Início » Opinião » Recibo do fracasso
Opinião

Recibo do fracasso

O espetáculo da guerra do tráfico no Rio é o retrato do final de oito anos do governo Lula que passa recibo do fracasso na Segurança Pública. Por Maria Lucia Victor Barbosa

Recibo do fracasso
Droga apreendida no Complexo do Alemão na última segunda-feira, 29(Fonte: Terra)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Rio de Janeiro é o cartão postal do Brasil, sonho de turistas estrangeiros. E não faltam belezas naturais em todo o Estado do Rio. No entanto, o que se vê nestes tristes dias é a explosão descomunal de um processo de violência vinculada ao narcotráfico, se bem que tiroteios, assaltos, assassinatos há tempos atemorizam a população carioca.

Segundo consta, começou com Leonel Brizola o que hoje é o estado paralelo do crime. Para se eleger, Brizola fez acordo com bicheiros e a polícia não podia subir os morros para não incomodá-los. Dos bicheiros aos narcotraficantes, foi tramado o enredo tenebroso que se alastrou pelo tempo sustentado pela corrupção das autoridades, pela impunidade, pela indiferença social.

Se esse câncer social não é de agora, é preciso lembrar que Lula da Silva iniciou seu primeiro mandato prometendo que tudo iria mudar. Foram prometidos doze presídios de segurança máxima, mas só um foi construído em Cantanduvas – PR. Uma ideia megalomaníaca acenava com a regularização de todas as favelas do Brasil e, claro, nada foi feito nesse sentido. Alçado ao posto de redentor dos pobres, pela propaganda e pelo culto da personalidade, Lula da Silva vive se gabando que praticamente acabou com a miséria no País. Mas, se o Brasil é um paraíso sem pobreza e desemprego, o que leva jovens favelados a se unirem aos narcotraficantes como única opção para uma breve e bestial vida?

Na verdade, a explosão do terrorismo nunca antes vista no Rio de Janeiro e nesse país é o recibo do fracasso dos governos Federal e Estadual na área da Segurança Pública. E quando os criminosos continuam a por fogo em ônibus e outros veículos, mesmo diante de todo o aparato policial e do apoio das Forças Armadas, o recado está dado para as autoridades: vocês não valem nada, somos nós que mandamos.

Dirá o governador Sérgio Cabral, eleito com espetacular votação, que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) asseguraram a paz em algumas favelas cariocas e, que por isso, bandidos de lá fugiram para por fogo nas ruas. De fato, não deixa de ser interessante a presença da polícia junto à população, mas as UPPs, que valeram votos para a candidata do presidente, não são suficientes. Há que ter no governo um sistema de inteligência capaz de rastrear com antecedência as manobras dos traficantes e das milícias, prisões sem trégua para retirar os marginais do meio social, juízes que não soltem os bandidos facilmente, ação constante de confisco de armas e drogas, uma polícia bem paga e bem armada que não dê trégua aos criminosos.

No tocante à remuneração dos policiais, o estabelecimento de um piso salarial nacional, projeto que tramita no Congresso, já foi detonado por Lula da Silva. Ele quer mesmo o trem-bala, desperdício não menos faraônico do que seria a construção de uma ONG em forma de pirâmide, que serviria unicamente para cultuar o presidente da República e facilitar seus negócios.

Sobre a ação da Polícia Militar e Civil, especialmente do Batalhão de Operaçõs Policiais Especiais (Bope), é justo louvar a coragem e o heroísmo dos policiais que arriscam suas vidas numa guerra sem fim. E se a magnitude da violência ultrapassou a violência cotidiana e demandou o apoio das Forças Armadas, esse apoio deveria ser habitual para que não se chegasse ao que se presencia agora. Portanto, apesar dos discursos e poses de autoridades federais e estaduais para TVs, é lógico afirmar que governos fracassaram redondamente quanto à Segurança da população. Relembre-se que, se o problema é mais acentuado no Rio, existe em todo o país.

Não basta, então, dizer que os acontecimentos derivam da fuga de bandidos das favelas por causa das UPPs. O problema é muito mais profundo e estrutural. Seria também necessário maior controle das fronteiras por onde entram drogas e armas, especialmente na Tríplice Fronteira e nas fronteiras com a Colômbia e a Bolívia.

No tocante às sanguinárias Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), é conhecido seu intercâmbio com traficantes brasileiros, mas, lamentavelmente, o presidente Lula da Silva recusou o pedido do então presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, para classificar as Farc como terroristas. Além disso, existe liderança das Farc morando no Brasil com o privilégio de ter sua mulher nomeada para cargo governamental. Sem falar que altas autoridades do governo Lula, que continuarão no governo Rousseff, frequentam o Foro de São Paulo onde se reúnem as esquerdas latino-americanas, incluindo, as Farc, das quais são muito amigas.

O espetáculo da guerra do tráfico no Rio de Janeiro é o retrato do final de oito anos do governo Lula que passa recibo do fracasso na Segurança Pública. É também um dos aspectos da herança maldita que Dilma Rousseff vai receber. Outras maldições continuarão na Saúde, na Educação, na infraestrutura, na gastança, na dívida pública, no descontrole da inflação que o reconduzido ministro Mantega quer camuflar. O povo quis. O povo terá.

Fontes:
Instituto Millenium - Recibo do fracasso

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

5 Opiniões

  1. Sandra disse:

    Perguntas que não querem calar…os números apresentados até agora não me convenceram do sucesso da operação ora em curso.Armas apreendidas : cento e poucas armas quebradas e velhas…Traficantes presos : parece que 2 se entregaram, os outros fugiram pelo túnel construido pelos operários do PAC.Reparou que não apareceu dinheiro nenhum?A não ser uma mulher que foi pega c/ $30.000 ( devia estar à caminho do shopping leblon pra fazer umas comprinhas!!!) e todo mundo sabe que traficante não usa Banco…Gostaria que fossem fornecidos números mais concretos resultantes de toda esta mobilização conjunta.

  2. Beraldo Dabés Filho disse:

    Imputar ao Governo Lula, um problema histórico e centenário, é o cúmulo do radicalismo da direita pseudo-intelectual, que dirigiu o País até Dezembro de 2002.

    Não será novidade se as próximas e certeiras enchentes, que alagarão São Paulo nos próximos dias, e se repetirão nos próximos anos, forem também atribuídas aos últimos 08 anos do Governo Lula.

    É normal que surjam problemas no País, por conta do seu crescimento acentuado nos últimos 08 anos. O surgimento e/ou crescimento de certos problemas ocorreram na mesma proporção do crescimento do poder aquisitivo da população.

    O exemplo mais evidente é o transporte aéreo de passageiros, cuja demanda aumentou, na medida em que parte da população passou a utilizá-lo.

    Só não vê quem não quer!

    Lulistas, que representamos 96% do Povo, não concordamos com a autora da matéria.

  3. Sandra disse:

    Falar qualquer coisa é muito fácil, só que os leitores deste jornal não são analfabetos que se contentam com números fajutos que qualquer petralha invente, há que falar a verdade, o que é quase impossível em se tratando de petistas…

    Em primeiro lugar 44% da população votou a favor da oposição, sem computar os votos nulos e abstenções que também são votos contra o governo Lula, o que já significa mais da metade dos brasileiros.Isto com a máquina do governo federal triturando (ilegalmente, diga-se de passagem!) a oposição.

    O governo Lula é culpado sim , pelo aumento de certos problemas , principalmente na área da segurança, no aumento da criminalidade.Pela sua leniência em combater a entrada da cocaina e armas da Bolivia e outras fronteiras, pela sua corrupção sem limites e consequente mau exemplo para a população , pela sua conivência com todo tipo de movimentos terroristas e criminosos.”Dai a César o que é de César…”

  4. Demerson Gama dos Santos disse:

    Tudo certo, mas só uma coisa, se você pretende fazer uma historiografia do crime no Rio, deveria ser mais imparcial, simplesmente começou no Brizola e caiu de para-quedas no goveno Lula. Claro que as políticas de seguranças são falhas, uma vez que são desvinculadas de projetos sociais e econômicos para a população. O povo não quis “ZÉ” Serra (vulgo, zé do papel), o povo não quer mais essa corja que por anos a fio, foi deixando o Brasil na situação que está hoje, e se não fosse o governo Lula estaríamos muito pior. Aliás no governo FHC, havia menos drogas nos morros cariocas??? COmo está o Estado de São Paulo, me pareceu uma maravilha com a propaganda dos tucanos, estou até pensando em sair de Minas para morar em Sampa.

  5. Sandra disse:

    “O tempo é um senhor que diz a verdade…”
    As balelas da terra do “nuncadantes neste paiz” estão sendo expostas uma a uma, dentro e fora do país…O bom marqueteiro pode maquiar a realidade por alguns anos , mas cedo ou tarde a verdade aparecerá…E o governo Lula, a quem foram erigidas estátuas , aqui no sentido metafórico , de “méritos sem o menor fundamento”, cairá à força de martelo como cairam as estátuas erigidas a Stalin e Lenin , ou o muro de Berlin…Quem viver verá… Cadê o Fome Zero?Cadê o Trem-Bala?Cadê a lista ( de compras de Natal deve ser!) do Pac , c/ obras listadas e começadas no governo Getúlio?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *