Início » Sem categoria » Correa define rebelião de policiais como tentativa de guerra civil
Equador

Correa define rebelião de policiais como tentativa de guerra civil

"Havia uma tentativa de desestabilização e de se iniciar uma guerra civil", diz presidente do Equador

Correa define rebelião de policiais como tentativa de guerra civil
Rafael Correa foi atacado por policiais na última quinta-feira, 30

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A rebelião iniciada por policiais no Equador na última quinta-feira, 30, foi avaliada pelo presidente Rafael Correa nesta sexta-feira, 1º, como uma tentativa de início de guerra civil. Os policiais atacaram o líder equatoriano e mataram um dos seguranças de Correa, que tentava defendê-lo durante o protesto.

“Havia uma tentativa de desestabilização e de se iniciar uma guerra civil”, afirmou o presidente do Equador, que enfatizou não ter sido uma ação de reivindicação salarial. Ele definiu o protesto como uma tentativa de conspiração, em que “se criou descontentamento na força pública para tentar gerar uma guerra civil.”

O presidente ainda destacou que durante a ação dos policiais rebelados ocorreram a tomada do aeroporto da capital, o descontrole proposital do sistema de semáforos e saques para gerar caos na cidade. Para Correa, a ação não teve êxito em seu objetivo de gerar uma guerra civil, pois as Forças Armadas não se uniram aos policiais.

Correa tentou negociar com policiais

Durante o protesto, o presidente tentou negociar pessoalmente com os rebelados e foi criticado pela decisão. Ele alega que sua intenção era explicar que a lei de Servidores Públicos não prejudicava os funcionários públicos. “Ao contrário, os beneficiava”.

O veículo em que Correa estava foi atingido por pelo menos cinco tiros. O tiroteio, que durou 40 minutos, resultou em quatro mortes e 88 feridos.

Novo chefe de polícia assume

O novo chefe de polícia nomeado nesta sexta-feira, 1º, é Patrício Franco, que assume o cargo no lugar de Freddy Martínez, que renunciou ao cargo na manhã do mesmo dia.

Fontes:
BBC Brasil - orrea diz que policiais tentaram iniciar guerra civil no Equador

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. JORGE TERRA NACER disse:

    comunista , comunista, comunista, chavista, baba ovo do chavez,aliado do novo fidel sul americano. vc vão ver a hora em que ele ajudar o chavez acabar com o brasil.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *