Início » Sem categoria » A ciência inexata da economia
INEXATIDÃO QUE PREJUDICA

A ciência inexata da economia

As divergências ideológicas no campo da economia diminuem sua importância aos olhos do público

A ciência inexata da economia
Para alguns, a economia baseia-se mais na ideologia do que na observação empírica e na análise racional (Foto: Pixabay)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A incompetência talvez não seja um dos melhores critérios definidores, mas os economistas gostam desse parâmetro quando as pessoas chamam sua disciplina de ciência. Eles se consideram os mais rigorosos cientistas sociais. No entanto, enquanto seus colegas na área de ciência natural editam
genes e descobrem novos planetas, os economistas não conseguem prever com segurança, muito menos evitar, as recessões ou outros acontecimentos econômicos. Na opinião de algumas pessoas a economia baseia-se mais na ideologia do que na observação empírica e na análise racional.

Mas ao contrário de muitos cientistas os economistas têm limitações em seu campo de pesquisa. Eles não podem, por exemplo, analisar as recessões intermináveis em testes de laboratório para descobrir as causas. A ciência, escreveu o economista Paul Romer, em um artigo publicado no ano passado, induz a um amplo consenso. A política não. Nem, ao que parece, a economia.

Os economistas têm a tendência de seguir campos rivais definidos por crenças diferentes. Há pouco tempo, Anthony Randazzo do instituto de pesquisa Reason Foundation e Jonathan Haidt da Universidade de Nova York fizeram perguntas de conteúdo moral (é mais justo dividir recursos sem diferença quantitativa, ou de acordo com o esforço?) e sobre economia a um grupo de economistas da área acadêmica.

Eles descobriram uma grande analogia entre a visão ética e econômica desses economistas. A coerência não se resumiu a questões referentes à intervenção dos governos para diminuir a desigualdade social e econômica, mas também abrangeu questões mais empíricas, como de que forma a austeridade fiscal afetava as economias à beira do colapso. Outro estudo mostrou que, em
pesquisas empíricas, os economistas conservadores veem mais efeitos prejudiciais no aumento de impostos do que os economistas de esquerda.

Entretanto, mesmo que a economia não se baseie apenas na ideologia, suas tendências em geral são mais influentes do que o conjunto de princípios e normas da química. Os economistas aconselham os políticos em todos os tipos de decisões importantes. Mas a reputação de imparcialidade poderia melhorar a imagem da economia e da qualidade da política econômica.

Fontes:
The Economist-All at sea

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Beraldo disse:

    Nenhuma novidade: Os economistas fazem suas projeções influenciados pelos interesses da corrente político-ideológica a que pertencem. Os “Prêmios Nobel” de Economia são dados sempre aos que professam o Capitalismo Total Radical. Não consta que algum deles tenha dado um pitaco na condução da Economia Chinesa, que é a que mais cresce nas últimas três décadas. Então…? Economia é Ciência?

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *