Início » Cultura » O museu do maior patrimônio brasileiro
Turismo em São Paulo

O museu do maior patrimônio brasileiro

Museu da Língua Portuguesa celebra nosso idioma, elemento fundador e essencial da cultura do Brasil

O museu do maior patrimônio brasileiro
Museu aposta no uso de formas lúdicas, com tecnologia de ponta e muita interatividade

Quantos museus dedicados a uma língua existem no mundo? Podem-se contar nos dedos. O Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, é o único em toda a América Latina. O acervo do museu é basicamente um só: nosso idioma, possivelmente o nosso maior patrimônio imaterial. Em seus três primeiros anos de funcionamento, o museu teve quase 2 milhões de visitantes.

Fundado em 2006, o museu ocupa três andares da Estação da Luz, que já foi porta de entrada da capital paulista. A localização se justifica: era por aqui que os imigrantes tinham seu primeiro contato com a língua portuguesa quando chegavam no país ao final do século 19.

Elemento fundador da nossa cultura, a língua é celebrada através de suas origens, influências e mutações. Mas como expor algo imaterial como o idioma de um país? Uma equipe de criação e pesquisa, composta por sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas, optou pelo uso de formas lúdicas, com tecnologia de ponta. Há, por exemplo, uma grande galeria com 38 projetores que exibem simultaneamente três filmes sobre as relações da língua portuguesa com os mais variados aspectos da cultura brasileira. Trata-se da maior tela de projeção do mundo, com 106 metros de comprimento.

Outro ponto importante é mostrar o cidadão como o verdadeiro proprietário e agente de mudanças da língua. Para isso, o uso da interatividade é essencial. Em um dos espaços mais lúdicos da exposição permanente, a seção Beco das Palavras ou Jogo da Etimologia, os visitantes tentam formar palavras a partir da movimentação de imagens de sufixos, prefixos e radicais. Quando conseguem, dão de cara com um telão mostrando vídeos sobre a origem da palavra formada.

Outras seções interativas incluem oito totens multimídia com os idiomas que influenciaram o português brasileiro (“Palavras cruzadas”) e uma grande tela interativa que mostra os falares do Brasil (“Mapa dos falares”).

A primeira exposição temporária comemorou os 50 anos do romance Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa. Já no momento, até 22 de julho, acontece uma homenagem ao centenário de Jorge Amado. Intitulada Jorge Amado e Universal, a mostra estuda os rastros deixados pelo autor através de sua vida e obra, com instalações, vídeos, fotografias e cartas de Amado.

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. João Cirino Gomes disse:

    Ao invés dos sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas, optarem pelo uso de formas lúdicas, com tecnologia de ponta. deveriam optar por LULICAS são quase iguais!

    Já que Lula mesmo sendo analfabeto conseguiu mudar a gramatica e a ortografia!

    Não sei como; outra pegadinha contraditória é tiririca ministro da Educação!

    Isso é o Brasil, de um povo ordeiro, cordeiro displicente, desinformado, mas bom de carnaval, futebol, adeptos a palhaçadas e circo a vontade!

    Justiça social, segurança, saúde, moradia, pão e educação, fica para depois, pois nestas áreas, os políticos vão só no bico doce, nas promessas e ao Deus dará!

    Enquanto não tiver fim a lei de imunidade, nada mudara!
    Continuara tudo como Dantes, na casa de ABRANTES!

  2. Jorge da Paz Rodrigues disse:

    O Brasil e em especial a cidade de sâo Paulo estão de parabens.

    Como português fiquei surpreso e encantado com este autêntico museu “vivo” da nossa língua, falada em 8 países no mundo (Portugal, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, S. Tomé e Principe, Guiné-bissau e Timor-Leste) e que é hoje a 5ª língua com mais falantes no Mundo!

    O Museu só peca por não dar o devido destaque a este facto, até porque, além daqueles países é ainda falada na Galiza (Espanha, aqui na forma antiga do galaico-português), Goa, Damão e Diu (Índia), Macau (China) e na ilha de Malaca, bem como ainda em várias outras partes do Mundo onde existem emigrantes portugueses e brasileiros, principalmente, o que demonstra a força da Lusofonia.

    Um grande abraço.

  3. hermes agneli disse:

    O LULA, primeiro presidente autentico do BRASIL, botou no devido lugar esse cazzo de língua medieval dos pigs portugueses, se comunicou claramente com o mundo todo, usando a língua BRASILEIRA, de São Paulo, elaborada pelos linguistas do povo de São Paulo, o poeta incriticável, irrepreensível, ADONIRAN BARBOSA, o RONALD GOLIAS oriundo da cultura italo-caipira, e o artista, fruto da cultura brasileira e deputado mais votado TIRIRICA.
    Esse peste de museu idiota deveria ser usado como abrigo de pessoas sem teto, sobra da cultura escravagista portuguesa.
    Vai pro diabo que a carregue a língua sem futuro, do estupido parlapatão medieval camões

  4. Peterson Cunha disse:

    E na Bahia os professores a cerca de 100 dias em greve com risco de perda total do semestre (mas o governador carioca do PT que hoje manda na Bahia J.Wagner) arrumará um jeito para passar todo mundo e melhorar os indicadores do governo. E ai como fica a nossa língua portuguesa já que por aqui é difícil escutar alguém falar bem a nossa língua mesmo com um tal de baianes de mer–.

  5. izabel teles martins disse:

    fiquei maravilhada com o que vi e interagi .deveria haver deste museu em todos os Estados do Brasil,obrigatoriamente.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *