Início » Mesa do Editor » Parar de fumar: será tão fácil assim?
Saúde

Parar de fumar: será tão fácil assim?

Os médicos são quase unânimes: parar de fumar é tudo, menos fácil. Uma franquia que chegou ao Brasil promete exatamente o contrário

Parar de fumar: será tão fácil assim?
Largar o vício do cigarro pode não ser tão simples, mas é possível

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Método Fácil de Parar de Fumar. Isso existe? Pelo menos desta forma, com iniciais em maiúsculas, sim. É com este nome que a franquia brasileira da rede internacional seminários Easyway está operando em São Paulo desde março deste ano com uma promessa um tanto polêmica: o fim do vício em cigarro com apenas seis horas de prosa — uma poderoso prosa, ao que tudo indica –, que pode vir na forma de palestras em grupo ou em papos individuais. A empresa garante que isso é o suficiente para fazer um fumante largar o cigarro de uma hora para outra sem subir pelas paredes em crises de abstinência.

O “milagre” é (é?) operado mediante pagamento de R$ 500 por franqueados mundo afora que repetem ad infinitum o método criado pelo inglês Allen Carr, que passou 30 anos lutando contra o vício em cigarro, até que um dia conseguiu parar, sem sofrimento, porque, segundo ele, conseguiu desvendar os mecanismos da dependência física e psicológica, assumindo controle sobre o vício.

Infelizmente a sacada não veio a tempo: Carr morreu de câncer de pulmão em 2003. Ele, que fumava entre 60 e cem cigarros por dia, dizia que seu sangue era até amarronzado por causa da falta de oxigenação. Seu livro, Easyway To Stop Smoking, já vendeu mais de sete milhões de exemplares em todo o mundo.

Não, não ‘basta querer’

 

Os médicos são quase unânimes: parar de fumar é tudo, menos fácil. O Instituto Nacional do Câncer, por exemplo, tem uma cartilha para quem quer parar de fumar intitulada justamente “Mas será tão fácil assim?”, questionamento que remete à percepção equivocada de quem não fuma de que parar de fumar pode parecer algo simples, de que “basta querer”.

Para ajudar a largar o cigarro, a cartilha do Inca recomenda desde chupar gelo a não ficar parado, conversar com um amigo ou fazer algo diferente que distraia a atenção, passando por escovar os dentes a toda hora, beber água gelada ou comer uma fruta. Manter as mãos ocupadas com um elástico, pedaço de papel, rabiscar alguma coisa ou manusear objetos pequenos. Ufa!

O Inca recomenda também:

“Guarde o dinheiro que você gastaria com o cigarro e conte-o ao final da semana. Pegue o dinheiro que economizou e compre um presente para você ou para quem gosta; Se preferir, saia para para fazer um programa diferente”.

Tudo isso dá conta da complexidade, ou seja, da infinitude de nuances, situações e obstáculos que um postulante à condição de ex-fumante terá que se deparar.

Prática antiética?

 

Falando à Folha de S.Paulo, a cardiologista Jaqueline Issa, responsável pelo programa de tabagismo do Incor (Instituto do Coração do HC de São Paulo), diz que a abordagem motivacional pode até funcionar nos casos de níveis de dependência menos graves, mas que vê o Método Fácil de Parar de Fumar com desconfiança:

“Essas coisas alternativas me preocupam porque afastam as pessoas da abordagem médica. Privá-los de um tratamento adequado é uma prática antiética. Quando passam pela abstinência sem assistência e falham, muitos ficam tão traumatizados que não tentam mais parar”.

Métodos alternativos por métodos alternativos, há quem recorra até a simpatias para parar de fumar. Uma das mais famosas indica o seguinte caminho das pedras: no primeiro dia de lua minguante, fume o primeiro cigarro pela manhã normalmente e, na hora de apagar, coloque a ponta dentro de um pote de vidro e tampe.

Repita o ritual durante sete dias e, depois, quando a lua já estiver mudando de fase, jogue o vidro no mar, vire de costas e peça a Deus que leve o vício para longe de uma vez por todas, se Deus quiser antes que o sangue mude de cor…

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

12 Opiniões

  1. Ernesto disse:

    O livro de Allen Carr é bom e seu método é baseado em tomar um decisão e mantê-la, o que é o ponto básico no uso de qualquer droga.

    Queria apenas lembrar que o câncer de Allen Carr não se deu apenas porque ele era fumante. Durante dezenas de anos ele trabalhou com tabagistas em grupo no seu método, onde aceitava que se fumasse durante as palestras.

    É bem possível que seu câncer tenha progredido depois de sua parada por se tornar fumante passivo para ajudar os outros.

    Na minha opinião R$ 500,00 valem mais a pena que o 0800 do ministério da saúde.

    Agora, é interessante que médicos critiquem a “falta de ética” do programa. Mas que ética tem a indústria farmacólogica
    com Zyban ou Champix?

    Deêm uma olhada nos estudos clínicos e verão que sua propaganda também é “método fácil”, e o percentual de sucesso versus placebo é bem baixo. Mas o valor dos remédios…

  2. kão disse:

    Pois, é fácil… para os outros.
    Prá mim, nem difícil é: é impossível. Sou mais forte que minha força de vontade. Ela fala:”Pára!” e eu respondo “Não paro”. E continuo fumando.
    Meu coração é só de Jesus… e meu pulmão, da Souza Cruz! Sem blasfêmia, gente boa, é só a verdade.
    É ruim ser fumante? Claro, é muito ruim, é péssimo.
    Tudo fede fumaça, seu dinheiro vira fumaça, seus amigos olham prá você com cara de nojo, a namorada vira a cara para ser beijada (antes de virar fumaça, também…), até o cachorro sai de perto quando você acende um cigarro, seu pulmão vira pedra ou gelatina e você tem que procurar uma coisa cada vez mais longe e difícil de encontrar: fumódromo.
    Bom é que sempre tem companhia no fumódromo. O papo? Cigarro, claro!
    O 0800 do Min. da Saúde? É do governo, tá pouco se lixando pro cidadão.
    Mas eu vou parar, claro que vou! Quando eu morrer, como caixão é apertado, não tem ventilação, não tem onde jogar a bituca… claro que vou parar.
    Lembro de um amigo que morreu, coitado, por NÂO fumar. Ele teve um problema pulmonar sério e o médico falou a ele:
    – Ou o senhor pára de fumar ou vai morrer!
    Como ele nunca tinha fumado, morreu mesmo.
    Este o motivo de eu ter sempre um ou dois vícios de reserva: para poder parar quando o médico mandar.
    Fácil parar de fumar… isso é coisa de maluco, de quem nunca fumou.
    Abraço (de longe, por causa do cheiro de cigarro).

  3. Luiz Mourão disse:

    Penso que TUDO se apóia em MOTIVO ou INTERESSE…
    Se houver uma MOTIVAÇÃO forte para largar o fumo, aposto que ocorrerá..
    Digamos que o fumante baixe o hospital e o médico lhe afirme que, na próxima recaída, o destino é sete palmos abaixo da terra; APOSTO que, ao ver o Homem da Foice, o fumante deixará o vício…
    E há casos de pessoas que largam o fumo por MOTIVOS menos dramáticos evidenciando que a tal dependência é muito mais uma auto-indução e uma auto-complacência do que propriamente alguma degeneração química corporal…
    A propósito, MÃES e PAIS fumantes (alguns DURANTE a gestação) amam MESMO seus filhos????
    Se o verdadeiro Amor exige sacrifícios, a conclusão é, desenganadoramente, NÃO….
    Infelizmente; para os FILHOS….

  4. Roberto Henry Ebelt disse:

    Franquia para parar de fumar?
    Estão brincando?
    Quer dizer que o boçal descobriu a cura do câncer de pulmão e cobra para dizer como fazer?
    Esse cara é cristão?
    Roberto

  5. áureo Ramos de Souza disse:

    Tenho 66 anos sou fumante desde os 12 anos, fui viciado em álcool e ao mesmo tempo fumava, parei de fumar durante 1 ano e 6 meses e continuei bebendo, certo dia em mesa de bar pedi a um amigo um trago do seu cigarro, foi o reinicio do vicio. Não, não é fácil parar de fumar, é preciso muito coragem e boa vontade pois mesmo doente, sabedor que o fumo o prejudica (vejam propagandas em carteiras de cigarro) e perguntem a um ex fumante se foi pela propaganda que deixou de fumar? Hoje não bebo, mas fumo, mesmo em pequena escala que é menos de uma carteira (vinte cigarros) dia

  6. Hivitality disse:

    É facílimo parar de fumar,
    Eu paro todo ano !!!

  7. luciano pinheiro disse:

    Não existe método. Tudo é falácia. Parar de fumar é um ato de extremo amor próṕrio. Um nascisismo imprescindível ao ser humano. Parar de fumar é mais simples do que acender o cigarro. Passei 40 anos viciado no cigarro. Bastava um gole de café, uma dose de pinga, um copo de cerveja e lá se iam cigarros e mais cigarros. Não existe técnica, tratamento, simpatia, reza brava ou outro artificio. Se você pisasse em uma brasa, voltaria a pisar novamente por intuição cerebral? Deixei de fumar no pior momento de minha vida quando terminei com meu relacionamento de 23 anos com minha ex-mulher. De repente eu enxerguei a imbecilidade que é o ato de fumar. Emporcalhar o ambiente. Gastar rios de dinheiro para nada. Aí eu peguei o cigarro que comprara num boteco e joguei fora. Até hoje… Lembro que perdi muitas roupas com a brasa do cigarro. Levei inúmeros carões de colegas de repartição pelo mau cheiro que espalhava na repartição. Não. Não é preciso mais do que criar vergonha “na cara” e abandonar o vício. Conheço amigas que deixaram o crak sem remédio nenhum. É falta de amor próprio. Quem diz que não consegue deixar de fumar, ou de jogar baralho, ou de roubar, é um fracassado. Não existe remédio. A cura está em si mesmo. É só querer. O resto é mídia.

  8. omara disse:

    Esse ebook para leitura no computador é o melhor metodo para parar com o vício, espero que te ajude.

    http :// produto.mercadolivre.com.br/MLB-473497793-ebook-o-metodo-facil-de-parar-de-fumar-com-allen-carr-_JM

  9. Rafael Correia disse:

    O método fácil de parar de fumar = O MELHOR LIVRO DE TODOS OS TEMPOS! Eu parei (1 maço/dia) e foi muito fácil, moleza, é TUDO psicológico! Antiético é não divulgar o melhor método de parar de fumar! Parece que essa tal Jaqueline Issa tem medo de perder os clientes, ela que é antiética ao fazer comentários boçais sobre o que não conhece!

  10. Fernanda disse:

    Fui fumante por 35 anos. Havia “parado’ somente uma vez, com adesivo de nicotina. Foi importabte por que me dei conta que a questão não era o hábitode fumar. A questão era a nicotina. Como eu não conseguia largar a nicotina, não via muita saída. A leitura do livro de Allen Carr mudou minha vida. Parei de fumar imediatamente. Sem tristeza, sem ansiedade, sem fissura. Liberdade! Parar de fumar é muito mais fácil do que querem nos fazer acreditar. Se eu consegui qualquer um consegue. Nem precisa 500 reais para seminário. Está tudo no livro. Ao desvelar o mecanismo do vício e a lavagem cerebral a que todo fumante é submetido, o livro promove uma mudança na relação con o cigarro. O unico esforço que é preciso fazer é ler todo o livro. Vale uma vida nova!

  11. Jacira disse:

    O MÉTODO FÁCIL PARA PARAR DE FUMAR do Allen Car funciona sim. Tenho 44 anos, fui fumante por 23 anos. Já havia tentado parar por 3 vezes usando outros métodos e não consegui. Foi em Junho deste ano que encontrei o livro por acaso no site da lelivros (estava procurando por um romance para ler), quuando me deparei com este livro e resolvi lê-lo. Li apenas por curiosidade, pois não acreditava que iria funcionar comigo.
    Para minha enorme surpresa e alegria, parei de fumar antes de terminar a leitura. Na verdade, comecei a sentir aversão ao cigarro. Não senti nenhuma dificuldade de parar. Foi mesmo muito fácil. Recomendo o livro para todos os fumantes. Já recomendei para amigos e parentes. O livro é MARAVILHOSO e o método É SENSACIONAL!!

  12. Raul disse:

    Tenho 37 anos e fumo constatemente desde os 17. Sempre fumei muito, com 17 já fumava 20 cigarros/dia e hoje fumo de 20 a 40 por dia. Estou no meu limite, há tempos não consigo mais trabalhar direito, mais do que uma hora trancado em uma sala começo a ir à loucura. As viagens de carro a trabalho com meus colegas são torturantes para mim, pois ekes são nao fumantes e nao fazem paradas na estrada, fico maluco dentro do carro e com vergonha de pedir para parar para que eu possa fumar.
    Os momentos em que eu fumo mais são os que estou em casa, pois fumo um atrás do outro deitado na minha cama vendo televisao. Um outro ponto importante é que desde os 17 anos sou sedentario.
    Eu não estou mais aguentando esse vício.
    O livro de Allen Carr eu li seguidamente duas vezes, me fez entender muita coisa, mas mesmo seguindo rigorasamente todas as regras, eu juro que segui tudo, não consegui ficar metade do dia sem fumar. Passei a noite anterior inteira sonhando com cigarros, quando acordei já foi com sintomas de depressao, como pensamento em suicidio, me sentindo um pessimo profissional, lembrando das pessoas que fiz sofrer e me remoendo por isso e outras coisas horrorosas…
    Só o metodo Allen Carr nao funcionou comigo. Estou pensando em ir a SP fazer o seminario, talvez possa dar certo, talvez seja so mais uma tentativa de desespero.
    Estou sofrendo muito.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *