Início » Vida » Ciência » Médicos usam impressora 3D para ajudar bebê a respirar
Futuro da medicina

Médicos usam impressora 3D para ajudar bebê a respirar

Garret Peterson tem 18 meses e vive num hospital. O fluxo de ar para seus pulmões podia ser interrompido a qualquer momento, mas um dispositivo experimental mudou sua condição

Médicos usam impressora 3D para ajudar bebê a respirar
Qualquer irritação podia fazer o menino parar de respirar em segundos (Reprodução/Internet)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Garrett Peterson é um bebê americano de 18 meses que nunca saiu do hospital. Ele nasceu com um problema na traqueia chamado traqueomalácia e caracterizado pela flacidez da cartilagem de suporte da traqueia. Sua traqueia é tão frágil que qualquer diferença no fluxo de ar pode gerar um colapso, fazendo com que ele não consiga respirar. Mas a tecnologia da impressão em 3D mudou rápida e radicalmente o começo de sua vida.

Leia mais:  Impressoras 3D criam tecidos vivos
Leia mais: De aparelhos dentais a assentos de astronautas

A mãe de Garrett, Natalie Peterson, diz que qualquer mudança de humor — até mesmo uma troca de fraldas que deixe o bebê irritado — pode se tornar uma ameaça à vida de Garrett. “Ele pode ficar completamente azul em 30 segundos. É aterrorizante”, disse.

Os pais de Garrett optaram por um tratamento experimental oferecido por Glenn Green, médico na Universidade de Michigan. Ele juntou-se a Scott Hollister, um engenheiro biomédico que dirige um laboratório de impressão 3D da universidade, para criar uma solução: um dispositivo que irá deixar a traqueia de Garrett aberta até que ela esteja forte o suficiente para trabalhar por conta própria.

Em vez de disparar tinta em uma página para imprimir palavras ou imagens, as impressoras 3D usam outros materiais, como plástico, metal ou até células humanas para criar objetos tridimensionais. A equipe fez uma tomografia computadorizada para fazer um molde, em seguida usaram a impressora 3D para projetar e construir um dispositivo personalizado “É um tubo branco, pequeno e flexível, adaptado para caber em torno das partes mais frágeis da traqueia de Garrett. É como uma casca protetora que permite que a traqueia fique aberta”, explicou Glenn. O dispositivo vai expandir junto com a traqueia de Garrett e eventualmente se dissolverá.

Dispositivo plástico criado sob medida para Garrett

O dispositivo não foi aprovado pela Food and Drug Administration, órgão que regula alimentos e remédios nos EUA, então eles tiveram que pedir uma autorização de emergência, dada as condições de Garrett. Garret enfrentou uma cirurgia que durou oito horas. Os dispositivos couberam perfeitamente. “Foi simplesmente fantástico para mim”, disse Green. “Algo que havia sido construído há apenas uma semana e funcionou perfeitamente, do jeito que esperávamos”, comentou o médico.

Garrett ainda está no hospital, mas seus pais estão em êxtase. Desde a cirurgia ele está mais forte, interage melhor com as pessoas e brinquedos. “Ele está finalmente começando a ser mais como uma criança normal”, disse o pai do menino, Jake Peterson.

A impressão 3D já foi usada para construir outras partes do corpo,  incluindo orelhas e narizes, combinando estruturas de plástico com células humanas. Outros cientistas foram ainda mais longe, usando a impressão 3D para fazer vasos sanguíneos, pele e até mesmo órgãos primitivos.

 

Fontes:
NPR-Doctors Use 3-D Printing To Help A Baby Breathe

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *