Início » Economia » Internacional » China e Japão à beira do confronto armado?
Disputa territorial

China e Japão à beira do confronto armado?

A medida desastrosa do Japão de nacionalizar três das cinco ilhas do Mar da China Oriental foi considerada uma conspiração pelo governo chinês

China e Japão à beira do confronto armado?
Senkakus (Japão) e Diaoyus (China)-Ilhas do Mar da China Oriental (Reprodução/The Economist)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A China e o Japão estão caminhando para a guerra. Nas águas e céus em torno das ilhas disputadas, a China está promovendo uma escalada de operações destinadas a desafiar décadas de controle japonês. A potência continental está combinando suas ações com uma retórica cada vez mais inflamada. O Japão, afirma o China Daily, é o “verdadeiro perigo e ameaça para o mundo”. Um conflito militar, afirma o Global Times, é agora “mais provável… Precisamos nos preparar para o pior”. A China parece estar se preparando para o primeiro conflito armado entre os dois países em sete décadas.

Sabe-se que China e Japão têm diferenças em relação à história e ao território – sobretudo a respeito de cinco ilhotas no Mar da China Oriental, que o Japão controla e chama de Senkakus, sobre as quais a China alega ter direito territorial e chama de Diaoyus. Agentes racionais com economias profundamente entrelaçadas deveriam resolver suas diferenças, ou aprender a solucioná-las de modo seguro. Pelo menos era isso que se presumia a respeito de China e Japão.

Mas isso mudou em setembro após o então primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, nacionalizar as três ilhas que ainda não eram posse japonesa. Tratou-se de uma tentativa desastrada de evitar que elas caíssem nas mãos de Shintaro Ishihara, um político de direito antichina que foi governador de Tóquio até o ano passado. No entanto a China afirma que a manobra foi fruto de uma conspiração antichina para fortalecer a posição japonesa.

O combate iminente descrito pela China  poderia ser calamitoso. Este colocaria em risco a paz não apenas da China, mas de toda a região, bem como seu avanço econômico. O mundo, os EUA inclusive, tem o dever de alertar a China antes que seja tarde demais, embora tais advertências certamente serão interpretadas como conspirações. Quem vai falar a verdade para a China a respeito dessa barafunda?

Fontes:
The Economist-Dangerous shoals

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

6 Opiniões

  1. luiz alberto garcia disse:

    Este é um assunto muito polemico. O Japao nao é o Tibet onde a China entrou e o mundo ficou calado. O Japao nao tem “gaz” para enfrentar a China; sera que os EUA sairiam em favor do aliado Japao? Se isto acontecer imaginem que “caca” o mundo entraria? Seria o fim da Primeira e segunda maior potencia do Globo!!!

  2. Antonio Carlos Vidigal disse:

    Acho que discordo do Luiz Alberto. Hoje os EUA ainda têm potencial para ganhar uma guerra contra a China, em termos de número de aviões, ogivas nucleares, etc, etc. Melhor que isso aconteça agora do que daqui a uns 20 anos, quando a destruição seria mútua. Se não acontecer essa guerra, e eu prefiro que não aconteça, a China vai dominar o mundo daqui a poucas décadas. Resta esperar que o faça de forma pacífica e respeitosa.

  3. Áureo mRamos de souza disse:

    Eu acho um absurdo nos tempos de hoje estarem brigando pedaços de terra. Se falar de guerra, é burrice, temos que ter diálogo e chegar a um denominador comum . Guerra é para os idiotas da Síria e outros países pequenos, subdesenvolvidos, guerra é para quem não tem neurônios ou melhor é para quem tem merda na cabeça. Tantos títulos de Paz é dado todos os anos, será que na China e no Japão não existe pessoas intelectuais para um diálogo?

  4. celso disse:

    O Problema não é de hoje. O Japão barbarizou os chineses e a coreanos na segunda guerra mundial. Ainda não pediu desculpas pelos seus atos.
    Pesquisa:

    “O problema do Japão com seus vizinhos vem dos anos 1200s quando Kublai Khan atacou o Japão na maior invasão naval da historia.”
    “Até hoje quem visitar os templos coreanos encontrará a inscrição “queimados pelos japoneses em 1592””
    Os problemas do Japão com territórios ocupados não são só com a China, existem confrontos com a Coréia do Sul que reivindica o retorno da Ilhas Dokdo e a Rússia as Kurile Islands.

  5. helo disse:

    O mapa mostra que as ilhas estão mais próximas da China. Porém não parecem ter uma importância estratégica, já que o Japão está muito próximo. Um risco seria, como no caso Malvinas, que as ilhas servissem para unir a população e desviar a atenção das questões internas. Por hora seria, como bem aponta o leitor, um mau negócio pra China que já vem com sucesso ocupando o mundo via migração e negócios, sobretudo nas vizinhas Austrália e Nova Zelândia. O mal é que guerras acontecem por muitas razões nem sempre lógicas.

  6. Arnaldo Ribeiro disse:

    Os RECURSOS FINANCEIROS que escoam pelo esgoto da CORRUPÇÃO + os que têm sido INCINERADOS pela loucura das GUERRAS, aplacariam a FOME no mundo.r

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *