Início » Opinião » Imagem do Brasil sobrevive a black blocs
coluna esplanada

Imagem do Brasil sobrevive a black blocs

Black Blocs não afetaram a imagem do país lá fora, e Copa do Mundo continua vendendo ingressos, inclusive mais caros do que deveria.

Imagem do Brasil sobrevive a black blocs
Violência em protestos não afastaram turistas do país, de acordo com Embratur (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Responsável por atrair turistas estrangeiros para o Brasil – com foco na Copa, pela iminência do evento – a Embratur constatou em pesquisa que as atuações dos black blocs no Rio e em São Paulo não afetaram em nada a imagem do país. As sondagens são diárias junto aos grandes operadoras de turismo na Argentina, EUA e União Europeia. ‘Não houve impacto nas compras de pacotes ou cancelamentos’, diz Flávio Dino, presidente da Embratur. Por ora os resultados são positivos.

Leia Mais:Fifa faz setor hoteleiro de refém às custas do turista

As pesquisas da Embratur são realizadas também através de clippagem de mídia e jornais nos 13 escritórios internacionais. Ninguém lá fora sabe o que se passa aqui.

Quem são

A despeito da força tarefa de segurança do governo do Rio, a polícia já sabe quem são os black blocs: traficantes disfarçados, e patricinhas e playboys revoltados sem causa.

Tudo como está

Justiça negou habeas corpus para Francisco e Edmundo Gaivski, irmãos de Eduardo, ex-assessor do Planalto acusado de pedofilia. A dupla tentou coagir testemunhas.

Novos gurus

Os tradicionais marqueteiros de políticos perderam a áurea. Agora são obrigados a dividir as atenções dos clientes com os gurus das redes sociais que passaram a acompanhar os presidenciáveis. Vide Marcelo Branco, da presidente Dilma. Eduardo Campos se aconselha com Antonio Lavareda, mas leva nas agendas um consultor para Twitter e Facebook. Não é diferente com Aécio Neves, que tem núcleo para as redes.

Ligações perigosas

A Brookfield, que revelou ter pagado propina de até R$ 4,1 milhões para liberar obras aos fiscais presos da Prefeitura de São Paulo, tem investimentos da Previ, o fundo de pensão do BB – que cede funcionários para a incorporadora, sob licença do banco.

Emendas cariocas

Com a promulgação da PEC da Música, do deputado Otavio Leite (PSDB-RJ), constata-se o poder de fogo da bancada do Rio na atual legislatura (2011-2015). Das oito emendas constitucionais promulgadas, essa é de Leite, a outra de Andréia Zito (nº70).

Memória

A PEC da Música (75) desonera o setor fonográfico para baratear CDs. A de Andréia é o ‘cálculo e correção dos proventos da aposentadoria por invalidez dos servidores’.

Sinal dos tempos

A coisa anda estranha em Brasília. O deputado boa praça Reguffe (PDT) enalteceu na tribuna a gestão do governador Agnelo Queiroz (PT), com quem pode concorrer.

Que crise?

O 22º relatório anual de negócios de aviação da Honeywell consultoria revela que está prevista a entrega de 9.250 jatos, em encomendas de US$ 250 bilhões, de agora a 2022. Só este ano chegam mais 625 jatinhos nos hangares dos milionários mundo afora.

MercoTur

A Comissão de Turismo aprovou relatório do deputado Onofre Santo Agostini (SC) ao PDC 1.291/13, que normatiza o Fundo de Promoção de Turismo do Mercosul. Em suma: Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai terão um percentual para contribuir.

Quebra-molas
O Brasil anda em baixa no mercado da F1. Não deve ter brasileiro na pista ano que vem. Ascenderam os novos ricos russos, alemães e venezuelanos, bancados pelo petróleo, conta fonte da coluna direto do circo dos GPs.

Recado

O enterro da CPI do Erro Médico no Senado frustrou Marcelo Caron, o cirurgião plástico condenado por mortes de pacientes em Goiás. Caron, que cumpre regime semiaberto em Natal (RN), queria depor e abrir o verbo sobre casos do DF.

Bisturi afiado

Caron jogaria tudo no ventilador. Diz que já corrigiu várias cirurgias malfeitas em pacientes por colegas de Goiás e Brasília. E revelaria o que passou no MPDFT.

Duas tragédias

Piada da Anac. É uma burocracia ter acesso a documentações de aviões. Um exemplo, não quis informar a situação do bimotor PT-KGK, que caiu em Maricá e matou dois.
Ponto Final

A prisão dos fiscais da prefeitura de SP está cheirando a nova modalidade de mensalão.

________________________________________

Com Luana Lopes e Equipe DF e SP

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

3 Opiniões

  1. Mauricio Fernandez disse:

    O governo, a mídia escrita, falada e televisada criaram os black blocs. Foram além; deram-lhe nome com ‘sotaque’, antes os chamavam de vândalos. Não bastasse isso os classificaram como um novo evento social. Deram espaço e repercutiram seus atos em todos os meios de comunicação social. Por último, reconheceram a necessidade da criação de comissões especiais para estudá-los e combatê-los. Vejam só!…. Agora plantam notícias nos meios de comunicações internacionais. Ora, ora, ora! Passamos todos de simples desavisados à condição de imbecis. Éssa turma que nada mais são do que mercenários pagos tem como único objetivo manter o povo, que esgotado em sua paciência, longe das ruas sob a forma de protestos. Temerosos, o povo indignado com os desmandos, não pode protestar sob pena de serem atropelados por todo tipo de violências, seja por parte dos vandalismos seja por parte da polícia. O pior é que formadores de opinião, parte da elite ‘pensante’ desse “país do tudo”, vem a público falar e debater sobre esse ‘fenômeno’ o qual até livros, de forma oportunista e fantasiosa já se escreveu. Um grande e vergonhoso estelionato moral.

  2. helo disse:

    Diz Dilma que os blackblocs são neonazistas. Enfim Maurício tem razão, sejam o que forem estaremos impedidos de qualquer protesto pacífico e legítimo.
    Já Haddad esperava ter os aplausos pela descoberta da propina crônica dada a funcionários pelas construtoras. Porém os aplausos cessaram quando se descobre que o funcionário preso foi demitido por Kassab e depois empossado em alto cargo pelo Haddad, e ficamos por aqui informados que a Brookfield que confessou o pagamento de 4 milhões tem ações da Previ a qual cede funcionários para a construtora. Uma confusão que deverá ganhar um nome novo. É privataria? É previtaria?

  3. Sandro L B disse:

    Concordo com Mauricio, são mercenários e muito bem pagos para fazerem isso, depois da eleição nem sequer teremos notícias deles, esquema muito bem montado enquanto a Dilminha direciona a imagem de sua péssima gestão Petralha para a vigilância da NSA, tudo feito para sua Reeleição

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *