Início » Internacional » Interpol resgata 157 crianças escravizadas na África Ocidental
VÍTIMAS DE TRÁFICO HUMANO

Interpol resgata 157 crianças escravizadas na África Ocidental

Vítimas eram obrigadas a se prostituírem, se transformarem em escravas sexuais e a fazerem trabalhos forçados

Interpol resgata 157 crianças escravizadas na África Ocidental
O tráfico humano é um problema sério em muitos países africanos (Foto: Interpol)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A Interpol resgatou 220 pessoas, entre elas 157 crianças, algumas com apenas 11 anos de idade, exploradas por uma rede de tráfico humano na África Ocidental. A maioria das vítimas havia sofrido maus-tratos e abusos sexuais. Os traficantes também as aterrorizavam dizendo-lhes que nunca mais veriam suas famílias, disse um porta-voz da Interpol.

As vítimas eram obrigadas a se prostituírem, a se transformarem em escravas sexuais e a fazerem trabalhos forçados. Ao ser encontrada, uma das crianças estava carregando sacos de arroz de 40 quilos entre as fronteiras de Benim e da Nigéria.

“Os traficantes não tinham escrúpulos em explorar as crianças forçando-as a se prostituírem, a trabalhar em condições terríveis e a morar nas ruas. O objetivo deles era ganhar dinheiro com o comércio de pessoas”, disse Paul Stanfield, diretor do Organised and Emerging Crime da Interpol, em um vídeo exibido no site da agência.

Em 2018, a Interpol, em conjunto com agências de combate ao tráfico de pessoas e de policiais de Benin e da Nigéria, países preferidos pelos traficantes para a exploração do trabalho infantil, começou a preparar a prisão desses grupos do crime organizado. A operação, que se prolongou por um mês, prendeu 47 pessoas.

O tráfico humano é um problema sério em muitos países africanos, onde milhares de pessoas, sobretudo crianças, são vendidas pelos traficantes para redes de prostituição e campos de trabalhos forçados.

Segundo o serviço de inteligência da Agência Nacional para a Proibição do Tráfico de Pessoas (NAPTIP) do governo da Nigéria, mais de 20 mil jovens nigerianas foram vendidas como escravas sexuais para o Mali por traficantes de pessoas. Ainda de acordo com a agência, as jovens foram abordadas pelos traficantes, que lhes prometeram emprego em hotéis na Malásia.

As pessoas resgatadas nessa operação foram entregues a autoridades locais em Benim e na Nigéria. Algumas voltaram para suas casas e outras foram transferidas para abrigos em ambos os países.

Em setembro de 2018, em outra operação de combate ao tráfico de pessoas, a Interpol resgatou 85 crianças que trabalhavam em minas de ouro em Cartum, capital do Sudão, onde eram obrigadas a manusear substâncias químicas perigosas.

Fontes:
CNN-Interpol: 157 children rescued from West Africa trafficking ring

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *