Início » Sem categoria » Imigrantes ilegais latino-americanos são alvo de lei no Arizona
Xenofobia

Imigrantes ilegais latino-americanos são alvo de lei no Arizona

Imigrantes ilegais latino-americanos são alvo de lei no Arizona
Manifestantes fizeram passeata contra a lei no último dia 25 em Phoenix (Fonte: Courrier International)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

O Estado do Arizona aprovou uma nova lei sobre a imigração. Desde o último dia 19, a polícia está autorizada a parar qualquer imigrante que pareça clandestino. A nova lei pode encadear uma caça aos imigrantes ilegais, além de colocar como suspeito qualquer norte-americano que tenha a pele um pouco mais bronzeada ou que prefira falar espanhol.

Para algumas instituições, como a Associação de chefes de Polícia do Arizona (AACOP), a nova lei não vai impedir imigrantes ilegais de entrar nos Estados Unidos e não vai melhorar a segurança no Arizona. Eles defendem ainda que a economia do estado pode sofrer severamente, já que mais de 35 mil empresas são dirigidas por latino-americanos. Outro setor afetado será o do turismo, já que turistas não vão querer se submeter a ser parados pela polícia por causa de uma suspeita quanto à sua situação de legalidade no país.

Segundo a crônica de Andrés Oppenheimer, a lei é “judicialmente contestável, economicamente improdutiva e moralmente repugnante, além de não contribuir para o problema de imigração dos Estados Unidos”. Para ele, a solução é que o presidente Obama lance a reforma de imigração, aumente a segurança nas fronteiras e regularize mais de 10 milhões de clandestinos.

Fontes:
Courrier International - Grand exode de Latinos en perspective

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

1 Opinião

  1. Helio disse:

    Os EUA querem legalizar os clandestinos? Então que o Obama o faça. Por enquanto ilegais deveriam evitar estes estados próximos da fronteira, mais xenofóbicos que os outros.

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *