Início » Cultura » Um conto de fadas chamado Hallstatt
Turismo

Um conto de fadas chamado Hallstatt

Hallstatt é uma pequena aldeia da Áustria, cravada entre as montanhas e o Lago Hallstatter See. Em 1997, ela foi declarada Patrimônio Histórico da Unesco

Um conto de fadas chamado Hallstatt
O local contém muita riqueza histórica, além de abrigar a mina de sal mais antiga do mundo (Reprodução/Viagens e Vivências)

Uma das cidades que nos surpreendeu durante nossa road trip pela Europa, em maio de 2014, foi Hallstatt. Desde que vimos uma foto circulando pela internet e redes sociais, sabia que aquela cidade, que mais se parece um quadro, entraria no nosso roteiro. Assim, começamos a planejar o roteiro, analisando qual seria a melhor logística para chegar naquele pequeno conto de fadas.

Hallstatt é uma pequena aldeia da Áustria, cravada entre as montanhas e o Lago Hallstatter See. E como não é de se estranhar, em 1997, foi declarada Patrimônio Histórico da Unesco. Confesso que no começo me encantei pela beleza do local, mas depois que fomos pesquisando, descobrimos que, além de beleza, o local contém muita riqueza histórica, além de abrigar a mina de sal mais antiga do mundo.

Depois de pesquisar inúmeras formas de chegar em Hallstatt, chegamos a conclusão que a melhor opção para chegar em Hallstatt é de carro, e partindo de Salzburg. Em que pese existir outras opções, tanto de de ônibus quanto de trem, acaba que dá muito mais trabalho, e perda de tempo.

Desta forma, o mais fácil foi fazer o trajeto partindo de Salzburgo. Só que, mesmo sendo mais perto (71km), o caminho é bem demorado, já que é cheio de curvas, e alguns pontos o limite da velocidade é de 50 km/h. Mas uma coisa também é fato: o caminho é lindo! Cheio de casinhas fofas, campo verdes e os alpes austríacos nevados ao fundo. Então, acabamos gastando ainda mais tempo no trajeto, já que paramos inúmeras vezes para fotos!

Qual a melhor época para visitar Hallstatt:

Como Hallstatt é uma cidade bem fria, a melhor época para conhecer a cidade é de Abril a Outubro, já que nesta época todas as atrações estão abertas, você pode fazer muitos passeios, a temperatura é agradável e o sol se põe bem mais tarde! Durante o inverno que é bem rigoroso, a maioria dos hotéis e atrações fecham.

Onde se hospedar:

Primeiro, antes de entrar no assunto de hospedagem, gostaria de dizer que Hallstatt é muito pequena. E a maioria das dicas que vi na internet fala que um dia é suficiente. Ou seja, dá para fazer um day trip (bate-volta). Mas a cidade é tão aconchegante, o povo tão receptivo que vale a pena pernoitar pelo menos uma noite por lá! Sem contar que acordar com a vista para aquele lago, não tem preço!

Quando estiver pesquisando, é importante observar o local do hotel, ou seja, se ele realmente está localizado na cidade. Pois quando pesquisava, algumas ofertas são de hotéis do outro lado de Hallstatt (em Obertraum), o que será necessário que você pegue o barco para chegar a Hallstatt. Então, o melhor lugar para se hospedar, é dentro do circulo vermelho abaixo, ou seja, na própria Hallstatt.

As hospedagens em Hallstatt não são baratas. Mas os hotéis parecem aconchegantes, e quase todos com vista para o lago. Entretanto, é bom checar se o quarto é com vista para o lago, pois você pode ficar no lado de trás do hotel. Quando reservei o hotel, coloquei em observação que gostaria muito de um quarto com vista para o lago, e fui surpreendida com um upgrade, para um dos melhores quartos do hotel!

Ficamos hospedados no Heritage Hotel, que tem a maioria dos quartos de frente para o Lago, está localizado na área central, a menos de dois minutos da praça principal, de frente para a igrejinha que aparece nas fotos. É uma excelente hospedagem!

Nosso quarto foi o Heritage Júnior Suite, que custa em torno de 295 Euros a diária. É um quarto muito espaçoso, de 33 m², com uma varanda linda de frente para o lago! Sem falar que o hotel tem um excelente café-da-manhã, um restaurante muito bom, e o pessoal super atencioso!

Audioguia:

Existe a possibilidade de você alugar um audioguia para conhecer Hallstatt. Basta dirigir-se ao Centro de Informações ao turista, pagar uma taxa de empréstimo de 5 euros, e curtir todos os pontos indicados no guia.

O que fazer em Hallstatt?

A melhor forma de começar o passeio por Hallstatt é partindo do Centro da Cidade (que de tão pequeno, é quase a cidade toda). Perca-se!! O que provavelmente será difícil por lá! Ande pelas ruas, ruelas, becos, observe as casinhas, as vassouras nas portas das casas, e se possível vá aos pontos mais altos, que são acessíveis por algumas escadas de muitos degraus, mas nada tão difícil!

A Markplatz é a praça central de Hallstatt. Um destaque e um charme que só vendo! Nela tem vários cafés, pubs, restaurantes… mas a maioria fecha às 17hs, assim como quase tudo na cidade.

Não deixe de visitar com calma o Museum Hallstatt, que é o Museu da Herança Cultural (Seestrasse 56). É muito interessante ver o quanto eles cuidam bem do acervo, que é composto por objetos antigos dos primeiros moradores de Hallstatt, desde a época da colonização romana até os dias atuais.

Saindo do museu, aproveite para apreciar  o tabuleiro de xadrez gigante, à sua esquerda:

Ainda na área central, tem a igrejinha que sai em todas as fotos da cidade, a Evangelische Kirche Hallstatt (Igreja Luterana). Trata-se de uma igreja bem pequena, menos ornamentada que a Igreja Católica, que começou a ser construída em outubro de 1785, para ser uma casa de oração.

Ao lado da Igreja Luterana, está o Seehotel Grüner Baum no qual a Imperatriz da Áustria, Sissi, já ficou hospedada. Ele fica na praça central.

Caminhando para o lado contrário à Igreja Luterana, tem uma loja de artigos esportivos chamada Janu (Dachsteinsport Janu), Seestrasse 50. A loja, que também vende souvenir, ficou conhecida depois de encontrarem, durante uma escavação no subsolo (em 1990), um sítio arqueológico com peças muito antigas, que datam mais de 7.000 anos.

A exposição é gratuita e permanente, mas infelizmente não conseguimos visitá-la. Pois no dias antecedentes, teve uma chuva muito forte que acabou alagando o subsolo da loja, que estava interditado temporariamente.

A Parish of the Assumption (Kirchenweg 40) é a Igreja Católica de Hallstatt. O altar, em estilo gótico, é impressionante, assim como os vitrais e as pinturas nas paredes externas.

Como a cidade é muito pequena, existem estacionamentos fora da área de circulação de Hallstatt. Em alguns pontos, você verá placas proibindo a circulação de veículos no local, apenas para os motoristas de hotéis, ou moradores da cidade. As ruas não passam dois carros. Então, quando você chegar na cidade, você verá algumas placas informando do estacionamento. Se você for pernoitar na cidade, você ficará no estacionamento para os hóspedes de hotéis (P1). É só parar o carro, tocar o interfone (se não tiver um carro te esperando lá), e pedir o shuttle para determinado hotel.

 

*Fabiane Teixeira e Fábio Almeida escrevem no blog Viagens e Vivências, parceiro do Opinião e Notícia.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *