Início » Sem categoria » Mulheres com graus acadêmicos avançados têm mais filhos
Novas tendências

Mulheres com graus acadêmicos avançados têm mais filhos

Aumenta o número de mulheres escolarizadas sem filhos, mas taxa diminui entre aquelas com diplomas avançados, como doutorado

Mulheres com graus acadêmicos avançados têm mais filhos
Mulheres com doutorado têm mais filhos agora do que nos anos 1990

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Pesquisas sobre a taxa de fertilidade entre mulheres norte-americanas apresentaram resultados surpreendentes. Embora o número de mulheres sem filhos esteja aumentando — particularmente entre aquelas com alto nível de escolarização –, essa taxa é menor entre mulheres com diplomas mais avançados, como o doutorado.

De acordo com uma matéria do New York Times, baseada em um estudo do Pew Research Center, mulheres com diploma de PhD têm um pouco mais de chances de terem filhos do que aquelas com mestrado ou apenas diplomas de curso superior.

A diferença é enorme em comparação ao início dos aos 90; no período de 1992 a 1994, mais de um terço das doutoras decidiram abrir mão de ter filhos, enquanto, no período de 2006 a 2008, menos de um quarto tomam essa mesma decisão.

Isso pode indicar uma tendência, entre as mulheres mais qualificadas, de encontrar caminhos de carreira mais flexíveis, facilitando a conciliação entre trabalho e família. Da mesma maneira, pode indicar que empregadores estão percebendo as vantagens de se fornecer horários mais flexíveis a profissionais mais qualificadas.

Apesar desses índices, a tendência geral continua sendo a da diminuição de filhos, principalmente em países como o Japão, por exemplo, onde a expectativa sobre as mulheres para que mantenham suas vidas domésticas continua alta.

Nos Estados Unidos, 20% das mulheres entre 40 e 44 anos nunca tiveram filhos – uma taxa duas vezes maior que a de 30 anos atrás. Entre aquelas com diplomas, a porcentagem aumenta 27%.

Leia mais:

Senado aprova licença-maternidade de seis meses

Gravidez na adolescência: altos índices ainda preocupam autoridades

Fontes:
Nytimes.com - Educated Women Having Fewer Children?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *