uns e outros vendidos traidores do povo, igual estes que estão doando nossos impostos, vendendo nosso país, e nossas riquezas, e arquitetaram a tal independência, que não passa de história da carochinha!

    Desde o descobrimento do Brasil, o cidadão trabalhador e patriota, não passa de idiota.

    A população precisa saber, “que em uma democracia”, deve prevalecer a vontade da maioria!

    Agora me mostre um cidadão que quer trabalhar trinta anos para se aposentar e ver seus direitos sendo desrespeitados?

    Me mostre um cidadão que paga INSS, FGTS vários outros impostos para ter direito a educação, segurança, saúde moradia, e fica satisfeito ao ver seus FGTS sendo usado para financiar copa do Mundo?

    Me mostre um cidadão que paga imposto para a construção de rodovias e vê as rodovias que foram construídas superfaturadas com seus impostos, sendo vendidas a preço de bananas a políticos, que depois cobram absurdos deste mesmo cidadão para rodar nas estradas que foram construídas com seus impostos!

    São tantos os absurdos que se formos enumerar precisaremos escrever livros, ou seja bibliotecas!

    E devido a tantas hipocrisias demagogias mentiras e injustiças, sou a favor do abaixo assinado pelo fim da imunidade e fórum privilegiado!

    Ou então continuaremos escravizados pagando impostos absurdos para dar mordomias, aos canalhas que alem de terem altos salários ainda nos roubam, superfaturam desviam e nunca precisam devolver um centavo daquilo que surrupia, e nunca são punidos!

    Notem que as cadeias estão superlotadas, mas de pobres sem poder aquisitivo ou influencia!
    Uns por furtar maisena, outros por furtar lata de leite!
    E muitos com penas vencidas!
    Enquanto quem rouba e desvia bilhões, estão soltos se passando por santinhos e salvadores da pátria, pois a população desinformada, idolatra quem rouba, desvia, doa aos amigos,e gasta seu imposto para distorcer fatos acobertar maracutaia e esconder a realidade!

    Abaixo-assinado Fim da imunidade e impunidade! Ou voto Nulo, em quem promete, só visando vantagens!

    http://www.peticaopublica.com.br/?pi=Janciron

  13. scheila santos disse:

    Adorei a comparação com os tempos atuais.

  14. Rosaura disse:

    Gostaria de aplaudir o comentário do leitor Kalil Saliba. Parabéns!!!!!!
    Realmente a corda arrebenta para o lado dos mais fracos, como disse o leitor Laerte dos Santos.

  15. Kalil Saliba disse:

    Neste 21 de abril, data da heroica Conjuração Mineira de 1789, ao render honras aos herois de nosso povo Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes, e todos os conjurados, devemos resgatar a historia da luta do povo brasileiro contra o jugo da coroa portuguesa e pela libertação nacional.’DEZ VIDAS EU TIVESSE, DEZ VIDAS EU DARIA’. A destemida e generosa sentença de Tiradentes ainda ecoa por todos os rincões deste Brasil, ainda sentimos na sua figura de heroi do povo nosso desejo de libertar da opressão, e da vergonha de assistir calados tudo o que esta acontecendo em nosso país.Felizmente o povo brasileiro nunca parou de lutar.
    Nosso heroi Tiradentes não é o mesmo das classes dirigentes, que encenam todos os anos em Ouro Preto farta distribuição de medalhas, agraciados os Silvério dos Reis de plantão, ai sim realizam verdadeiro esquartejamento do Alferes rebelde.
    A nação brasileira continua sob dominação estrangeira. A”derrama” continua, o governo tira recursos da saúde, previdencia, educação, moradia, saneamento e outras aréas sociais, para entupir o bolso dos banqueiros.Os cincos maiores bancos (BB,CEF,Bradesco,Itaú,Santander) apresentaram em 2011 um lucro líquido (recorde) de quase 51 bilhões, quase o total do montante do corte orçamentario executado por Dilma para seu segundo ano de gerençia (R$ 55 bilhões).Os cortes no orçamento federal, e também nos estaduais e municipais, ja estão ameaçando provocar uma crise institucional (de Estado) foi o que evidenciou na greve salarial, em fevereiro, das policias e bombeiros militaresda Banhia e do Rio de Janeiro que fazem parte da coluna vertebral do Estado e sustentama repressão contra os movimentos de luta pela terra e sobretudo contra as ocupações urbanas, como se evidenciou no massacre da desocupação de Pinheirinhos, SP e contra a ocupação de Tarumã em Mannaus AM, assim, como na crescente militarização das universidades estaduais e federais, como se vê na USP, na Unicamp, na UNIR de Rondonia e no Piaui.Diante desse quadro nós brasileiros patriotas, democratas e revolucionários, temos que sair da indiferencia e colocar-mos nossas vidas a serviço da independêcia de nossa patria, assim como fêz Tiradentes.

  16. Mauricio Ramon Dacal disse:

    “RARISSIMA” Como Os Dinossauros extinto…!

  17. Laerte Santos disse:

    É como se diz sempre a corda partedo lado mais fraco.

  18. Antonio Campos Monteiro Neto disse:

    É difícil aceitar que tenha havido camaradagem das tropas brasileiras para com os açougueiros alemães. É bom lembrar que a mentalidade deles estava moldada por uma longa campanha de fanatização e propaganda sobre a superioridade ariana e a necessidade de Lebensraum (espaço vital), que os levou a invadir países como a Polônia e a Rússia e exterminar a população eslava – 26 milhões de homens, mulheres e crianças. Sem falar dos judeus – 6 milhões -, cujo holocausto é bastante conhecido.

  19. EDVALDO TAVARES - Brasília/DF disse:

    HISTÓRIA SOBRE HERÓIS DA FEB (FORÇA EXPEDICIONÁRIA RASILEIRA)NO TEATRO DE GUERRA DA ITÁLIA DURANTE A II GRANDE GUERRA MUNDIAL (1939 – 1945)

    Por que a 148ª Divisão Alemã se entregou somente aos brasileiros na Itália?

    “Foi em abril de 1945. Os alemães tinham retraído da Linha Gótica depois da nossa vitória em Montese, e provavelmente pretendiam nos esperar no vale do rio Pó, mais ao Norte. Nosso Esquadrão de Reconhecimento, comandado pelo Pitaluga, os avistou na Vila de Collechio, um pouco antes do rio. A pedido do General fui ver pessoalmente e lá, por ser o mais antigo, coordenei a noite um pequeno ataque com o esquadrão e um pelotão de infantaria, sem intenção maior do que avaliar, pela reação, a força do inimigo. Sem defender efetivamente o local, os alemães passaram para o outro lado do rio e explodiram a ponte. Então observamos que se tratava de uma tropa muito maior do que poderíamos ter imaginado. Eram milhares deles e nós tínhamos atacado com uma dezena de tanques e pouco mais de cinquenta soldados”.

    “Informamos ao comando superior que o inimigo teria lá pelo menos um regimento. O comando, numa decisão ousada, pegou todos os caminhões da artilharia, encheu-os de soldados e os mandou em reforço à pequena tropa que fazia frente a tantos milhares.” – ” Considerei cumprida a minha parte e fui jantar com o Coronel Brayner, que comandava a tropa que chegara” prosseguiu Dionísio. “Durante a frugal refeição de campanha, apresentaram-se três oficiais alemães com uma bandeira branca, dizendo que vieram tratar da rendição. Fiquei de interprete, mas estava confuso; no início nem sabia bem se eles queriam se entregar ou se estavam pensando que nós nos entregaríamos, face ao vulto das tropas deles, que por sinal mantinham um
    violento fogo para mostrar seu poderio”.

    “Esclarecida a situação, pediram três condições: que conservassem suas medalhas; que os italianos das tropas deles fossem tratados como prisioneiros de guerra (normalmente os italianos que acompanhavam os alemães eram fuzilados pelos comunistas italianos das tropas aliadas) e que não fossem entregues à guarda dos negros norte-americanos”.

    “Esta última exigência merece uma explicação: a primeira vista parece racismo. Que os alemães são racistas é óbvio, mas porque então eles se entregaram aos nossos soldados, muitos deles negros? Bem, os negros americanos naquela época constituíam uma tropa só de soldados negros, mas comandada por oficiais brancos. Discriminados em sua pátria, descontavam sua raiva dos brancos nos prisioneiros alemães, aos quais submetiam a torturas e vinganças brutais. É claro que contra eles os alemães lutariam até a morte. Não era só uma questão de racismo”.

    “Eu perguntei ao interprete do lado alemão (nos entendíamos em uma mistura de inglês, italiano e alemão), por que queriam se render, com tropa muito superior aos nossos efetivos e ocupando uma boa posição do outro lado do rio. Ele me respondeu que a guerra estava perdida, que tinham quatrocentos feridos sem atendimento, que estavam gastando os últimos cartuchos para sustentar o fogo naquele momento e que estavam morrendo de fome. Que queriam aproveitar a oportunidade de se render aos brasileiros porque sabiam que teriam bom tratamento”.

    “Combinada a rendição, cessou o fogo dos dois lados. Na manhã seguinte vieram as formações marchando garbosamente, cantando a canção ‘velhos camaradas’, também conhecida no nosso Exército”.

    “A cerimônia era tocante” – prosseguiu Dionísio. “Era até mais cordial do que o final de uma partida de futebol. Podíamos ser inimigos, mas nos respeitávamos e parecia até haver alguma afeição. Eles vinham marchando e cada companhia colocava suas armas numa pilha, continuando em forma, e seu comandante apresentava a tropa ao oficial brasileiro que lhe destinava um local de estacionamento. Só então os comandantes alemães se desarmavam. A primeira Unidade combatente a chegar foi o 36º Regimento de Infantaria da 9° Divisão Panzer Grenadier. Seguiram-se mais de 14 mil homens, na maioria alemães, da 148° Divisão de Infantaria e da Divisão Bessaglieri Itália que os acompanhava”.

    “Entretanto houve um trágico incidente: Um nosso soldado, num impulso de momento, não se conteve e arrancou a Cruz de Ferro do peito de um sargento alemão. O sargento, sem olhar para o soldado, pediu licença a seu comandante para sair de forma, pegou uma metralhadora em uma pilha de armas a seu lado e atirou no peito do brasileiro, largou a arma na pilha e entrou novamente em forma antes que todos se refizessem da surpresa. Por um momento ninguém sabia o que fazer. Já vários dos nossos empunhavam suas armas quando o oficial alemão sacou da sua e atirou na cabeça do seu sargento, que esperou o tiro em forma, olhando firme para frente. Um frio percorreu a espinha de todos, mas foi a melhor solução” – Concluiu Dionísio.

    Ao ouvir esta história, eu já tinha mais de dez anos de serviço, mas não pude deixar de me emocionar. Não foram as tragédias nem as atitudes altivas o que mais me impressionaram. O que mais me marcou foi o bom coração de nossa gente, a magnanimidade e a bondade de sentimentos, coisas capazes de serem reconhecidas até pelo inimigo. Capazes não só de poupar vidas como também de facilitar a vitória. É claro que isto só foi possível porque os alemães estavam em situação crítica; noutro caso, ninguém se entregará só porque o inimigo é bonzinho, mas que a crueldade pode fazer o inimigo resistir até a morte, isto também é real. Na História Pátria podemos ver como Caxias, agindo com bondade, só pacificou, e como Moreira César, com sua crueldade, só incentivou a resistência até a morte em Canudos.

    O General Dionísio e o interprete alemão – Major Kludge, se tornaram amigos e se corresponderam até a morte do primeiro, no início dos anos 90. O General Mark Clark, comandante do 5° Exército norte-americano, ao qual a FEB estava incorporada, disse que foi um magnífico final de uma ação magnífica. Dionísio disse apenas que a história real é ainda mais bonita do que se fosse somente um grande feito militar.”
    Cel.Hiram Reis e Silva

    OBS.: O Coronel de Engenharia Hiran Reis e Silva do Glorioso Exército Brasileiro tem várias aventuras na Selva Amazônica Brasileira e é professor do Colégio Militar de Porto Alegre/RS.

    Esta é uma contribuição para a Seção Grandes Brasileiros do O&N.

    BRASIL ACIMA DE TUDO. SELVA!

    EDVALDO TAVARES – MÉDICO – DIRETOR EXECUTIVO DO SISTEMA RAIZ DA VIDA, http://www.raizdavida.com.br BRASÍLIA/DF

  20. Luiz Franco disse:

    Uma pessoa que dá a vida por uma causa perdida. Uma causa de grupos interessados em seus próprios interesses de classe. E que transformam seus ideais em moeda de troca. Essa pessoa, hoje, seria um idiota, não um herói.

  21. A. Paes de Almeida disse:

    Sobre o que diz o Dr. Edvaldo Tavares, de Brasília, sobre o povo brasileiro.

    O Sr. trouxe uma série de estereótipos sobre os brasileiros que dizem pouca coisa sobre nós. O que dizem é sobre a percepção de outras pessoas, com largos e exagerados traços que estão longe de descrever o povo brasileiro.

    Realmente não somos a terra dos papagaios. Nossa diversidade cultural e linguística é enorme. Tão importante como a nossa bio diversidade.

  22. Cinai disse:

    Bem, costumo dizer que gostamos de imitar os EUA.
    Então, Tiradentes e o restante do pessoal se entusiasmaram, com o exemplo de lá. Ou seja, a independência dos EUA.
    Imitou, mas, não foi bem sucedido.
    Também,hoje, se imita a metodologia de ensino, mas, os resultados também não são os mesmos.De lá.
    Talvez, devêssemos experimentar algo original…

  23. João Cirino Gomes disse:

    Em 21 de abril de 1792, Tiradentes foi executado!
    Trinta anos depois o Rei de Portugal monta a farsa de independência e colocando seu filho para proclama-la! Em 7 de setembro de 1822

  24. Peter Pablo Delfim disse:

    História no Brasil é um escandalo. De arrepiar. Serve apenas para contemplar interesses nem sempre muito claros. Mas, o terrível mesmo, é que continua assim ainda hoje. Uma vergonha.

  25. Davyd Wandell Xavier disse:

    Muito bem
    Combatentes da FEB devem ser lembrados
    por morrerem pela pátria
    eu conheço só um
    Fredolino Chimango
    Morto na Itália
    na segunda guerra

  26. lontra disse:

    @Eduardo,
    Este é o erro do cinema e seus mocinhos imortais. Heróis morrem pela pátria, caso do Tiradentes. A sua morte acelerou a independência, o que de fato não agradou a coroa. Trujillo deve achar Fidel e Che traidores. Tiveram ambos também um triste fim. Che morreu em outra luta na Bolívia e Fidel de heroi passou a tirano. Lula encurtou o caminho, não foi martir, não foi heroi, mas luta incansavelmente para ser o nosso Perón.

  27. denis disse:

    Tiradentes tinha barba e cabelos compridos mesmo?

  28. Vanessa disse:

    Isso não é totalmente verdade TIRADENTES não foi esse herói citado nesse texto

  29. Larissa disse:

    Eu não concordo com esse texto, nem se tem dados suficientes para saber como ocorreu a Inconfidência Mineira,ou melhor, o que deveria ocorrer. Por acaso, algum brasileiro aprendeu na escola o nome Cipriano Barata? Acho que não.
    Cipriano Barata foi líder da Inconfidência Baiana e muitos brasileiros até hoje nem sabe o que foi esse movimento. Ele, sim, deveria ser nosso herói, pois é digno de tal cargo. A maioria dos brasileiros não sabem que foram manipulados e tiveram incutidos na sua essência de cidadão um “herói” deplorável como Tiradentes.Sim, nós fomos e somos manipulados.Quais os motivos disso? Poder controlar a essência de cidadãos dos brasileiros por uma minoiria, ou seja, o grnade motivo é para nós, brasileiros, aceitemos tudo sem reclamar. Impostos pagos com sacrifício todo mês, sem obter nenhuma vantagem: onde está nossa educação( você pai de família tem que pagar escola particular para o seu filho), onde está nosso sistema de saúde(o pai de família tem que pagar convêncio médico), onde está nossa segurança(mais uma vez, pai de família tem que morar em condomínio fechado)? Eu, então, pergunto: onde está nosso dinheiro? Somos todos Tirandentes indo para a forca. Depois de tudo isso, sinto apenas pena e vergonha, como querem que eu sinta.

  30. hermes disse:

    legal,interessante!

  31. amrim tup disse:

    É a primeira vez que leio que tiradentes prentendia algumas reformas sociais tipo abolição
    A revolta dos alfaiates tinha mais propostas sociais e é totalmente esquecida ate pelo autor do texto atual.

  32. lais disse:

    eu quero figuras de monumento histórico do tiradentes.

  33. David disse:

    Tiradentes é um mito inventado pelos letrados do Centro-Sul. A contribuição dele para o Brasil não pode ser comparada a Frei Caneca.