Início » Opinião » Tendências e Debates » Zelaya e Brasil juntos na crise
Tendências e Debates

Zelaya e Brasil juntos na crise

País entrou em crise sem solução fácil. Por Fábio Terra Teixeira

Zelaya e Brasil juntos na crise
Zelaya fala ao celular na embaixada brasileira

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Comente nesta matéria e participe da Promoção Sexta-feira Premiada, que hoje oferece os seguintes livros:


Viagens Com O Presidente , de Eduardo Scolese
A volta do idiota“, de Alvaro Vargas Llosa
Deu no New York Times“, de Larry Rother

O Brasil conseguiu, nesta semana, eclipsar politicamente o líder venezuelano Hugo Chávez, ao abrigar o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, em sua embaixada. O país, que até então apoiava a volta de Zelaya à presidência com medidas diplomáticas — como a retirada de seu embaixador de Honduras –, se tornou protagonista de uma das maiores crises políticas da América Latina. O ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, afirma que fez o que era certo. O embaixador aposentado Rubens Barbosa, em artigo para o Estado de São Paulo, classificou a decisão como “mais um equívoco” da política externa brasileira.

O professor titular de história contemporânea da UFRJ, Francisco Carlos Teixeira, discorda da posição do embaixador. No caso de Honduras, na opinião do professor, o Brasil não poderia ter agido de forma diferente ao apoiar Zelaya. “Somos signatários da Carta de Lima, assinada no dia 11 de setembro de 2001, ela afirma que não podemos reconhecer a legitimidade de nenhum regime que não chegue ao poder pelo voto.”

Na decisão de abrigar Zelaya, é importante notar que não foi dado status de asilado político, pois ele é considerado pela Organização dos Estados Americanos e pelo Brasil como o presidente legítimo, pois foi eleito por votos. Desta forma, Zelaya continua podendo se manifestar politicamente. “O que não podemos fazer é nos tornarmos negociadores, o que não fizemos, porque não auxiliamos seu retorno ao país e não facilitamos a sua entrada em nossa embaixada”, afirmou Teixeira.

De acordo com o historiador, é necessário manter a política de não interferência nos países vizinhos que vem norteando as ações do governo brasileiro. Infelizmente, o governo provisório de Honduras não vê da mesma forma que o Itamaraty. O presidente Roberto Micheletti responsabilizou o Brasil por qualquer ato de violência política perto da embaixada.

Um dos maiores riscos apontados por especialistas é de que Zelaya transforme a embaixada brasileira em seu QG político, de onde coordenaria manifestações contra o governo provisório. Logo depois de chegar ao país, Zelaya pediu que partidários de seu retorno à presidência se reunissem em frente à embaixada, o que causou confrontos com a polícia.

Os fatos são: o governo brasileiro abrigou um presidente deposto dentro de sua embaixada e a presença de Zelaya no país causou revoltas que, até esta quinta-feira, 24, resultaram na morte de duas pessoas. Se o Brasil é em parte responsável pelas mortes, ainda será decidido, mas a verdade é que o país pulou de cabeça em uma crise internacional.

Caro Leitor,

A decisão de abrigar Zelaya foi correta?

A política externa tem sido bem conduzida?

O Brasil, a partir de agora, é também responsável pelo resultado da crise?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

87 Opiniões

  1. ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA disse:

    Se temos de um lado o embaixador aposentado Rubens Barbosa e de outro o professor Francisco Carlos Teixeira em discordância, o que podemos pensar, a não ser que faltam diretrizes firmes e embasadas para se tomar decisões sérias.

    Uma vez que o Brasil é signatário da Carta de Lima, o não reconhecimento de Roberto Micheletti, como presidente legítimo de Honduras, fica mais do que claro. Agora, abrigar Zelaya na embaixada brasileira é para se pensar.

    Por que Zelaya não veio direto para o Brasil, como fizeram outros presidentes depostos que nos pediram asilo político? Ao que parece todo este impasse se dá pelo fato de Zelaya continuar em Honduras, embora a embaixada seja considerada território brasileiro.

    É a este tipo de diretriz que me refiro no início do comentário. Abriu-se um precedente para novos incidentes políticos quando o Brasil, sem pensar nas consequências que este ato geraria, abrigou o presidente deposto em sua embaixada, tornando-se, a meu ver, co-responsável pela crise política internacional que se instaurou.

  2. Priscilla Ferreira disse:

    A decisão de abrigar Zelaya foi bem infeliz, pois têm gerado bastantes transtornos ao país. Creio que a política externa atual possui seu mérito, mas é passível de deslizes. As ações que esse presidente deposto possa tomar serão em parte responsabilidade do governo que o acolheu. O ministro Celso Amorim deveria ter sido um pouco mais frio e racional ao fazer uma escolha que poria o Brasil numa crise maior.

  3. Roseli Kleine disse:

    NÂO na minha opinião abrigar Zelaya não foi correta ,porque se meter em mais proplemas.A politica esterna deve ter seus problemas que nem nos Brasileiros Por isso é melhor deixar quieto.Com certeza que o Brasil tambem se tornou responsavel pela crise que esta o País ,e quem mais sofre com isso é o povo BRASILEIRO.

  4. Giovana Dias disse:

    Bem é um caso delicado. Mais o que o Brasil fez foi correto dentro no prisma que “nenhum líder ou político chega ao poder sem ser pelo voto do povo”. No entanto, espero que “Zelaya” seja sensato e não faça nada dentro da Embaixada do Brasil, porque aí sim, o Brasil será responsável pelos resultados da então crise.

  5. Dorival Silva disse:

    A política externa brasileira tem sido um desastre. Celso Amorim, conhecido no Itamaraty como “megalonanico” e Marco Aurélio ‘top-top’ Garcis fazem uma besteira após outra.

    Concordo com a opinião do embaixador, uma pessoa experiente, e não com a do teórico professor. Foi um erro dar asilo a Zelaya, erro aumentado ao chamar de “abrigo” em vez de “asilo”, o que permite que ele use nossa embaixada como palanque. O status legal de asilo proibiria isso.

  6. helio disse:

    Não reconhecer o atual governo, apelar para a OEA, dar abrigo a Zelaya foram condutas corretas, e concordo com o professor Teixeira. Porém com as novas declarações de Chávez e de Zelaya – de que estávamos a par das manobras que antecederam a invasão de nossa embaixada – tenho que admitir que o ex-embaixador Barbosa tem razão em classificar o episódio como mais um equívoco da nossa política externa.

    Como é difícil calar os três caudilhos (Micheletti, Zelaya e Chávez), certamente, se há atuação “secreta” do Brasil, nossa posição se tornará bastante incômoda. Não podemos ir além da posição de condenar um golpe de estado. Porém trabalhar nos bastidores pela volta do presidente deposto configura uma ingerência externa àquele país. Porque teria o nosso país que participar diretamente na luta interna entre duas tradicionais oligarquias rurais, em um país de pouca tradição democrática?

    A importância do Brasil exige posições claras. Se fizemos parte do “truque” de Chávez, esta não foi uma atitude séria.

  7. lontra disse:

    @Giovana,
    É isso,nos colocamos a mercê de Zelaya. Que mico feio. Lá na embaixada está a família e correligionários que tiveram de ser convencidos a deixarem as armas. Poderemos nos tornar um QG em Honduras. A que ponto chegamos.

  8. maria disse:

    Daria o prêmio à opinião de Roberto Fendt que com antecedência previu a nossa trapalhada. Os comentários que se fizerem ao longo do dia estarão apoiados em mais dados sobre a posição do Brasil, que aos poucos se revela como intempestiva e equivocada.

  9. Aureliano disse:

    Achei intertessante o Brasil se posicionar e, quiça, estar contribuindo para posições mais democráticas. O bordão “defender a democracia” já está mais do que gasto e utilizado para justificar diversos interesses, mas neste caso talvez se aplique (juntamente com possíveis interesses políticos, que sempre existem). Como disse o artigo, cabe agora a Zelaya ter cuidado em suas ações e não estabelecer seu “QG político” em nossa embaixada ou em qualquer outra. Aí sim o Brasil deve intervir em suas relações com Zelaya e teremos responsabilidade fundamental na crise se permitirmos que ele transforme nossa embaixada segundo seus interesses. O Brasil o reconhece como o presidente eleito, mas isso não é o mesmo que dar-lhe todo poder de ação dentro da embaixada. São dois países em negociação e qualquer relação entre nações é por demais complexa. Ao abriga-lo, o Brasil se envolveu sim e, independente do que faça ou venha a acontecer, é impossível estarmos isentos de alguma parcela de responsabilidade nesta crise.

  10. ricardo disse:

    Mesmo no governo brasileiro a insensatez é a prática trazida do séc XX. Parou-se no tempo. O slogan “Brasil do futuro”, ” a grande potência”, “o inserido no primeiro mundo” confirma a loucura desses governantes. A “vontade de potência” deixando seu curso nesse início do séc XXI. Uma política externa de devaneios, com intervenções desatinadas e confabulações inexplicáveis tem marcado os governos. Sobre a intenção do “castelo” é impossível a sondagem. Mas a solução para os conflitos desse séc XXI solicitam instâncias legais com aceno para a justiça. A reivindicação das américas não pode ser propriedade de alguns governantes loucos que gostariam de ter paraísos, reinos e origens. É preciso ter ouvidos para o tempo presente porque as américas da fome, peste e inquietude começam a levantar a bandeira da justiça conforme o tempo.

  11. Marco Vito Oddo disse:

    Como país signatário da Carta de Lima, dar abrigo a Zelaya não se torna uma ação nem ao menos discutível. Ao se posicionar contra qualquer regime não validado por votos, a decisão já estava tomada.
    O que é importante agora é averiguar se o acolhimento do presidente “deposto” na embaixada foi, ou não, orquestrado pelo governo brasileiro.
    No caso de uma resposta afirmativa, teremos que classificar o envolvimento do Brasil como, no mínimo, um triste erro, para sermos delicados. Além de todas as consequências legais as quais o país pode estar sujeito, a figura brasileira no exterior estará sujeita a críticas, que certamente virão a influenciar seu prestígio político e econômico.
    Já para uma resposta negativa à pergunta, estaremos frente a um triste engano. Por conta de um documento assinado há quase oito anos, estaremos envolvidos em uma crise internacional sem pretenções.
    De qualquer forma, a situação é delicada, e cabe ao governo brasileiro tentar assumir um posicionamento mais neutro de agora em diante, a fim de evitar repercuções ainda piores para o país.

  12. SERGIO P. NASCIMENTO disse:

    ACREDITO QUE A PRINCIPAL QUESTÃO A SER COLOCADA É A SEGUINTE: O QUE FEZ, ATÉ ENTÃO, O GOVERNO DE ZELAYA POR HONDURAS?
    QUANTO A QUESTÃO DO BRASIL ABRIGAR ZELAYA, DA POLÍTICA EXTERNA BRASILEIRA E DA SUA RESPONSABILIDADE PELO RESULTADO DA CRISE, ME PARECE QUE HÁ ALGO MAIS OCORRENDO, OU SEJA, ESTAMOS NO MEIO DE UMA OPERAÇÃO POLÍTICA BEM MAIS AMPLA: PAÍSES (VENEZUELA, BRASIL, BOLÍVIA, HONDURAS…) ALINHADOS EM MANTER UM PODER POPULISTA (DE “ESQUERDA”) NA AMÉRICA LATINA, COM OBJETIVOS OUTROS, ALÉM DE, APENAS, RECOLOCAR UM GOVERNANTE DEPOSTO.

  13. Carlos disse:

    @ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA, A crise já estava instaurada, talvez? agora o que incomode é que o fato vai ter um desfecho mais rápido, e sem o controle do Michellet. E por outro lado, deixar o Zelaya morrer na porta da embaixada, seria justificavel?. Eu não gostaria de ser conhecido como covarde.

  14. Aluizio Rocha dos Santos disse:

    Pode ser uma crise, pode ser sim, uma crise interna daquele país, mas o Brasil tem o objetivo de apoiar o presidente legalmente eleito e de fortalecer a democracia.

  15. Manoel de Freitas disse:

    Primeiramente como cidadão brasileiro, queria pedir desculpas ao povo de Honduras, pelo ato impessável do nosso governo. Honduras fez o que todo pais deveria fazer, quando o seu presidente no meio do jogo quer mudar as regras. Está claro na Carta Magna daquele país que qualquer presidente que tentasse se perpetuar no poder “como os amigos de Lula -Hugo Chaves, Rafael Correa, Evo Morales só gente boa” seria deposto do cargo. Então o Roberto Michelleti só fez cumprir as Constituição. Está certo e o nosso governo como nenhum outro deveria interferir nos problemas do seu país. Mas o Lula querendo aparecer não deixou barato. Porque ele não abriu a boca no trombone quando os seus amigos tentam acabar com a impressa.

  16. Markut disse:

    Desse desnecessário e lamentavel |imbroglio| em que os barbudinhos do Itamaraty nos meteram, ressalta clara a inabilidade diplomática dessa gente, que faz tabula rasa de alguns preceitos mínimos de convenções internacionais consagradas.
    É inadmissivel a confusão, certamente premeditada, entre abrigo e asilo.
    Não era previsivel que, nesse mundo ainda impregnado pelo espírito oligárquico, essas bravatas dariam no que deram?
    O que é que o Brasil imagina lucrar ?
    Em termos de consagração internacional, o país acaba de jogar fora uma oportunidade de consolidar a sua postura, como país emergente e de importância crescente ,economicamente falando.
    Se o lulo-petismo achou esse caminho como o mais adequado, acabou dando um tiro no próprio pé, ao se acumpliciar às verdadeiras molecagens internacionais de um Chavez e seus prepostos bolivarianos.
    Haja vista o circo da manifestação do Chavez, na ONU.
    E com essa gente, o Brasil acaba de se prestar a servir de bobo da corte, levado a ter que assumir uma responsabilidade e um encargo que não era dele.
    Se o sonho de um Lula é almejar um papel de liderança no contexto internacional, creio que ele acaba de jogar no lixo essa chance.

  17. Dieter Rapp Junior disse:

    A decisao foi incorreta.

    A Politica Externa do Brasil(c/Celso Amorim)
    eh desastrosa neste e em outros tantos exemplos.

    O Brasil passa a ser co-resposavel a tudo
    que esath e venha a acontecer em Honduras.

  18. Arlindo Marin disse:

    Trapalhado liderada pelos “Tres patetas barbudinhos do Itamaraty”: Marcco Aurelio TopTop, o Comuna enrustido-PT sem barba- que é de fato o Ministro, e o Bobo-Amorim-Alegre.
    Zelaya foi impeached pelospoderes legais – depois imbecilmente expulso pelos cucarachos – Foi imbecil, mas não foi ilegal.
    Brasil deveria ficar neutro na historia – agora está de bobalhão…
    Mesma trapalhada quando devolveram os refugiados cubanos a Ilha do Paraiso – de donde alias, ja fugiram, agora para um pais sério.

  19. Valdinei disse:

    Creio que uma das poucas coisas que o governo lula fez por meritos seus que eu tenho que aplaudir foi dar abriga a Zelaia.

    não podemos, de forma alguma, concordar com golpe de estado contra um governo legitimo e eleito pelo povo.

    “O QUE ME PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS MAUS. É SIM O SILÊNCIO DOS BONS”
    Martin Luther King

  20. Pedro Selomar Sehn disse:

    Foi uma decisão corretíssima. O Brasil deve mostrar exemplo que defende a democracia e não golpes de Estado como ocorreu em Honduras ao ser deposto um presidente legitimamente eleito.

    A política externa é bem conduzida desde que o Brasil deixou de ser capacho dos EUA ao não concordar com a política nazista do ex-presidente Bush.

    O Brasil não é responsável pela crise. Pelo contrário, é mediador de retornar o regime democrático. Só pelo fato de o presidente hondurenho não ser do agrado das elites não se justifica golpe de Estado que tem apoio dos EUA. Não existem golpes de Estado no país ianque por uma única razão: não há embaixada estadunidense nos EUA.

    Fiquei decepcionado com esta agência de notícia ao fazer o mesmo papel da grande mídia brasileira que só procura criticar o governo Lula e não explica o porquê do presidente que apoiava antes (FHC) não ter feito nem 30% de coisas boas para a maioria dos brasileiros em relação ao atual. Percebe-se isso ao eleger como melhor opinião a de uma pessoa que apoia golpes de Estado e não respeita a decisão soberana do povo hondurenho que elegeu Manuel Zelaya. Será que esta pessoa teria a mesma opinião se fosse deposto José Serra ou Aécio Neves dos respectivos governos de São Paulo e Minas Gerais???

  21. Pedro Selomar Sehn disse:

    Não se entende quem só é a favor de governos de sua ideologia política. Será que, hipoteticamente, José Serra ou Yeda Crusius fossem depostos de seus cargos, você teria a mesma opinião? Aliás, a mídia brasileira não noticia praticamente o desvio de R$ 44 milhões do DETRAN-RS no governo desastroso de Yeda Crusius (PSDB). Agora, se fosse um (a) governador (a)que apoiasse o governo federal,os maiores meios de comunicação noticiariam a cada hora praticamente. Exemplo disso foi a CPI da Segurança Pública no governo Olívio Dutra que no final foi arquivado o processo na Justiça por inexistência de provas.

  22. Osvaldo Gomes Bomfim disse:

    A decisão de abrigar Zelaya foi correta?

    O protesto de milhares de apoiadores do Roberto Micheletti, governo golpista de Honduras nas ruas do Centro de Tegucigapa, em frente ao prédio das Nações Unidas(ONU) e depois seguindo para Embaixada dos Estados Unidos, contra o abrigo concedido pelo Brasil ao presidente deposto Manuel Zelaya, por si só, já demonstra, que o Brasil tem que ser mais cauteloso, em suas tomadas de decisões de abrigar pessoas, principalmente quanto se tratar de política externa e internacional. O Brasil não tem que se meter na disputa política, “Interna Corporis” de outros países. Vejam vocês, que foram poucos os militares que fizeram a segurança da caminhada, diferentemente do que ocorre nos protestos favoráveis a outros presidentes depostos. Se a povo hondurenho e os próprios militares, não ficaram do lado de Zelaya, porque nós brasileiros vamos ficar? Odeio o Toque de recolher, Golpe de Estado e Ditadura e presidentes que criam novas Leis para se reeleger, coisas deste gênero ferem a filosofia da democracia que nós brasileiros estamos acostumados. O Hugo Chaves, se reelegeu da mesma forma na Venezuela, acabou com o maior veículo de comunicação do país. Só que em Honduras, o povo não quer a mesma coisa, o continuísmo. O Roberto Micheletti tem força política e demonstrou para o Manuel Zalaya.
    O Lula, linguarudo pode falar o que pensa, o que quer, falar para agradar Hugo Chaves, falar que o Brasil vai comprar armas, aviões e gastar milhões e bilhões de dólares na compra de armamentos, material bélico (caças, submarinos, tanques, fuzis etc…). Tem político falando até que o Brasil vai ter bomba Atômica, só para mostrar ao mundo que o Brasil é uma potência. Até a Senadora Marina da Silva, criticou a postura do Lula na ONU, o presidente falou do caso de Honduras, quando o assunto era relacionado ao clima. O Brasil tem um Conselho, o Itamarati, porta voz, tem embaixadores, exatamente para tratar da relação exterior, dar orientação conspícua ao presidente da república, para não envolver o Brasil nestas questões, evitando assim, que o nosso país entre em conflito com o resto do mundo.
    Portanto, não foi correta a decisão do Brasil em abrigar Zalaya.

    A política externa tem sido bem conduzida?

    O Brasil tem deixado a desejar nas questões de relações exteriores. O que estraga é a relação do Brasil, é a amizade e a relação do Lula com o Hugo Chaves, presidente da Venezuela, Fidel Castro, presidente de Cuba e Evo Morales, presidente da Bolívia, aquele que garfou a Petrobrás, países comunistas que tem uma verdadeira idiocrasia pelos Estados Unidos. O Brasil estreitou as relações comerciais com China. e a Rússia, mas o Brasil deve manter as boas relações com todos os países do Planeta Terra. Ser um país, cordial, pacífico e amigo de todos, sempre foi o nosso diferencial.
    Ultimamente, o Brasil conflitou no exterior com a Itália, pelo, Cesare Battisti, cidadão italiano refugiado no Brasil, agora é Zelaya, o presidente de Honduras que é deposto, sofre golpe de Estado e vai se esconder na embaixada do Brasil. Ora, o Brasil tem que ficar neutro na questão, zelando pela nossa imagem no exterior, como o país do futebol, do carnaval, cordial, amigo e agora o país do petróleo, do pré-sal.

    O Brasil, a partir de agora, é também responsável pelo resultado da crise?

    O Brasil não é responsável pela crise, mas está enrolado na crise, com esses protestos em frente a embaixada do Brasil em Honduras, desgastando a nossas relações exteriores, que sempre foram excelentes com os demais paises.
    Até a relação com os Estados Unidos, está arranhada, devido ao apoio que o Lula dá às declarações e alfinetadas que Hugo Chaves, costuma dar até no Brasil. Fico preocupado com a relação comercial do Brasil com a China comunista, que tem gerado crise. O Brasil a partir de agora deveria sair pela tangente e não se envolver com questões alheias. O Manuel Zalaya não é “Santo”, não dá nem para orar por ele.

    Somos um país de PAZ, não queremos nem Conflitos e nem a Gerra.

    Osvaldo Bomfim é ambientalista, defensor da Mata Atlântica do Brasil e presidente da ONG DA MAÇÃ – Amigos do Meio Ambiente.

  23. helio disse:

    @Arlindo Marin,
    Boa lembrança. São tantas as trapalhadas.

  24. Emílio Mendonca disse:

    Repito o que anteriormente havia dito. Engana-se quem diz que o Brasil está intervindo em assuntos que tão unicamente dizem respeito à política interna do país.
    Isto porque a embaixada brasileira é território brasileiro, isto é, os estrangeiros são eles lá dentro.
    Considerando todo arcabouço de obrigações que o Brasil contraiu perante a sociedade internacional, foi correta sua posição.
    Incorreto foram eles, de inviabilizarem a representação diplomática, fato que, foi inclusive condenado pelo Conselho de Segurança da ONU.
    Agora, com relação à legitimidade do governo, é dever do país assegurar que o atual representa, efetivamente, a vontade da maioria, o método escolhido para esta certificação foi o voto.
    E dever da sociedade internacional, por sua vez, de reconhecer o governo, se efetivamente for a vontade de seu povo.
    Por-se-ia fim à crise, com a superveniência das regularizações acima referidas, assim como o respeito à soberania de cada um, assim como as normas internacionais.

  25. maria cândida disse:

    @Valdinei,
    Dar abrigo, teria que dar. mas combinar a ida dele para Honduras, um oligarca milionário e populista, que enfrenta outro milionário golpista, aí já é exagerar. CHávez se interessa porque vende petróleo para a Honduras do Zelaya e quer ele de volta. E nós?

  26. luiz Fernando disse:

    @Emílio Mendonca,
    Tudo que você diz é procedente. Porém o que o Chávez e o Zelaya dizem é que tudo já tinha sido arquitetado anteriormente. O “truque” segundo Chavez de embarcar Zelaya como indo para a reunião da ONU e desembarcá-lo em Tegucigalpa. Como o Brasil corretamente não poderia dar asilo ao presidente que foi eleito e reconhecido como tal pelos EUA e OEA, teria que lhe dar abrigo. Com isso ela não se asilará no brasil. Fará da embaixada o seu QG. Este é que foi o escorregão do itamarati. Se não foi escorregão foi ingerência em assuntos de outro país.

  27. ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA disse:

    @Carlos, Zelaya foi preso e enviado para a Costa Rica em 28 de junho e no dia 24 de setembro, retornou à Honduras, refugiando-se na embaixada brasileira, no meu entender com a clara intenção de retomar o poder.

    É neste momento que, ao agir deste modo, Zelaya “usa” o Brasil, uma vez que sabe que o Brasil é signatário da Carta de Lima e que não reconhecerá Micheletti como governante.

    Assim, Carlos, eu não quis dizer que deveríamos tê-lo deixado morrer na porta da embaixada, mas sim, que o Brasil assume um papel central na crise de Honduras ao abrigá-lo.

    Tomando esta atitude, Zelaya “força” o Brasil a intermediar, mesmo sem interpor nenhuma ação, seu retorno ao poder o que, como disse em meu comentário, abre um precedente para incidentes futuros.

  28. Celso Rodrigo Branicio disse:

    Eu acredito que finalmetne o Presidente Lula fez um ato diplomático de acordo com a opinião da maioria dos brasileiros e a favor da democrácia, coisa que nem sempre vinha ocorrendo ultimamente.

    A política externa de um modo geral tem sido bem conduzida como chenceler Celso Amorim, mas precisa melhor e muito, pois apesar do alto nível de nosso chanceler Celso Amorim, o Itamaraty tem agido algumas vezes de forma inadequada e contrária a vontade do povo brasileiro e da comunidae internacional, como no caso da liberação do italiano assassino e criminoso e dos qual protegem e impedem sua extradiçaõ alegando crime político, ou do pai americano que estava casado com um abrsileira que se seprarou dele e se casou com um brasileiro e que mesmo depois de falecida, não deixam ele levar seu filho que teve com ela e que até então morava aqui, de volta para os Estados Unidos, mesmo discordando de leis internacionais que dão este direito a ele, são atitudes muito mais políticas do que diplomáticas e que interferem em deciões do Itamaraty, isto sim tem de acabar, mas neset episódio atual foi bola dentro, excelente, bam como no passado já tivemos outros episódios felizes e de acordo com o ideal e a vontade popular.

    O Brasil, a partir de agora, realmente entrou de fato neste problema e terá de arcar com as consequencias, pois passou a ser também responsável pelo resultado da crise.

  29. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA, Eu só sei que esta atitude de Zelaya não vai nos prejudicar, pois, como potência regional precisamos mostrar nossa força e acredito que intervir neste ou em outros episódios semelhantes na parte diplomática é muito melhor do que pensarmos em fabricar a bomba atômica para proteger o pré-sal e nossa nação, para intimidar nossos vizinhos ou nossos inimigos, este tipo de atitude apesa de indelicar pode sim render muito mais respeito ao país, como defensor da democracia.

  30. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Priscilla Ferreira, você acha que então deveriamos sermos covardes e deixar ele ser preso e executado, isto é didículo, eu jamais perdoaria o governo e sua diplomacia por um atitude tão anti-democrática, pelo que vimos as coisas não foram previamente combinadas e sim resolvidas na última hora, afinal vamos ter medo de que e de quem?
    Ficaremos morendo de medo de um governo ilegítimo de um pequeno país da américa latina e que ainda mantém idéias retrógadas do militarismo e intervencionismo, temos de assumir nossa capacidade real de potência regional e não venha com esta de interferir ne política local, se houve claro desrepito as instituições e a leis inclusive internacionais, este governo é ilegítimo e não tem respaldo popular e nem moral de alegar isto, neste caso foi legítimo e legal nossa intervenção, mesmo porque pela forma como ocorreu se não o recebesse as consequencias poderiam ser mais danosas a imagem do Brasil, nunca fmos e jamais seremos um povo covarde.

  31. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Markut, lamentável seu depoimento, sempre gostei de seus posicionamentos, mas desta vez não concordo, falar que o Brasil vai perder com esta atitude, então quer dizer que temos de deixar de defender a democracia no continente, e principalmente em nossa região.
    Gostaria que explicasse porque o presidente Lula vai se prejudicar neste episódio e o país vão perder em que?
    Agora vamos nos acovardar e ficar com medo de paisinhos insignificantes em nível militar, aliás, nem que fosse uma potência mundial, se acreditamos na democracia temos de lutar por ela até o fim.
    Quanto à questão de estarmos na prática lutando por um presidente que esteja pretendendo a reeleição, isto é outro problema a parte e temos de lembrar que no mínimo o presidente Zelaya tem o direito de terminar seu mandato do qual foi legitimamente eleito. A verdade é que depois disto se ele agir de forma antidemocrática aí certamente ninguém será contra uma campanha contra ele, mas até o momento ele não fez nada disto apesar dos rumores de uma possível tentativa de reeleição.
    São dois assuntos bem claros e importantes a defesa da democracia e a luta contra a reeleição que neste caso é um ato antidemocrático e deve ser combatido.

    Sei que o Hugo Chavez desta vez gostou e concordou, certamente por ser adepto desta tendência ruim que ele instituiu em nossos vizinhos da reeleição em quantas vezes quiser, ou seja, usando a democracia como cortina de fumaça para na prática instituir uma ditadura, mas ainda assim apesar de podermos sentir o porquê de seu apoio neste caso, temos de pensar antes de qualquer coisa que a causa a priori é justa, como dizia Jack Estripador, vamos por partes e no momento, apesar da dor de cabeça gerada foi uma boa ação e mesmo porque nem tudo foi premeditado com antecedência, então não tínhamos muito que fazer, como negar sua guarida, o que só viria a piorar a situação e a imagem do país se ele fosse, por exemplo, assassinado porque a embaixada do Brasil não o recebeu.

  32. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @maria, então você acha que deveríamos apoiar o bando de canalhas de politiqueiros de quintas que tomaram o poder, vocÊ acha que é legal vermos a mania de militares tomando o poder na américa latina, dos golpes de estado, temos não só que apoiar a democracia com o lutar por ela, não veja uma decisão equivocada, para mim equivocado é ser covarde, é claro que na vida somos responsáveis por nossos atos e tudo tem seu preço, mas podemos sim sair por cima nesta história.

  33. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Roseli Kleine, discordo de seu comentário claramente você é mais uma pessoa covarde, temos sim de lutar pela democracia.

  34. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @lontra, Neste caso se houve erro do Itamaraty foi no sentido de que deveria ter negociado com os correlegionários de Zelaya antes, como os Estados Unidos fazem utilizando a CIA, nós temos um serviço secretom que a meu ver infelizmente não trabalha nestes casos internacionais, mas o governo teria como investigar e negociar uma saida diferente da atual como trazer Zelaya para o Brasil e dar asilo a ele aqui, mas a meu ver foi tudo resolvido na hora e aí não tinhamos muitas opções e abandoná-lo a própria sorte seria pior, ou seja, o erro foi não termos previsto tudo isto e termos nos antecipado ao problema desarticulando toda a situação criada atualmente, como é ensinado no livro a Arte da Guerra de Sun Tzu, não nos antecipamos e assim não tivemos a possibilidade de desarticular esta situação atual este foi o maior erro do Itamaraty, mas apesar dos riscos, se bem concduzido ainda podemos lucrar com tudo isto, o importante é retirar este governo ilegitimo do poder em Honduras e restituir a democracia, depois se houver tentativa de reeleição o que constitue um novo crime contra a democracia, aí teremos uma outra luta, que se o Itamaraty for esperto e aprender com os erros, já deve estar negociando com o Sr. Zelaya.

  35. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @luiz Fernando, é verdade o erro não está em apoiar Zelaya, e sim em não termos tido sensibilidade e tato para nos anteciparmos e negociar uma outra situação que não esta saia justa em que o Itamaraty se meteu. Assim como o cidadão comum temos de ficar atento a tudo que nos cerca, não adianta ver um crime sendo cometido e ficar caladinho não querendo se envolver, neste caso tem sim é que nos antecipar e lutar para evitar que este tipo de problema acontecesse, a embaixada do Brasil estava lá, mas se fosse conveniente a nossa estratégia, seria até correto cortar relações e deixar Honduras, este seria uma atitude que em parte poderia ter evitado o problema atual, ou negociar diretamente com Zelaya, já que este desfecho poderia acontecer só o que não poderia é termos uma embaixada lá e com o prestigio do Brasil, acabar sendo usado e manipulado estrategicamente, agora apoiar Zelaya é correto, só a forma e nas condições em que foi feito é que não ficou legal e se tornou algo muito perigoso para ser lidado agora, vamos ver se de agora em diante o Itamaraty realmente passe a trabalhar, pois, o serviço será árduo e altamente perigoso, mas ainda podemos nos sair bem neste episódio e que sirva de lição para não nos omitirmos e tomarmos uma decisão antecipada e ficarmos monitorando, principalmente países relativamente próximos a nós, antes de nos envolvermos diretamente, para assim fazermos a coisa certa na hora certa e com riscos mínimos.

  36. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Dorival Silva, Concordo em parte com vocÊ, só acho que defender Zelaya seja o correto o único problema é a forma como foi feita, o Itamaraty falhou feio em não ter se antecipado ao problema, pois já faz algum tempo que Zelaya foi injustametne deposto, nós poderíamos até mesmo já ter retirado nossa embaixada de lá e nada disto teria ocorrido, sem contar que tivemos bastante tempo de negociar uma saida diferente desta com o próprio Zelaya, mas não tiveram a decencia de fazer nem uma coisa e nem outra e acabamos metidos neste mico, temos condições de sair por cima como defendesores da democracia, mas o risco agora é grande e claramente perdemos um mpocuio o controle da situação, mas deve de fato é ser dado Asilo a ele e mostrarmos que quem manda e esta no controle somos nós, o fato de estarmos dentro do país dele é irrelevante neste caso, visto que dentro da embaixada brasileria temos autonomia.

  37. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Manoel de Freitas, eu concordo em parte com seus comentários, só acho que uma coisa não tem nada a ver com outra, agora dizer que Zelaya afrontou a constituição isto é discutível e não se justifica mandar o exército prender ele de pijama, isto configura claramente como um golpe de estado, mas é claro que não poderiam deixar de fato haver uma reeleição, pois, seria configurado como atitude antidemocrática, mas defender Zelaya neste caso é coreto, pois estamos defendendo a democracia, não podemos nos esquecer de que ele foi legitimamente eleito, é claro que se ele insistir em reeleição e em tentar um golpe de estado, é claro que o mundo inteiro estará contra ele, a meu ver a atitude errada e irresponsável do Itamaraty foi não ter sensibilidade, ou serviço de inteligência bom o bastante para se antecipar a este problema e negociar com Zelaya outra solução pacífica e menos comprometedora para o Brasil e se as negociações não evoluíssem e este desfecho se tornasse claro, poderíamos ter retirado nossa embaixada de Honduras, mesmo porque nosso governo nem sequer reconhece oficialmente o governo de Honduras, então poderíamos ter retirado a embaixada de lá, para se ter uma idéia jornalistas brasileiros nem podem entrar na embaixada e o atual governo alega que não teria problema nenhum de autorizar a entrada delas na embaixada desde que o presidente Lula ou o Itamaraty autorizasse, mas que isto é impossível visto que não reconhece seu governo, a verdade é que não podemos ser covardes, mas não é legal sermos manipulados por políticos populistas, só porque são de esquerda, temos de ficarmos atentos a tudo que nos cerca e nos anteciparmos a nossos inimigos, ou a situações que podem nos comprometer e isto não foi feito e olha que já faz algum tempo que Zelaya foi deposto, tiveram tempo e não usaram, agora estão pagando caro e numa verdadeira saia justa, ainda podemos sair bem na história, mas os riscos são enormes, no mínimo foi uma lambança do governo brasileiro e temos de correr atrás do prejuízo e tentarmos sair deste episódio da melhor forma possível.

  38. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @maria cândida, o Hugo Chavez também certamente se simpatiza com Zelaya, porque, também é adepato da reeleição e aí sim esta um problama grave, mas no momento defender Zelaya não foi errado, porque infelizmente ele foi eleito legalmente, mas fizemos um papelão ao não termos sensibilidade de perceber que tudo isto que esta acontecendo poderia ocorrer e então tivemos tempo hábil de nos anteciparmos e negociarmos uma outra solução e não o fizemos, aí reside o erro fatal do Itamaraty, pois estão clarametne nos usando neste episódio, poderíamos apoiar a democracia sem nos expor tanto como neste caso e acima de tuido tendo o controle total da situação, o que de fato já não temos e a situação agora se complicou.

  39. Celso Rodrigo Branicio disse:

    @Osvaldo Gomes Bomfim, caro colega concordo em parte com seus posicionamentos, sei que é um homem de paz e isto é bom, mas se já leu o livro a Arte da Guerra de Sun Tzo, você perceberá que acima de tudo “se você quer a paz, prepara-se para a guerra”, desculpe mas não tem como você querer viver num mundo competitivo e violento como o nosso e não se envolver em nada, isto não significa compactuar com a violência, mas sermos omissos e covardes não vai garantir nenhuma paz, temos sim de sermos enérgicos e tomarmos posicionamentos de forma ética e profissional e acima de tudo embasados na lei nacional e internacional e agirmos de forma a apoiar a parte que moralmente merece, neste caso o erro não foi em apoiar o presidente deposto Zelaya e sim de não termos sensibilidade e tato de estarmos ligado com os problemas que nos cercam e sermos surpreendidos e colocados em uma situação delicada em que tivemos de intervir e de uma forma que perdemos em parte o controle da situação, sendo que poderíamos ter negociado antes um outro desfecho, ou se fosse o caso até mesmo retirado a embaixada daquele país, visto que o governo Lula nem mesmo reconhece o governo de Honduras, temos sim de ficarmos atentos a tudo que nos cerca e nos posicionarmos ou negociarmos se for o caso, pelo menos para não sermos pegos de surpresa e estrategicamente usados e manipulados por uma clara omissão em tentar achar uma solução de um problema do qual tivemos tempo e não usamos.

    Na vida devemos sempre procurar nos anteceder a nossos inimigos para desarticularmos suas ações e só assim poderemos conseguir a paz da forma como você quer, ou seja, sem embate direto, sem sangue e sem dor de cabeça ou danos morais.
    Neste caso no mínimo o jogo de bastidores com uso de agentes de inteligência deveria ter sido usado, mas só ficar na omissão e covardia não resolve nada e não garante a paz a ninguém.

  40. Moyses Nunes disse:

    Reiteradamente o Brasil tem sido convocado a intervir em negociações para resolução de conflitos internacionais, a informação é vasta na mídia, que também tem enfatizado o grau de excelencia que nossa diplomacia possui. O Brasil é declaradamente um país neutro, candidato a líder na América Latina, não poderia ser indiferente a situação imposta ao “presidente” Zelaya. Este foi recebido como presidente eleito democraticamente, ponto. A crise já estava instaurada, agora cabe ao Brasil auxiliar para a sua dissolução.

  41. Lucas disse:

    @Pedro Selomar Sehn,
    Tenho preferências políticas mas isto não me cega. Como você, sei dos crimes da Yeda e sei que Olivio foi inocentado. Perdeu as eleições por incompetência. Leio jornais e estou informado. Se tirarem o Obama do poder nada faria, a não ser protestar. Já se depusessem Serra ou Lula, seria a favor de uma grande ação. Sou brasileiro. É difícil ver o que dizem os meios de comunicação se você só vê uns. Eu assisto canais de televisão que estão ou até são do governo. Eu ouço Lula em seus inúmeros palanques. Não protesto. Sou democrático

  42. maria disse:

    @Celso,
    Você mesmo criticou não termos tirado de Honduras a nossa embaixada. Porque não tiramos? Temos que protestar, tomar medidas junto aos orgãos internacionais. Para sermos respeitados por nossa coragem, deveríamos ter agido as claras. Sair por cima dependerá de Zelaya, que é detentor da presidência e deve retornar ao seu posto apesar de ser um oligarca milionário e populista. Entramos mal, e Zelaya selará o bom desfecho.

  43. maria disse:

    Celso,
    A democracia brasileira é a de um congresso e um STF comprados. Quem luta contra este governo pode ser um grande democrata.

  44. maria disse:

    @Celso,
    Covarde foi o grupo que matou o seu xará em São bernardo

  45. lontra disse:

    Celso
    Cara, se o Zelaya é o presidente não poderá pedir asilo. Pediu então o abrigo a nossa embaixada que estava lá. Ouça o Chávez e o próprio Zelaya e verá como nada foi de última hora.

  46. carlos disse:

    @ROSANGELA,
    Entendi completamente a sua posição,a qual concordo. Fico assustada é com este sentimento de querer “mostrar nossa força” de alguns leitores.

  47. maria candida disse:

    @Celso Rodrigo Branicio,
    Concordo com vc de que fomos usados. mas discordo de vc quando discorda do nosso sábio Markut

  48. Walter Benedette disse:

    O Brasil não tem autoridade moral e nem estatura para se meter nos assuntos internacionais. Esse governo meia boca sujo e corrupto junto com trapalhão Didi Mocó Amorim estão fazendo de tudo para aparecer e ser convidado a fazer parte do conselho de segurança da ONU. Pra dar pitaco na vida dos outros paises temos que resolver a sujeira, a malandragem,a robalheira aqui dentro.
    Vamos acordar e não nos influenciar por esse bando de hipócritas que estão vendendo a idéia que passamos a superpotencia em 9 meses. Passamos os últimos 100 anos jogando bola, andando de havaianas e calção na praia, batendo bumbo e pandeiro e lutando capoeira enquanto os gringos de olhosm azuis do norte trabalhavam, inventavam, patenteavam mais da metade de tudo que existe no mundo. É só parar para pensar um pouco, coisa que os brazucas da patriotada não gosta muito ou não sabe, para ver que todo não passa de uma propaganda para se perpetuarem no poder. FORA O CANCER CHAMADO PT, REDE GLOBO.

    Votemos todos no General Heleno.

  49. beatriz kamer disse:

    NINGUÉM VAI NOS CONVENCER DE QUE O LULA NÃO FOI INSTRUIDO POR HUGO CHAVEZ A DAR ASILO A ZELAYA…AGORA REALMENTE O BRASIL ESTÁ NUMA FRIA. ERAM 300 NA EMBAIXADA, AGORA SÃO “APENAS”
    70 QUE ESTÃO “HOSPEDADOS’NA EMBAIXADA. VEJAM COMO POSA PARA FOTOS UM PRESIDENTE QUE QUER REASSUMIR…COM O CHAPÉU ENTERRADO NA CABEÇA E DORMINDO EM BERÇO ESPLENDIDO…SERÁ QUE ALGUÉM ACREDITA QUE O GOVERNO PROVISÓRIO DE HONDURAS VAI RECEBÊ-LO DE VOLTA? QUANTAS MORTES AINDA SERÃO NECESSÁRIAS PARA QUE ELE ABANDONE A EMBAIXADA..IMAGINO EM QUE ESTADO ELES VÃO DEIXA-LA…

  50. beatriz kamer disse:

    @Dorival Silva, NA MINHA OPINIÃO VC FALOU TUDO!!!!!!!!

  51. Boris Lawrence disse:

    Na verdade nos nao sabemos se o ato de procurar a embaixada brasileira foi pura conincidencia ou nfoi um ato planejado em conjunto com o governo do Lula.
    Se Lula planejou esta artimanha, eu acho que nos estamos em uma enrrascada dificil de sair com cabeca erquida. Se foi coincidencia ai o Lula tem que tomar uma posicao firme e seguir a frente.
    Outra coisa , nao me p[arece que o Zelaya tenha sido removido arbiotrariamente, ele vinha armando um esquema de sua perpetuacao politica e foi pego de surpresa pela votacao
    dos deputados do seu pais, e foi cassado o seu mandato. Me parece que isto esta justificado pela constituicao do seu pais. Agora ele esta tentando mudar a cara do vilao e parecer o menino agrdido, que nao e verdade.
    Eu acho que ele devia sair da embaixada e resolver oseu problema com o sistema politico do seu pais.

  52. Marcio Teixeira disse:

    Partindo da premissa que Zelaya é um partidario das “peripecias” bolivarianas, só o tempo vai dizer se o Brasil fez bem ou esta “alimentando” alguem que pode “morder sua mão” mais tarde; a participação do Brasil em eventos de importancia internacional na area diplomatica esta sendo testada e esperemos que não enfiem os pés pelas mãos, o mundo inteiro esta olhando.

  53. beatriz kamer disse:

    @Dieter Rapp Junior, perfeito o seu comentário…
    Chamar o atual governo de “golpista” só quem não sabe da hisória que culminou com sua expulsão.
    Perguntem pq ele foi deposto..e se o Brasil não concordava com o atual governo a quem chama de’golpista” pq não retirou a sua Embaixada de lá?
    Vejam como se comporta o ex presidente de Honduras: deitado, de chapéu,comendo, convocando o povo para se rebelar…Está com 70 pessoas destruindo a nossa embaixada..até qd?
    O que o Brasil e o ex presidente de Honduras espera que o atual Presidente faça? Aceite o
    ex Presidente de volta?
    É claro que isto não vai acontecer e este “embrólio” não vai acabar bem e o nosso País, vai sair arranhado disto tudo.
    Qt mais demorar a se resolver,mais graves as consequencias…
    Pq ele não pediu asilo na VENEZUELA?
    HUGO CHAVEZ É O AMIGO DA ONÇA DE LULA!

  54. paulo fernando da fonseca disse:

    O golpe em Honduras com certeza teve o apoio do tio Sam e pelo que vejo os tucanos daqui, segue os ianques fielmente. Dizer que foi um erro diplomático apoiar um presidente eleito pelo povo e elogiar um golpista, acho pura burrice.
    Neste momento o Presidente Lula, sabiamente, conseguiu fazer contraponto aos americanos em uma questão que eles se esquivam publicamente em omitir posição quanto a questão em Honduras.
    Teve dedo, as mãos, do tio Sam neste golpe.
    Os especialistas tambem estão se omitindo.

  55. paulo fernando da fonseca disse:

    @Dorival Silva, Com certeza as besteiras feitas pela nossa politica externa levou o Brasil a todas as partes do mundo, enquanto no período tucano só se via o presidente na europa.
    Golpe pode, é bem a cara dos ianques e seus seguidores tucanos . Está provado que nem tudo que é bom para eles é bom para nós.

  56. Dorival Silva disse:

    A qualidade das idéias do colega Paulo Fernando equivalem ao seu português: nível baixo. Paulo, você precisa primeiro aprender a nossa língua. Depois, aprender a pensar. Não é difícil, faça um esforço.

  57. roberto pereira alonso disse:

    Acho que lula se meteu numa enrrascada e agora não sabe sair sozinho,o governo brasileiro não tem que se entrometerem assuntos internos de outros paises,nos temos que resolver os nossos problemas,que são muitos corrupção,miseria,segurança,saúde,educação.Estas coisas precisam ser resolvidas o mais rapido possivel.

  58. Rommel Brito disse:

    A decisão de abrigar Zelaya foi correta sim, pois não há como reconhecer este atual governo autoritário que não sofrei um processo de votação, porém a política externa fica neste chove e não molha sem tomar uma decisão direta e firme colocando nosso país em posição de retaguarda; o fato do Brasil abrigar Zelaya,embora seja uma decisão correta, interfere sim e diretamente na atual crise colocando o páis também como responsável por esta lamentável crise.

  59. José Alfredo disse:

    Com tantas urgências graves dentro do nosso país, ficam os enxeridos do Planalto numa solicitude idiota, para agradar Chávez e companhia, e depois que a coisa começa a pegar fogo vem o Amorim alegar que deveria haver maior envolvimento da ONU!! Tomara que a coisa fique preta pro Brasil pra ver se esta cambada se manca…

  60. REGINALDO NUNES disse:

    Adimirável mundo novo????????

    O que nos impede de seguir em frente é o medo de aceitarmos nossas própias convicções.Há muito tempo li um livros que me foi dado pelo autor, que falava sobre a coluna PRESTES, descrevia como maravilhoso jornalista que o é a São Paulo da época e suas relações políticas e sociais para situar o leitor. Sabe o que aprendi ali? Incrivelmente de que a tecnologia e os meios avançaram e que hoje vivemos exatamente como lá.
    É o que vejo o tempo inteiro nesse caso concreto, qual é o fato central?
    1- Num ato de golpe militar claro, o Presidente eleito foi expulso de seu Pais.
    2-O governo ilegitimo se põe a ditar regras e a querer de forma escusa a realizar eleições manipulados por estado de sitio para “inglês ver “.
    3- O Presidente legitimo volta ao seu Pais e pede para ficar em uma embaixada, a do Brasil.Oras Território Brasileiro.
    4 – O golpista dá um ultimato a Nação Brasileira, entreguem o Presidente legitimo em 10 dias, ou invadimos.Isso é a leitura técnica do que foi dito.

    Posto os fatos:
    Pergunto:
    Se uma facção criminosa toma São Paulo ou Rio de Janeiro e o Prefeito e posto pra fora da cidade e volta se refugiando em uma embaixada, ele é um louco ou um herói?
    O governo Federal e o Estadual deveriam ou não apoiar esse prefeito?
    Você que mora ali, prefiriria que as outras cidades, os governos estaduais e federal não apoiassem?
    Se você mora em Manaus, ficaria comodo e sossegado, mas se imagine nessa situação?
    É nós ficamos no nosso mundinho comodo e só falamos que queremos democrácia , liberdade e oportunidades iquais para todos.chegamos ao cumulo de colocarmos estas opiniões aqui mesmo no ON.Mas quando chega a hora de nos posicionarmos, ah! Fugimos para a nossa caminha, para dentro do cobertor quentinho e lascamos o pau em quem tem a coragem de enfrentar uma ditadura em sua nascente, em quem coloca a cara perante a Nação mais poderosa bélicamente e diz claramente: VOCÊS NÃO VÃO FAZER NADA?
    Colocamos como Nação Brasileira a nossa cara e dessemos: Nós estamos a favor da DEMOCRACIA E DA LEGITIMIDADE e de acordo com a nossa Constituição,com coragem.Sairemos disso com um atoleiro ou como a VOZ da liberade e da democrácia na América Latina?
    Ou alguém acredita que uma vez a ditadura instalada não haveria mais violência? Torturas? Censura?
    Pois isto já esta acontecendo agora lá.
    A posção da Nação Brasileira é Heróica e louvável para impedir que esse tipo de atitude venha a contaminar toda nosso continente e justo nesse momento em que estamos crescendo sejamos pego e nos impeça de ir adiante e deixar de ser o Pais do futuro e passar a ser o do presente!
    Eu sou Reginaldo Nunes

  61. cesar henrique arthou disse:

    que imbroglio! A cada dia situação se torna mais complexa. Acho que nosso Governo deve estar decepcionado do que fez, só que agora deve encontrar uma solução pacificadora. O Zelaya está nos desrespeitando, fazendo de nossa Embaixada o quintal dele. O atual Governo, chamado de golpista tambem anda fazendo das suas. É um pequeno Pais que está sob os holofotes do mundo e o Sr. Chaves deve estar as gargalhadas…. Que mundo, quanta bobagem.

  62. REGINALDO NUNES disse:

    @REGINALDO NUNES, “América Latina é hoje o lugar mais estimulante do mundo”

    Em entrevista ao La Jornada, Noam Chomsky fala sobre a América Latina, definindo-a como uma das únicas regiões do mundo onde há uma resistência real ao poder do império. “Pela primeira vez em 500 anos há movimentos rumo a uma verdadeira independência e separação do mundo imperial. Países que historicamente estiveram separados estão começando a se integrar. Esta integração é um pré-requisito para a independência. Historicamente, os EUA derrubaram um governo após outro; agora já não podem fazê-lo”, diz Chomsky.

  63. Djair Nogueira disse:

    Abrigar Zelaya foi uma atitude correta, baseada nos tratados existentes,a falta de conhecimento associada a falta de atitude, gera uma falta de visão do ocorrido.
    Oficialmente o mundo reconhece Zelaya como o verdadeiro presidente, ele que procurou abrigo na embaixada brasileira,nagr asilo seria fechar os olhos para os golpistas, aí não tem filhote de ditadura que aguente.

  64. Eskler Miklon Carttlen Gideon. disse:

    O que se poderia esperar das mentes “brilhantes” que comandam nosso país atualmente.

    O Brasil faz um ridículo papelão por culpa de nossos bolivarianos que, além de tudo, são bobos o suficiente para se exporem, enquanto o líder deles, Hugo Chaves, nem mesmo se preocupou em fingir que a coisa não foi combinada (disse que já sabia de tudo, o que, logicamente, deixa claro que seus “cumpanhêru” também sabiam).

    Mas o episódio serve muito ao povo brasileiro, já que mostra a quem quiser ver qual é a índole de nosso presidente Lula e de seu partido.

    São truculentos e tendenciosos, já que nunca fizeram qualquer comentário à nítida implantação de uma ditadura na Venezuele. Quanto ao que ocorre na Venezuela, só têm aplausos, mas, quanto a Honduras, que ia realizar imediatamente uma eleição para o retorno à normalidade democrática rompida pelo Zelaya, fazem um absurdo desses, totalmente em desacordo com as regras de direito internacional.

    Embaixadas não podem se prestar de palanque para grupos políticos do agrado dos países titulares das mesmas para a promoção de agitação política e exortação em prol de uma tese ou grupo.

    O que Lula promove em Honduras é truculência e absurda e indevida interferência nos assuntos internos de um país soberano. Ainda que Lula e asseclas não concordem com o que lá ocorreu, não há respaldo no direito internacional para o que estão fazendo.

  65. Markut disse:

    @Celso Rodrigo Branicio,
    Caro Celso.
    Como dizia o Nelson Rodrigues , no seu ácido aforisma:Toda Unanimidade é Burra.
    Felizmente, temos percepções diferentes do mesmo assunto e, espero, que daí surja a luz. Reporto-me à entrevista do embaixador Rubens Barbosa a respeito do aspecto formal do “imbroglio” em que o Brasil se meteu.
    Considero, sim , que o Brasil se meteu numa desastrada enrascada , torpe, infantil e inutil, fruto do malfadado viés ideológico dos nossos barbudinhos do Itamaraty, levando o país a executar o serviço sujo desse affair, que só interessa aos bolivarianos, liderados pelo façanhudo sargentão Chavez que, a esta altura, deve estar esfregando as mãos de satisfação por ter feito do Brasil o bobo da corte.
    Precisamos, sim , lutar pela verdadeira democracia, começando dentro do nosso próprio quintal. Que democracia podemos ter, com uma massa eleitora ignorante, desinformada e anestesiada, ajudando a colocar no poder a gang política que nos governa atualmente?
    Sem escolaridade básica competente não sairemos nunca desse impasse, em que, no lugar do cidadão eleitor esclarecido, temos um curral de votantes de cabresto, comandados pelas oligarquias, ainda poderosas, simbolizadas, hoje, pela postura da famíla Sarney.
    Porisso,acho que não será dessa forma que a verdadeira democracia será defendida.
    Ao contrário, estamos, isso sim, ajudando a alimentar o clima caudilhesco que está se espalhando pela América Latina, impulsionado pelo embevecimento, movido a petroleo , dessa lamentavel e perigosa figura do Chavez.

  66. Markut disse:

    @Celso Rodrigo Branicio,
    Em adendo,caro Celso .Leia, hoje, aquí, no O&N o excelente comentário Pantomima ,de Denis Rosenfeld, a respeito deste assunto.

  67. Jorge C.Moreira disse:

    Por tudo que já li e ouvi, concluo:
    1)Zelaya foi deposto dforma constitucional (decisão da Suprema Corte de Hondura,c/base Constituição do Pais).A forma da execução p/Exercito ñ foi a+adequada,mas ñ invalida a desição anterior.2) o Pres.. Interino era o Pres.Congresso de Honduras;3) O Brasil,ao ter o Zelaya em n/Embaixada,e ñ reconhecer/ñ desejar estabelecer relações c/novo governo,perdeu a condição de MEDIAR impasse atual;4) Brasil recebeu um intimato do novo governo Hondurenho.Será asilo diplomático ou territorial?5) A posição da diplomacia americana, parece em desacordo com a visão da nossa diplomacia.Presis dos 2 paises a parte.A questão é: Como Zelaya entrou no pais e como se instalou na embaixada Brasileira?

  68. Jorge C.Moreira disse:

    @Djair Nogueira, Na verdade há um jogo politico muito grande com relação a situação de Zelaya.
    1ºZelaya foi deposto de forma constitucional (decisão da Suprema Corte de Hondura,c/base Constituição do Pais).A forma da execução p/Exército ñ foi a+adequada,mas ñ invalida a decisão anterior;
    2º o Pres.Interino era o Pres.Congresso de Honduras.
    Seria a mesma coisa o Lula atropelar a Const.Brasileira,decretando que iria concorrer ao 3º Mandato.

  69. Jorge C.Moreira disse:

    @beatriz kamer, Zelaya, se comporta como um coronel politico em nossa embaixada-todo a vontade-até parece pinto no lixo:
    Zelaya e Brasil juntos na crise http://opiniaoenoticia.com.br/opiniao/tendencias-debates/zelaya-e-brasil-juntos-na-crise/?ga=dtf

  70. Jorge C.Moreira disse:

    @Celso Rodrigo Branicio, muito bem articulado.
    Só complementando:
    O Brasil perdeu a condição de poder MEDIAR a situação instalada em Honduras (não reconhe o novo governo e não quer relações com ele-assim perde a capacidade de imparcialidade, impedindo-o a atuar como Mediador).
    Outra questão: A posição da diplomacia americana, já começa manifestar em desacordo com a visão da nossa diplomacia.Relacionamento dos 2 Presidentes do paises a parte.

  71. Jorge C.Moreira disse:

    @Markut, Como diz os publicitários: curto e grosso. No Alvo.

  72. Jorge C.Moreira disse:

    @Markut, falha nossa: como dizem…

  73. Jorge C.Moreira disse:

    @ROSANGELA FRIEDRICH CAMARA,

    Como o Brasil não reconhece Micheletti como governante e tem uma bananosa INSTALADA em sua embaixada, dependerá de outro(s) pais(es)/instituições internacionais para fazer a MEDIAÇÃO.
    Zelaya forçou uma situação que foi bem premeditada.Fica a dúvida, quem articulou?Com que interesse? Quem ficará desgastado com o tempo?

  74. Helio disse:

    @Markut,
    As suas duas opiniões são brilhantes. O artigo pantomima de fato também é ótimo. Salut

  75. Jandira Helena disse:

    @paulo fernando da fonseca,
    O nosso governo não sai de Paris. D. Marisa indo esperar o marido indo com antecedência. Lula não tem ido a China, mas Zé Dirceu e correligionários vão muito ao Panamá e a Costa Ricam novos paraísos fiscais. A Europa é quem mais importa do Brasil. Tomara que continue. Nossas viagens na América latina tem nos dado muitos prejuízos. As viagens desse governo forma palanques mais para aqui que para lá, agora vejo. Este governo está destruindo o itamaraty, com interferências diretas do executivo nas negocações malsucedidas.

  76. Jandira Helena disse:

    @Pedro Selomar Sehn,
    O Brasil tramou por trás, está claro. Zelaya e Chavez o disseram. Fomos usados.
    Se Lula, Aécio, Serra, Wagner forem depostos devemos protestar e agir. Já num outro país temos que protestar, mas não agir. Tramar com Chávez é grave ingerência que foge a posição de respeito que o Brasil sempre teve. Assim acha a OEA e a ONU. Com os atletas cubanos como bem lembrou um leitor, agimos de maneira torpe. No caso Battisti ofendemos os juristas italianos e às famílias das vítimas assassinadas.
    Você gostaria que a França viesse prender o Sarney, mesmo que fosse justo?

  77. Jandira Helena disse:

    @Celso Rodrigo Branicio,
    Você então concorda com a anteced~encia e planejamento que tivemos na volta de Zelaya. Você é adepto do Bush?

  78. Jandira Helena disse:

    @Moyses Nunes,
    Lamento discordar. Leia o artigo Pantomima. O Brasil não intercedeu em nehuma guerra genocida na Africa. Nossa política externa é conduzida para uso interno e não está a altura do nosso país. Somos respeitados lá fora porque o povo trabalha e produz apesar da política.
    O Brasil que é respeitado é este.

  79. Jandira Helena disse:

    @REGINALDO NUNES,
    Não estamos nos integrando. Estamos cada um tentando se tornar um mundo imperial aparte. Estamos perdendo pra Bolívia, Equador, Venezuela, Argentina, Peru, Paraguai. Perdemos lá para ficar mais imperiais aqui. Chomsky se equivocou. O mundo mudou, os EUA não tem mais esta posição imperialista. Mas estes governantes latinos se comportam como chefetes tendo o antigo império como modelo. Nada criativo.

  80. Markut disse:

    @REGINALDO NUNES,
    Essa mistura indigesta de cientista político, historiador e filósofo de Noam Chomsky está pra lá de Marrakesh.

  81. Sandro disse:

    @REGINALDO NUNES,
    Estamos aqui no ON exercitando a democracia. Lutamos pela democracia e não ficamos fugindo às nossas responsabilidades e nos escondendo embaixo dos cobertores. As pessoas que trabalham são as que garantem o sucesso do nosso país. O investimento na educação é a grande revolução.
    Agir por trás não é ato de coragem. Mais covarde ainda é a morte misteriosa de Celso Daniel, as nomeações sem concurso, as práticas corruptas que incentivam a criminalidade no Brasil. Se o dinheiro na cueca, o nada sei, o cinismo e o desrespeito é o que impera e dá certo, porque agir diferente? O governo segue o lema “É ilegal, e daí?”

  82. Sandro disse:

    @Celso Rodrigo Branicio,
    Reginaldo e você são a mesma pessoa? São irmãos? Gostam da guerra? Tem sonhos e saudades de uma revolução? Bolchevista? Querem se engajar na luta pela democracia no Congo? Gostariam de pilotar o novo caça? Então não votem na Dilma nem no Lula em 2014

  83. José disse:

    @Eskler Miklon Carttlen Gideon., concordo plenamente com sua posição.
    A absurda aceitação e complacência da posse do Zé e sua Laya (Zelaya)da embaixada brasileira em Tegucigalpa, pelo Lula e Amorim, diz bem o que é nosso governo em termos de procedimentos éticos e de direito… zero a esquerda. É o que vemos nos casos do italiano Batisti, condenado em seu País é abrigado em decisão pessoal do min. da Justica (sic) Tarso, em desrespeito total aos poderes constituídos e ao Governo democrático italiano. Tarso, Dilma, Zé Genuino, Zé Dirceu…, todos “companheros” em atos terroristas, sequestros, assaltos…)como vemos em sua fichas pregressas, que culminou com a desgraça de muitos que os seguiram, vindo os mesmos a fugirem do País naquela ocasião.Agora estão no comando sob a batuta do comandante grevista do ABC. Dedução: estão a apoiar Hugo Chaves, Zelaya, Evo Morales e outros da mesma estirpe, porque sabem que num próximo governo do Brasil, honesto, probo, ético, honrado, eles poderão ser chamados a responder por seus atos erráticos e aí para que não serem apenados terão abrigos junto a seus citados”companheros” governantes vizinhos. Estão preparando a rota de fuga.

  84. Ana Patrícia disse:

    Zelaya é que é golpista descumprindo a legislação, querendo se perpetuar no poder.
    Lula cumpre o que ficou estabelecido no FORO DE SÃO PAULO,agindo errado ao transformar a embaixada brasileira em QG para Zelaya retornar ao poder.Chega de comunistas! Chega de ditaduras!

  85. Osvalso disse:

    Um país que não reconhece o governo de outro não pode manter embaixada neste país. Portanto o Brasil deveria retirar sua embaixada de Onduras até que se instale um governo que ele reconheça, e mandar este Zelaia para onde ele quiser, menos para o Brasil

  86. carlos disse:

    Concordo com Ana Patrícia. Zelaya descumpriu a legislação de seu país numa tentativa de se perpetuar na Presidência. Paradoxal que se queira dar razão a quem agiu contra o direito. Aparta-se da lógica o apoio de qualquer ordem. Assunto interno do país que cabe a ele a solução segundo o seu jurídico e não invade a esfera de um ou de outros paíeses.

  87. Arlindo Amaro dos Santos disse:

    Zelaya não caiu na Embaixada Brasileira de Asa Delta,certamente foi autorizado por alguma autoridade brasileira.
    Devemos respeitar a Constituição de Cada Pais.
    Lei aprovada não se discute… se cumpre.
    Zelaya deveria ter visitado o Brasil, como fez Hugo Chavez no seu momento de crise politica, reviu seus procedimento e acabou voltando para seu Pais como grande vitorioso.
    Rever conceito ou procedimento, não faz mal a ninguem.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *