Início » Opinião » Tendências e Debates » Pais dizem não à proibição da palmada. E você?
Tendências e debates

Pais dizem não à proibição da palmada. E você?

Pesquisa do Datafolha mostra que maioria dos brasileiros é contra o fim da palmada. Especialista afirma que a prática pode gerar ciclo de violência. Por Carla Delecrode e Paula Araujo

Pais dizem não à proibição da palmada. E você?
Maior parte dos pais que apanharam já bateram nos filhos, diz Datafolha

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Na hora da pirraça e da teimosia, a palmada é a saída usada por muitos pais para disciplinar os filhos. Mas um projeto de lei que tramita no governo pode proibir esta prática, assim como qualquer tipo de castigo físico que provoque dor em crianças e adolescentes. Fica a dúvida, porém, se o Estado deve ou não interferir na forma de educar os filhos.

Conheça o que diz a lei de proibição da palmada

Para a maioria dos brasileiros, não. Foi o que mostrou pesquisa divulgada pelo Datafolha, na última segunda-feira, 26. Do total dos entrevistados, 54% não concordam com a proibição. Emmely Santos, de 26 anos, soma-se a estatística. Ela é mãe do pequeno Eleazar Santos de 1 ano e 6 meses, e também não concorda com a lei.

“A palmada é uma forma de dizer não. Eu não sou a favor de espancar, mas uma ‘palmadinha sem força’ e falar mais duro com a criança é importante, se não pode gerar inversão de papéis e o filho se torna indisciplinado”, afirma a mãe, que disse ter usado poucas vezes a palmada para corrigir, mas geralmente em situações de perigo para a criança.

A psicóloga Maria Inês Bittencourt, no entanto, concorda com a proibição, mas não acredita que a medida seja suficiente para resolver problemas na família. “Não é uma norma que vai interferir na questão psicológica. Por outro lado, essa lei é válida para chamar a atenção para o debate, que é sério. Quanto mais se falar sobre o assunto, melhor.”

Quem apanhou, já bateu nos filhos

A pesquisa apontou que a maior parte dos entrevistados apanhou dos pais e já bateu nos filhos. Do total de 10.095 pessoas, 74% dos homens e 69% das mulheres disseram terem apanhado dos pais. O estudo ainda mostrou que os meninos apanham mais que as meninas e que as mães batem mais que os pais.

Para a psicóloga Maria Inês, a palmada tem um efeito de ciclo de violência e bater pode gerar consequências. “Pais que batem reproduzem o modo como foram educados no passado. É assustador colocar um adulto diante de uma criança indefesa, ainda mais quando esse adulto é responsável por zelar pela segurança da criança.”

A psicóloga avalia a prática como algo violento e humilhante, que pode trazer reflexos à vida adulta. “Essa violência pode gerar uma série de sentimentos na criança, o que pode fazer com que ele queira bater no colega da escola, por exemplo.”

A conversa é o melhor caminho

A especialista também é contra a famosa “palmadinha sem força” e acredita que há outras formas de impor limites, como aumentar o tom de voz e colocar de castigo, explicando o porquê da punição e o que a criança fez de errado. “A conversa é o melhor caminho”, completa.

A mãe Camilla Paiva, 24 anos, concorda com a psicóloga e adota o método mencionado por Maria Inês. Camilla é publicitária e conta que nunca bateu no filho Kauam, de 2 anos. “Você não precisa agredir uma criança para educá-la, até porque bater dói na hora e depois passa. A lição de moral e os ensinamentos são para vida toda.” Ela diz que na hora da correção coloca o filho para pensar no que fez até que ele se acalme, depois conversam. “O respeito vale mais que o medo”, conclui.

Caro leitor,

Você é a favor da proibição da palmada?

Você concorda que o Estado deve interferir na educação dada pelos pais às crianças?

Você acredita que a palmada dada na infância pode trazer consequências à juventude?

O tabu entre a palmada e o diálogo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

128 Opiniões

  1. Antonio Segetto disse:

    Creio que há confusão entre palmada e tortura. A palmada, dada sem intenção de ferir fisicamente é uma forma de impor limites a criança quando o diálogo não surte efeito. A criança é como todo adulto: somente a certeza da punição faz com que sejamos abservadores das leis.

  2. Elizabeth Zanetti disse:

    Prezados.
    Eu sou contra a proibição das palmas. O Estado tem que se preocupar mais em assuntos voltados a segurança, educação, saúde e deixar que da Educação dos filhos cada familia crie seus métodos. Palmadas não quer dizer espancamento, tem uma frase que diz “Palmada de amor não dói”. Se os pais mostrarem para os filhos que esta é uma atitude de cuidado, de alerta para que o mesmo perceba seus limites o filho ao ficar adulto irá agradecer.
    O que vemos é que hoje se fala muito e se dá pouco carinho, pouco amor, pouca atenção em casa. A maioria dos pais acredita que dando o material já esta dando educação e amor, mas as crianças querem sentir que realmente os pais se preocupam com elas, e a palmada mostra exatamente isto” alôo, você extrapolou agora tenho que cham´-lo à realidade.
    Minha mãe sempre dizia “eu prefiro que vocês chorem porque apanharam em casa, do que eu chore por ve-los apanhar da polícia na rua”.
    Elizabeth Zanetti

  3. Claudio Carneiro disse:

    A palmada que mais dói é aquela que é dada injustamente e os pais nem sempre são justos em seus julgamentos. Tenho quatro filhos. Os dois mais velhos levaram dez palmadas cada um quando destruíram uma televisão. As duas menores nunca apanharam e são ótimas crianças. Sou contra a palmada mas não aceito a interferência do Estado. Isso cabe exclusivamente aos pais.

  4. Linda disse:

    Constatação lamentável

    Somos as primeiras gerações de pais decididos a não repetir com os filhos os erros de nossos pais. E com o esforço de abolir os abusos do passado, somos os pais mais dedicados e compreensivos, mas, por outro lado, os mais bobos e inseguros que já houve na história. O grave é que estamos lidando com crianças mais “espertas”, ousadas, agressivas e poderosas do que nunca.

    Parece que, em nossa tentativa de sermos os pais que queríamos ter, passamos de um extremo ao outro.

    Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos. Os últimos que tiveram medo dos pais e os primeiros que temem os filhos. Os últimos que cresceram sob o mando dos pais e os primeiros que vivem sob o jugo dos filhos. E o que é pior, os últimos que respeitaram os pais e os primeiros que aceitam que os filhos lhes faltem com o respeito.

    Na medida em que o permissivo substituiu o autoritarismo,os termos das relações familiares mudaram de forma radical, para o bem e para o mal. Com efeito, antes se consideravam bons pais aqueles cujos filhos se comportavam bem, obedeciam as suas ordens e os tratavam com o devido respeito.

    E bons filhos, as crianças que eram formais e veneravam seus pais. Mas, na medida em que as fronteiras hierárquicas entre nós e nossos filhos foram-se desvanecendo, hoje, os bons pais são aqueles que conseguem que seus filhos os amem, e, ainda que pouco, os respeitem.

    E são os filhos quem, agora, esperam respeito de seus pais, pretendendo de tal maneira que respeitem as suas idéias,seus gostos, suas preferências e sua forma de agir e viver. E, além disso, os patrocinem no que necessitarem para tal fim.

    Quer dizer, os papéis se inverteram, e agora são os pais quem têm de agradar a seus filhos para ganhá-los e não o inverso, como no passado. Isto explica o esforço que fazem hoje tantos pais e mães para serem os melhores amigos e “tudo dar” a seus filhos.

    Dizem que os extremos se atraem. Se o autoritarismo do passado encheu os filhos de medo de seus pais, a debilidade do presente os preenche de medo e menosprezo ao nos ver tão débeis e perdidos como eles. Os filhos precisam perceber que, durante a infância, estamos à frente de suas vidas, como líderes capazes de sujeitá-los quando não os podemos conter e de guiá-los enquanto não sabem para onde vão. Se o autoritarismo suplanta, a permissividade sufoca.

    Apenas uma atitude firme e respeitosa lhes permitirá confiar em nossa idoneidade para governar suas vidas enquanto forem menores, porque vamos à frente liderando-os e não atrás, os carregando e rendidos à sua vontade. É assim que evitaremos o afogamento das novas gerações no descontrole e tédio no
    qual está afundando uma sociedade que parece ir à deriva, sem parâmetros nem destino. Os limites abrigam o indivíduo, com amor ilimitado e profundo respeito.

    “Assim, somos a última geração de filhos que obedeceram a seus pais e a primeira geração de pais que obedecem a seus filhos”.

    Mônica Monasterio

  5. Misael Rocha disse:

    Sou contra a proibição das palmadas, acho que o governo deveria se preocupar em meljorar nossas escolas, saúde, segurança…. tudo começa com uma boa educação em casa e depois na escola, eu não me arrependo de ter levado uma palmada dos meus pais mesmo depois que ja entendia eté mesmo antes, se deixarmos o governo querer mandar em nossas familias ai tamos indo para o buraco, vamos virar um pais como o Irã, onde querem apedrejar uma Senhora viúva que teve um relacionamento depois que seu marido tinha morido.
    Vai virar uma bagunça eles vão dizer vocês vão comer isso, vão vestir aquilo e um absurdo, por que ele governo não da um jeito de acabarcom esse bando de corrupto que esta do se lado, e deixar a educação dentro de nossas casas por nossa conta.

  6. Linda disse:

    Satisfazer todas as vontades dos filhos é um erro.

    – Muitos pais hesitam em impor castigos e limites aos filhos, por medo de perderem a sua estima, e mesmo a guarda deles, se um dia o casal vier a se separar.

    Precisamos pensar seriamente em como estamos educando as crianças, já que é na infância que se estabelecem os processos psíquicos que irão nos acompanhar pelo resto da vida. Parece estar havendo, hoje, uma grave inversão de valores: os pais passaram a ter mais medo de perder o amor dos filhos do que os filhos, o dos pais. Como o pavor de perder o afeto e a admiração dos pais sempre foi o grande incentivo para as crianças aprenderem a se comportar de acordo com os padrões do seu meio cultural, hoje a maior parte dos adultos se vê sem meios para educar e agir com firmeza.

    Essa situação pode ser muito agradável para as crianças, mas só em curto prazo. Elas não têm que enfrentar muitas situações de frustração – aliás, é incrível como se confunde frustrar com “traumatizar” –, e o que acaba acontecendo? Tornam-se absolutamente despreparadas para lidar com esse tipo de dor psíquica.

    Todos nós sabemos que a vida contém uma boa dose de frustrações; os que crescem despreparados para absorver esse sofrimento serão os mais fracos. Terão de fugir de situações novas e de desafios, pois nunca se sabe quando haverá o sucesso e quando o fracasso. Não terão docilidade para enfrentar suas amarguras: serão pessoas que gritam e esperneiam de tudo o que as desagrada. Terão que agir como tiranos, tentando sempre sobrar a realidade à sua vontade. Tentarão controlar tudo, inclusive as pessoas com as quais convivem e das quais dependem.

    Além disso, a pouca firmeza e falta de autoridade dos pais fazem a criança sentir-se insegura e desamparada. Perceber que existem limites, que os adultos sabem o que é bom para ela, deixa-a com a sensação de proteção. Muitas vezes a criança comete deliberadamente um ato absurdo, apenas para se certificar de que existem represálias, e, portanto que há adultos fortes e firmes nos quais ela pode confiar e se sentir, através dessa reação, aconchegada.

    Se é tão óbvio o prejuízo de uma educação desse tipo, por que, então, tantos pais preferem não frustrar seus filhos, tornando-se permissivos para com pequenos e grandes caprichos? As razões são várias, mas vou apontar apenas uma, que ganhou importância nos últimos 15 anos. Ela está ligada ao risco do divórcio.

    Hoje, ao contrário do que acontecia até há poucas décadas, as pessoas já se casam pensando na hipótese de um dia virem a se separar. Isso faz com que sintam uma enorme necessidade de ser uma mãe – ou um pai – muito especial, para que as crianças o prefiram na hipótese da separação. E faz também os pais se ligarem mais intensamente aos filhos do que ao cônjuge, pois esse tipo de vínculo parece mais sólido e estável.

    A maior parte dos casais disputa e rivaliza entre si. Ser o preferido dos filhos passou a ser um novo item nessa competição tola que existe entre os sexos. Como costuma ocorrer quando emoções negativas se tornam mais importantes que reflexões ponderadas, a vontade de vencer a disputa se torna mais significativa do que educar os filhos com propriedade, preparando-os para a vida que terão de enfrentar. E são esses casais os que acabam se divorciando; nesse caso, então, ser o preferido dos filhos é a suprema vitória; é um tipo de humilhação e vingança contra o ex-cônjuge.

    Com a atual instabilidade dos casamentos, podemos aprender coisas importantíssimas sobre a situação emocional dos adultos. A principal delas é que a forma como vivenciamos nossos elos amorosos é totalmente imatura, infantil. Do ponto de vista sentimental, a maioria de nós reage exatamente como as crianças, como os nossos filhos. Não lhes impomos coisas porque tememos pôr em risco nossa relação com eles; eles poderiam não nos amar do mesmo modo que antes! Sem estabilidade conjugal, sem poder confiar no amor do marido, ou da mulher, acabamos por nos garantir paparicando e sendo escravos dos filhos. Acreditamos que eles não nos abandonarão – pelo menos não em curto prazo.
    Flávio Gikovate

  7. José Marques disse:

    Sou a favor de uma palmadinha (já os antigos nossas avós) as palmadas não confundir palmadas com espancamento)são para educar.

    Os animais domestico quando fazem algo que não queremos tambem damos umas pauladas (com um jornal enrolado como um páu)o animal sente tanto ou mais se fosse um páu.

    A criança tambem sente como castigo sem machucar.

  8. João Cirino Gomes disse:

    Se estiver chovendo somos obrigados a usar um guarda chuva; se estiver frio, precisamos nos agasalhar!
    Pode acontecer de nos molharmos e não nos resfriarmos, pode acontecer de sobrevivermos ao frio, sem prejudicar nossa saúde!
    Sinal que todos os atos, ou comportamentos devem ser comedidos!
    Não sou contra a repreensão, mas contra o “exagero”,pois tanto na falta de punição, como na punição; o “exagero” pode causar mal maior!

  9. thomas@thomaskorontai.org disse:

    Palmadas do governo. Na população.

    Projetos de poder total, típicos dos modelos centralizados de gestão pública como o Brasil e quase todos os países da América Ibérica (mais conhecida como América Latina), procuram desenvolver diversas frentes que possam resultar em dominação social. Os mais conhecidos e óbvios são:

    Relativização moral das instituições, nos Três Poderes;

    Imposição de mais tributos de toda sorte;

    Imposição de mais controles e burocracia;

    Fortalecimento das negociações com grandes grupos econômicos, criando e ampliando regras de controle de competição focadas contra a oportunização de novos competidores – na prática, criação e manutenção de reservas de mercado;

    Enfraquecimento da Educação em geral, criando e ampliando o analfabetismo funcional, falta de senso crítico, regulando informação através da centralização dos processos de análise e seleção tipo Enem, de maneira que o currículo possa ser ideologizado progressivamente, ainda que subreticia e subliminarmente.

    Enfraquecimento do papel da imprensa, seja pelas tentativas de controle de conteúdo, seja por contratação de muita publicidade em troca de silêncio ou tratamento moderado;

    Fortalecimento dos sistemas informatizados, especialmente através da Super Receita, de maneira que empresas e cidadãos estejam sob completo controle – falta pouco – sobre tudo que fazem no mercado de consumo, com a justificativa de controle de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, como se a maioria da população fosse, realmente, bandida.

    Enfraquecimento dos elos de união, como a Família, através de uma série de providências no setor cultural e civil. Destruindo a família se conseguirá eliminar referências, substituídas pelas que o Estado, através da escola, a partir das creches, impuser. Incentivo às minorias polêmicas, criando não apenas, debates desnecessários, mas divisões intra-sociais que ajudam a esgarçar o tecido social. Os programas de cotas também influenciam muito, dividindo mais ainda a Sociedade;

    Enfim, teria muito mais a listar, mas acrescento agora a intervenção do Estado na Família, como se todos ou a grande maioria fossem centros de pancadaria e tortura, como se todos os pais fossem violentos. Bastavam as leis que já existem para punir os exageros, o próprio Estatuto da Criança e Adolescente, não era necessária mais uma lei, que define, claramente, o ímpeto ditatorial dos atuais ocupantes do Planalto.

    A se permitir que esse processo prossiga – não se espera muito dos próprios governantes, sejam quem for eleito – a Nação brasileira estará sujeita, cada vez mais, a um processo orwelliano de perda de referências arduamente construídas ao longo de milênios da Humanidade, alterando até mesmo o DNA das mesmas, resultando, em alguns anos, na sociedade do “novo mundo”, uma sociedade de formigas trabalhadoras para o Estado agigantado. Um destino contrário ao que o berço esplêndido teria reservado aos seus filhos. Impedir isso é possível, através da difusão do conceito federalista de descentralização e poder local. Os efeitos disso se refletirão politicamente, abrindo caminho para uma revolução cultural e política sem precedentes, permitindo que o País ressurja das cinzas do autoritarismo jamais visto – ou pior do que já temos – para uma moderna democracia, que preserve os direitos naturais de cada indivíduo. E só depende de cada um fazer isso acontecer. A internet, por mais ataques que já sofra, ainda é um meio extraordinário para tal desiderato. Por enquanto…

  10. Betty Mesquita Sampaio disse:

    Sou a favor da palmada certa na hora certa(caso haja necessidade).Cada caso é um caso como cada filho é um filho.
    Os pais são os primeiros educadores de seus filhos,logo, a disciplina começa no berço.Quando sai do berço a criança deverá estar disciplinada em relação às birras e às manhas.
    Se na Bíblia Sagrada fala-se na “vara”quando necessário,quem sou eu para discordar da Palavra de Deus.
    Não é fácil educar,por isso os pais devem pensar muito antes de colocar filhos no mundo e não pensar que quem tem que educar são os avós,tios ou professores.
    Escola por princípios muitas vezes é uma solução.

  11. Maria Alice da Silva disse:

    Acho que esse Projeto de Lei trouxe para o debate uma questão importante – o uso de violência físca como método educativo.Talvez precisássemos ouvir o que as criaças acham desses métodos. A pesquisa as ouviu? Os adultos estão defendendo o direito de bater; Poderiam fazer o exercício de se colocarem no lugar da criança – indefesa, menor e dependente – que apanha. Considero mesmo que esse PL veio para proteger as inúmeras crianças e adolescentes que sofrem violência gravíssima, seja física, sexual, psicológica e abandono, tentando criar uma cultura de responsabilização dos adultos com suas crianças.Até março deste ano, foram contabilizados pelo disk denuncia em torno de 100 casos diariamente ou seja um relato de violência contra crianças e adolescentes a cada 15 minutos.Os pais são os principais agressores contra crianças e adolescentes. A constatação pode ser vista na página da internet que mantém atualizadas as denúncias dos Conselhos Tutelares de todo o país, enviadas ao Sistema de Informação para a Infância e Adolescência (Sipia). São 186.415 registros, de 1999 até hoje.Entre os registros, 242 são denúncias de violência com morte da criança ou do adolescente.
    Espero que o debate leve necessariamente a se pensar quais políticas públicas são necessárias para darem suporte às famílias e educadores para o exercício adequado de seu papel educativo – tanto em termos de programas de apoio inclusive materiais, quanto em programas educativos, grupos de pais, espaços de convivência e socialização, criando a cultura da responsabilidade de todos com as crianças enquanto um bem social, cidadã hoje e futuro da humanidade, e não propriedade privada.

  12. Luiz Fernando disse:

    Eu sou contra a proibição das palmadas, também como sou super contra à espancar qq ser humano, mas umas palmadas funciona! mas deve ser usado em ultimo recurso depois de muita conversa e analisar se a pessoa não tem problema de audição.
    Não gosto de gritos.

  13. Markut disse:

    É o fim da picada! Precisamos aparar todos esses golpinhos imbecís do poder,com viés estatizante.
    A quem eles querem iludir?
    O Estado deveria ser processado pelo crime de manter a população nesse nivel miseravel de educação elementar, que é obrigação do poder público, ao invés de se meter onde não deve.
    Em vez disso, o que vemos é o criminoso descaso de uma cúpula de poder, preocupada somente com a sua imperial continuidade, permitindo esse descalabro com os gastos públicos, mal aplicados, ou desviados.
    Os plantonistas do poder estão querendo confundir maus tratos como o daquela lamentavel procuradora, com as quase sempre necessárias palmadinhas no bum bum, cuja dosagem não pode ser estabelecida por decreto.
    É o Big Brother, o Grande Pai cuidando de nós?
    Lamentavel , ridículo e perigoso.
    O excelente comentário de Mônica Monastério mostra bem a dramática transformação por que passam as relações pais-filhos.
    Não há de ser por atos governamentais que essa questão irá se resolver.
    Mas, os nossos petralhas acham. Cuidado!

  14. Boris disse:

    Dependendo da crianca a palmada pode ser necessaria, o que nao pode e tranformar a palmada em pancada, aletoriamente dando pancada na cbeca ou no corpo da crianca perdendo o controle da situacao.Neste caso quem precisa de pancada sao os pais. Mas uma palmada danda no momento exato pode colocar a crianca no rumo correto definindo onde ela pode ou nao pode atuar.

    O que eu vejo e muita confuczao entre palmada dada na hora certa com objetivo e pancada dada
    sem controle abusando da sua forca com a crianca.

  15. Liana disse:

    Graaande viagem! A vida não é um consultório de psicologia! Essa geração “altamente instruída psicológicamente” gera filhos “independentes” dos pais, dependentes das farras, noitadas, bebidas, consumo e sexo. Quem precisa aprender sobre educação de filhos é o Brasil! Quem precisa não espancar e matar seus filhos é a nossa “pátria amada”! Pai e mãe que amam seus filhos não espancam nem tem prazer em bater em seus filhos!
    Nossas leis não entendem de humanidade nem de respeito, tá tudo uma grande bagunça! Porque não cumprem, pelo menos com o ECA, impedindo que nossas crianças morram no consumo de drogas, mendiguem pelas ruas e sejam abusadas?! Porque não cumprem o que já está em vigor??! Porque não vão caçar nas comunidades menos favorecidas famílias que precisam de ajuda, pais e mães que precisam aprender valores que nunca tiveram pra educar seus filhos? Porque não colocam centanas de psicólogos, médicos, assistentes sociais e ouros profissionais à disposição das famílias para que consigam, no mínimo, conhecer seus filhos, muitos nem essa oportunidade tem, pois a criança nasce, “se” cria e morre na juventude… É uma grande baboseira essa lei, superficial como a maioria de nossas leis! Falsa demais pra nossa realidade brasileira!

  16. Tony Pasquel disse:

    Sou contra esta lei. Teremos um pais infantil. Colheremos o erro desta lei no futuro. Infelizmente. Só Deus na causa.

  17. Leidy Santos disse:

    TENHO 2 FILHOTES MARAVILHOSOS.
    O MAIS NOVO ESTÁ COM 46 ANOS E O MAIS VELHO COM 49.
    TODOS DOIS SÃO MUITO BEM EDUCADOS E ENCAMINHADOS PROFISSIONALMENTE E FAMILIARMENTE.
    DEI PALMADAS NELES QUANDO HAVIA NECESSIDADE.
    NUNCA OS ESPANQUEI.
    NÃO ME ARREPENDO DAS PALMADAS”EDUCACIONAIS”.
    HOJE, MEUS FILHOTES EDUCAM OS FILHOS DELES DA MESMA FORMA QUE EU OS EDUQUEI, E, MEUS NETOS TBM SÃO MULHERES E RAPAZES MUITO BEM ORIENTADOS PARA A VIDA.
    SEI QUE MUITA GENTE VAI PERGUNTAR: (É POR CAUSA DAS PALMADAS???)
    EU RESPONDO, TALVEIS SEJA.
    IMAGINA QUE NO DIA QUE OS MEUS FILHOS COM UM OU DOIS ANINHOS ME DERAM UM TAPINHA NO ROSTO E EU ACHASSE QUE ERA ENGRAÇADINHO!!!
    HOJE OU “ONTEM” EU ESTARIA SENDO ESPANCADA!
    MEUS AMIGOS, QUEM QUIZER ME RECRIMINE!
    DEI UMAS BOAS PALMADAS NOS MEUS ADORÁVEIS E AMÁVEIS FILHOS E NÃO ME ARREPENDO.
    JAMAIS ESPANQUEI MEUS FILHOS E CONDENO QUEM FAÇA ISSO.
    FILHO É FRUTO DE MUITO AMOR. PORÉM, NÃO VAMOS CRIAR MONSTROS.
    DESCULPE-ME.
    ESSE É O MEU MODO DE EDUCAR QUE AQUI EM CASA DEU CERTO.
    Bjks
    Leidy Santos

  18. ALBERTO FLORO disse:

    ESTOU DE PLENO ACORDO COM LIANA, ESTAS IMBECILIDADES PSICOLÓGICAS, ESTÃO GERANDO UMA GERAÇÃO DE LIBERTINAGENS, QUE PODEMOS CONSTATAR EM TODAS AS CLASSES SOCIAIS… COM BASE NESTAS IMBECILIDADES DE IMPOSIÇÕES A MEIOS QUE OS PAIS DEVEM CRIAR OS FILHOS, ESTÃO GERANDO ESTE NUMERO ABSURDO DE DELINQUENTES JUVENIS… IDIOTAS…PEOCUPEM-SE EM DERRUBAR AS LEIS QUE IMPEDEM MENORES DE TRABALHAR, DE PREENCHER SUAS MENTES COM O FATO DE SER UTIL E EVITAR QUE SE PROSTITUAM AS DROGAS

  19. Aline disse:

    O Estado não cumpre metade do que lhe é obrigação como melhor educação, saude, segurança e lazer, agora quer proibir os pais de educarem seus filhos?? Com uma “Lei” incoerente e absurda como essa? Gente vamos acordar o governo só saiu com essa antes das eleições pra desviar outros assuntos mais importantes no contexto politico.
    Tem que se criar leis que proibam que politicos corruptos sejam eleitos.

  20. Maria Regina disse:

    Não acho que uma palmada faça tanto mau assim, embora eu nunca tenha encostado a mão em minha filha.
    Existem leis mais que suficientes para coibir os abusos.
    Esta história do governo se meter na criação de nossos filhos, não me cheira nada bem. É assim que começa meu povo… vamos ficar atentos. O perigo estatizante ronda nossas vidas. XÔ!

  21. Frederico disse:

    Dizem que o ser humano é um animal, embora racional. As crianças , os jovens precisam de um bom referencial para crescerem e se desenvolverem de modo equilibrado a fim de se tonarem adultos capazes felizes e ajustados dento dos valores éticos morais e espirituais que nossa civilizão conhece.

    E para isso, precisam de um referencial , de que lhe sejam imposto limites. Infelizmente o que se vê são lideres corruptos, sacerdotes pedófilos, pais e mães desamorosos, etc. etc.

    Que referencial!

    A palmada e não a porrada, é benefica, Maria Ferreira, mãe abandonada pelo marido , gerou 10 mas criou 14, todos cidadãos hoje; usou a palmada, a palmatória, o cabo da vassoura e o que estivesse por perto; todos crescemos estudamos e prosperamos. Não gerou nenhum desequilibrado.

    O governo precisa trabalhar mais investindo no bem-estar da população e não em contas nos paraisos fiscais, quem mostra isso é a Rede Globo em seu JN quase que diariamente. E deixar a educação domestica ao nosso encargo. Tenho dito.

  22. Germano Souza Cruz disse:

    Atenção senhores e senhoras que são à favor da lei que proíbe a palmada, tenho 04(filhos) de 5,6,7 e 8 anos, gostaria que se candidatassem a cuidar de meus filhos por pelo menos MEIO DIA. Quem é o primeiro?????

  23. Andre Ribeiro disse:

    nao sou a favor de bater e ninguem muito menos e ser humano mas a sertesa da impunidade ta estragando o jovens porque eles acha que pode tudo e os politico cria estes desserviço pra sociedade

  24. Aline Carneiro disse:

    Eu apanhei quando criança e não tenho raiva nem mágoa da minha mãe. As palmadas que eu eventualmente levei me ensiram o bastante para que eu crescesse educada e respeitasse meus pais desde cedo. Vale dizer que eu nunca fui espancada, e nenhuma palmada que levei foi para descontar a raiva da minha mãe em mim. Isso faz toda diferença entre o remédio e o veneno…

  25. Mario Malato disse:

    Na época em que eu era criança, em Nápoles, havia um mote popular: Mazz’ e panell’ fann’ e figli bell'”, que quer dizer “O bastão e o pão fazem bons filhos”, ou seja,”castigo e recompensa fazem bons filhos”. Eu concordo com a sabedoria popular napolitana. A palmada pedagógica é admissível,desde que contraposta ao oportuno elogio.
    Sou contra a proibição da palmada.

  26. Jose Vicente Filho disse:

    Se bater educasse nas penitenciárias só tinham anjos

  27. jayme endebo disse:

    Quando criança meus me davam palmadas mas tb me davam carinho, portanto conheci os dois lados e cresci de maneira saudavel. Os politicos brasileiros no poder ao inves de oferecerem educaçao e saude de primeira, gratuita e universal ficam arranjando maneiras de desviar o seu dever para com o seu povinho e finge que está preocupado com as suas crianças e o que veremos será uma geração de SEM LIMITES e pais com medo de serem presos(isso sem falar em corrpção policial,inimigos se vingando com falso testemunhos etc)
    Isto é a cara do Brasil que se diz de esquerda.

  28. tatiane patron disse:

    Sou contra a proibição, acho q a palmada não faz mal, até pq na hora q a criança está fazendo pirraça não vai escutar, então não dá p/ ter diálogo. Quando criança levei palmadas e acho q isso contribuiu p/ os meus limites. Quero deixar claro que sou a favor das palmadas leves, não de bater com cinto e chinelo ou espancar uma criança indefesa.

  29. geraldo euclides disse:

    Proibir por que? palmada de mãe não dói, de pai sim pois bate sem
    calcular o peso de sua mão; tudo isso é frescura, falta de assunto desses “psicóligos” metidos a saber de tudo, eduquem seus filhos à sua maneira e esperem os resultados, vocês lembram se a trinta anos passados ouvia-se dizer que um filho asasinou o seu pai, sua mãe ou até a
    os avós, eu não lembro. Atualmente com essa liberação a Tv. lider de audiência com suas “educativas” novelas dão resultados que todos veem palmadinhas não faz mal eu apanhei do meu pai e eventualmente de minha mãe e atualmente sou um cidadão de bem,

  30. jorge a calil disse:

    Mas apnde estamos chegando o estado pegando nossos filhos e nos ensinando a educa-los.
    Pois bem já existe lei contra agressão, então chega, agora vem o MAROLINHA mas sua turma de psicopatas querer nos ensinar, o que o estado deveria era a idade de responder judicialmente como adulto, pois tudo pode votar dirigir, mas se cometer crime ai vem os direitos humanos para os assassinos e nunca para a vitima.

  31. Vera Regina Stange disse:

    Penso que antes de proibir uma palmada, então o estado deveria promover cursos a todos os pais e qualificá-los como pais. Que tal ensinar a educar uma criança? Educar uma criança não é tarefa fácil, quem tem filhos que o diga. Tem crianças que pedem, pelo amor de Deus, que digam a elas até onde elas pode ou não fazer alguma coisa. E pelo que vejo o maior problema não é a palmada, mas sim como fazer para educar um filho se não posso chamar a atenção dele por nada, afinal a cada dia vem uma novidade na lei. Então faço uma sugestão, que tal trocar esta lei por cursos que os pais, e futuros pais, tenham que obrigatóriamente fazer. Cursos ministrados gratuítamente para a população, ensinando como educar uma criança, sem precisar usar a palmada ou qualquer outra coisa que venha causar algum trauma na criança. Vamos parar com demagogia, que tal a prevenção antes de tudo. O estado sabe cobrar muito bem, mas o povo precisa de ajuda, então vamos lá. Que comecem os cursos “sobre como educar uma criança usando somente o diálogo”, depois de ensinar os pais como fazer, então sim podemos cobrar certos comportamentos. Será que algum político se habilita em colocar uma lei no congresso obrigando o Estado a fornecer Cursos sobre ” Como educar seu filho através diálogo”? E claro que tem que ser um pré-requisito para se ter um filho, afinal, se o curso é gratuíto e fornecido pelo estado e fará bem a toda uma população, então todos que são pais terão que fazer este curso. Esta é minha sugestão.

  32. Helio (rio de janeiro) disse:

    Eu também digo não

  33. BEATRIZ ANTONIETA LOPES disse:

    PALMADA NA HORA CERTA

    Eu sou contra o espancamento. Contra a “pancadaria”, principalmente logo após o pai ou mãe ingerirem bebidas alcoólicas e acreditarem ser este o momento correto de corrigir os filhos… Jamais deveria existir a agressão estúpida contra a criança!
    Mas sou favorável sim a uma palmada na hora certa, quando o ‘não pode’ não for obedecido, por exemplo, existem alguns pais que, além de não ensinar a criança como se portar, ainda deixa as crianças correr risco de acidentes graves, por falta de orientação!
    Muitos pais atualmente, seja pelo corre-corre do dia a dia, ou por descaso, não dedicam um mínimo de tempo para ensinar regras de educação e comportamento, transferindo para babás, escolas ou pior: para a ‘babá eletrônica’, a televisão! Tenho assistido alguns canais de TV com programação para crianças e adolescentes que o pequeno ator representa um papel COPIADO pelas crianças, onde a falta de educação e de respeito para com avós, pais e professores é claramente estimulada!
    Palavras tais como, ”por favor,” “com licença” e “muito obrigada” caíram em total desuso, estão ‘fora de moda’,” isto é antigo”,isto ouvi como explicação pela falta de educação, de boas maneiras.
    Alguns pais, juntamente com seus ‘anjinhos’ em visita a casa de amigos, onde sem um mínimo de educação, crianças mudam canal de TV, abrem geladeira, se introduzem na conversa adulta, isto é moderno? Acredito que uma conversa de pais com os filhos, umas recomendações básicas sobre comportamento em relação às outras pessoas.
    Já passei por todas (ou quase) as fases: Criança, mãe de crianças e, atualmente avó de crianças, pré-adolescentes e adolescentes. Sei que temos o dever de ensinar, orientar e corrigir, pois nós adultos devemos ter discernimento e coerência para explicar o porquê de uma palmada ou um castigo.
    As crianças são extremamente inteligentes e nos testam o tempo todo. A nós cabe orientar, dizem ‘sim ou não’ saber explicar e manter a firmeza necessária.
    Ah, sim: As palmadas que recebi quando criança me ensinaram a diferença entre o certo e o errado…E agradeço aos meus pais por elas, a maioria das vezes foram merecidas!

  34. Ivo disse:

    Pais e professores sabem o que passaram a viver depois do famigerado ECA, onde a lei fez brotar pequenos tiranos nas escolas e assassinos frios e calculistas participantes de gangues e associados ao narcotráfico. Pois estão inumes, e saem incólumes de todo e qualquer crime, onde no máximo são conduzidos a uma casa de “recuperação”, e o que é pior, quando atingem a a maioridade seu passado de crimes simplesmente desaparece.
    Pengunta: Será que muitos desses atuais infratores e quantos dos futuros infratores não seguiriam um caminho diferente se houvesse uma palmada no momento certo?
    Não à palmada e não ao ECA, que atou as mãos dos pais, da polícia e da justiça.

  35. Ivo disse:

    Vejam bem, quero me expressar direito.
    Quando digo não à palmada, quero dizer que meu não é para a proibição da palmada, e que sou favorável a que ela continue existindo, sem lei que a controle.

  36. José disse:

    Eu sou, a nosso exclusivo critério é pior que palmada é pura censura, quem faz oque quer tem que permitir qualquer coisa, quem bate recebe com a mesma intensidade porem em sentido contrario, sou contra palmadas, sou contra a nosso exclusivo critério não merecemos ser tratado como crianças, ou merecemos? Abaixo a palamada, abaixo a censura, Contra, sou totalmente contra.

  37. andre becker(Santos/SP) disse:

    essa psicologa é louca!!!

    criança que nao panha de mae e pai apanha da policia depois de grande.

    toda criança deve sim levar umas pancadas
    as vezes.

    um amigo sempre falava que ele iria criar os filhos dele sem bater que conversando se resolve tudo, pois ele havia apanhado do pai e da mae dele quando criança e nao queria isso para os filhos dele.

    resumo:
    apanham dos dois filhos ele e a esposa, é conversa funciona mesmo.

    semana passada ajudei uma senhora que fora jogada na rua pelas filhas apos terem batido nela.

    a primeira pergunta que fiz foi…
    tu batia nas tuas filhas quando elas eram pequenas?

    ela respondeu que por isso hoje apanhou delas nunca bateu em nenhuma.

    sem falar naqueles filhos que nao levam umas porradas e matam pai e mãe.

    outros nunca apanharam e a policia matou ou o trafico.

    umas porradas nao mata ninguem e educa sim
    a psicologa ai esta por fora e so quer aparecer

  38. marco antonio badaró athayde disse:

    SOU A FAVOR das palmadas, e de uma atitude mais rigida URGENTE !!!
    Para ver se esta atual geração,poderá ser salva das emanações diabolicas das programaçoes da tv,destacando um lixo perigoso que é uma novela dirigida a formação da nova geração, que está conduzindo a galera, para o tobogan do lamaçal, do desrespeito total, ireverencia, indução ao alcoolismo (que abre portas a drogas ) e a gravidez infantil, que segundo a estatistica, está asombrando a classe medica .
    Ignoro, pessoas que foram educadas, com certa rigidez,tenham partido para o atual mundo que descortinamos, neste meio de nossos filhos e netos da atualidade .
    mestrybadahra@ibest.com.br

  39. renato.rvasco@gmail.com disse:

    Não aguento mais esta interferência do Estado na vida dos cidadãos, parece que somos um bando de idiotas que só serve para pagar imposto e que devem ser guiados como imbecis. Sou um anarquista e : se hay gobierno? Soy contra

  40. Sizenan Joaquim Mendes disse:

    Totalmente contra a palmada,acho que educa prejudica a educaçâo.

  41. José Milton De Quevedo disse:

    Sou contra bater e,machucar as criancas. A palmada só deve existir quando se esgotar o
    diálogo, sou grato as palmadas que levei dos
    meus pais, pois me fizeram entender que eu
    não podia fazer sempre o que queria.
    Eduquei meus filhos assim e não me deram tristeza,não se envolveram com Drogas, estudaram,trabalharam e hoje criam seus rebentos, e me agradecem pela criação que
    tiveram.Os filhos tem que ter limites,tem que
    saberem que existe uma autoridade maior que
    são seus pais.quem ama “Educa mas não Machuca”.

  42. Iolanda disse:

    EU NÃO SOU MUITO A FAVOR DE PANCADAS. MAS APANHEI MUITO QUANDO PEQUENA MAS ATÉ PREFERIA AS PANCADAS AO CASTIGO. PORQUE O CASTIGO DOIA MAIS QUE A PANCADA ERA ALGO QUE NOS TIRAVAM, AQUILO QUE MAIS A GENTE GOSTAVA. EU BATI POUCO EM MINHA FILHA, E TODA VEZ QUE ISSO ACONTECIA, EU CHORAVA MAIS QUE BATIA. SOFRIA EM TER DE FAZER AQUILO. HOJE NÃO BATERIA NELA. MAS NUNCA BATI POR MAVALDEZA E SIM PARA CORRIGIR UM ATO QUE ADIANTE ELA IRIA SOFRER SE NÃO FOSSE CORRIGIDA. CONTUDO EU DAVA MAIS CASTIGOS OU PROIBIA AS COISAS QUE ELA GOSTAVA.COLOCANDO PARA LER LIVROS E REVISTAS OU TOCAR PIANO. ISSO FOI BOM PORQUE ELA HOJE DIA AMA LER E GOSTA DE MÚSICA. É UMA ESTUDANTE EXCELENTE.
    DAR PALMADAS NÃO FAZ MAL, PÉ DE GALINHA NÃO MATA PINTO. MAS DEMAIS NÃO É BOM,SÓ PARA LEMBRAR O QUE É CERTO: NÃO MENTIR, NÃO ROUBAR, NÃO MALTRATAR AS PESSOAS E ANIMAIS, SER ORDENADA EM SUAS COISAS, RESPEITO ETC

  43. kão disse:

    Definitiva e explicitamente, não!
    Primeiro, porque o Estado tem que se preocupar com assuntos que dizem respeito à sociedade como um todo, coisa que ele nunca fez nem está propenso a fazer.
    Tem dúvida sobre isso? Saia de casa à noite e ande, como é de seu direito, em um local escuro. E conte prá gente (se você sobreviver, claro) o que aconteceu.
    Ou procure atendimento médico na rede do SUS. Melhor ainda, procure algum político que seja atendido pelo SUS…
    Segundo, espancar gera marginais, assim como não bater. A psicologia infantil mal aplicada gera o delinquente juvenil e o bandido adulto.
    Acontece com este tema o que é regra geral: todo exagero é prejudicial.
    Pessoalmente, posso afirmar: apanhei demais, quando moleque. E, hoje reconheço, fiz por merecer cada palmada, cada chinelada, cada chicotada e varada que levei.
    Quando minha filha mais nova tinha uns dois anos, sabia que não podia se jogar ao solo, gritar e chorar porque queria algo. Papai daria palmada na bunda!
    Pois bem, um certo dia ela esqueceu. Ou foi influenciada por uma coleguinha da vizinhança que fazia isso sempre, sei lá o que foi. Só sei que, em plena loja Americanas, ela teve uma crise assim, porque queria uma boneca (que eu já tinha comprado).
    Se jogou no chão, gritando e chorando e levou UMA palmada bem dada na bunda. Levantou em silêncio e nunca, nunca mais fez coisa sequer semelhante. É uma das minhas mais queridas amigas.
    Não bater em filho? Vai que ele vira marginal e assume um alto cargo político, envergonhando toda a família?
    Nada disso, bunda de criança é feito mesmo prá educar. O ouvido não é tão adequado…
    Abraço.

  44. eliane disse:

    sou a favor da palmada, tenho duas filhas e palmada educa não mata nimguém se não nós e nossos pais teriam morrido pela palmada

  45. Rosangela Friedrich Camara disse:

    Não consigo conceber a idéia de que um adulto necessite usar agressão física para educar uma criança.

    Se as palavras, a atitude, o exemplo não são capazes de traduzir o que se deve “ensinar”, não creio que palmadas, sejam elas de que intensidade forem, sejam capazes de fazê-lo.

    Isso sem se pensar que, se agredimos uma criança, a estamos ensinando a ser agressiva. Se quando somos contrariados ou desafiados agredimos, são com pessoas agressivas, frutos desta “educação”, que iremos conviver mais tarde.

    Não é possível que em pleno século XXI, ainda se discuta este tipo de atitude, que deveria já ter sido banida do pensamento de qualquer pai, responsável ou educador.

    Quanto ao Estado interferir na educação dada às crianças, bastaria que este fizesse cumprir o Estatudo da Criança e do Adolescente.

  46. Fernando Jose Moesia Rolim disse:

    não sou contra palmada não é necessário que o rosto da criança a disciplina é muito importante que hoje em dia os pais não dão freio aos seus filhos educação os pais acham que dar um carro ao seu filho dinheiro deixar seus filhos altas madrugadas sei lar onde é que os senhores percebem o que acontece chamar atenção de uma criança não faça isto esta errado ele faz de novo por pirraça uma palmada e um rigorosa atenção saber onde esta seu filho também conversar com o seu filho idem mas hoje em dia mudou para pior

  47. Jair disse:

    Agora que sou avô e a responsabilidade primeira da educação de meus netos são dos seus pais, seria politicamente correto me colocar contra o uso da palmada para definições extremas de limites no cotidiano familiar e social; porém o próprio Estado no momento(julgo),não teria ou daria conta de assumir esse desgaste sem algumas palmadas ou algo mais… pois não é o que vemos nos noticiários.
    Sem hipocrisias, deixem os pais cuidarem de seus filhos; não os julguem pela truculência de uma minoria; que castiguem apenas os culpados, que haja uma assistência maior para as familias.
    A Bíblia diz que o pai corrige ao filho que ama. Assim outros não precisarão de lutar contra eles ou os mata-los na mais tenra idade.

  48. Cleuza Scalassara disse:

    Eu sou afavor as palmadas. Pai e mãe tem que bater com amor. A criança tem que sentir que qundo apanha, os seus pais estão tentando livra-la de um mal maior. Muitas vezes a criança não leva a sério o que seus pais estão ensinando, e antes um perigo é preferivel que ela sofra a dor de uma palmada, do que uma dor maior, fíica ou moral que possa -lhe ser prejudicial pelo resto de sua vida. Filhos que os pais não batem a vida vai bater, os pais que não faz o filho chorar, tenha ceteza que eles vão chorar muito. Pai e mãe bate com amor, a vida bate sem dó. Eu apanhei do meus pais e agradeço a Deus as palmadas que eles me deram, que eu sei foi com muito amor. e Eu e meu marido nós temos cinco filhos e sempre que foi necssário nós demos algumas palmadas, graças Deus vivemos hoje unidos com muito amor, eles são muito felizes, e nós tambem. Cleuza Scalassara. Minha Cidade é Planaltina do Paraná.

  49. Helio (rio de janeiro) disse:

    Disse lá embaixo não, mas me referia à palmada.
    Rosangela exprressa minha opinião.

  50. Celia Costa disse:

    Eu sou contra palmadas. Tenho um filho maravilhoso atualmente com 16 anos de idade que nunca levou uma palmada sequer.Temos um ótimo relacionamento, ele me respeita muito, conversamos bastante,ótimo aluno, bastante querido por todos , solidário e compreensivo. Quando que esse assunto da palmada era comentado em meu circulo social e eu alegava que nunca bati, sempre fui olhada com espanto e até indignação. É uma verdadeira inversão de valores. Quem nunca bateu é olhado com desconfiança, como se algo estivesse errado, como se estivessem dizendo : como é possivel alguem educar sem bater ?
    Pois eu digo que é possivel,meu filho é a prova disso.
    O caminho é muita, muita, muita paciência. è muito fácil dar uma palmada e “resolver” o assunto ali no momento. Para mim o que funcionou foi criar um clima de relacionamento baseado no dialogo , sempre.Compreensão, carinho e firmeza nos nãos, quando necessários.Explicar em linguagem compreensivel para a criança aonde ela está errando.
    Sou a favor da lei desde que sejam implantadas politicas publicas para orientar os pais a mudarem sua mentalidade de que palmada resolve.Pois não bater é questão de conscientização, amadurecimento e auto controle por parte dos adultos.É se colocar no lugar do outro e se indagar : minha conduta é correta ? Minha conduta é justa ? É justo eu usar de força fisica para convencer outra pessoa de minha posição ? Em qualquer situação não utiliziarimos força fisica, iriamos dialogar…
    Por que não agimos da mesma maneira com nossos filhos ?

  51. Markut disse:

    Um resultado, até agora, de cerca de 10%, num universo de 50 depoimentos, que se manifestaram contra a proibição, revela bem a postura predominante, realista,cujas opiniões não revelam nenhum traço de truculência, nem crueldade. Muito ao contrário.

  52. Marcelo Lima Lopes disse:

    Ainda não sou pai. Mas na minha experiência de 27 anos como filho, acredito que a palmada não constitui agressão ou violência infantil.
    Os filhos devem ter limites determinados pelos pais através do diálogo e, quando não respeitados, devem ganhar algumas palmadas corretivas.
    De tal forma, os pais devem educar seus filhos, mostrando-lhes a realidade do mundo e quando necessário, pode aplicar pequenas palmadas para que os filhos menores vejam que cometeram atos não aprovados pelos pais. Assim foi a criação dos nossos pais, a nossa… e também as de nossos filhos!

  53. Markut disse:

    À Rosângela, uma cabeça esclarecida que é contra a palmada, ousaria fazer uma consideração , certamente controversa.
    O ser humano , na sua origem animal, não deixa de apresentar algumas peculiaridades que podem ser aproveitadas para a correta pedagogia: o castigo e a recompensa, às quais ele é naturalmente reativo.
    A palmada e o afeto, no meu entender, exercem esse papel.

  54. Rosangela Friedrich Camara disse:

    Caro Markut, colocando “lenha na fogueira”, hem??

    Gostaria de pensar sobre o que seria a “correta pedagogia”. Exite fórmula?

    No curso de Educação, temos duas vertentes que irão direcionar nossas escolhas profissionais, quais sejam:

    ” O homem é essencialmente bom” e o mundo o corrompe, tornando-o mau, ou “O homem é essencialmente mau” e só precisa da oportunidade para praticar o que lhe é intrínseco.

    Castigo e recompensa, na origem animal do ser humano, me remete ao Behaviorismo, ao cão de Pavlov, o que acredito estar bem distante da capacidade humana única de raciocinar e fazer escolhas.

    Portanto, caro Markut, não posso concordar.

    Mesmo porque, eduquei três filhos sem nunca, nenhuma vez sequer, tê-los agredido. A disciplina, o respeito, a cordialidade, o afeto, o diálogo aberto e franco desde a mais tenra idade, fizeram este papel.

    Nenhuma de suas pergunta e nenhum de seus “por quês?”, ficavam sem resposta.

    Assim eles tornaram-se pessoas que aprenderam os limites próprios e dos demais, aprenderam a questionar e não aceitar tudo que lher era imposto, aprenderam a ser afetuosos, honestos, leais e, acima de tudo aprenderam o verdadeiro sentido do Respeito.

  55. damiao ribeiro disse:

    eu sou a favor ok

  56. Guilherme disse:

    Eu digo não também!

  57. Nubia Alves Castro disse:

    Faco parte da estatistica das pessoas que ‘apanharam dos pais’. Foi muito dificil nao reprozir a violencia deles nas minhas filhas (tenho 3 filhas: 6, 8 e 12 anos). Me esforcei lendo livros sobre o assunto e assistindo programas educativos na TV para pais e maes.
    Acho valido a proibicao, pois infelizmente as pessoas exageram, nao veem outra saida para educar os filhos e batem cada vez mais nas criancas pequenas, (de 2 aos 5 anos)acabando com a auto estima e a criatividade desses futuros adultos. Sou a favor da lei, pois o assunto deve ser discutido.

  58. Edilson Pereira disse:

    É CLARO QUE NÃO! HOJE ESTAMOS PRESENCIANDO NAS ESCOLAS,NA RUA, NO DIA A DIA, O QUE LEVA AS CRIANÇAS DE HOJE A TER ESTE COMPORTAMENTO, EU JÁ PRESENCIEI, UM FILHO DE UM AMIGO LHE AMEAÇAR ,SE ELE BATE-SE NELE ELE FALARIA COM A POLICIA,POS ELE PODIA FASER O QUE QUERIA. VEJA AI O PENÇAMENTO DE UMA CRIANÇA DE 5 ANOS.
    SERA QUE O ESTADO ASSUME O SEU TRABALHO NO LUGAR DOS PAIS, É UMA SITUAÇÃO MUITO DIFICIO POS SE OS PAIS NÃO EDUCÃO OS DA RUA O FAZEM.

  59. Fernando L. da Silva disse:

    Acredito que cada ser humano tem suas peculiaridades.
    Existem alguns que precocemente esboçam tendências perigosas de ego, insensíveis a simplesmente orientação verbal. Creio que a criança deve ter certeza de que é amada pelos pais, sendo levado a se perguntar: Se eles me amam tanto, devo estar fazendo coisas muito erradas para que eles cheguem ao ponto de me aplicar essas palmadas.
    Preocupo-me com essas consultorias irresponsáveis que orientam procedimentos alheios com tanta propriedade, mas nunca são atingidos pelas consequências de seus pareceres.

    Abraço a todos

  60. beatriz almeida disse:

    acho que não deve espancar a criança mas a palmada é uma forma de educar.não sou a favor da proibição,o estado deve criar leis rigorosas para pais que espancam e machucam os filhos. mas a palmada na infancia não acredito que interfira na juventude, crianças sem limites quando jovens ninguém segura.

  61. ROSIVANDRO disse:

    Sinceramente é uma porcaria essa lei…totalmente fora dos conceitos educacionais…
    Pelo menos eu fui criado com o temor se eu errasse eu sofreria as conseqüências.
    Sei que apanhar não resolve e as crianças podem se tornarem-se agressivas e revoltadas… porém isso depende muito do meio familiar onde vivem… e os pais dessa geração já não possuem tempo para educar seus filho(s)
    Mãe e pai trabalhando e a vida segue…
    “Quem nunca levou uma palmada na vida vote a favor!!
    Ou simplesmente atire a primeira pedra”

  62. marina disse:

    nao concordo com a proibiçao da palmada. Acho q os pais que tem conciencia sabem bem seus limites e nao espancariam seus filhos.Asvezes so palavras nao bastam,pq hj principalmentes as crianças sabem bem manipular os pais e sempre testam seus limites.

  63. Robson da Silva Mothé disse:

    O governo deveria se preocupar com assuntos mais sérios, como por ex:
    1) O planejamento familiar, onde no Brasil, mulheres jovens já possuem vários filhos, e quando a mãe procura o SUS para fazer a ligação, o sistema não permite, devido a sua pouca idade, mesmo tendo já mais de 5 filhos;
    2) A legalização do aborto, pois se a mulher não deseja o futuro filho, porque não atender essa pessoa, melhor do que ela procurar uma clínica particular na maioria das vezes sem nenhuma condição de higiene, ou se ela conceber o filho na maioria dos casos a criança é abandonada ou mau tratada.
    É muito melhor que os pais sejam rígidos ensinando o certo e o errado, do que no futuro não venha apanhar da polícia.

  64. Nueli Medeiros disse:

    Bom dia.
    Tenho um sobrinho de seis anos que mora com meus pais que já são bem idosos, motivo: Falecimento da minha irmã caçula surda-muda, casada com um surdo-mudo, tiveram um casal de filhos, sem deficiência alguma . Passo minhas férias sempre com eles e fico observando como é diferente a criação que dão ao neto. Se precisam falar mais duro numa hora, na outra já se desmancham em mimos. Um domingo eu estava lhe ensinando os deveres de casa e ele insistiu que a televisão tinha que ficar ligada, em dado momento passou o quadro “Cidadania a gente vê por aqui”, e ele mais que depressa: “Viu tia? É crime bater em criancinhas”. E eu que estava desgostosa com sua falta de compromisso para com a escola respondi: “Se eu não te ensinar a ter responsabilidade com casa, escola etc. Vou responder não só para a justiça, mas para toda uma sociedade que cobra muito e julga com durezas sem antes inteirar-se do que levou o sujeito ficar à margem”. Não sou a favor dessa lei, amamos e queremos o melhor para nossos filhos, netos, sobrinhos e aos pequeninos em geral, pois estes não têm maturidade para entenderem as cobranças pelos desvios de comportamentos, se ao menos fizermos a nossa parte sempre colocaremos a cabeça no travesseiro que é o lugar onde ninguém mente, sem remorsos, porque fomos omissos, ou quando precisava agir com mais severidade, fomos brandos. Onde é que vem se meter a lei? Dentro das nossas casas, porque não adentram com vontade de mudar nas escolas, faculdades, enfim todas as entidades que nossos filhos precisam frequentar e lá jogarem pelas costas o que ensinamos em casa?
    O que ainda me conforma é, que o que plantamos ainda que fique adormecido por um tempo, um dia germinam trazendo o que hoje falamos: “Assim falava minha mãe, meu avô…”

  65. canisio disse:

    Creio que o Etado não tem o direito de interferir na educação dos filhos. São os pais que com o bom senso devem ter o direito de educar seus filhos da forma que eles acham melhor. O Estado deve preocupar-se com a educação e fazendo isso já é de bom tamanho, pois nem a educação formal é satisfatória e agora querer educar os filhos, isso já passa do bom senso.

  66. Daniel Sombra (Geógrafo) disse:

    Alguns comentários aqui ainda são absolutamente bahavioristas…

    Lamentável!

  67. Silvia Helena disse:

    O castigo físico ou qualquer forma de castigo humilhante ou degradante contra crianças e adolescentes para mim é a falta de boas escolas públicas, a falta de assistência médica adequada e imediata, bala perdida, fome, miséria… Isso sim fere seus direitos fundamentais à integridade física e principalmente à dignidade humana.
    Acho que quem está precisando levar umas palmadas são nossos governantes…

  68. Zé da Silva disse:

    Não existe psicologia que me convença de que falar com autoridade de pai e mãe e até dar umas palmadas quando necessário possa interferir negativamente na formação de crianças e adolescentes. Impor autoridade é mostrar que toda criança deve obedecer a hierarquia familiar; O estado não tem condições se quer de dar uma boa educação escolar e moral. O que estão querendo é que cresçam crianças rebeldes e sem limites, crianças capazes de por medo aos familiares, aos professores, aos amigos, as autoridades e aí por diante. A partir daí as consequencias serão as mais desastrosas possíveis, pois os pais não puderam dar aquela palmada exemplar e de ordem, entretanto a rua, os ambientes, convivência com amizades duvidosas e outros fatores, irão contribuir negativamente na formação dessas ex-crianças e só a polícia, e a justiça terão que impor sua própria hierarquia; Isso se o tráfico e a violencia mundana não resolverem antes. Não estão protegendo as crianças, ao contrário estão as encaminhando para um futuro obscuro. AUTORIDADE DE PAIS E PALMADAS SALVADORAS NÃO PODEM SER CONSIDERADO VIOLENCIA.

  69. Sonia Freitas disse:

    Sim, eu concordo com a proibição da palmada. Eu apanhei quando criança e até hoje não esqueço as palmadas, na maioria das vezes injusta (se um irmão apanhava, o outro tinha que apanhar também). A imensa maioria dos pais é despreparada para criar e educar uma criança, um ser indefeso, completamente entregue a um adulto. O Estado pode e deve interferir na educação dada pelos pais à criança, sim. Basta ver os exemplos horrorosos por este Brasil afora. Quanto a palmada da infância, creio sim, que ela pode trazer danos na juventude e – se não for cuidado, provavelmente pela vida afora. É um círculo vicioso: o adulto despreparado torna a criança outro adulto despreparado. É preciso interferência, sim. Se palmada fosse boa, as cadeias estariam desocupadas. A maioria dos históricos dos presidiários tem muita, muita palmada.

  70. David Paulino disse:

    Se o Estado pode interfrir na educação dos filhos; então que o mesmo crie condições ; espaços; meios qulificados com a finalidade de formar cidadãos dignos que saibam respeitar os direitos individuais; que possuam indoles honestas; que não sejam corruptos;aproveitadores de posições; para delas tirarem proveitos escusos; se os pais não podem corrigir; não podem educá-los; quem o poderá fazê=lo? autoridades, batenDO, MATANDO? VISTO QUE OS PAIS NÃO PUDERM EDUCÁ-LOS?

  71. Marcus disse:

    é por essas besteiras que são transformadas em lei que os estudantes (menores)não respeitam os professores, eles mandam ir a m…., assim por diante, pois não pode punir o garoto, pois vai traumatiza-lo, isso é hipocrisia e ridículo, é por isso que o mundo está como está.

  72. everton costa disse:

    Sou a fovor da palmada. O que seria mais prejudicial para uma criança, continuar no convívio da família mesmo recebendo algumas palmadas ou ser retirada desse convívio para ficar a disposição de um conselho tutelar?! Agressão grave contra a criança já é crime, no entanto isso continua acontecendo rotineiramente em nosso país. Essa lei não vai deter esses agressores covardes e tem o potencial para destruir boas famílias. Vale a pena?! Mesmo sendo por uma “boa causa”?!

  73. Rosane disse:

    Respondendo as questões:
    1- Sou a favor do diálogo.
    2-Não concordo a interferência do estado, pois a responsabilidade dos filhos são dos pais.
    3-Dependendo da palmada, sim pode gerar um trauma.

  74. Nina (rio de janeiro) disse:

    Palmada merecia o sindicato dos professores de SP que exigiram a reintegração dos professores que receberam nota zero quando avaliados para preservar uns poucos empregos e garantir o desemprego futuro de milhões de jovens.

  75. Rosária José disse:

    A psicologa esta correta, a conversa é bem melhor.

  76. Beraldo Dabés Filho disse:

    O drogado começa com uma cervejinha e o agressor de crianças com uma palmadinha.

    Melhor prevenir do que remediar.

  77. Pedro Brita disse:

    Alguém escreveu:

    “Na decadência e desaparecimento da autoridade dos pais, temos o precursor certo do colapso da autoridade civil.”

    Talvez esse seja o interesse de quem a redigiu e, também, de quem a aprovou.

  78. Nengatel disse:

    Educar uma criança é um desafio, mas vale o esforço.Não acho que a palmada educa, mas faz com que as crianças deixem de cometer certas birras.
    Já levei palmadas, mas nem por isso guardo mágoas ou rancor dos meus pais.
    Quem ama corrige.

    Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele.
    Provérbios 22:6

  79. Camila Faria disse:

    Eu desde pequena fui disciplinada com palmadinhas, não tenho nenhum trauma quanto a isso e não sou violenta, pelo contrário.
    A Psicologia na teoria é linda, mas na prática não é bem assim. Sou totalmente contra a violência, mas convivo com 2 sobrinhos que não são disciplinados com as tais palmadinhas e são completamente inconcequentes, indisciplinados e birrentos. Será que a psicologia vai ajudá-los na fase adulta?

  80. Welber Duarte disse:

    Acredito que não cabe ao Estado interferir no modo como os pais educam os seus filhos e muito menos que a violência por parte dos pais seja o melhor caminho para se educar uma criança. O diálogo, feito com amor e sabedoria, é a forma mais viável para se resolver algum problema. Tem-se que levar em consideração que os seres humanos, principalmente crianças, assimilam muitas coisas durante o dia, que vão sendo armazenadas em sua mente. Vivemos em um mundo que nos mostra coisas boas e ruins, principalmente através de seus meios de comunicação, que podem levar a pessoa a ter um comporatamento agressivo. Os pais tem que se impor de maneira a educar e não de deixar os filhos com medo, se o diálogo não funcionar uma palmada moderada não vai machucar, e se o fizer e a criança chorar, deixe-a chorar, não a faça engolir o choro. Devemos lembrar que o amor é sempre o melhor caminho.

  81. Vera disse:

    Nosso país já tem leis em excesso, pra coibir mau tratos já existia o ECA, e sua aplicação não é fiscalizada. A palmada corretiva aplicada por pais equilibrados e conscientes algumas vezes pode ser necessária, quando esgotadas as explicações e verifica-se que a criança quer testar a autoridade ou os limites. Existem atitudes que causam mais humilhação do que as palmadas. O abandono físico, moral e intelectual é pior. Voces já foram à reuniões escolares em que os pais não comparecem ou quando comparecem e são cobrados por atitudes antisociais dos seus filhos , justificarem dizendo que não podem mais com eles? Acontece que antes de se preocupar com palmadas o estado deveria se preocupar com a reestruturação familiar e educacional. A escola, é hoje uma instituição em que os pais colocam os filhos por obrigação legal e para ter direito aos benefícios ( bolsas família e etc). Os professores mal pagos e mal formados, quando em quantidade adequada ä demanda ( veja que na maior parte das escolas faltam professores, em São Paulo…imagine no resto!) não conseguem transmitir conhecimentos aos alunos por causa da indisciplina generalizada. Os alunos, salvo raras exceções,não querem aprender, só exigem passar de ano. Como se o fato de ter um certificado qualquer valesse de alguma coisa, e por aí vaí.O governo atendeu ãs exigencias do FMI dando educação para todos. Qual a qualidade da educação???? As escolas pra muitos não passa de pontos de droga!

  82. Vera disse:

    Continuando… antes de proibir palmadas que ocorre no ambito familiar e não tem como fiscalizar mesmo, porque não coibe as execuções praticadas por policiais, os abusos de autoridade e etc… Quantos jovens voces já viram ser abordados por policias, apenas pra simples averiguação e na dita revista serem humilhados e até mesmo sofrerem alguma agressão? Pois são muitos os casos! Se o Brasil estivesse com todos os seus problemas resolvidos ( saúde e educação de qualidade para todos, segurança e justiça social, emprego e etc) Se não houvessem os abandonos, as drogas e tudo mais, talvez uma lei desta fizesse sentido, talvez…

  83. Elen Santos disse:

    Creio que a palmada não se insere na categoria “violência” e sim que esteja mais relacioanda a categoria “educação”. Não impor limites hoje implica numa série de consequencias mais graves com os jovens de amanhã. Dizer “não” é função dos pais e a palmada impõe respeito quando os filhos não querem ouvir. Impor aos pais a maneira certa de se educar os filhos pode gerar uma inversão de papéis.

  84. Abraão Junior disse:

    se formos observar, todos os que são contra as palmadas, são orientadores sociais, psicólogos ou têm condições de fazer acompanhamento com psicólogos, se for realmente proibído, teria que ser feito uma espécie de capacitação para os pais, para mostrar uma forma milagrosa de disciplinar os filhos sem sequer dar uma palmadinha

  85. Gibran Shalom disse:

    Somente a palmada mal dada poderá trazer consequências à juventude! Não se trata de agressão caracterizadora de ilícito capaz de enquadrar um pai ou uma mãe numa figura prevista no CP, como lesões corporais, tipo das que foram deferidas pela “Bruxa”…É certo que não se pode colocar os comportamentos dos educandos de hoje na moldura do ontem. São momentos diferentes. Agora, é inconcebível que uma criança de 5 anos, por exemplo, se vire para a mãe e diga que ela é uma “cachorra sem vergonha”, de forma desaforada e repetitivamente e isso seja motivo para estímulo ou deixar passar em branco. Não deixa de ser um assunto bastante delicado. Por isso, aí está a diversidade de opinião ao tema.

  86. Rosana disse:

    agressor gera agressor. sou contra qq violencia na educação. teimosia existe por falta de diálogo. birra infantil tb. os pais deveriam saber que a melhior forma de educar é tratar os filhos como querem ser tratados.

  87. Bruna disse:

    eu penso que a palmada seria um bom atributo para ser utilizada de forma pensada e em ultimo caso.
    acredito que realmente necessite de muito dialogo, e que os pais devem em todo o momento ser calmos e tentar entender o motivo do comportamento da criança, porém se a criança continuar sendo agressiva e indisciplinada não vejo mal nenhum em utilizar a palmada como melhor caminho para o ensinamento que se deve respeitar, apesar de alguns pais serem agressivos na forma de educar.
    penso assim, não sei se é porque meus pais me educaram assim, e tenho muito respeito e admiração por eles. mas não é porque levei palamadas que agrido outra pessoa me tornando agressiva e creio que muitos não assim.

  88. Bruna disse:

    Vera, eu concordo com você!

  89. Mariinha disse:

    Os pais das crianças que sofrem agressões nunca foram agredidos? Eles são os iniciantes desse processo agressivo e o fazem com o intuito de iniciar esse processo violento de pancadaria? Quam assiste TV em alguns canais só tem oportunidade de ver pancadaria e xingamento. Com essas lições há como estabelecer diálogo? Alguem os ensinou argumentar ou passou pela escola fazendo (X) nos quadradinhos? Se a Lei escrita alterasse comportamentos usuais como teríamos profissionais íntegros, respeitadores, representantes de um compromisso com a cidadania desse país. Façam a pesquisa: Quantos e quantas vezes os artigos do Ordenamento jurídico nacional são afrontados?

  90. Mariinha disse:

    Em tempo… no Projeto de Lei tem algum artigo proibindo filho de espancar pais, avós,matar ou mandar matar o casal enquanto dormem, levar o parco dinheiro da aposentadoria e deixá-los vendo navios, vender a casa que foi doada e que os pais acabam ( sob pressão ) desistindo de usu-fruto?… Quanta discriminação aparece em tempos de eleição… O seu voto tem esse preço?

  91. Markut disse:

    Dabés.
    Estamos falando de pais e não de agressor de crianças.

  92. Cidadão INDIGNADO disse:

    Saimos da Ditabranda para um Estado Arrogante e Calamitoso que não cumpre o minimo na educação de nossas crianças e quer intervir nas familias e nas escolas com cartilhas que afrontam os principios das familias; bem como negligencias na saude e segurança, mas sobra recursos para demagogias , secretarias e doações internacionais.

  93. Arnon disse:

    As más leis são a pior espécie de tirania.” (Edmund Burke) – “O preço que os homens de bem pagam pela indiferença aos assuntos políticos é ser governados pelos maus”-(Platão, filosofo grego, 427 a.C – 327 a.C)-
    Governar: promover o bem de todos sem discriminações: na educação de qualidade, saude e segurança, zelando pela moralidade publica e a etica para a harmonia social. A midia tambem tem sua parte de responsabilidade evitando programas e materias escandalosas, sensacionalista,que afrontam as familias corrompem os jovens e PROMOVEM o descrédito dos cidadãos responsaveis.

  94. Joana Darc disse:

    Sou a favor da palmada.Disciplina com amor impede que os nossos filhos apanhe na rua.Sou contra a violencia.

  95. Adolfo Soares disse:

    Sou a favor da proibição da palmada, pois não se educa impondo agressões covardemente sobre crianças, mas educa-se com sabedoria e respeito. Pois isso certamente gera uma relação de medo por parte daqueles que deveriam mais amar.

  96. teodosio silva de sena disse:

    Sou afavor da proibição da palmada,mais o governo tem que fazer a sua parte, garantindo estudo para todas as crianças, acredito que dessa forma, podemos cntribuir para adiminuição da violência.

  97. maria zilda borges disse:

    sou contra a palmada nada melhor que a conversa,a palmada ,gera uma autoridade ela não conserta só deixa mais raiva,e isso sempre é deslocado.
    em animais na natureza etc.
    Se a criança tiver que ser ? não será pela palmada, em adolescente não se bate como são corrigidos?

  98. Carolina Trindade disse:

    Definição denotativa de palmada:PANCADA com a palma da mão.
    essa “palmada com amor”,”palmada com afeto” apesar de querer ser suavizar o que significa, faz com que a sociedade fique em uma “cultura de violência”, pois pais dao palmadas em filhos e depois esses filhos vao educar com da mesma forma incorreta!
    Na Suécia, país muito desenvolvido, no início foi um choque a lei que está em vigor desde 1980. A lei está surtindo efeitos positivos!

    A LEI DEVE SER APROVADA E JUNTO DELA DEVE VIR OUTRAS MEDIDAS DE MELHORAMENTO COMO EDUCAÇÃO E SAÚDE.SÓ NÃO DEVE OCORRER COMO A MAGNIFICA LEI ZERO QUE DEPOIS DE ALGUNS MESES FOI ESQUECIDA E VIROU MAIS UMA NA CONSTITUIÇÃO EM ESQUECIMENTO.

  99. Roby disse:

    Sou contra bater, mas sou contra a proibição. É bom sabermos que se um dia precisar-mos poderemos.

    É como empréstimo. Não uso mas gosto de saber que se precisar, tenho crédito.

  100. washington disse:

    Alguém disse que palmadas podem gerar uma autoridade, qual o problema da autoridade? Os pais tem que ter autoridade sobre os filhos, assim como os professores tem que ter autoridade sobre alunos e por aí vai. Ao se tornarem adultos e enrentarem a vida os pequenos de hoje, vão encontrar pela frente chefes, patrões, hierarquia, e é assim que o mundo real é. O problema não está nas palmadas, é possível conseguir o respeito e a autoridade sem elas, mas quem vai fiscalizar e julgar isso? a mesma polícia e a justiça que deixa assassinos e malfeitores soltos por aí?

  101. Lana disse:

    Eu acho que se castigo não fosse necessário não seria preciso cadeias para quem foge às regras,afinal as palmadas são uma forma de punição para que a criança entenda que seus atos tem que ter limites e eles não podem fazer o que querem,e por acaso as cadeias não existem para punir quem age errado?Meu irmão apanhou e muito na infancia pois ele era bem teimoso ,hoje ele é pai de três filhos dos quais a caçula com 13 anos e ele apesar de ter apanhado bastante, nunca deu um tapa nos filhos,aí podem dizer:”pois então dá para educar sem palmadinha”,só que ele não batia mas minha cunhada sim,mas o que quero dizer é que apesar de ter apanhado meu irmão não era de bater, portanto esta história de que quem sofre violência vai ser violento não é um fato.Hoje gostam de dizer que os pais não sabem dizer não, mas o que essas leis estão fazendo é tirar a autoridade dos pais.

  102. Markut disse:

    A Rosângela.
    Embora tardiamente, retomo a questão.
    A minha vertente preferida é a de que não se trata do homem essencialmente bom, ou essencialmente mau.
    Se trata do homem, cuja origem animal, embora, ao que se saiba, o único racional,permitiria considerá-lo, na fase inicial da sua vida, como um ser essencialmente reativo e,nesse caso, suscetivel aos efeitos do castigo e da recompensa, na sua educação.
    Note que, a rigor, os efeitos do castigo e da recompensa , devidamente sublimados, permanecem ao longo de toda a sua existência.
    Esta seria, no meu entender, a correta pedagogia.O cão de Pavlov não desmente essa linha de raciocínio, mesmo porque o cão não é racional e aí está a grande diferença.

  103. Felipe Brasil disse:

    Creio que uma palmadinha com metade da força pra ensinar uma criança bem “SAPECA” é mais do que suficiente para faze-la perceber que errou e que nao deve fazer mais , e se fizer de novo, outra palmada e assim nasce o medo e faz com que ela nao faça mais !

  104. Jandy disse:

    Sem demagogia, paremos para pensar. Pensar mesmo, com a razão sem intervenção do fígado. Para que a palmatória fosse retirada do processo educativo, precisou de Lei; para abolir a escravatura, precisou de Lei, e outros e outros processos foram extirpados por Lei. Assim, algo que está arraigado na cultura popular, como é o caso da palmada, precisa sim, de Lei que a coíba, para começarmos a pensar no assunto. Concordo com a Psicológa.

  105. Luiz Alves disse:

    Sou contra tal projeto de lei.
    Até onde o estado tem o direito de interferir na educação dos meus filhos,tenho 2 filhos(4 e 5 anos )se precisarem de uma palmada eu darei sim ate o momento nunca precisei.
    hoje a midia deseja educar os nossos filhos,mas a obrigação de cuidar e educar é dos pais ou responsaveis.
    nossos filhos tem o ECA que os protegem.isso sim deveria ser cobrado,pois tal legislação não é fiscalizada,pois a escolas não são seguras para os tais e a saude é pregaria.
    cada pai tem a responsabilidade de educar seus filhos para ser pessoas dignas de respeito.

  106. João Ricardo Louven disse:

    Um tapa na mão de advertência ou segurar pelo braço eu acho válido. Brasileiro gosta de proibir né, depois todo mundo reclama e acaba burlando as leis. Legalize já! Valeu!

  107. Daniela Delatorre disse:

    Concordo com a opinião de Vera, dada em 03/08/2010 em que relata a realidade. Os psicólogos querem “psicilogizar” tudo.Se pedagogos e psicólogos entendessem mesmo de educação, nossos presídios seriam menos lotados- e as escolas mais bem frequentadas- assim como nas ruas repletas de “marginais”, os quais umas boas palmadas foram renegadas desde os primórdios de suas existências. Deus em Sua sabedoria e magnitude já afirmou que a criança deve ser corrigida, que a maldade é desde a criancice e que a vara é para os tolos. Não tenho certeza, mas na Tailândia ou Indonésia, se a pessoa infringir a lei, apanha, em praça pública, com um chicote um tanto peculiar, pois suas marcas não saem jamais, o que torna para o indivíduo motivo de extrema vergonha. Não deveriam esquecer-se, psicólogos e pedagogos, de que a natureza humana é completamente selvagem, e o que nos diferencia e nos torna na condição de humano é exatamente a educação que através de um mediador aponte ao ser os limites, as regras, os deveres e direitos para permanecer em sociedade. Cada ser é diferente do outro, portanto alguns com uma palavra mais dura ou castigos, torna-se educável, outros, de natureza mais ousada, mais marrentos, precisam de um reforço maior para que se possa compreender que o errado trás consequências, e que elas podem doer mais do que uma palmada.

  108. Luiz Franco disse:

    Este debate só ocorre parque há uma confusão desnecessária entre violência doméstica e sanção disciplinar. Os jovens de hoje, sofrem menos castigos físicos que os do passado, e a delinquência juvenil aumenta a olhos vistos. Para quem acha que é preciso “conversar”; se o medo da cadeia não é dissuasivo para o malfeitor, muito menos o discurso do promotor.

  109. Cecél Garcia disse:

    O pai o mãe uue espanca um filho espanca em razão de seus problemas íntimos e o filho é uma espécie de saco de pancadas para com as suas frustrações de humanos que são,

    Sugiro aos mesmos qquue adotam essa posttuura como meio de eduucar, pense se teu filho fosse um tetraplégico…

    Assim o mesmo não lhe traria problema algum.

    Tenho dois saudaveis filhos e lhes permito viver seus tempos sem nunca ter desferido-lhes um tal de tapinha de Amor.

    Cecél Garcia

  110. Helio disse:

    È o seguinte: chega de ser homem, o lance é ser metro, tetro, bi, boiola, hexasexual..nada de palmadas, vamos ser mais generosos.. vamos acolher uns bandidinhos internacionais, e dae? um a mais um a menos, vamos dar uma chance ao ministro o Lula disse que ele é mt competente, vamos colocar os piores picaretas na comissão de ética eles já ouviram falar disso antes, só não lembram como se faz mais.. vc acha que podemos esperar alguma coisa boa dessa gente?? aff.. nem quero continuar..

  111. carlos alberto martins disse:

    Acho que estou deslocado neste mundo meio louco.Meus pais nunca me bateram,nem um simples puchão de orelhas.Sempre aprendi a fazer as coisas certas,e,quando errava eles me corrigiam com exemplos proprios.Assim tambem eduquei meus filhos.Nunca os proibi de nada,apenas os orienteva para que tivesem um comportamento digno da maior confiança.Hoje com orgulho tenho dois excelentes marmanjos,formados em universidades,casados e por mais incrivel que pareça,tornaran-me bisavô.Não se deve agredir os filhos para educa-los basta apenas ser o melhor amigo deles

  112. carlos alberto martins disse:

    Aquele que de alguma forma agride seus filhos.abrem uma uma porta enorme para que os mesmos sejam assediados por traficantes,pedófilos e outros com segundas intenções,dando-lhes toda a atenção que lhe é negada em seu convivio com seus pais.nunca seja somente um pai,procure sempre ser o seu MELHOR AMIGO E CONFIDENTE,confiando seus segredos mutuamente,sem cobranças ostensivas,ou ofensivas,que os resultados serão surpreendentes.

  113. bianca disse:

    uhm.. nem sei como começar

    mais na minha opiniao apanhar n resolve – tenho passado por isto e percebi q castigos como retirar algo q os adolescentes e crianças gostam mais resolve mais q umas boas palmadas

  114. SID OLIVEIRA disse:

    veja bem, palmada não é espacamento. para começo de conversa.tem criança que somente com umas palmadas e castigo sabem que estavam erradas,muitas vezes conversa não adianta,mas,o mais interessante é que antes as crianças apanhavam eu apanhei e muito e não precisei de psicologo para ter minha vida normal,mas hoje o que importa é que com as profissôes de psicologo, e a criação do tal ECA que uma eca mesmo os pais passam a não ser mais pais e sim apenas um ser humano que colocou filhos no mundo,nenhum psicologo ou defensores dos direitos da criança vai na sua casa ver o que acontece, ou seja esta é mais uma forma de emprego público que nos pagamos, olha senhores deputados preocupem-se com saúde,emprego muitas empresas estão saindo até do pais,segurança pois a policia que temos não é mais segurança para cidadão nenhum,regime carcerario mais duro, pois o que temos são presidios em que os presos mandam,fora a alta corrupção vivida pelos senhores mesmos que infelizmente não sabemos os escolher

  115. Flávio disse:

    Estamos tomando o todo pelas partes!Isto é falácia!Agressão e Correção são coisas diametralmente opostas.Não se pode pensar que ao ser a favor da palmada estaria legitimando a agressão!Nós estamos a cada dia mais legitimando a irresponsabilidade do menor.A sociedade moderna ja abriu a porteira da liberalidade juvenil,e não consegue mais estancar.Agora estão procurando estancar a onda e não conseguem.Agora querem intervir em um assunto estritamente pessoal.A questão da “palmada” é como a diferença entre remédio e veneno:A DOSE!Querem colocar na categoria Pró Agressão quem acredita na palmada pedagógica!Sou educador e também professor de Luta Olímpica, desde os idos mais antigos da humanidade, a estimulação física corretiva existe!Não aplaudem a policia quando ostensivamente invadem uma comunidade,com suas armas e aparatos para pacificar?((ironia)!Ou quando nossos filhos servem as forças armadas não aprendem isto?ou Quando se pegar em fogo queimar?Ou quando seus patrões agressivamente os cobram?A estimulação física corretiva,nos coloca diante de um problema:Como educar?seremos tão hipócritas de dizer que o mundo em que nossas crianças vão viver será menos agressivo?E será toda a agressividade será física?A lei da palmada nada mais que uma cortina de fumaça,para ocultar o verdadeiro problema:A ausência de uma educação de qualidade!E a propósito se palmada fosse crime,minha mãe pegaria prisão perpétua,e não há neste mundo(meu mundo),alguem a quem eu ame mais!!Por todas as Mães tigres e Rochelles que amam,sofrem e pagam o preço de ensinar a nós filhos, como sobreviver a esta selva,a que chamamos sociedade!Pelos meus filhos e atletas que aprendem,com esforço,suor e lágrimas,que as atitudes corretivas de seus pais(que não sejam crimes),são um treino para a vida!

  116. João rafael disse:

    Essa lei da Palmada é criminosa!! uma afronta à família brasileira!! O Estado quer controlar nossas famílias, mas não suprem nossas necessidades: educação, saúde, emprego, etc. Não se enganem…se esta lei for aprovada, trará consequencias piores para nosso futuro. Independentemente se esta lei for aprovada, vou educar meu filho dentro da palavra de Deus, que me autoriza a repreender e educar meu filho para o caminho da justiça.

  117. Débora disse:

    Sou contra essa lei, que lei é essa??? Logo vão querer decidir quantos dias da semana se pode beber, tomar banho, telefonar… Essa lei só vai aumentar o numero de bandidos, pois na maioria são pessoas sem limites e isso vem de casa. Palmada não mata nem traumatiza ninguém desde que com moderação. Levei palmadas e hoje agradeço e outra besteira que inventaram foi o bullings, quem nunca teve apelidos ou foi incomodado com isso quando criança. Cada vez mais inventam bobagens ao invés de cuidarem das verdadeiras necessidades. Milhões p Copa do Mundo e bandidos sendo soltos porque não tem vagas nos presídios…

  118. Davi Quaresma disse:

    A disciplina física é essencial para o desenvolvimento da criança.Hoje tenho 16 anos e não sou disciplinados por meus pais há mais de quatro anos.Pois a disciplina física,quando criança,me possibilitou ter noção – em todos os âmbitos.Hoje,respeito meus pais,e outras autoridades (adultos em geral)- um dos benefícios da disciplina: Põem a criança e o jovem no seu lugar,dentro da sociedade).Com certeza vai demorar,mas, se essa lei entrar em vigor a sociedade vai ver a besteira que está fazendo,pondo os adolescentes num patamar mais alto da sociedade (pois é isso que o vão fazer caso tirem essa autoridade dos pais).

  119. Valdenilza L. Fontes disse:

    A discussao do tema das palmadas é um pouco fora da realidade brasileira.Pois o Brasil é constituido em sua maioria da populaçao carente e os maiores problemas vem exatamente daí.Nao é filho de rico e nem de ator de novela que chega nos hospitas vitimas de maus tratos e c agressoes fisicas . Esse tipo de problema vem normalmente das familias desestruturadas. E aí como resolver isso ? A verdade é que o Brasil está muito longe de resolver broblemas socias como esse. Tudo começa na educaçao escolar,familiar e religiosa.Sou contra a gressao fisica e psicologica mais a favor da palmada que nunca matou e nem vai matar ninguem . É melhor corrigir a criança hoje do que ter que punir o adulto amanha.É melhor uma criaça levar umas palmadas hoje do que apanhar de policia amanha.

  120. Edimar Assis Marinho disse:

    A biblia diz : ” A estultícia está ligada ao coração do ( menino ) mas a VARA da CORREÇÃO a afugentará dele ” (pv.22:15) ” Não retires a disciplina da criança, porque, fustigando-a com a VARA, nem por isso morrerá. ” ( Pv. 23:13 ) ” A VARA e a repreensão dão sabedoria, mas o rapaz entregue a si mesmo envergonha a sua mãe… castiga a teu filho, e te fará descansar; e dará delicias a tua alma .. ” ( Pv.29:15,17 ) ” O que retém a sua VARA aborrece a seu filho, mas o quew o ama a seu tempo o castiga.. ( Pv. 13:24 )Então se a biblia que para os cristãos é a única regra de fé e prática È a verdade por que não obedece-la ? Um abraço a todos.

  121. regiane disse:

    na minha casa quem manda sou eu bato nos meus filhos hoje para amanha eles nao apanharem na mao da policia educo mesmo sem perder a amizade a o amor quem os sustenta sou eu nao falta nada nem palmadas a se eu tivesse sido corrigida pela minha mae hoje eu nao tinha sofrido tanto e pego ate hiv

  122. JANAINA SARA disse:

    NÃO SOU MÃE PORÉM TENHO CERTEZA DE QUE OS FILHOS PRECISAM LEVAR UMAS PALMADINHAS MODERADAS PARA QUE NO FUTURO ELES NÃO VENHAM SER PESSOAS SEM ESTRUTURAS, PARA VIVER NO MUNDO DE HOJE.

  123. karina dos santos ferreira disse:

    EU SOU FILHA MAIS VELHA TENHO 10 ANOS!
    EU CONCORDO NA LEI DA PROIBIÇAO DA PAUMADA,MAS acredito que nao seja crime dar 2(duas)PAUMNADAS NO BRAÇO.
    MAS CE UMA MÃE DECE UM TAPA TO ROSTO DE UMA CRIANÇA OU PRE-ADOLECENTE MENOR DE 14 OU 12 ANOS,AI SIM DEVERIA SER PROSSESADA!

  124. Nanci F. Yamazaki disse:

    Sou totalmente a “favor” das palmadas SIM,Alem das palmadas as proibiçóes dos seus gostos e costumes ,como Tv ,Game ,Web,Dvd…após os palmadas sentar com os pais e ter uma longa conversa,eu apanhei de meus pais e ja bati em minha filha ,náo deixamos de serrmos cidadáos de bem e muito integros…As crianças de hoje tem muitas regalias ,náo saben o valor das coisas ,acha que tds tem que ter td ,ai eles se sentem os donos de si e acaba desrespeitando seus pais …melhor eles chorarem agora do q os pais na porta de uma cadeia ,funeral ou carregando eles como cadeirantes… E sempre falo pra minha filha ,bata sem violência e explica o pq eles estam apanhando…tenho 2 netinhos 7/2 aninhos … é de cedo que se torce o pepino. E tds sobreviveram com certesa.

  125. ana disse:

    Sejamos francos, na maioria da vezes os pais batem nos filhos muito mais para extrapolar a própria raiva do que pensando na educação dos mesmos. E muitas pessoas estão usando o exemplo de presídios, como se os presidiários nunca tivessem apanhado dos pais. Sou educadora e conheço muitas meninos e meninas muito bons que nunca apanharam, assim como conheço meninos e meninas com muitos problemas que já apanharam muito e a maior queixa deles é e sempre foi a falta de diálogo e pais que não escutam. Então antes de pensarem em bater em seus filhos, conversem com eles, deem atenção, porque isso é muito mais importante do que bater nos mesmo. Existe uma frase que diz que quem bate esquece, mas quem apanha não.

  126. daniel disse:

    eu sou a favor dessa lei porque bater nao adianta isso e um ato de covarde se nao pode bater em mulher porque nao em criança que nao tem defesa nenhuma a melhor forma de educar as crianças e levantar a fos botar no quarto por 1 hora ater a criança para de chorar

  127. Cristiano disse:

    Sei que é muito difícil para o ser humano agir com equilíbrio sempre. A Ana (abaixo) que apóia a lei, possivelmente tem seus motivos e convicções para isso, afinal não queremos ver nossos filhos e outras crianças sendo espancadas por ai o tempo todo. A Nancy, defende com intensidade o direito, dos pais, usarem a palmada para manter seu filhos em um caminho que julga ser o correto. Em contra partida, vemos um estado corrúpto, que não tem a menor competência para organizar sua própria casa, bem como lidar com assuntos muito mais simples, tais como: transporte, saúde e… EDUCAÇÃO que é o que vai faz a diferença nas ações e reações das pessoas, querendo impor regras e leis dentro da sua casa. Tirar a autoridade de um pai e/ou mãe (não que a autoridade esteja no ato de bate ou dar uma palmada) vai levar a nossa sociedade sofre o amargo gosto da libertinagem. Nem todo filho merece levar uma palmada, assim como, assim como existe filho que não vai refletir melhor sem ela. Precisamos agir com equilíbrio. Toli os pais de utilizarem parte dos mecanismos disponíveis para educar é tão errado com espancar uma criança indefesa. Hoje já estamos sentindo na pele a falta de controle dos pais sobre seus filhos. Em fim, que pela graça de Deus alcancemos o equilíbrio, necessário, para educar nossas crianças.

  128. Antonio Carlos Santos Rocha disse:

    Sou contra a proibição, dar uma palmada não é espancar, as vezes o uso de uma ação mais severa se faz necessária diante de uma criança que é naturalmente indisciplinada, é devido ao pensamentos desses ditos especialistas que as escolas estão cheias de marginais mirins, que sabem que não podem ser punidos de forma alguma, pois enviar a uma instituição nunca resolveu um problema que é claramente de falta de disciplina familiar, sou de uma família de quatro homens e nenhum de nós virou marginal ou agride gratuitamente alguém por termos levados algumas palmadas bem merecidas em nossa infância e adolescência. Ao contrário do que vemos hoje, com essa idiotice de não poder ser mais enérgico em uma situação necessária, vemos professores serem agredidos em escolas porque os pais não podem educar seus filhos conforme foram educados.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *