Início » Opinião » Leitora comenta a PEC da Felicidade
Opinião Pública

Leitora comenta a PEC da Felicidade

O Opinião e Notícia escolheu o comentário de Glória Drummond

Leitora comenta a PEC da Felicidade
Opinião e Notícia

A leitora Glória Drummond comentou a matéria ‘Sem direitos’ e foi escolhida como a Opinião Pública da semana. E você, já deu sua opinião?

Primeiro é preciso conceituar Felicidade em si. A do Estado e dos cidadãos, que só existiu nas utopias de filósofos, futurólogos. Que Felicidade tem algo a ver com o self, que extrapola as benesses que viriam numa bolsa ou cesta. Segundo, porque as pessoas estão mais para Tanatus do que para Eros. E, sociologicamente, povo e massa se confundem, no agora, priorizando o individualismo dos que têm opinião formada. Terceiro, porque desde as cavernas nunca existiu uma cultura ou civilização feliz. Finalmente, o próprio PT, quando fazia brindes, cobrava mensalidade e ainda não era este rolo compressor, teve um trabalho subliminar intenso junto ao seu púbico, para impor o seu slogan -”Sem medo de ser feliz”… Junto aos filhotes da ditadura e esquerdistas de todos os costados.

Francamente, o Cristóvam Buarque está caquético. O Chico Buarque decepcionou, assim como governadores do naipe de Eduardo Siqueira, neto de Arraes, e outros, exigindo a famigerada CPMF de novo. E o impostômetro lá em cima!

Quanto aos salários de ministros, deputados, com todas as suas mordomias, é um absurdo. A B S U R D O. Compará-los com os dos grandes executivos é ridículo. Esses pagam moradias, empregados, motoristas, serviçais, combustível e seus jantares, farras regados Chandon Moet. Assim, como é de pasmar a eleição do Tiririca, a aceitação dos disparates ditos pelo semianalfabetizado Presidente voador, garoto propaganda. Brasileiro tem mania de rir de tudo e não valoriza a luta que a humanidade empreendeu para acabar com o direito divino dos reinos.

Pelé, o negro do sistema, disse certa vez que “o povo tem o governo que merece” e quase foi linchado. Hoje, concordo com ele. A ansiedade pelo Ter, consumir, leva o brasileiro a arcar com dois ou mais trabalhos, viver às voltas com a ameaça da geração Y e não ter tempo sequer para participar do autoritarismo e corrupção praticados no seu condomínio ou verificar se os hematomas, machucados que seus filhos apresentam, quando são entregues a um berçário, maternal não são praticados por pessoas como aquela vovó de Goiânia…

Se é assim em relação à vida pessoal, como poderia se posicionar em relação aos absurdos cometidos pelos seus representantes? O jeito é usar aquele nariz de palhaço, jeito de palhaço, pinta de palhaço e se esquecer que já colocamos na rua O extravagante Collor.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. João Cirino Gomes disse:

    Nos tempos das cavernas não existia dinheiro, mas os homens buscavam bens materiais e os trocavam entre si!
    A moeda corrente facilitou a troca, ou seja, a compra, sem que para isso seja preciso o comprador levar consigo uma carga excessiva!
    Mas daí dizer que nos dias de hoje dinheiro não é um bem necessário é ser bem idiota!
    No mundo de hoje cada ser esta valendo aquilo que tem! Quem discordar de um role descalço, ou mal vestido para deixar de ser hipócrita e demagogo! Este papo de projeto felicidades é artimanha de políticos safados, que tem varias aposentadorias, exercem vários cargos ao mesmo tempo, e quer consolar aqueles lhes dão vida mansa, pagando suas mordomias, através das mais altas cargas tributárias do planeta!
    Afinal, esta conversa fiada é que não enchera barriga de ninguém e nem trará felicidade; há não ser, para os safados, e aqueles que por conveniência, apóiam suas mazelas interessados em obter vantagens pessoais!
    Bom será quando formos mais cultos e tivermos mais discernimentos, ai diminuirá a mamata dos ladrões safados, engravatados oportunistas e descarados!
    Em minha opinião, Color é santo perante as mazelas que já vimos e continuaremos vendo! Seria preciso citar algumas?
    Começarei pelos gênios, que ninguém fala a respeito, e a mídia oportunista e interesseira digere!
    Será que isso é inveja, como aquele sentimento mesquinho dos perseguidores de tiririca e do Dr Protógenes, ou é lutar por meus direitos? Será que cada cidadão teria a mesma oportunidade deste gênio, que após o pai ser eleito, se tornou empresário genial fazendeiro e milionário?
    Os interessados em nos enfiar o projeto felicidades goela abaixo, são gente deste tipo!
    Nem estomago de avestruz consegue digerir tanta grosa!
    A Santa estupidez!
    Como já disseram cara de palhaço jeito de palhaço! Quanta palhaçada!

  2. Peter Pablo Delfim disse:

    Não fosse o ridículo da PEC da Felicidade, seriamos poupados de alguns comentários. A sorte é que alguns somam bastante, elucidam. Outros são um desastre travestidos de saber e cultura. Políticos partidários perdem a essência, induzem ao erro, disseminam ódios, rancores e contradições. Cada povo tem o governo que merece sem a mínima sombra de dúvidas, foram escolhidos pelo voto livre. Só não vale para as ditaduras. Entretanto, registrar como “negro” do sistema e identificando o nome Pelé, evidencia e remete a frase, verdadeira, e o autor Pelé ao poço de todas as ignominias perpretadas contra o ser humano. As grandes mentiras, os grandes saques e pilhagens do País, a condenação de milhões de brasileiros a miséria e a fome certamente, não foram obras executadas pelos tiriricas da vida. Mas certamente, o foram pelos bem nascidos, letrados e instruidos tão ao gosto da Senhora Glória que tece críticas àquilo de que mais precisa que é ser feliz.

  3. Nonato disse:

    Dona Gloria é conformista e com certeza é daquelas (pessoas) que gostariam de punir sem julgar. O mais incrivel é o fato de que pessoas (pseudo intelectuais) escrevem como se estivessem acima do bem e do mal quando o assunto é politica – de boas intenções o inferno está cheio, bom a história de tempos não muito distantes nos brinda com o FACISMO,criação desse tipo de intelctual plitico, aquele que não valoriza o povo mas que cria um povo ficticio sempre bonzinho e que aceita a tutela dos bem pensantes, Quanto ao caso do Jogador PELE parece ser a versão tupiniquim do conto “Os olhos azuis” tão do agrado dos liberais Estadunidenses, afinal ele foi coonestado politicmente pela direita brasileira, que tão burra que é não soube aproveitar o potencial que ele um dia representou, agora classificar Collor apenas com extravagante é de morrer de rir e, para um comentarista abusar das reticencias pega muito mal.

  4. helio (rio de janeiro) disse:

    Ótimo comentário. Na tentativa simplória de reduzir as idéias entre o Bem e o Mal, o estado se elege como o detentor do Bem, onipotente, prometendo finalmente nada mais que o céu.

  5. Markut disse:

    Perfeito o comentário de Glória Drummond. Para nós , os mais velhos, essa listagem de disparates absurdos que estão acontecendo em nossa volta, só nos induz a colocar o nariz de palhaço e sair por aí.
    Cristovam Buarque, então, foi aquela decepção.
    O único senador que parecia menos pior.
    Ganhou, merecidamente, a charge, publicada por O&N.
    “Ridendo castigat mores”

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *