Início » Sem categoria » Como Eike Batista conseguiu enganar tantos por tanto tempo
eike batista

Como Eike Batista conseguiu enganar tantos por tanto tempo

A principal “virtude” de Eike, capaz de engabelar milhões investidores mundo afora, foi mesmo a sua proximidade com o governo petista, que lhe proporcionou amplo acesso a financiamentos e contratos públicos

Como Eike Batista conseguiu enganar tantos por tanto tempo
Eike chegou a ser o sétimo homem mais rico do planeta, almejando a primeira posição (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

As empresas de Eike Batista continuam nas manchetes dos principais jornais do país.  Suas ações e seu patrimônio estão virando pó numa velocidade estonteante.  A petroleira OGX entrou com pedido de recuperação judicial na última quarta feira e o estaleiro OSX deve fazer o mesmo hoje.  As dívidas do grupo estão na casa das dezenas de bilhões de reais, o que nos faz prever que muita gente vai sair “chupando dedo”.

Em editorial, o Globo de hoje relembra um pouco a trajetória do empresário:

O idealizador das “empresas x” pôde captar volumosos recursos privados, internos e externos, por meio do lançamento de ações e bônus. Caso da OGX, cotada ontem a R$ 0,13 ao ser retirada do índice da Bolsa (Ibovespa), 99% abaixo do pico de mais de R$23, em outubro de 2010, quando investidores acreditavam nas estimativas de Eike de grandes reservas de petróleo nas áreas em perfuração pela empresa, hoje candidata à recuperação judicial.

O que é estarrecedor nessa estória foi a facilidade com que Eike Batista, um empresário medíocre, que administra os negócios com um olho nos lucros e outro nos astros, conseguiu enganar tanta gente (aqui e lá fora) durante tanto tempo, a ponto de ter-se tornado, há apenas poucos anos, o sétimo homem mais rico do planeta – com pretensões de chegar ao primeiro lugar.

É claro que um pouco disso pode ser creditado ao ímpeto empreendedor e à inegável virtude de marqueteiro de Eike.  (Quem não se lembra, por exemplo, das gordas doações daquele empresário para programas sociais – “Criança Esperança”, ONG da Madona, Hospital do Coração Infantil, entre outros -, que lhe garantiam generosa publicidade na mídia, além de uma extremada simpatia dos jornalistas e outros opinantes?)

Mas a principal “virtude” de Eike, capaz de engabelar milhões investidores mundo afora, foi mesmo a sua proximidade com o governo petista.  Além de amplo acesso a financiamentos e contratos públicos  – Caixa, BNDES, Petrobras e Banco do Brasil estão listados entre os principais credores do grupo -, Eike estava sempre na companhia de algum governante poderoso, notadamente o ex-presidente Lula e o ex-ministro José Dirceu, com os quais tinha grandes afinidades.  Foi Lula, por exemplo, quem o convenceu de que produzir “tudo” no Brasil, importando o mínimo possível, a exemplo do que faz a Petrobras, seria vantajoso não só para o país como para as empresas do grupo. Pelo visto, não era.

No final das contas, para o governo, os prejuízos causados por decisões equivocadas são “contabilizados” como meros acidentes, como disse hoje o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.  Para os investidores, entretanto, pelo menos para aqueles que foram “na onda” do governo, esses prejuízos podem representar a poupança de uma vida inteira. A eterna compulsão dos governos por intrometer-se onde não deveria gera efeitos nocivos não apenas para os pagadores de impostos, mas também para poupadores e investidores.

Benjamin Constant já dizia, há mais de duzentos anos, que os erros dos agentes públicos possuem uma capacidade quase ilimitada de produzir danos, cujos efeitos se espalham sobre uma gama extraordinária de pessoas.  Lula, porém, deve achar que a sabedoria de Constant não é nada se comparada à sua.

_____________________________________________________________

*João Luiz Mauad é administrador de empresas e diretor do instituto liberal.

Fontes:
Instituto Liberal-Como Eike Batista conseguiu enganar tantos por tanto tempo

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

2 Opiniões

  1. Mauricio Fernandez disse:

    O nome disso é estelionato. Mas a turma morre de medo de falar nisso. Não ouve sequer uma reprimenda a quem quer que seja. Afinal de contas são todos muito próximos do governo. Ou alguém acredita que Eike é mágico, fez tudo sozinho? Eike não ‘engambelou’ ninguém! Foram negócios devidamente comissionados.

  2. Marluizo Pires Cruz disse:

    Conseguir enganar tantos por tanto tempo, parece não ser coisa de uma pessoa só, é preciso ter a cumplicidade de vários agentes principalmente das pessoas que não tem compromisso com a ética, de valorização do que já dizia as escritas há milhares de anos, “haverás de viver do suor de teu rosto”, fundamentando o principio de que, só tem “virtude” a riqueza conquistada com o trabalho honesto. Seria vantajoso não só para o país como para a sociedade brasileira os bancos públicos ajustar suas liberações de empréstimos evitando decisões equivocadas causadoras de danos ao erário público cujos efeitos se espalham sobre uma gama extraordinária de pessoas.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *