Início » Opinião » Tendências e Debates » População coloca voto obrigatório em xeque
Tendências e Debates

População coloca voto obrigatório em xeque

Você é a favor ou contra a obrigatoriedade do voto? Por Carla Delecrode e Paula Araujo

População coloca voto obrigatório em xeque
Voto deveria ser facultativo para 48% dos entrevistados

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A obrigatoriedade do voto não é vista com bons olhos por quase a metade dos eleitores. E ainda mais: subiu o número daqueles que concordam que o voto deveria ser facultativo. Foi o que mostrou uma recente pesquisa do Instituto Datafolha, que coloca em discussão o modelo de voto adotado no Brasil desde o Código Eleitoral de 1932, quando o voto passou a ser considerado um dever, mais do que um direito.

O estudo foi realizado nos dias 20 e 21 de maio deste ano e entrevistou 2.660 pessoas. De acordo com a pesquisa, os brasileiros estão divididos quanto à obrigatoriedade do voto. Quarenta e oito por cento dos entrevistados se colocaram a favor e 48% foram contra a obrigação de votar. A maioria (55%), porém, afirmou que iria às urnas mesmo se não fosse obrigatório.

Em relação à pesquisa anterior, houve aumento no percentual dos contrários ao dever. A última foi feita em dezembro de 2008, quando 53% dos entrevistados se mostraram a favor da obrigação do voto, enquanto 43% foram contra. Entre os mais jovens, de 16 a 24 anos, 56% são favoráveis ao voto obrigatório e, entre os que têm de 35 a 44 anos, 54% foram contrários, segundo a atual pesquisa.

Sudeste: maior concentração dos que não votariam, caso não houvesse obrigatoriedade

Foram entrevistados eleitores de todo o país entre 18 e 70 anos. Do total, 48% das mulheres afirmaram que não votariam, caso não houvesse obrigatoriedade, enquanto 39% dos homens disseram o mesmo. A região Sudeste foi a que registrou o maior número dos que disseram que não votariam se não fossem obrigados.

A pesquisa também mostrou que a escolha por exercer o direto do voto varia conforme a escolaridade. Enquanto 52% dos entrevistados com nível fundamental disseram que votariam de qualquer modo, entre os indivíduos com nível superior o índice subiu para 65%.

A renda também foi uma variável relevante para a obtenção do resultado. Dos que ganham até dois salários mínimos, 46% não votariam e 52%, sim, mesmo se não fosse obrigatório. Entre aqueles que ganham entre cinco e dez salários mínimos mensais, 66% votariam mesmo que o voto não fosse obrigatório. Além disso, a aceitação do voto obrigatório também subiu conforme a renda e a escolaridade. Entrevistados que recebem mais de dez salários mínimos de renda familiar e têm ensino superior apresentaram índice de favoráveis ao sufrágio obrigatório de 38% e 40%, respectivamente.

Como afirma o advogado e ex-auditor da Receita Federal Paulo Henrique Soares, no estudo “Vantagens e Desvantagens do voto obrigatório e do voto facultativo” do Datafolha, o tema é um dos mais recorrentes no Congresso Nacional e na opinião pública, principalmente depois das eleições. A inspiração do assunto vem do crescente absenteísmo e da ocorrência de votos brancos e nulos, cada vez mais presentes.

Ainda de acordo com o estudo de Soares, um dos argumentos a favor do voto obrigatório é o atual estágio da democracia brasileira, que ainda não permitiria a adoção do voto facultativo. Segundo ele, “a sociedade brasileira ainda é bastante injusta na distribuição da riqueza nacional, o que se reflete no nível de participação política de largos segmentos sociais, que desconhecem quase que inteiramente seus direitos de cidadãos”. O voto então seria a oportunidade que essa parte da população tem de manifestar sua vontade política.

Por outro lado, os argumentos a favor do voto facultativo também são fortes. Além de todos os países desenvolvidos e de tradição democrática adotarem a não obrigatoriedade do voto, acredita-se que a qualidade do pleito eleitoral melhora, visto que a maioria dos votantes estão mais motivados e conscientes.

Há 25 anos o voto deixou de ser direto

A discussão sobre a obrigatoriedade do voto aparece 25 anos após o fim da ditadura militar no Brasil. Durante o período chamado ‘anos de chumbo’, o voto para presidente era indireto, decidido pelo Colégio Eleitoral. O retorno deste direito à população foi motivo de passeatas e levou milhares de brasileiros às ruas: o movimento Diretas Já. Ele reivindicava a escolha do Presidente da República nas eleições de 1985, por voto direto.

A primeira eleição direta à Presidência foi em 1989, quando estavam na disputa Fernando Collor e Luiz Inácio Lula da Silva.

Caro leitor,

Você é a favor ou contra a obrigatoriedade do voto?

Você votaria mesmo se não fosse obrigatório?

Qual a sua opinião sobre tornar o voto facultativo?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

76 Opiniões

  1. Arlon Borges disse:

    O voto obrigatório é a coisa mais anti-democrática que existe. Serve para os coronéis obrigarem o povo a votar nele, através dos cabos eleitorais. Vê-se isso até no resultado da pesquisa: no Sudeste mais avançado tem mais gente contra.

  2. Augusto da Rocha Costa D'Oliveira disse:

    Não concordo com a obrigatoriedade de votos por cidadões de um país cuja democracia está alinhada aos desejos de sua população.

    Prof. Augusto

  3. Mauro disse:

    Infelizmente em nosso país, construiu-se um sistema onde o ato de escolha dos representantes do povo no governo não é um direito ao exercício da liberdade, mas uma obrigação imposta sob a ameaça de punição.

  4. CLAUDIA MEDEIROS disse:

    Sou completamente contra a obrigatoriedade do voto.
    Penso que se o voto fosse facultativo a qualidade dos resultados das eleições aumentaria.
    Tb diminuiria a força daqueles políticos manipuladores da “massa” menos esclarecida (cuhjo nº não é pequen neste país de gritante deficiência na educação).
    O país só tem a ganhar com o voto facultativo e de melhor qualidade.
    Eu com certeza continuaria votando, mas o meu voto é consciente o que não é regra…

  5. Charles Goodwell disse:

    O Brasil é talvez o último país do mundo onde o voto é obrigatório, e não por acaso tem um sistema político caviloso, em que se vota em uma pessoa e o voto termina em outra, as vezes até em partido diferente.

    Desde os anos 20 Lobato já combatia o voto obrigatório. E em toda a reforma política ele fica como sempre foi.

    Uma das exigências para qualquer coisa é um atestado de estar em dia com a justiça eleitoral. Um absurdo.

    É por causa do voto obrigatório que se elege deputados do tipo Eneas, Clodovial e até animais como o Cacareco, que nos anos 60 era um rinoceronte do Zoológico.

  6. José Antonio Alves disse:

    O voto obrigatorio não deveria existir uma vez que assim só aumento o numero da corrupção eleitoral e tambem nas urnas eletronicas que são tranquilamente fraudadas!!!!
    O voto deveria ser faculatativo e com células com cópias como comprovante do eleitor, para possivel recontagem, caso houver dúvidas no resultado!!!!
    Nossas urnas eletronicas não são invioláves e causam suspeição, uma vez que o TSE não permite que as mesmas sejam examinadas por um orgão internacional, que é especialista neste assunto e emite seus pareceres com imparcialidade. Queremos ver este teste nas urnas barsileiras!!!!

  7. Élio J. B. Camargo disse:

    A obrigatoriedade é imposta pelos políticos como ferramenta para se legitimarem como senhores da sociedade e falsos representantes, pois representam apenas seus próprios interesses.

  8. felipe Alis disse:

    A obrigatoriedade do voto é uma afronta a democracia, pois esta dá ao cidadão o direito de ir e vir, inclusive, de se manifestar quando julgar necessário. Entretanto, atualmente, embora estejamos sob uma demacracia, não temos a faculdade de se manifestar quando entendemos cabível, mas em todas as eleições, ainda que os candidatos sejam os piores possíveis.

  9. Luciano Basile disse:

    Votar deve ser um direito, não uma obrigação. Apesar de entender que uma democracia se faz com participação, devemos levar em conta outros fatores. Um deles é a qualidade do voto: em um país ainda tão cheio de desequilibrios sócios economicos, onde uma parte expressiva da polulação depende de favores para sobreviver como por exemplo as “bolsas qualquer coisa” e onde os políticos em geral não são confiaveis deixando de cumprir o que prometeram, mudam de convicção politica com uma facilidade enorme, indo da ponta direita para a ponta esquerda sem nenhum pudor, fica muito dificl apoiar a obrigatoriedade do voto. Eu, independente de ser obrigatório ou não, votaria, lembrando que em determinadas ocasiões me daria o direito de não comparecer as urnas caso nenhum candidato apresentasse um perfil adequado, afinal é demais ter que escolher entre o menos corrupto.

  10. João Cirino Gomes disse:

    Sou totalmente contra todo tipo de obrigatoriedade!Ou então, não é democracia, e sim ditadura!
    E também sou contra os políticos usarem verbas dos cofres públicos para fazer campanhas políticas!
    E como existe uma lei que repreende a propaganda enganosa, esta lei devia ser colocada em pratica e respeitada em época de eleição; quem sabe assim diminuiriam as promessas feitas aos eleitores!
    Enquanto não houver cumprimento da lei e justiça, estarei descrente das promessas feitas por qualquer políticos em época de eleição!
    Exemplos de desmandos, impunidade e desrespeito as leis já temos muitos!

  11. Boris Lawrence disse:

    Eu acho que o voto nao pode ser obrigatorio, do contrario alem de ser voluntario deve ser
    exigida uma condicao minima de conhecimeneto
    dos acontecimentos dentro da regiao do eleitor,
    como tambem um minimo nivel de escolaridade.
    Nao podemos depender da escolha dos covernantes por meio de votos de semi analfabetos, que facilmente podem ser manipulados pelos politicos.

  12. Itamar Ott disse:

    Sou totalmente contrario a obrigatoriedade de se votar, mas acho porém, que no Brasil isto seria um perigo, pois até o presente momento, tanto os deputados como os senadores (a maioria) são pessoas voltadas para a corrupção, imagina só se o voto não fosse obrigatório, a compra de voto seria de valor inestimavel.

  13. Ângela disse:

    Voto obrigatório e democracia??? Isso não existe. Voto facultativo já!

  14. Victor disse:

    Sou completamente contra a obrigatoriedade do voto. Já que eles adoram a famosa concorrência e IPI reduzido, então faremos justiça, colocamos o voto facultativo e cada um dos que concorrem ao cargo terá que se empenhar muito para fazer com que o cidadão saia de sua casa para lhe dar o famoso “poder”.

  15. ricardo disse:

    Voto conceitualmente seria o “modo de manifestar a vontade ou a opinião”. Substituindo manifestar por “tornar público”, ficaria: voto seria a maneira de tornar pública uma vontade ou opinião. A obrigatóriedade está para “impor dever a alguém”. No desdobramento da discussão o voto obrigatório torna-se uma imposição do Poder com suas devidas sanções, onde o transgressor é o eleitor. Esse eleitor, no processo, está sujeito a pena no descumprimento de uma lei: voto obrigatório. Um paradoxo? O que indica uma legislação nada democrática, mas autoritária. E no séc XXI, com a conjuntura em que vivemos, peste, fatalidades ambientais, guerras e fome, melhor uso do tempo, seria o Poder trabalhar, incansavelmente, pela justiça. A inovação tecnológica permitiu outros canais para multidão: rede sociais, portais eletrônicos e outros instrumentos com um mecanismo instantâneo de participação. Manter a obrigatoriedade do voto é ignorar o novo e diz o poeta que “o novo sempre vem”.

  16. Markut disse:

    Voto obrigatório e impositivo não deixa de ser um ótimo procedimento para uma falsa democracia em que, ao invés de voto consciente e esclarecido , se estabelece um perverso mecanismo de truculência eleitoral, onde não importa opinião e,sim,o número.
    Mesmo porque o que se pode esperar de opinião, numa massa predominantemente desinformada e anestesiada como a nossa?
    Não é sem sentido que a reforma eleitoral não consiga decolar. Para que , se assim está bom?
    Em resumo, cidadão consciente não necessita da obrigatoriedade para cumprir o seu dever cívico, sem considerar que o seu eventual absenteismo,ou seu voto nulo, tambem pode ser traduzido por uma eventual tomada de posição.

  17. Markut disse:

    Impressionante. Até agora, 14 votos unânimes contra o voto obrigatório, neste pequeno universo de 14 manifestações.
    O panorama pintado , nas variadas colocações,deixa claro que o assunto é tão óbvio que, se ele não é siquer considerado pelos nossos gestores,é porque outras razões há, que a nossa vã filosofia não consegue apreender.

  18. Marcia Regina disse:

    Sou totalmente contra a obrigatoriedade de se votar, (democracia?)Mas eu, como boa cidadã brasileira que sou continuarei a votar conscientemente.

  19. Pedro Tavares disse:

    Sou totalmente a favor do voto obrigatório. É preciso ser cidadão de fato, não apenas de direito. Não se pode conceber que o país não tenha a participação direta do povo no sufrágio. A opinião de cada um é importante.

    Votaria mesmo que não fosse obrigatório.

    Sou contra o voto facultativo porque ele faria com que se tivesse cada vez menos participação popular. A eleição é o único momento onde um pobre tem o mesmo valor que um rico.

    Não aceito que analfabetos votem, é preciso que a pessoa tenha pelo menos o 1º grau completo.

  20. Wilhelm Herzl disse:

    Sou contra a obrigatoriedade do voto. Acredito que se o voto não fosse obrigatório, grande parte das pessoas que iriam votar seriam pessoas que realmente se interessam pelos rumos do país, seriam pessoas que analisaram, discutiram e escolheram seus candidatos de forma mais racional.
    Hoje, a maioria das pessoas vão as urnas obrigadas a votar, essa obrigação influi totalmente na decisão fazendo com que os eleitores votem em candidatos mais populares.
    Não é preconceito, mas analise o perfil dos eleitores do Mario de Oliveira e do(a) Serra/Dilma por exemplo.

  21. Thaís disse:

    Sou contra a obrigatoriedade do voto, mas não acho que isso seja anti-democrático. Tornando o voto facultativo a maioria das pessoas que fossem votar teriam mais “interesse” ao escolher seus candidatos, eliminaria grande parte dos que “votam por votar”, sem analisar propostas ou até mesmo o candidato em si.
    Eu votaria mesmo sem a obrigatoriedade, pois acredito que um direito conquistado com tantos esforços deve ser aproveitado, mas os que não pensam assim não devem ser obrigados a fazer o mesmo.

  22. José Alves de Freitas disse:

    Sou a favor da obrigatoriedade do voto, porque do jeito que nós brasileiros somos dispersos no dia da eleição ninguém compareceria as urnas, devemos sim votar e saber escolher os nossos governantes, para depois podermos cobrar dos mesmos postura correta, idoneidade, e cumprimento de seus deveres.

  23. lu disse:

    sim;só acho que pcsamos estar conciente ,informado sbre quem vai nus representar ,avaliar quem fez ?pra quem fez?fez o quê ?foi pela coletividade?ñ foi?só p alguns?nós brasileiros temos q nus concientizar disso clokar quem realmente pensa na coletividade…pois todo ser humano tem direito a dignidade,saúde ,moradia ,educação ´;principalmente o q comer é uma vergonha.em pais tão rico como o brasil ;ainda se ver tanta desigualdade social ,pciamos qbrar o monopólio do pder q vinha em nosso país .só agora com muita boa vontade podemos dizer q tem um presidente olhando pela coletividade ;com defeitos sim ,mas quem ñ tem atrire a 1.pedra abram os olhos meu povo …o mundo só estar assim p causa dw q os grandes estão no poder precisamos cmecar a dá crédito ao pequeno e acreditar q só ele q sabe o q é dificuldade pde azer a doferença por mundo melhor por favor postem o meu comentário ,afinal estamos em uma democracia ou ñ…?

  24. andre becker(Santos/SP) disse:

    é antes o colegio eleitoral escolhia que deveria ser votado.

    mudou muito

    hoje quem escolhe são os partidos…
    ei é a mesma coisa.

    eu não quero votar em nenhum dos inuteis que eles enfiam goela abaixa na gente.

    e democracia politica não me interessa em nada.

    quero é democracia de verdade onde todas as escolham sejam de minha exclusiva opção. não impostas por ditadores disfarçados de democratas.

    onde esta a democracia???

    tudo o que é obrigatorio é ditadura!!!

  25. acm disse:

    Embora contrario ao voto obrigatorio, essa discussao nao faz muito sentido no Brasil.
    De fato, o governo pode mudar o resultado das eleicoes via urna eletronica, ja q ela nao permite recontagem dos votos, podendo pois ser fraudada, ja q so o governo tem acesso a ela.
    Alias, li hoje (04-jun, Valor Economico, p.1) q o fabricante dessas urnas esta’ sendo processado pela SEC (CVM americana) por fraude (ha varios anos) nos seus balancos…

  26. Marly disse:

    VOTO FACULTATIVO! SEM NENHUMA DÚVIDA!!!

  27. Lucas Migotto disse:

    Tanto faz voto obrigatório ou facultativo. Não acredito que a qualidade dos políticos irá melhorar tornando o voto facultativo. O político que quiser comprar um voto vai comprar de um jeito ou de outro.
    Além disso, quem é obrigado e não quiser votar, então que anule o seu voto ou vote em branco.

    Em todo caso, se tivesse que escolher, seria contra a obrigatoriedade do voto. E votaria mesmo o voto sendo facultativo.

    Eu sou contra sim é de analfabetos votarem. O voto deveria ser permitido somente para pessoas com, pelo menos, o primeiro grau completo. Isso, além de ser mais um incentivo para as pessoas estudarem, não permitiria que pessoas mais suscetíveis à manipulação decidissem o futuro do país.

  28. Emílio Mendonca disse:

    Concordo com a obrigatoriedade do voto, por acreditar que este coloca parcela de responsabilidade nas mãos de cada cidadão. Não o fosse, não haveria sensação de responsabilidade sobre o curso econômico e político do país.

    Isso é uma necessidade para a coesão social, no sentido de que se as pessoas pudessem deixar de votar não se sentiriam representados, e consequentemente guardariam pouca afinidade com as decisões tomada por coletividades.

    Trata-se de um desvínculo prejudicial para a sociedade, ao qual poderia dar o nome de corrupção (que em seu amplo sentido, tem mesmo esse significado de desvio de curso ou desvinculação de finalidades).

    Por tais razões, acredito que mesmo aquele que desejar votar nulo, acaba por adquirir a consciencia do ato que praticou, e consequentemente se sente parcialmente responsável pelo destino que tem seu país tomado.

    Fosse o voto facultativo, eu votaria. Por acreditar que faz parte do exercício da cidadania.

  29. ruben disse:

    A urna brasileira e uma caixa de pandora…Nada há no mundo da informatica que não possa ser violado, modificado, alterado ou que recevendo um certo tipo de dados , internamente seja mudado.Infantis aqueles que acham segura ela. Tudo pode sair dela.O voto não pode ser por imposição

  30. Rogerio disse:

    O voto obrigatório, como o alistamento obrigatório,são deformidades da sociedade tupiniquim. Praticamente todos os Países sulamericanos não tem voto obrigatório. Acredito que quando o voto deixar de ser obrigatório a qualidade dos partidos e dos políticos irá melhorar. Enquanto isso é NULO NELES.Só é favor de certas obrigatoriedades civis aqueles que gostam do tacão do Estado.

  31. Fernando Simões disse:

    O objetivo de uma eleição é escolher um presidente competente para administrar muito bem o nosso dinheiro, nos retornando com ótimos serviços de saúde, de educação, de transporte, de habitação, com segurança absoluta para o cidadão.Para tanto, cada entidade de classe votaria no melhor colega em capacidade e de vida ilibada.O Reitor de cada capital escolheria os 5 melhores para fazerem um curso de M.B.A.por 2 anos.O melhor seria o presidente, em seguida o vice e o presidente do Congresso.Não haveria Senado nem partidos políticos.Assim o nosso dinheiro seria bem empregado.

  32. Dorival Silva disse:

    Entrevista do poeta Ferreira Gullar a Marco Rodrigo Almeida da Folha de São Paulo em 2 de junho de 2010. Nessa primeira parte fala sobre o governo Lula, o comunismo e as eleições presidenciais.

    Folha – Por sua história política, muita gente estranha o senhor ser um dos principais críticos do Lula.

    Gullar – Não é que seja um crítico ferrenho, tento ser objetivo. Eu me preocupo com o futuro do meu país. O Lula é um farsante, não merece confiança. Não entendemos o que ele faz. Como abraçar o Ahmadinejad, de um regime que é uma ditadura teocrática, que realizou uma eleição fraudada. O povo protestou contra o resultado e o Lula disse que aquilo é choro de perdedor.

    Folha – O senhor já declarou admirar o presidente Barack Obama. O que achou quando ele disse que Lula é o “cara”?

    Gullar – Isso foi uma brincadeira. O fato de o Lula ser um operário que chegou aonde chegou desperta a simpatia das pessoas. Mas não quis dizer que o Lula é “o cara” do mundo.
    Outra grande bobagem é o Marco Aurélio Garcia (assessor da Presidência) querer impedir a exibição de filme americano na TV a cabo. Alguém tem que falar para ele que
    já estamos em 2010. É muito atraso.

    Folha – O senhor ainda se considera de esquerda

    Gullar – Essa coisa de direita e esquerda é bastante discutível. Quem é de esquerda hoje? O Lula é de esquerda? Não me faça rir. Eu nunca tive medo de pensar por mim mesmo.
    Não fico preso a uma verdade indiscutível.

    Folha – Arrepende-se de ter sido filiado ao Partido Comunista na década de 1960?

    Gullar – O marxismo foi uma atitude correta e digna diante do capitalismo selvagem de século 19. Surgiu como uma alternativa contra aquela coisa inaceitável. Mas a projeção da sociedade futura, com a ditadura do proletariado, é um sonho equivocado.
    O Marxismo tem uma visão política generosa, mas equivocada.

    Folha – O senhor, então, também se equivocou?

    Gullar – Eu também cometi muitos erros na época (anos 60). A fúria fundamentalista só conduz ao erro. Queria me sacrificar pelos interesses do país, mas não basta ter razão
    para estar certo.

    Folha – E quanto às eleições, quais são suas expectativas?

    Gullar – A Marina Silva é uma excelente pessoa. É preciso alguém com a pureza dela num país onde a corrupção impera. Mas a chance dela ganhar é pouca. Eu espero que a Dilma não ganhe. Se ganhar, nós corremos o risco de ter 20 anos de PT no governo, o que seria um desastre nacional.

    Folha – Vai então votar no Serra?

    Gullar – Vou. Pelo que sei, ele fez um ótimo governo em São Paulo. Foi excelente ministro da Saúde. Se não votar nele, vou votar em quem?

  33. samuel ribeiro disse:

    Acho desnecessário,a obrigatoriedade do voto,o povo deve ser livre e decidir se vai votar ou não,sem nenhuma pena prevista,para quem se obster de votar.Esse modelo está ultrapassado,e me pergunto,porque os politicos temem o voto facultativo? para nós eleitores seria essencial,essa lei mudar.democracia,precisa ser completa,portanto é imoral a obrigatoriedade do voto.

  34. Nueli Medeiros disse:

    Boa tarde.
    Eu votaria também, se o voto fosse facultativo, com a consciência que tenho hoje. Mas já pensei seriamente em não votar.
    Conheci diversas pessoas que votavam em branco, e várias que votavam porque, a condução vinha na porta e um trocadinho também.
    Consegui em família e entre amigos, mudar isto, conscientizando-os da necessídade em votar. Aos que votavam pelos benefícios e promessas de mais, após serem eleitos, encontrei mais resistência à mudança, uma vez que eram menos “inteirados”, de que seus votos têm uma redundância bem além do que, possam ver e ouvir.Assim bem como os que votavam em branco por pura revolta, estavam perdendo uma oportunidade de se expressarem nas urnas, mas para estes lembrei-os do pior analfabeto, e a mudança foi mais rápida.

  35. Nueli Medeiros disse:

    Em tempo.
    “O analfabeto político”
    Bertold Brecht.

  36. Ronald Hauber disse:

    Caros (as),

    Eu só voltarei a votar o dia em que for instituido o voto facultativo, existem inúmeras razões para ser assim. Uma delas é o voto “comprado” que é obtido através de leis esdruxulas, fazendo com que as classes menos favorecidas que votem por interesse para obter o slário familia e outras regalias, instituidas pelo governo. – Voto obrigatório NÃO !
    Atenciosamente
    RH

  37. Talio disse:

    Se é democracia, nada deveria ser obrigatório, nem votar, nem se alistar…

  38. ramon m.b.van buggenhout disse:

    O voto para eleição de ocupantes de mandatários públicos não é matéria de direto privado. Obrigação é regulada pelo direito contratual. A Lei regula direitos e deveres. Votar em eleições para representantes do povo na administração pública é um direito fundamental e um DEVER. E os direitos e deveres cívicos não são faculdades e correspondem aos direitos do cidadão. Contratos podem ser denunciados, distratados, resolvidos, resilidos unilateral e bilateralmente, por que regulam direitos privados. Deixar de cumprir e exercer um direito cívico implica diretamente em descumprir um dever.

  39. Rosangela Friedrich Camara disse:

    Em uma democracia, como dizem que vivemos no Brasil, é absolutamente incoerente que a “obrigatoriedade” ainda tenha lugar.

    Votar, ou não votar, é uma questáo de consciência política que não se impõe, mas sim, se aprende e cultiva, ou não.

    Eu, certamente não deixaria passar a oportunidade de me manifestar, nesta e/ou em outras ocasiões.

    Portanto, cada um deve escolher se quer, ou não, ser um agente da história e mudar os rumos do país através do voto, uma ferramenta de real democracia.

  40. CRISTINA BENEVIDES disse:

    Sou contra a obrigatoriedade do voto. Somos ou não um país democrático?

  41. CRISTINA BENEVIDES disse:

    Aqui em Salvador-Bahia, ouço mais que irão votar em qualquer outro menos em Dilma Lula Rousseff. O PT está em baixa, desacreditado. Estas intenções de voto são confiáveis? Dizer que o Nordeste está com Dilma. Só vendo!

  42. CRISTINA BENEVIDES disse:

    Acho que o voto em um país de sistema de governo presidencialista e democrático é obrigatório para que os sabidinhos obriguem os iletrados a irem às urnas. Conveniência, apenas. Isto deveria terminar. Mas me diga qual o político irá se manifestar a favor do voto facultativo. Que pelo menos houvesse um plebiscito. Afinal a vontade do povo é soberana.

  43. João Jarnaldo de Araújo disse:

    O tema em suma torna-se de primeira relevância, quando queremos efetivamente implementar o regime democrático, como sistema norteador, que vislumbre em seus propósitos máximos,a sustentação do lema da bandeira de nossa Pátria mãe:”Ordem e Progresso”.
    Destarte, cabe ser salientado, que o mérito maior desta discussão, caso a mesma seja colocada nas ruas, seria, substancialmente a conscientização política de nosso eleitorado, que ora, posta-se submissa, apática e coniventemente, nas mãos da estrutura dos poderosos, em cuja novela o Presidente Lula é o ator principal.

  44. David Paulino disse:

    Sou Contra o voto obrigatório. Votaria mesmo se não fosse obrigatório.entendo que seria uma forma de uma escolha consciente para o nosso voto. O voto facultativo é para mim um fato que é mais coerente com o principio democrático.

  45. Antonio Carlos Dias Araujo disse:

    Sou contra a obrigatoriedade do voto, por não concordar com a forma como os nossos representantes governam este país após eleitos.

    Gostaria de votar quando aparecesse um governante que tivesse uma política de emprego definida e que atendesse a toda classe de trabalhadores. Tenho 47 anos, trabalho na área administrativa e tenho grandes dificuldades de encontrar um emprego digno que atenda as minhas necessidades de crescimento profissional e salarial.

    A economia do País não para de crescer, porém onde está o reflexo desde crescimento. Aqui em Belém do Pará por exemplo, não vejo nada, a não ser o crescimento do número de camelôs na rua por falta de emprego.

    Sou a favor do voto facultativo. Pelas notícias que vemos pela tv, não estou nem aí para quem está almejando um cargo na Presidência por exemplo.

    Agradeço pela oportunidade de poder me manifestar de como consigo ver as mudanças na realidade.

  46. andigirl disse:

    “Aqui em Salvador-Bahia, ouço mais que irão votar em qualquer outro menos em Dilma Lula Rousseff. O PT está em baixa, desacreditado. Estas intenções de voto são confiáveis? Dizer que o Nordeste está com Dilma. Só vendo!”

    deus t ouça, e q o resto do brasil pense do mesmo modo q a bahia. dizem q ela vai ganhar pq os pobres e os da bolsa familia vao votar nela…eles nao leem nem tem net pra ver q ela eh uma farsa, uma marionete do lula. mentirilma naaaao!!!!lula dinovo naaaaaaao!!!!

  47. andigirl disse:

    e sou contra a obrigatoriedade do voto.

  48. Milton Rodrigues do Nascimento disse:

    Acredito que o Voto poderia se manter Obrigatório.
    -Titulo de Eleitor-
    Quando se pode Obter na Identidade o Direito de Cidadão?

    Hoje com o Advento do Computador, é possível, em meu entender Votar através de uma central de computação.

    ***

    O problema não é a Obrigatoriedade do Voto.
    mas, sim os custos de uma Eleição em que o voto possa não ser Obrigatório.

    Com o Fator de não-obrigatório, os candidatos deverão encadear uma “Propaganda mais Real” para Levar o Eleitor nas Urnas.

    Pagamos Propagandas Gratuitas para diversos Partidos.

    É melhor até mesmo que não sejamos Obrigados a pagar essas propagandas.

    .

    .

  49. Helio (Rio de Janeiro) disse:

    Dizia um nordestino tempos atrás que se dependesse dos políticos locais nunca o Nordeste teria alguma chance. É o que observamos no Maranhão que eternamente com os Sarneys não deixou de ser o mais pobre da federação. As pessoas esclarecidas sabem que votar sem visar o interesse geral da nação é perda certa no futuro próximo. Conhecemos as consequências trágicas do voto com desinformação ou desinteresse. Penso que obrigação de voto tem efeito mais nocivo ainda em países com bolsões de analfabetismo.

  50. Helio (Rio de Janeiro) disse:

    Muito lúcida e sábias as palavras de Ferreira Gullar trazida pelo leitor. Que coisa boa.

  51. Fernando disse:

    Não se pode falar em verdadeira DEMOCRACIA enquanto houver obrigatoriedade de se votar.

    É algo que afronta o pilar mais básico da Democracia: a liberdade individual.

    Como uma parcela expressiva do eleitorado nacional é composta por pessoas alheias ao cenário político nacional, analfabetos e analfabetos funcionais, dar a eles a oportunidade de ficarem em casa no dia da votação seria terrível para os corruptos.

    Sem o voto obrigatório boa parte dos políticos corruptos que estão no poder não iriam se reeleger.

  52. tutty gualberto disse:

    Sou contra a obrigatoriedade do voto e da obrigatoriedade de qualquer coisa. Essa imposição ofende a dignidade humana, mas, é necessário que o nível médio da educação de um país, exista. Enquanto o Brasil tiver estes governantes e esse baixo nível de escolaridade algumas obrigações terão que ser mantidas.
    Mesmo assim o voto obrigatório é contraproducente pois não reflete a verdadeira opinião do povo. A maioria das pessoas nem sabe porque está votando e simplesmente compre uma obrigatoriedade ou será penalizada.
    Isso é uma “mentira conveniente” pois pessoas sem condições de exercer cargos políticos gastam fortunas e se elegem para ter poder e manipular o sistema.
    O voto facultativo seria verdadeiro porque somente as pessoas com instrução suficiente para estarem comprometidas com a sociedade se preocupariam em votar e graças a essa instrução / cultura estes votos representariam de fato quem deveria nos representar politicamente.

  53. Fernando Jose Moesia Rolim disse:

    eu sou totalmente contra o voto ser obrigatório
    se o Brasil é uma democracia o voto não obrigatório tenho certeza que acabaria de bandido entrar nas eleições também para que tantos partidos menos deputados, senadores vou parar por aqui

  54. Marcos Vinícius Landim disse:

    A obrigtoriedade do voto configura-se como verdadeira ofronta às liberdades individuais, ao direito de escolha e à autonomia da vontade. Ser coagido a eleger sempre os mesmos “representantes do povo”, com a máscara de “direito de escolha”, “dever do cidadão”, nada mais é do que uma forma de perpetuar no poder aqueles que defendem seus próprios interesses.
    Daí, questiona-se, o voto é um direito ou um dever? Entendo que direito é o sufrágio universal, direto, secreto e periódico. A obrigação de votar é um instrumento de coação, uma imposição de “escolha”.
    Enquanto formos obrigados a votar, nossos “representantes” não irão se preocupar em prestar-nos auxílio, benefícios, ou qualquer outra forma de incentivo para ir às urnas, que não seja troca de favores (que, aliás, só acontece próximo às eleições).
    Precisamos ser livres! Somos livres para pensar, livres para sonhar, mas não somos livres para agir ou se omitir. E dai surge a pergunta que me inquieta, qual seja, que tipo de liberdade é essa?

  55. Pedro Brita disse:

    Recebi e-mail sobre a campanha que corre pela internet informando sobre o VOTO NULO, parte dele encontra-se abaixo:

    Se você não sabe em quem votar, vale a pena saber sobre voto BRANCO e NULO!
    O voto em BRANCO, ao contrário do que parece, não significa que o eleitor não escolheu nenhum candidato, mas sim que ele abdica de seu voto…
    Não é um ato de contestação e sim um ato de CONFORMISMO!
    Os votos em BRANCO significam “TANTO FAZ” e são acrescentados ao candidato de maior votação no último turno.
    Ou seja, se existem dois candidatos Tubarão e Galinha, caso Tubarão termine com 52% dos votos, Galinha recebe 35% dos votos, 10% são votos em branco e 3% são nulos, isso significa que 3% dos eleitores não querem nem Tubarão nem Galinha no poder, mas 10% dos eleitores estão satisfeitos tanto com Tubarão como com Galinha, o que vencer está bom.
    Neste exemplo, Tubarão tem uma aceitação de 62% do eleitorado… O problema é que existe muita pressão para a escolha de um
    candidato e pouca explicação do que escolher significa.

    Já o voto NULO é um protesto válido!

    Ele quer dizer que o eleitor não está satisfeito com a proposta de nenhum candidato e se recusa a votar em um ou outro.
    Esse tipo de voto é importante e é o que efetivamente faz a Democracia, pois a existência dele permite que o eleitor manifeste a sua insatisfação.
    O voto NULO, ao contrário do que parece, é um voto válido. Ninguém fala dele, nem mesmo nas instruções para votação.
    Explicam como votar em um candidato ou como votar em branco, mas ninguém explica como anular um voto.
    Pois bem, para anular um voto é preciso digitar um número inexistente no número do candidato. Se um eleitor experimenta votar em branco, o terminal eletrônico avisa “Você está votando em branco” e então o eleitor pode confirmar, ou corrigir. Mas se o eleitor coloca um número inexistente num terminal, ele acusa “Número incorreto, corrija seu voto”. Induz você a não protestar!
    Assim, os votos NULOS são desencorajados.
    Por que os votos nulos são desencorajados?
    Por que ninguém fala deles?
    E por que eu falo deles? É a nossa oportunidade de protestar de FATO!
    Porque, se na eleição entre Tubarão e Galinha, Tubarão terminasse as eleições com 42% dos votos e Galinha com 30%, 10% de brancos e 18% nulos as eleições teriam que ser repetidas e nem Tubarão e nem Galinha poderiam participar das eleições naquele ano. Ou seja, o voto nulo, do qual ninguém fala e que o terminal acusa como incorreto, é o único voto que pode anular uma eleição inteira e remover do cenário todos os candidatos daquela eleição de uma só vez.
    Se nenhum dos candidatos conseguir maioria (mais de 50%) no último turno, as eleições têm que ser canceladas!

    CANCELADAS!
    C A N C E L A D A S !!!

    Os candidatos são trocados e novas eleições têm que ocorrer! Então, contribuindo para a campanha do voto consciente, se alguém estiver votando em Tubarão ou em Galinha, mas preferia não votar em nenhum dos dois, pode optar pelo voto INCORRETO, o voto NULO.
    Quem sabe um dia Tubarão e Galinha saem do cenário e os eleitores podem votar em Golfinho.
    Não seja obrigado a votar em quem você não quer no poder!!!
    A anulação do voto pode se constituir na maior reforma de Estado que independe da condução por parte de políticos comprometidos com grupos escusos. Só depende de nós mantermos acesa a chama do desejo de realmente MUDAR o cenário de lama que nos envolve. Temos o apoio legal (conforme trecho descrito a seguir) e o apoio já de alguns. Converse com sua consciência e utilize toda energia e orgulho que reside em sua alma para demonstrar o quanto você ama esta Pátria! Ainda há tempo!
    RESOLUÇÃO N° 21.000 (26.02.02)
    INSTRUÇÃO N° 64 – CLASSE 12ª – DISTRITO FEDERAL (Brasília).
    Relator: Ministro Fernando Neves.
    Dispõe sobre apuração e totalização dos votos, proclamação e diplomação nas eleições de 2002.
    Art. 90. Se a nulidade atingir mais da metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do estado ou do Distrito Federal, nas eleições federais, estaduais e distritais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações, e o tribunal eleitoral competente marcará dia para nova eleição, dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias (Código Eleitoral, art. 224, caput).
    Parágrafo único. Se o Tribunal Regional Eleitoral, na área de sua competência, deixar de cumprir o disposto neste artigo, o procurador regional levará o fato ao conhecimento do procurador-geral, que providenciará, perante o Tribunal Superior Eleitoral, para que seja marcada imediatamente nova eleição (Código Eleitoral, art. 224, § 1°).
    Art. 91. Na hipótese do art. 64 desta Instrução, o/a presidente do Tribunal fixará, imediatamente, a data para que se realizem novas eleições dentro de 15 (quinze) dias, no mínimo, e de 30 (trinta) dias, no máximo.

    Talvez seja a única opção nesta próxima eleição, pois todos os candidatos que se apresentam com as melhores chances de serem eleitos são iguais em tudo, tanto é que eles se elogiam mutuamente. As diferenças ficam nas saias e calça, somente.
    Caso haja interesse em saber mais sobre essa opção, entre no blogspot e pesquise VOTO NULO ou MOVIMENTO VOTO NULO. Lá você encontrará mais informações sobre esse assunto. Uma coisa é certa, do jeito que a coisa está não dá!

  56. PAULO VITOR disse:

    eu quero abolição do voto obrigatorio.
    fiz 18 anos agora e não vejo muita honestidade nos novos politicos.
    O que vejo hoje em dia, são apenas perseguições à pouco politicos honestos e rejeições de projetos politicos que poderiam sim, resolver varios problemas, como a desigualdade social, má distibuição de renda, entre outros.

    o projeto fixa limpa como exemplo quase não sai do papel porque os benditos politicos descaradamente “não queriam”. Por que são corruptos.

    a pressão publica os fizeram aprova-lá, porém o publico agora tem que está de olho, pois no brasil a maior dificuldade é fiscalizar as leis.
    Isso mesmo as leis, no brasil é triste a realidade, mas o problema chegou ao nivel do cidadão, ter que fiscalizar as leis. Para que se faça o que se “obriga”.

    então porque temos que ter o voto obrigatorio,
    se as proprias leis que deveriam ser obrigatorias a todos, não são respeitada.

    EU irei votar pela primeira vez, este ano.
    porém creio que em meus pensamentos, o Voto nulo está cada vez mais nitido.

    Obrigado pela atenção.

    Tenho esperanças que o Brasil ainda irá se torna um belo exemplo de democrácia.

  57. severino leite diniz disse:

    sou contra a obrigatoriedade do voto tudo que é imposto É DE SATANAS Deus é DEmocratico

  58. samuel ribeiro disse:

    Acho uma pouca vergonha,o povo ser obrigado a votar,uma democracia pela metade,só não sei ainda do que os politicos temem,o voto facultativo traria mais investimentos do poder publico para os menos favorecidos.

  59. zelito disse:

    É claro que sou contra a ” obrigatoriedade ” do voto.Se não fosse obrigatório,eu só votaria se tivesse candidato limpo no meu entender.O voto “Facultatico” seria a coisa mais democrática de um estado.Lá nos USA o voto não é facultativo ? Meu voto eu não dou a ninguém desde quando o Sr Collor falou em suas campanhas ,que ia ACABAR com os marajás.Viram no que deu ? A partir daí ;nunca mais votei em pilantra nenhum. Votar em BRANCO não é ficar em cima do muro não.É simplismente não dar meu voto para o pilantra que assume e depois não fazer nada e ainda rouba o dinheiro público.

  60. zelito disse:

    Tem jovens de 18 anos que já estão sabendo que os políticos dessa nação ;são de um modo geral;corrúptos e ladrões.Quer dizer:Estamos sabendo que não importa a idade ( de 16 aos 80 anos,tem muita gente que já entendeu essa robalheira dos políticos.

  61. Abaixo Assinado - Voto Obrigatório Não disse:

    Diga não ao voto Obrigatório!

    Participem deste Abaixo Assinado.

    http://www.votoobrigatorionao.com.br

    Carlos Rodrigues
    coordenador do abaixo assinado on line

  62. Rosa Vieira disse:

    Eu gostaria de saber se nessas eleições a maioria dos votos fossem nulos, teria que marcar uma nova eleição? Sendo que a maioria dos votos foram anulados o certo seria uma nova eleição não é?
    Se puder esclarecer minha dúvida agradeço.

  63. paulo disse:

    Rosa Vieira: não foi o que aconteceu na segunda volta da eleição do governador do estado de Minas Gerais, no fim dos anos 80 – houveram mais votos nulos que dos dois candidatos juntos, acho – mesmo tendo acontecido isto, o cantidato mais votado (entre 20 e 25% dos votos, no segundo turno!) foi o eleito…

  64. alexandre ataíde neto disse:

    O BRASILEIRO CONTINUA NÃO SABENDO VOTAR. POR QUÊ?

    Em; 12/10/10

    Definitivamente o brasileiro não sabe votar. Os resultados das eleições falam por si. Se soubessem votar não elegeriam permanentemente candidatos sob suspeição, bem como candidatos envolvidos em escândalos e manobras políticas. O dia em que o eleitor souber discernir entre voto racional e voto irracional a obrigatoriedade estaria pronta para ser opcional. Enquanto isso não acontece, ele vai continuar votando errado. O eleitor brasileiro não sabe o que é voto da razão, tão pouco, o que é voto da emoção. Indiferente aos conceitos de tais votos, opta sempre pelo voto da emoção. E dá no que dá! A maioria dos adeptos pela não obrigatoriedade do voto são os que menos sabem votar. Uns até confundem essa obrigatoriedade de comparecer as urnas com a obrigatoriedade de votar positivamente. Estes ignorantes acreditam que se não votarem positivamente poderão ser pegos e sofrer as sanções impostas pelo código que rege as eleições. O eleitor desprovido de princípios básicos eleitorais é teimoso e sempre vota errado, bem como, vai continuar votando errado nesta e nas próximas eleições. Este tipo de eleitor não se da conta de que está contribuindo, com o seu ato, para o continuísmo da demagogia política e o enfraquecimento da democracia. Parece que a indignação política causada pelos falsos políticos não lhes causa repulsa, se lhe causa é momentânea e passageira, isto porque no dia eleição, lá está ele de novo, votando, alimentando e prolongando o avanço dessa mancha política. O eleitor que não sabe votar corretamente é um despolitizado. Ele não sabe nem o que é isso, mas sabe que se enquadra perfeitamente e negativamente dentro dos conceitos e diretrizes que norteiam essa doutrina. Doutrina essa, contrária à corrupção. É bom enfatizar que a despolitização não poupa ninguém. Despolitizado não é coisa só de analfabeto e semi-analfabeto. É coisa de letrado também. Ela se manifesta no menor e vai até o maior letrado de que se tem conhecimento. As maiorias dos brasileiros não sabem votar, porque estão mais preocupados com a materialidade que a política oferece do que pela transparência política existencial. Para este eleitor são mais importantes às obras já feitas e as que estão por vir! É mais importante a promessa de emprego! É mais importante a promessa de aumento de salário! É mais importante a continuação da assistência social politiqueira! É mais importante o emprego temporário advindo de manobras eleitoreiras etc. e etc.! Para este eleitor, as transparências dos valores políticos ficam em segundo plano. Para este eleitor, o lado espúrio da política não conta, nem influencia na sua escolha. Há aproxidamente 25 anos atrás. Pelé disse que o brasileiro não sabia votar. Disse isso após o resultado da eleição da época. Deduzisse que Pelé quis dizer que o eleitor não deveria votar nem eleger nenhum candidato, ou seja, deveria anular o voto ou votar em branco. Deduzisse também que Pelé quis dizer que o eleitor não sabia votar porque votou e elegeu candidatos que na sua concepção não deveriam ser votados, tão pouco, eleitos. Talvez o eleitor não saiba votar, porque lhe é omitido pelo TSE o significado real das três opções de votos pelas quais ele tem que optar no dia da eleição. Na atual conjutura o voto positivo só teria razão de ser, se a corrupção estivesse desestabilizada no Brasil, como não está, votar positivamente é dar munição para a continuidade da sua existência. Se o voto em branco for usado conscientemente para brecar o avanço da corrupção é perfeitamente compreensível e corretamente aplicado. Se o voto nulo for aplicado para endossar o voto em branco e dar mais subsídio para o enfraquecimento da corrupção e se possível para a sua extinção definitiva é racionalmente viável. Se é viável, porque não optar pelo voto nulo nessa ocasião. Finalmente, se o voto é uma arma para combater a corrupção, porque não usá-lo quando necessário for.
    Atenc.
    Alexandre Ataíde. Belém – Pá.

  65. Reinildo F. da Silva disse:

    Eu sou contra,
    Basta eles comprir com seus deveres e obrigação, ai não precisa, obriga ninguém votar.
    Essa obrigatoriedade faz co que tantos vendam seu voto,

  66. Leonardo disse:

    Eu penso que o voto deveria ser obrigatório, mas apenas para quem tem ensino superior. Do mesmo modo, os candidatos deveriam ser pessoas estudiosas e ter no minimo uma especialização.

  67. Fábio Camargo disse:

    Sou contra o VOTO OBRIGATÓRIO, os candidatos terão que convencer o eleitorado no corpo a corpo, E FAZER ACREDITÁ-LO, que é o candidato idealista, dos nossos sonhos. Tudo deve começar na comunidade- vereador. deputado, senador, somente depopis de tudo isso deve se candidatar aos cargos de governança exceto prefeito, inicia como vereador, só assim iremos conhece-lo. Eles terão que nos convencer.

  68. Fábio Camargo disse:

    Nas últimas eleições votei nulo para verador dep e sen. e governador, só votei para presidente. Sou contra o voto obrigatório.

  69. JB disse:

    Tá tudo errado!! Se é obrigatorio significa que não existe democracia plena no Brasil…outra coisa, se menor de 16 anos pode votar porque não responder criminalmente pelos seus atos.

  70. Maria Aparecida R. Fanha Cruz disse:

    Sou contra o voto obrigatório. Entendo que numa democracia nada deveria ser imposto,principalmente o voto,que antes de tudo é um direito do cidadão,que não deveria votar só porque é coagido com punições caso não compareça ás urnas. Devemos fortalecer sim o movimento para que nós tenhamos o Direito antes do dever obrigatório ao voto.

  71. Lucimari ida Seidel disse:

    Sou contra o voto obrigatório. se fosse facultativo como nos paises de primeiro mundo , certamente os politicos se esforçariam para ter nosso voto.

  72. edson ricardo zandonade disse:

    Este negócio de escolher um candidato do coracão é terrível, coração bombeia sangue, ele não pensa, do mesmo modo que o ignorante, dono do tal coração, não está apto a escolher que irá administrar o país. O voto tem que ser facultativo, talvez assim haja uma pequena chance, de eliminar boa parte dos sangue-sugas da política. Eu convivo com o povão, não sou um intelectual rodeado de intelectuais que dizem que nossa democracia é muito nova, não tem idade para permitir o voto facultativo. Somente convivendo com o povão pra ouvir o que eles sentem e pensam, e acreditem eles ainda pensam como os índios do descobrimento, ganho uma cadeira de rodas ou um remédio para os meu pobrema que o voto no candidato canalha tá garantido! Eu sou voto livre, e obviamente que vou votar sempre, ou até quando deixarem!

  73. Newson Lima disse:

    Sou contra o voto obrigatório, penso que seja a solução para o ingresso de candidatos que aparecem “pedindo” voto pois por ser obrigatório é como se ele dissesse: – Você vai ter ir lá votar, e já que tu vai, vota em mim, não faz diferença mesmo. O voto facultativo terá que ser conquistado, mesmo que o candidato tente comprar, ele ainda não tem garantia do comparecimento do eleitor.

  74. Sílvio Rosa Santos Martins disse:

    Sou totalmente contra a “obrigatoriedade”.
    Só com o fim do voto obrigatório, o Brasil passará a ser uma Democracia.

  75. edilson disse:

    nao temos politico que vale apena no momento no brasil

  76. josé Augusto disse:

    A mídia devia esclarecer quantas pessoas são pre judicadas pelo voto obrigatório,além de ficar com
    com o rg e o cpf bloqueado voce não pode prestar um concurso público e trabalhar porque seus doucumentos estão bloqueados vocês acham isso certo?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *