Início » Cultura » Temporada de folia para os cinéfilos
Cinema

Temporada de folia para os cinéfilos

O carnaval está chegando, enchendo as ruas com blocos e batucada e esvaziando os cinemas, onde já é possível encontrar vários títulos que concorrem ao Oscar. Por Solange Noronha

Temporada de folia para os cinéfilos
Brad Pitt em "A Árvore da Vida" (Reprodução)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Se você é do tipo que não gosta de carnaval e prefere brincar de outra coisa, que tal “seis degraus de separação” — ou até menos? A temporada do Oscar está aberta e as salas de cinema, que começam a receber os filmes cotados para receber a estatueta, costumam ficar bem mais convidativas neste período de folia.

Viola Davis em "Histórias Cruzadas"

Dá para começar a brincadeira com os nove títulos que disputam o prêmio máximo no próximo dia 26. Brad Pitt está presente em dois: “A árvore da vida” — que é do tipo oito ou oitenta: ou você ama, ou você odeia — e “O homem que mudou o jogo” — se beisebol é chato, imagine seus bastidores; precisa dizer mais? (pese na balança se o gordinho simpático Jonah Hill vale o preço do ingresso.)

Bem mais magro, John Goodman é outro que bate ponto em dose dupla, em “O artista” e em “Tão forte e tão perto”. Enquanto o primeiro é mudo, no segundo o personagem de Max Von Sydow se recusa a falar e é sem palavras que Viola Davis — estrela de outro concorrente, “Histórias cruzadas” — expressa mais profundamente a sua dor.

Meninos e mistérios

Cena de “Tão forte e tão perto”

“Tão forte e tão perto” (dirigido pelo inglês Stephen Daldry) gira em torno de um menino órfão de pai e uma misteriosa chave e é baseado em um romance; “A Invenção de Hugo Cabret” (de Martin Scorsese), também. A grande diferença é que, enquanto este é uma fantasia infantil, aquele mostra a dor da perda em níveis diversos — e, em especial, o impacto do atentado de 11 de setembro na vida de um menino nova-iorquino com distúrbios semelhantes aos da síndrome de Asperger (Daldry arranca do estreante Thomas Horn uma ótima atuação, como já havia feito com Jamie Bell em “Billy Elliot”).

No setor zoológico, “O artista” tem um adorável cachorrinho, enquanto Steven Spielberg tenta comover as plateias com mais uma história de guerra em que o herói é um cavalo — não à toa, seu nome é “Cavalo de guerra”.

Paris e Havaí

George Clooney está em "Os descendentes"

Outro filme chatinho na disputa é “Os descendentes”, ambientado num Havaí nada exuberante. Com ele, George Clooney pode levar pra casa o Oscar de melhor ator, embora talvez preferisse concorrer pela direção do bem mais interessante “Tudo pelo poder”, candidato apenas a melhor roteiro adaptado.

Se a academia esnoba Clooney como diretor, o diretor Woody Allen costuma esnobar a academia. Mas lá está ele novamente na lista, com seu delicioso “Meia-noite em Paris”, que merece ser visto e revisto. Dificilmente o filme será eleito, pois não faz muito o gênero da premiação — e dificilmente Allen comparecerá à cerimônia, que não faz o dele. Mesmo assim, vale muito mais a pena passear por sua Paris, que vai e volta no tempo — do atual aos efervescentes anos 1920 e vice-versa — do que pelo Havaí sem graça de Alexander Payne.

Caro leitor,

Quais são os seus preferidos para o Oscar 2012?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. olbe disse:

    Como melhor atriz a briga pelo Oscar, vai ser duríssima entre Merly Streep(A DAMA DE FERRO) e Glenn Close ( ALBERT NOBBS). O ARTISTA eu não achei que merece tantas indicações .
    VIDAS CRUZADAS é um ótimo filme. Uma fantástica condenação ao preconceito.
    Mas a grande injustiçada neste Oscar, na minha opinião, foi Tilda Swinton . Ela deveria pelo menos ser indicada. O papel dela em PRECISAMOS FALAR SOBRE KEVIN, é absolutamente fantástica!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *