Início » Opinião » Maia, sobre briga com Ideli: ‘É mentira deslavada’
Coluna Esplanada

Maia, sobre briga com Ideli: ‘É mentira deslavada’

Presidente da Câmara desmente briga com ministra das Relações Institucionais e garante que nunca teve apadrinhado em qualquer estatal. Por Leandro Mazzini

Maia, sobre briga com Ideli: ‘É mentira deslavada’
Leandro Mazzini é escritor e jornalista (Divulgação)

Twitter  @leandromazzini

Alvo de notícias desencontradas sobre sua relação com o Planalto, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), dá sua versão: não brigou com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti. “É uma mentira deslavada”. Diz que nunca teve apadrinhado no Banco do Brasil ou qualquer estatal, e explica por que encerrou a sessão em que o plenário votaria o Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público: “Deu-se exclusivamente porque não houve acordo entre a base e oposição”.

À mesa

Maia diz ainda que à ocasião do impasse chamou os relatores do Funpresp para conversar. Em vão. Ele desconfia de que alguém quer colocar na sua conta o fracasso.

Cada um na sua

“Tenho conduzido o trabalho na Câmara da forma mais democrática”, defende-se. E reforça, sobre os pedidos do Palácio: “Não há obrigatoriedade” de seguir a pauta deles.

‘INCrencados’

O Tribunal de Contas da União determinou ao Instituto Nacional do Câncer (INCA) levantar a folha de custos de pagamento dobrado a pessoal terceirizado, de 2009, que recebeu pelo órgão e pela Fundação do Câncer (FAF). Os terceirizados beneficiados terão que devolver o excedente.  O TCU pediu pente fino na folha de 2010 também.

Tá bom

A decisão do TCU foi publicada ontem, o Acórdão 785/2012, da 2ª Câmara. É caso antigo no INCA. A direção já justificou, em outras ocasiões, que o adicional feito pela FAF é necessário para equiparar os ganhos dos profissionais com o valor de mercado.

No ar

Só agora, com o início das concessões, a Infraero vai implantar internet wi-fi grátis nos terminais de Cumbica, Congonhas, Brasília, Galeão e Santos Dumont. Serão ao todo 18 aeroportos. Em troca, as teles terão espaço de publicidade.

Boletim médico

Passa bem o governador do Piauí, Wilson Martins, que se submeteu a cirurgia para retirada de um pólipo do abdomen, no Hospital Sírio e Libanês, em São Paulo.

Preço do acordo

O PMDB não deve ter candidato em Porto Alegre, onde apoia José Fortunatti (PDT) e em Caxias, cujo prefeito Ivo Sartori (PMDB) apoiará nome do PDT por trato antigo.

 

Degustação do poder
O restaurante Piantella, em Brasília, recebeu a visita dos viticultores da renomada casa italiana Fratelli Alessandria, do Piemonte. Gian e o filho Gianni ensinaram segredos da culinária e apresentaram seus produtos. O cicerone foi o empresário Piero Rosmo.

$aúde

A Amil e Unimed fizeram um consórcio ‘mirabolante’ para levar a conta milionária da Câmara dos Deputados, que pagará plano de saúde para terceirizados. Os três grupos que disputam o convênio (Aliança, Parsaúde e Prevquali) fecharam com as operadoras.

Cautela

Com mais sete anos de mandato no Congresso, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) jura que não é candidato à prefeitura de Vitória, sonho do ex-governador Paulo Hartung

Largada

Já a ex-ministra da Secretaria da Mulher Iriny Lopes, candidata certa do PT em Vitória, monta comitê e faz reuniões com líderes de comunidades atrás de apoio.

4G…

Às vésperas da implantação da internet 4G no país, as teles empurram para a legislação conflituosa a má qualidade dos serviços atuais. Alegam que a falta de padronização de regras de instalação de torres prejudica o setor. A Anatel faz cara de paisagem.

…é utopia

Em nome das teles, o Sindicato das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular indica esse ponto estrutural como o fator principal do gargalo. Hoje, existem mais de 200 leis municipais em vigor que estabelecem diferentes procedimentos de instalação.

Ponto Final

Internet no Brasil não é banda larga. É umbanda larga. Só com muita reza para funcionar.

Com Gilmar Correa e Hosa Freitas

____________________________________

www.colunaesplanada.com.br .   contato@colunaesplanada.com.br

* É proibida a reprodução total ou parcial da coluna sem a prévia autorização do editor da Esplanada

 

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Afonso Schroeder disse:

    ELEIÇÃO A LIMPO:
    Á natural o jogo do poder econômico estar estremecido e não vai ficar por ai a ficha limpa, automaticamente vai peneirar aqueles cidadãos que até pouco tempo se achavam acima das Leis, gostando ou não o Brasil esta sendo decorrido a limpo, a sociedade já percebe que tanto no político-social como no econômico as coisas estão mudando para melhor, de que adiantava antes destas medidas, querer dinamizar as Leis Eleitorais se sempre o poder econômico se sobreposse as normas, agora o que vai acontecer é a existência de equilíbrio de vontade e capacidade para pleitear cargos eleitorais tanto no Legislativo como no Executivo, oxalá que Deus continue iluminando os cidadãos de bem deste gigante Brasil.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *