Início » Sem categoria » Anvisa aprova dois novos medicamentos contra hepatite C
SAÚDE

Anvisa aprova dois novos medicamentos contra hepatite C

Medicamentos fazem parte da nova geração de remédios que impedem a multiplicação do vírus da doença no organismo

Anvisa aprova dois novos medicamentos contra hepatite C
Novos remédios têm taxas de cura superiores a 90% (Foto: Divulgação/Gilead Sciences)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira, 5, o registro de dois medicamentos contra a hepatite C C no Brasil. Com a medida, os remédios Zepatier e Harvoni poderão ser importados para o país e ampliarão as opções de tratamento da doença.

Os dois remédios fazem parte da nova geração de medicamentos que bloqueia a multiplicação do vírus da hepatite C no organismo e possibilita a cura em taxas superiores a 90%. Antes, pacientes usavam o Interferon, um remédio que fortalecia o sistema imunológico do paciente, mas que tinha menor taxa de cura e provocava mais efeitos colaterais que os novos medicamentos, como anemia, cansaço, depressão.

O Zepatier é a associação dos princípios ativos ELBAS-VIR e GRAZO-PREVIR, e pode ser usado para o tratamento de hepatite C crônica para genótipo 1 ou 4. Já o Harvoni é a combinação de LEDI-PASVIR e SOFOS-BUVIR, e é indicado para o genótipo 1. Ambos são medicamentos de uso adulto por via oral e serão produzidos no exterior e importados para o Brasil.

Em novembro deste ano, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, declarou que o país tem como meta eliminar a hepatite C do Brasil, seguindo uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Como não existe vacina contra a doença, a erradicação seria feita por meio de tratamento. A Anvisa destaca que os novos medicamentos deixam o país perto da cura total da doença e da eliminação da transmissão.

Segundo a Anvisa, a doença afeta de 80 a 150 milhões de pessoas no mundo e é uma das principais causas de transplante de fígado. Estima-se que entre 1,4 e 1,7 milhão de brasileiros convive com a doença, que é transmitida pelo compartilhamento de seringas contaminadas (ou objeto cortante), transfusão de sangue e relações sexuais desprotegidas.

Fontes:
G1-Anvisa registra dois medicamentos contra a hepatite C
Anvisa-Novos tratamentos para hepatite C
EBC- Brasil pretende eliminar hepatite C até 2030, diz ministro da Saúde

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *