Início » Sem categoria » Haiti: país que nunca conheceu a ordem
História

Haiti: país que nunca conheceu a ordem

Haiti: país que nunca conheceu a ordem
Mapa da região

Disputas políticas e revoltas populares permeiam a história do país mais pobre do Ocidente. A atual situação do Haiti foi construída a partir de sua história, que mostra a falta de governo e a desunião do povo.

Diogo Silva Batista, soldado do Exército Brasileiro, participou da missão de paz que o Brasil lidera no país e ficou chocado com a desigualdade social da população. “A gente pensa que a desigualdade social no Brasil é imensa. É grande, mas lá não existe sequer um pobre nestes bairros patrulhados no Haiti. São todos miseráveis. Ou miseráveis ou ricos. Não há uma classe intermediária. E não há convivência entre um extremo e outro.” E foi assim desde o início.

O Haiti foi descoberto por Cristóvam Colombo em 1492. A colonização espanhola escravizou os nativos na produção agrícola e cerâmica. Ainda neste período, o país sofreu muita influência da França, que assinou em 1697 um tratado com a Espanha, no qual obteve o controle do Haiti. A população nativa praticamente desapareceu por conta da força das doenças. Os franceses trouxeram escravos africanos para trabalharem na lavoura açucareira que crescia no país. Por volta de 1780, viviam na colônia cerca de 500 mil negros, 24 mil mestiços e 32 mil brancos. Neste período, o Haiti, comparando o seu território e sua rentabilidade com os das outras colônias das Américas, poderia ser considerado umas das colônias mais ricas no continente. Por isso, o país era chamado de  a “pérola das Antilhas”.Toussaint_L'Ouverture

O Haiti foi ainda o primeiro país latino americano a declarar independência. A população escrava, com uma imensa superioridade numérica, sob a liderança do escravo Mackandal, desencadeou em 1754 a revolta que resultaria em quatro anos de guerrilha. Mackandal utilizou os ritos de vodu para aterrorizar a classe branca. Desde este primeiro rebelde à Revolução Francesa, inúmeras revoltas aconteceram. Os negros receberam apoio e financiamento dos ingleses e espanhóis, inimigos da França. Toussaint l’Ouverture, um escravo negro que aprendera a ler e adquirira certa cultura intelectual liderou a revolução. Em 1794, a França declarou a abolição da escravidão nas colônias, conseguindo que Toussaint passasse a apoiar as autoridades francesas.

Toussaint ganhou prestígio entre os negros e os brancos.  Em 1801, após derrotar os ingleses e espanhóis, Toussaint preparou a independência do Haiti como um estado associado à França revolucionária. Mas Napoleão Bonaparte, que estava comandando o novo governo revolucionário francês, rejeitou a proposta e tentou recuperar a colônia rica.  Toussaint foi levado para a França, onde morreu prisioneiro por traição. Um dos generais dele, o ex-escravo e analfabeto Jean-Jacques Dessalines, continuou a revolução e conseguiu expulsar as tropas francesas. A proclamação da independência do Haiti ocorreu em 1º de janeiro de 1804. Os espanhóis ainda dominavam a parte leste do país. A unificação só ocorreu em 1820.

Desde a unificação até 1843, o país esteve sob o governo do ditador Jean-Pierre Boyer. A partir daí, o caos começou a se instalar no país. Foram vinte e um governantes. Um deles, Faustin Soulouque, nomeou-se imperador, instaurou novamente as práticas de vodu e conquistou a República Dominicana. O país vizinho reagiu e levou à derrocada do governo de Soulouque. Em 1905, os Estados Unidos intervieram, a fim de cobrar a dívida externa e passaram a dominar as alfândegas. Dez anos depois, os EUA levaram suas tropas ao país e assumiram o governo.

Em 1934, os EUA retiraram suas tropas e, em 1941, abdicaram do controle alfandegário. Daí então inúmeras revoltas populares e golpes de Estado aconteceram seguida por três ditaduras. A história recente do Haiti repete o caos do passado.  De 1950 a 1957, o país foi governado por Raoul Magloire, que deu direito aos cidadãos de votar, mas decidiu permanecer no poder, com a ajuda militar. Até que o novo ditador chegasse ao poder, foram sete governantes.

François DuvalierCom a ditadura de François Duvalier, o Haiti sofreu seu pior período. Ele era médico e  sanitarista, reconhecido e prestigiado mundialmente, por conta de seu envolvimento com o movimento negro. Seu trabalho de combate à malária nas áreas rurais o tornou conhecido como Papa Doc (papai médico). Mas a repressão militar que trouxe ao país apagou a sua boa fama. Após sua morte, em 1971, seu filho Jean Claude Duvalier, o Baby Doc, assumiu o poder aos 19 anos e deu continuidade ao regime de terror imposto pelo pai. Jean Claude foi deposto em 1986 por um golpe militar.

A redemocratização só ocorreu em 1990, quando a população elegeu o padre Jean Bertrand Aristide para presidente. Mas outro golpe militar instaurou nova ditadura. Aristide só retornou ao poder, com auxílio dos Estados Unidos, em 1994. Mas a miséria já estava instalada no país. O padre permaneceu no poder até janeiro de 2004, quando a ala rebelde fez inúmeros mortos na capital do país, Porto Príncipe. A ONU interveio em fevereiro e o presidente fugiu para a África do Sul. A missão de paz da organização conta com inúmeros países. A chegada dos soldados brasileiros ao país coincidiu com o início da estabilização, como conta Diogo Batista, que esteve no país entre novembro de 2007 a junho de 2008:

“Quando o meu contingente chegou, a situação no país já havia melhorado muito. Alguns soldados remanescentes contavam sobre as dificuldades de levar ajuda. Os aviões com os suprimentos nem conseguiam pousar. Eram interceptados, sequestrados pelas gangues que saqueavam e tentavam vender muitos produtos trazidos pela ajuda. Na minha época, isso já não acontecia com muita frequência. Os bairros onde eu fazia patrulha ainda tinham muitas gangues, mas elas não estavam tão organizadas quanto antes e era fácil prendê-los”.

Quando o Haiti começou a conhecer um pouco de ordem, um terremoto devastador levou o país a um novo caos. As autoridades internacionais presentes no país temem novas revoltas da população que está, em grande parte, desabrigada, sem água, luz e alimentação.

Fontes:
História da Ecravidão na América Latina
História do Haiti
História do Haiti

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

44 Opiniões

  1. julio cesar disse:

    muito bom me ajudou mt

  2. Henrique Rodrigues disse:

    O que acontece no haiti, e que as pessoas que lá vivem realmente pensavan que o pais estava começando a entrar em ordem mas agora assim do nada vem esse terremoto e acaba com tudo , pessoas que tinham esperança, agora encontram-se em estado de choque vendo seus familiares mortos, sem moradia,alimentação,água realmente e triste viver em um pais que se-sabe que o futuro não sera tão certo.
    Espero que a ordem seja devolvida ao haiti novamente e seus habitantes possam lutar por um futuro melhor e não se matar por comida.
    sou soldado do Exercito Brasileiro sei que é muito sofrimento queria estar lá ajudando, mas fico feliz em ver o planeta trabalhando junto por uma boa causa.

  3. CRISTINA SANTANA disse:

    O HAITI MUITO SE FALOU, AGORA ESQUECERAM, MAIS LA HA PESSOAS AINDA PASSANDO FOME E SE FOCSSE CONOSCO, COM OUTRO PAIS, NÃO DEIXEM CAIR NO ESQUECIMENTO

  4. Marco Aurelio disse:

    Interessante é que se ve em diversas reportagens o povo haitiano andando de lá para cá sem destino definido, oras, porque ao invés disso não pegam um pá ou uma picareta e vão limpar as ruas? Dá-se a impressão que não querem trabalhar e sim aguardar ajuda alimentar para a sobrevivencia como se o mundo fosse o responsável pela sua desgraça. Espero estar enganado neste ponto de vista, mas.;….

  5. REGINA disse:

    GOSTARIA REALAMENTE QUE NESTE MOMENTO TÃO DIFÍCIL, OS PODEROSOS E OS INVEJOSOS DEIXASSEM A GANÂNCIA,AS DIVERGÊNCIAS E A COMPETIVIDADE DE LADO, FOCANDO O OBJETIDO APENAS PARA O LADO HUMANITÁRIO,AJUDAR REALMENTE SEM TENTAR TIRAR PROVEITO DESSE POVO TÃO SOFRIDO.

  6. Jose Milton De Quevedo disse:

    O ser humano tanto pode ser solidario, como
    tambem pode ser sanguinario.
    Foi o que fizeram todos os governantes deste país.
    Curaram algumas feridas, mas abriram outras piores.
    Só Deus pode salvar este povo tão sofrido.

  7. paula disse:

    é muito importante a nossa mobilização frente a situação do Haiti, principalmente agora que o país está passando por uma fase mais difícil do que sempre passou. Mas eu ainda acho que o nosso país precisa muito da nossa ajuda, antes de olharmos e ajudarmos os de fora. A situação do nordeste principalmente, é infelizmente ainda muito precária, mesmo não tendo terremoto, ainda há “ns” motivos para nos preocuparmos.
    obrigada pela atenção e vamos nos mobilizar!

  8. Amanda chagas disse:

    sera que tem um meio de
    voluntaria no haiti? ou em qualquer pais pobre do mundo? sem ter recursos financeiros enem formaçao proficional?

  9. Amanda chagas disse:

    Amanda chagas
    desejo muito ajudar o haiti de alguma maneira,meu maior desejo e de estar la emboranao tendo nenhuma especialidade mais sempre tive o desejo de ir para o haiti desde que soube que era o pais mais pobre da america e que apopulaçao e formada por miseraveis

  10. marta disse:

    Bom dia!
    Como eu faso para me escrever p ser voluntaria no haiti?
    Sou tec: de efermagem,e gostaria muito de ajudar.
    obrigad

  11. manoelneto disse:

    Todos vc irão concordar com a minha observação que, é oseguinte; depois de tudo que aconteceu no HAITI não è possivel, não existe a menor condição daquela população fixar moradia, em uma região muito propensa a um terremoto ou terremotos frequentes, apesar de ser uma bela ilha.

  12. wilson disse:

    Concordo Juliana. Eu escrevi sobre as responsabilidades da classe dominante haitiana e os interesses das grandes potencias em manter o Haiti sem uma espinha dorsal (Estado )
    ambas as predações parasitárias se uniam para tornar o Haiti o país mais pobre do Hemisfério.Sem contar as consequências que uma sociedade abandonada à própria sorte tem em vislumbrar o futuro.Mas o Exodo do Haiti aos EUA e a França, formou uma mão de obra imigrante que poderá sim ajudar na recriação de um Novo Haiti.Esperança ou Fé!

  13. MARIA NEUSA DOS SANTOS disse:

    É triste saber que o Haiti já foi tão rico e hoje se encontra tão pobre devido ao egoismo do homem. Por outro lado nos alegra o coração saber que os nossos irmão brasileiros estavam estabilizando o país.
    Para o terremoto perguntamos a Deus “POR QUÊ NO HAITI” e como diz o meu pároco, um frade franciscano “não temos respostas”.
    Cabe a nós nesse momento elevarmos nosso pensamento ao Pai Celestial e pedirmos consolo espiritual e material para os nossos irmãos haitianos.

  14. JUliana Machado disse:

    Em se tratando de política, sociedade e economia o Haiti nunca conheceu ordem mesmo. Isso não desvaloriza o seu povo e sua cultura original.

  15. wilson disse:

    Em termos economicos,após as disputas ideológicas países como o Haiti tornaram-se supérfluos para as corporações. a África por outro lado ainda é muito mais rica do que o que pode oferecer solo do Haiti.Não é sem razão que um estado em desenvolvimento como o Brasil queira implantar a técnologia do biodiesel , além é claro de procurar somar com outras propostas como turismo .A esperança está também nos haitianos em outros países que acorreram a sua querida ilha que clama por socorro !

  16. wilson disse:

    Descemos das divagações.
    A Onu e os Países Africanos.
    a estrutura burocrática da Onu ainda calcada no eqilibrio de poder do pós guerra imediato e dependente das quotas dos seus mais poderosos integrantes tem sido atropelada pelo voluntarismo deste ou daquele governo estadunidense após a debacle do socialismo realmente existente na URSS.
    As nações africanas herdaram todas as instituições européias e as benfeitorias feitas, o corpo gerencial voltou a europa um gap se estabeleceu ,olhavam para o outro lado do progresso mas não havia ponte.Além da desunião entre os povos africanos ( fronteiras traçadas não levando em consideração as nações e propiciando a algumas tribos acessos a funções intermediárias no sistema enquanto
    outras não se viam incluidas ,alem da concentração de terras em plantations na mão de uma elite branca que desalojou tribos ou não reconhecimento de posse para aqueles queviviam do pastoreio ou extrativismo vegetal)
    Algumas lideranças carismáticas e heróis da luta de independencia encontraram no Comecon a saída e a aliança implicita com Moscou ou China para suprir a lacuna com o exodo de mão de obra qualificada.Outros voltaram a condição de colonias não diretamente de países mas de corporações que pagavam régiamente ditadores e seus exércitos mercenários.
    Não tenho noticias da àfrica francófona ?! (Senegal, Costa do marfin ,Gabão)espero que estejam bem .O caso do Togo envolveu a desastrosa e sem noção culpa do senhor Hayatou.
    No que se refere ao chade bem isso é um assunto interno francês(RZZ).A frança quietinha tbm interfere nos assuntos internos dos países africanos.Quando a líbia tinha bala na agulha(made in CCCP)ela disputava influencia no Chade , República Centro Africana.Agora Mister Kadhafi é só uma figura alegórica , domésticado graças aos esforços e ao capital da UE via Capo Berlusconi.

  17. Rubi Emilio Dahmer disse:

    Tudo o que aconteceu até hoje no Haiti, são reflexos da voz da razão do homem. Do homem que fala, que faz, que age segundo o seu entendimento egoista, sem medir as grandes e terríveis conseqüencias que nesta hora são notícias visiveis para o mundo todo! Quando Ninive, estava numa situação indentica, Deus o grande arquiteto do mundo, deu uma ordem a um homem chamado JONAS, e, que este fosse a Nínive levar a mensagem do que estava por vacontecer, caso não houvesse arrependimente, conversão e abandono da idolatria, da prostituição, da mentira, da corrupção… Mas, Jonas achou por bem fugir da presença do Senhor, indo para Tarcis, escondido no fundo dum Navio da epoca, quando também lhes sobreveio em alto mar uma grande tempestade… e, estas tempestades nos sobreveem quando queremos fazer valer a nossa razão… E, o grande Deus que criou céus e terra pelo poder da Palavra, Ele não mudou, Ele quer obediência, e, Jonas pagou o preço… para resumir, não cou me estender, mas recomendo que, abre a Tua Bíblia, que é a Palavra de Deus e leia; os quatro capítulos; com 48 versículos; 8 ordenaças; 12 perguntas; nenhuma promessa; um versículo de Profecia cumprida e 6 mensagens distintas de Deus (1.2; 2.10; 3.2; 4.4,9,10). Escrito na Palestina em 853-824 a.C. > Que Deus tenha Misericórdia desse povo e abençoe a todos…

  18. wilson disse:

    Ressalva: é claro que dado o poder da mídia em formatar opiniões( quando fizeram uma repotagem positiva da Colômbia,Bolívia ou dos paises africanos?)para a massa ,nosso juizo dos nossos vizinhos não é muito diferente do Simpson.Bom quando que assistimos ,ouvimos ou lemos sobre os escandinavos ?Que eles tem tudo, estão tão entediados que vão procurar o que fazer no terceiro mundo ou pensam em se suicidar como na Suécia?

  19. wilson disse:

    Temo que os mariners (de boa fé) mas atrapalhem do que ajudem.Os anglo saxôes tem uma dificuldade em entender outras culturas e respeitar a alteridade.
    Por exemplo: duvido que algum moço católico do sul dos EUA receba instruções de como um haitiano deva ser enterrado, segundo ritos do vudu ou que nenhum estrangeiro deve tocar o corpo de um haitiano.Não acho que ele esteja a pensar em Halloween!Ele vai fazer o sinal da cruz com o m16?
    Enquanto o soldado brasileiro está mais aclimatado e não é tão impermeavel as outras culturas. Não olha o estrangeiro de cima.

  20. wilson disse:

    Tomemos Gilberto freire na análise que fez dos povos africanos que possuiam técnicas de metalurgia,agricultura e eram alfabetizados
    (no caso dos males pelo corão )em relação aos seus “proprietários “.Aqui no Brasil e na Bahia e Rio em particulas foram transplantadas toda uma cultura matriarcal e religiosa que ramificol em nova cultura inexistente hoje em Angola,Congo ou Nigéria!Uma neo cultura afrobrasileira.
    Assim como no Haiti penso eu.

  21. wilson disse:

    A Luciana tem razão ,esta ‘outra ordem’ contudo não seguia os parametros civilizacionais europeus (ler Cartas Persas ou Essaios)e subvertia toda sua racionalidade.a Europa não podia admitir a permanencia de idéias que enaltecessem outros povos numa alternativa possível contra os vicios culturais e politicos europeus. Como ocorrera com o mito rousseuniano do Bon Selvagem,com relação aos indigenas do Novo Mundo.

  22. wilson disse:

    a cultura do haiti é inversamente proporcional ao seu status economico atual.Um povo de muito valor.

  23. wilson disse:

    Os africanos levados escravos pro Haiti vieram da costa ocidental da África(Daomé,… Senegal) e muito de sua cultura pode ser vista no interior do Maranhão(Kodó)no que se refere a prática do vudu.O sincretismo é outro dado que aproximam Brasil e Haiti .Óbvio destacar que a ilha caribenha recebeu mais oriundos do Benin que o Brasil. e o amálgama cultural lá foi com a francesa(dando origem a cultura creole-dialeto e comida…) nós com a indigena e lusa.

  24. wilson disse:

    Ressalvas. As tribos africanas também detinham escravos mas a convivencia e o grau de interação social era diferente do observado nas Américas. (ler: Os Nuer)Árabes através de Zanzibar também traficavam na costa oriental da àfrica para sultões,califas , emires …

  25. wilson disse:

    As estruturas economicas,politicas e culturais africanas foram exterminadas pelo processo colonelista e imperialista com base na “missão civilizadora “(?)eurocentrica baseada na dogmatização da ciencia e da técnica isso permitiu que o congresso de Berlin dividi-se a África tendo em vista as necessidades prementes seja de ordem economica,tranquilidade social ou de prestigio das casas imperiais européias.Isso depois de sangrarem as nações de suas populações agora graças a tecnologia (canhoneiras e metralhadoras ) os europeus poderiam exigir os insumos as suas indústrias.

  26. Eduardo Santos disse:

    O Haiti, hoje, está sob os holofotes mundiais devido a esta inexplicável e sofrível tragédia que sofreu.
    Mas… eu fico cá pensando com meus botões: o que há de diferança entre o Haiti e as diversas “repúblicas” africanas que vivem mergulhadas em um caos se não maior, pelo menos semelhante.
    Embora moralmente falida, acredito que a ONU deveria colocar seus olhos sobre esta imensa massa populacional que vive muito abaixo do limite extremo da miséria!

  27. roberto disse:

    Graças a revolução tecnológica as pessoas ficaram mais próximas ,todos somos vizinhos não importa o continente!A ajuda extra governamental é maior do que de muitos países.e alguns países preocupados com seu prestigio e poder na região atropelam os esforços de outros , todos querendo ajudar ;muitas mãos sobre um pedaço de ilha tão pequena!

  28. roberto disse:

    Por favor não foi o medo do vodu que ajudaram a expulsar os franceses se fosse assim isso aconteceria também no Daomé(Benin)posteriormente.
    Foi a luta de uma nação contra um império que vivia uma contradição ( os herdeiros da revolução francesa apoiando a escravidão? é claro que os milicos não estavão nem aí, mas pra que atravessar o oceano para morrer tão longe da pátria )

  29. roberto disse:

    Esqueceram de comentar a inportância para os movimentos abolicionistas da Independência do Haiti que venceu Napoleão desanimando-0 a manter colonias (Louisiana vendida a poucos centavos o acre )na América.
    O Haiti nunca teve um Estado foram alguns projetos e incontáveis governos, pois isso interessava a predação do país e sua elite eurocentrica introjetada de preconceitos contra a maior parte do povo encastelou-se numa “Versalhes” tropical abandonando a massa negra a sua própria sorte e instrumentalizando suas crenças contra elas próprias. Escolas , hospitais,saneamento não surge de forma espontânea pracisa da intervenção da elite politica detentora do poder , a qual estava satisfeita enviando os seus à Europa e depois aos EUA .

  30. Luciana disse:

    Não concordo com o título da matéria. Ele é contraditório com seu conteúdo. O fato do Haiti ter sido a primeira colônia latino-americana a ter sua independência, mostra que o país conheceu ordem sim. E foi justamente a existência desta ordem – uma outra ordem – que assustou os colonizadores, fazendo-os promover ações no sentido da desmobilização da sociedade haitiana.

  31. Da Redação disse:

    A acusação do leitor Djan é absolutamente infundada. Além de termos uma entrevista exclusiva com um soldado que esteve lá, usamos também as seguintes fontes: Scielo e Portal São Francisco.
    Nosso texto não contém uma frase sequer copiada da Wikipedia.
    Obrigado.

  32. miguel choueri disse:

    Putz! Chocante a opinião da Érica aí embaixo! Eu achava que a mentalidade colonialista estava extinta no século 21.
    Me parece que os problemas do Haiti se devem, isto sim, à intervenção externa. Primeiro os “civilizados” europeus escravizam e exterminam a população nativa, depois trazem africanos também como escravos que ainda constituem a maioria da população. A luta pela independência começa em meados do século 18, contra os franceses e só acaba em 1941 quando acabam de “sair” os americanos, que mantiveram o país sob ocupação e exploração econômica por mais de trinta anos em pleno século 20.
    O povo haitiano precisa, em primeiro lugar, de respeito da comunidade internacional

  33. jony disse:

    O povo pode estar sofrendo desde o princípio, mas não podemos negar que foi mais politizado que os portugueses no Brasil a ponto de se declararem independentes e representarem uma ameaça a toda a América portuguesa escravocrata, já que temeram que a consciência dos haitianos contagiasse os escravos no Brasil.

    Erga-se povo haitiano com a força de seus antepassados!

  34. Markut disse:

    Se não impossivel, é dificil imaginar os caminhos a percorrer, nesta trágica trama, em que, há duzentos anos,esse aglomerado de pessoas, hoje 9 milhões,tem sido sistematicamente atingido pelas lutas colonialistas da Europa, a criação de campo fertil para a instalação do banditismo oficial e agora, para coroamente, esta desgraça de causas naturais.
    Seremos testemunhas de como, hoje, os eternos interesses geopolíticos conseguirão unificar esforços , para que daí ressurja um país, com a mínima estrutura necessária para a sua recuperação, sobrevivência e desenvolvimento.

  35. Erica Ribeiro disse:

    Não conhecia a história do Haiti. Me impressionei com este texto. Li em outros lugares também e é incrível, como é verdade. Nunca este país conheceu a ordem! É como o Chico diria: o que não tem governo e nem nunca terá! O Haiti precisa que algum outro país intervenha e organize o país!

  36. Flávia disse:

    Eu nunca havia lido algo tão absurdo como o que acabo de ler no título e no 1° parágrafo desta reportagem que achei por acaso na internet. Isto só serve para confirmar que infelizmente, a linguagem jornalistica brasileira permanece sensacionalista, generalista e pouco preocupada com a veracidade e neutralidade daquilo que escreve. De resto, descrever o Haiti a partir de suas “ausências” e do seu “caos” é a coisa mais comum que encontramos, principalmente entre aquelas pessoas que não conhecem de perto o país e possuem uma visão completamente estereotipada sobre ele e o seu povo. É realmente revoltante ler algo assim em um momento tão difícil.

  37. WH disse:

    É IMPRESSIONANTE, MAS É VERDADE! O BRASIL ESTÁ DE PARABENS PELA PARTICIPAÇÃO ATIVA E VERDADEIRA NO HAITI, DIFERENTE DE PAÍSES MASCARADOS COMO O “TIO SAM” QUE SÓ BENEFICIA QUEM LHE FAVORECE AGORA OU NUM FUTURO DEVASTADOR! POR QUE, SÓ AJUDAR FRENTE A CATÁSTROFES DOS JÁ MUTILADOS PELA VIDA???!!! QUAL O INTERESSE DO AMERICANO NO LOCAL? SERÁ MAIS UMA VEZ, ESTRATÉGICO-MILITAR???? TEMOS QUE NOS LEMBRAR DE NOSSA AMAZÔNIA QUE FICA PERTO. – VAMOS AJUDAR O HAITI SIM PRESIDENTE LULA, MAS COM OS OLHOS ABERTOS PARA OS HIPÓCRITAS AMBICIOSOS.(WILLIAM)

  38. José Carlos Corsi disse:

    Hoje é o Haiti, amanhã com certeza será a Venezuela do déspota Chaves…
    Aqui no Brasil, há gente do Governo que são ideologicamente da esquerda canalha, também a favor deste canalha…e por meios “legais ilícitos”, querem levar ao Brasil por este caminho ultrapassado e descabido. è uma pena que Lula esteja tão mal acompanhado…

  39. geroldo zanon disse:

    Um pais onde sempre imperou a corrupção e o povo sempre sofre as consequencias ainda mais agora esta ajuda que vão ganhar duvido que vai chegar oara os nesecitados

  40. Alex disse:

    Só não acho justo que para as vitimas de Angra, santa catarina foi dada uma juda pífia pelo governo e ao haitianos uma quantia vultuosa… não sou contra a ajuda, mas que devemos saber que temos os nossos haitis aqui dentro.

  41. Ronaldo Guilherme de Vasconcellos disse:

    O Haiti tem uma longa história de golpes de governos e ditaduras, mas quando caminhava para um processo democrático de governo foi acometido por um terremoto de grandes proporções. No momento, penso que com a ajuda da ONU e de missões humanitárias, da ajuda de autoridades Internacionais e da continuidade do nosso exército Brasileiro liderando a missão de paz, o país poderá ter ordem, governo e a união de seu povo.

  42. George Silva de Oliveira Filho disse:

    E uma pena que essa ajuda só venha acontecer após uma desgraça… é hora do mundo inteiro començar a olhar e ajudar todos aqueles que na
    verdade não teve as condições de uma vida melhor
    o Brasil particularmente vem dando esse apoio, –
    parabéns -PRESIDENTE LULA- e todos aqueles que volutariamente se empenham em ajudar.
    Só assim o mundo realizará o sonho de cada um.

    maceió,15 de janeiro de 2010.

  43. Djan disse:

    Lamentável, mas este texto é colado na íntegra da Wiki, Muito feio isso.

  44. Jonas Menezes - Manaus disse:

    É fato que esse povo vem sofrendo a tempos…porém nunca vi em 39 anos uma mobilização quase mundial conjunta no intuito de ajudar humanitáriamente um povo, ele ganharam apreço do mundo com essa catastrofe…creio que seria hora de passar um borracha em tudo e reiniciar o Haiti novamente, creio que se conseguissem tirar todos os sobrevivente do país para só então começar a recontrução em todos os sentidos para depois entregar um novo país para ele com novas deretrizes, novos estilos de vida, novas moradas, novos tudo…não sei se isso é possível mais idealizei isso que pra mim seria a solução…Fraternal abraços a todos!!!

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *