Início » Cultura » Escavação em Pompeia encontra afresco de combate de gladiadores
ARQUEOLOGIA

Escavação em Pompeia encontra afresco de combate de gladiadores

A cena é do fim de uma luta entre dois tipos de gladiadores. É a descoberta mais recente no Regio V, um local de 54 acres ao norte do parque arqueológico

Escavação em Pompeia encontra afresco de combate de gladiadores
No afresco, um mirmilão e um trácio (Foto: Pompeii - Parco Archeologico/Facebook)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um afresco bem preservado representando gladiadores combatentes foi descoberto por arqueólogos na antiga cidade romana de Pompeia. 

A cena é do fim de uma luta entre dois tipos de gladiadores – um mirmilão e um trácio – na qual um vence e o outro sucumbe. Os dois tipos foram distinguidos por suas armaduras e armas. É a descoberta mais recente no Regio V, um local de 21,8 hectares (54 acres) ao norte do parque arqueológico que ainda está aberto ao público.

O afresco foi encontrado em uma parede abaixo da escada do que provavelmente era uma taberna frequentada por gladiadores e que oferecia acomodação em um andar superior para que eles dormissem com prostitutas.

“É muito provável que este local tenha sido frequentado por gladiadores”, disse Massimo Osanna, diretor geral do parque arqueológico de Pompeia. “Estamos no Regio V, não muito longe de onde havia um quartel para gladiadores, onde, entre outras coisas, havia grafites referentes a esse mundo. O que é interessante nesse afresco é a representação muito realista de feridas no pulso e no peito do gladiador que está perdendo a luta. Não sabemos o resultado, ele pode ter morrido ou recebido a graça”.

As escavações no Regio V renderam dezenas de descobertas desde o início do trabalho no ano passado, como parte do projeto Great Pompeii, financiado pela União Europeia. Um balcão de “fast food”, ou termopólio, com afrescos, foi encontrado em março e outro, representando o caçador mitológico Narciso, arrebatado por seu próprio reflexo em uma piscina de água, foi descoberto em fevereiro.

Restos humanos também foram encontrados, incluindo esqueletos de duas mulheres e três crianças amontoados em uma vila, além dos restos de um cavalo e sela.

Muito trabalho foi feito em todo o parque, que atraiu quase 4 milhões de visitantes por ano desde 2013, quando a Unesco ameaçou colocá-lo em sua lista de locais de patrimônio mundial em perigo, a menos que as autoridades italianas melhorassem a preservação.

“Há alguns anos, o sítio arqueológico de Pompeia era conhecido em todo o mundo por sua imagem negativa: os colapsos, as greves e as filas de turistas sob o sol”, disse o ministro da Cultura da Itália, Dario Franceschini. “A história de hoje é de redenção e milhões de turistas. É um local acolhedor, mas, acima de tudo, voltamos a fazer pesquisas através de novas escavações. A descoberta do afresco mostra que Pompeia é uma mina inesgotável de pesquisa e conhecimento para os arqueólogos de hoje e para os do futuro”.

Leia também: O perigoso terreno do turismo sombrio
Leia também: Crânio de quase 2 mil anos auxilia estudos sobre a tragédia de Pompeia
Leia também: Itália lança amplo projeto de restauração de patrimônios culturais

Fontes:
The Guardian-Pompeii dig unearths fighting fresco in 'gladiators' tavern'

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *