Início » Sem categoria » Empresa indiana anuncia celular como controle de natalidade
Foreign Policy

Empresa indiana anuncia celular como controle de natalidade

Brincadeira bem humorada pode ter um fundo de verdade

Empresa indiana anuncia celular como controle de natalidade
Comercial sugere que tecnologia 3G pode agir como anticoncepcional (Reprodução/ Youtube)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Sexo vende, diz o ditado. E aparentemente não há limites para fazer dele uma ferramenta de marketing. Um novo comercial — retrógrado na sua representação do papel dos sexos — da operadora indiana !dea anuncia o serviço 3G como forma de conter o aumento populacional do país. Com tudo que pode ser feito nos celulares, o comercial sugere, os indianos estariam muito ocupados para fazer bebês. (O vídeo não está em português, mas é muito fácil de compreender)

 

Leia também: Novo celular 4G deverá chegar ao país para a Copa

Leia também: Vem aí o anticoncepcional para homens

O anúncio é obviamente feito para fazer uma piada, mas será que tem um fundo de verdade? Christopher Mims do Massachusetts Institute of Technology acha que sim: “A Índia é um país que pode brincar com seus problemas de população e de controle de natalidade, mas brincadeiras à parte, até certo ponto a mensagem pode ser verdade”, diz Mims. Segundo ele, a ascendência feminina a cargos de poder é o caminho mais rápido para inclinar a curva do aumento populacional futuro. Assim, a internet sem fio também pode ser uma forma de facilitar o acesso à informação e à educação nos países em desenvolvimento.

Na edição de novembro/dezembro de 2009, o colunista da FP, Charles Kenny, buscou olhar o papel que a introdução da televisão teve na Índia rural.

“A televisão a cabo ou via satélite pode estar causando um impacto ainda maior na taxa de fertilidade da Índia rural. Como no Brasil, a programação popular lá inclui novelas que têm seu foco na vida urbana. Muitas mulheres dessas séries trabalham fora de casa, administram negócios e controlam dinheiro. Ainda por cima, os personagens das novelas são tipicamente pessoas bem-educadas e com poucos filhos”, conta Kenny.

Para ele, esses personagens já provaram exercer um forte papel de modelo. Uma pesquisa conduzida pelos acadêmicos Robert Jensen e Emily Oster apontou que dar acesso à televisão fechada a camponeses tem o mesmo efeito nas taxas de fertilidade que aumentar em cinco anos o tempo que as meninas permanecem na escola.

As novelas no Brasil e na Índia forneceram imagens de mulheres que tinham o poder de tomar decisões afetando não só a natalidade, mas também diversas atividades domésticas. A introdução de serviços a cabo ou satélite em uma área rural, a pesquisa indicou, acompanha uma alta taxa de meninas matriculadas na escola e um aumento da autonomia feminina. Com dois anos de acesso, entre 45% e 70% das diferenças entre áreas rurais e urbanas desaparece.

O artigo de Kenny mostrou que a televisão estava tendo maior impacto social do que a internet, utilizada apenas por 7% dos indianos. Com a introdução a um custo relativamente baixo da tecnologia 3G e com o melhor de Hollywood e Bollywood cada vez mais disponível online, talvez isso não dure muito.

Fontes:
Foreign Policy - Indian company markets cell phones as birth control

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Rogerio Faria disse:

    No Brasil também há problemas. A taxa de fecundidade tem caída nas classes mais elevadas e estabilizado ou aumentado nas classes de menor ou nenhum poder aquisitivo e baixa formação cultural.. O País no futuro terá um grande contigente de usuários de bolsa-família, DJ/MCSs, pagodeiros, jogadores de futebol, vagabundos, crentes, favelas etc, etc…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *