Início » Sem categoria » O que elas querem? Marido rico ou carreira?
Mundo

O que elas querem? Marido rico ou carreira?

Uma pesquisa realizada na Europa sugere que a busca das mulheres por independência financeira seria um mito. Por Carla Delecrode

O que elas querem? Marido rico ou carreira?
As mulheres não conseguem conciliar família e trabalho, diz pesquisa

Elas querem independência e uma carreira bem sucedida, certo? Não, errado. Segundo recente pesquisa da London School of Economics, realizada em países europeus, a busca das mulheres por independência financeira é um mito. Na verdade, a maioria das europeias veria o casamento como uma alternativa à carreira ou um complemento e, contrariando a ideia de busca pela independência em relação aos homens, muitas tenderiam a preferir parceiros com melhores condições financeiras e de instrução do que as suas. Assim, pode-se dizer que elas prefeririam ter um marido rico a ter uma carreira. Será?

A produtora de TV Karina Petito, 23, discorda da pesquisa. Para ela, as mulheres, a cada dia, buscam mais independência e qualificação em relação aos homens. “Não me vejo dependendo de marido, por isso busco sempre minha independência. Acho isso muito importante para me sentir realizada.” Segundo o psicólogo social Bernardo Jablonski, a preocupação de Karina pela realização pessoal também é o desejo de milhares de mulheres, mas que não deixaram de sonhar com o casamento e em ter uma família.

O psicólogo, que também é professor da PUC-Rio, avalia que as conclusões da pesquisa europeia, dirigida por Catherine Hakim, são um exagero e um radicalismo. Para ele, a melhor palavra para definir as mulheres hoje é ambivalência. “Elas querem trabalhar e ser mães. As que são donas de casa acham que estão ‘perdendo o trem da História’, enquanto as que trabalham fora se culpam por passarem pouco tempo com os filhos. Elas buscam a independência financeira, mas continuam com o sonho de casar e ter uma família”, esclarece ao Opinião e Notícia.

Mas, para a antropóloga Mirian Goldenberg, que também é professora da UFRJ, as brasileiras centram seu discurso mais na figura do marido do que na realização profissional. “Elas repetem, insistentemente, que ‘falta homem no mercado’. Entre as brasileiras que pesquisei, as que se mostraram mais satisfeitas com suas vidas são as casadas há muitos anos. Apesar disso, dizem que seus maridos são completamente dependentes, acomodados, inseguros e infantis.” A pesquisadora esclarece que, em todos os casos que estudou, o homem era o principal provedor e tinha um salário bastante superior ao da esposa.

A antropóloga, que também é autora dos livros “Coroas” e “Intimidade” da Editora Record, define que o marido é como uma riqueza bastante valiosa. “Ter um casamento sólido e satisfatório é considerado um verdadeiro capital para as brasileiras pesquisadas. Elas se sentem duplamente poderosas, pois, além de terem um marido, acreditam que são mais fortes, independentes e interessantes do que ele.” Mirian reforça que elas se sentem poderosas por terem um “produto” bastante valorizado no “mercado” e por se sentirem únicas e imprescindíveis para seus parceiros.

Elas não conseguem conciliar família e trabalho

Para as que escolhem buscar a realização profissional e ter uma família, o caminho não é fácil. Segundo a pesquisa europeia, em muitos casos, as mulheres não conseguem conciliar casa e trabalho. Jablonski explica que a dificuldade está em querer ter duas funções que competem entre si, o que acaba gerando insatisfação e culpa. “Se estão em casa, se sentem ficando para trás e se estão no trabalho se sentem culpadas. A maioria não consegue conciliar bem trabalho e família.” De acordo com o estudo de Catherine Hakim, o resultado desta dupla jornada são “famílias nominais”.

Na Inglaterra, por exemplo, a metade das mulheres em posição de chefia não tem filhos ou a partir dos 30 anos passam a ganhar menos que os homens. A maioria das mães tem apenas um filho e acaba delegando seus cuidados a um profissional, já que não houve uma adaptação das regras do mercado para facilitar a vida delas.

O psicólogo social, porém, acredita que a terceirização de parte das tarefas para outras mulheres demonstra que elas estão tentando conciliar trabalho e família, apesar das dificuldades, e de que a independência financeira é um objetivo. “O caminho que as mulheres percorreram na história é sem volta. A maioria não quer mais ser apenas dona de casa.”

Elas querem homens com dinheiro e mais educados

Quanto aos relacionamentos, a polêmica pesquisa afirma que elas tendem a preferir homens com mais dinheiro e educação. “Mais e mais mulheres escolhem se casar com homens que tenham uma educação substancialmente melhor que a delas e, portanto, que tenham capacidade de ter rendimentos mais elevados”, declarou a pesquisadora Catherine Hakim à BBC.

Mirian explica  que as brasileiras procuram este tipo de homem pela segurança, pelo maior “valor” dado a eles e por preconceito. “No entanto, elas estão ampliando sua margem de escolha, casando-se, cada vez mais, com homens mais jovens, menos ricos e escolarizados.” Para Jablonski, é natural que as mulheres procurem companheiros com um nível social e cultural, pelo menos, similar ao delas. “Não é uma questão de escolha consciente”.

A produtora de TV Renata Amaral, 26, discorda do estudo europeu e afirma que pensar em critérios, como posição social e educação, na hora de escolher um namorado, pode gerar um problema. “É comum que eu ganhe mais do que os homens de minha idade, por isso não penso nisso. Eles é que geralmente se incomodam bastante com minha melhor condição financeira.”

Caro leitor,

As mulheres conseguem conciliar bem carreira e família?

Em sua opinião, as mulheres preferem casar com um marido rico a ter uma carreira?

A condição financeira e o nível de instrução são critérios para a escolha de um marido?

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

17 Opiniões

  1. jaderdavila the small shareholder disse:

    empregada dos outros,
    o patrao mandar ficar la das 8 as l8hs e fim.
    qualquer outra coisa na vida dela tem que ser fora desse horario.
    isso complica.
    a garota pode fazer a mesma coisa, mas como dona do proprio nariz.
    se for ela que determina que hora ela vai fazer o trabalho,
    da tempo pra tudinho nessa vida.

  2. Helio disse:

    Bernardo Jablonski respondeu bem a questão.

  3. Amadeu Pereira dos Santos disse:

    Graças a Deus, não sou mulher. Que parada difícil, hein? Mas não se preocupa, não, porque o próprio texto mostra que as mulheres não se juntam na mesma opinião sobre o que elas querem. Acho que só num item, elas devem estar de acordo: A falta de homens no mercado. Viu só? È como se o homem fosse uma mercadoria qualquer.. Ah! que saudade daquele romantismo de outrora: A mulher se sentia feliz por se dedicar em cuidar do marido. Ao passo que o marido esbanjava felicidade pelo carinho com era tratado pela esposa. Ser o cônjuge do outro era uma coisa mágica; era um designo de Deus. ( O que Deus uniu, o homem não pode separar” ) A mulher era tida como criatura saída da costela do homem, portanto nascida nas proximidades do coração maculino. Uma pesquisa como essa, querendo saber se a mulher quer um marido rico ou carreira profissional não faria sentido algum.

  4. Ivaniza O. de souza disse:

    A matéria é muito vaga sobre a idade dessas mulheres pesquisadas, nível social, etc. Uma pesquisa muito interessante, também, seria sobre porque somente mulheres se preocupam em conciliar família e trabalho. Por uq os homens não fazem o mesmo? Na verdade, despreocupem-se , meninas, preocupem-se mais consigo mesmas, sejam egoistas e vençam por conta própria, que é isso de depender de alguém? que horror.E se tiver alguma preocupaçao em relação à educação (formal ou informal) de seus maridos, vejam como eles tratam pessoas hierarquicamente inferiores, pois se você depender dele, é muito provável que trate vc da mesma forma. Porque vc será inferior a ele, nunca uma igual.

  5. Regina Caldas disse:

    Querer o melhor todos queremos…Mas, francamente, buscar e encontrar o parceiro ideal é tão complexo quanto a natureza humana. Portanto, acho uma bobagem enquadrar numa simples estatística, o que as mulheres querem em relação ao parceiro.

  6. reges cagliari disse:

    Eu acho que isto deve ser esclarecido. Mulhers devem deixar de uqerer só lixo luxo e construir lares com amor e descencia. Pra que seus filhos não sejam também afetados por esta onda materialista. deve ter o equilíbrio em tudo.
    É obvio que uma medica não casaria tão fácil com um pedreiro. Mas pode acontecer. Pq não. Quando isso acontece deve ver se este está disposto a aprender, acrescentar algo em sua vida. Se independente do sexo se firamos escolhendo só pessoas com boas condiçoes não vamos voltar nunca ao tempo onde se casva por amor. Se é que este tempo exsitiu!?!?

  7. reges cagliari disse:

    Eu acho que isto deve ser esclarecido. As mulheres devem deixar de querer só luxo e construir lares com amor e descencia. Para que seus filhos não sejam também afetados por esta onda materialista. Devemos buscar o equilíbrio em tudo.
    É obvio que uma medica não se casaria tão fácil com um pedreiro. Mas pode acontecer. Pq não? Quando isso acontece devemos ver se este está disposto a aprender, acrescentar algo em sua vida. Independente do sexo se ficarmos escolhendo só pessoas com boas condiçoes, não vamos voltar nunca àquele tempo onde se casava por amor. Se é que este tempo exsitiu!?!?

  8. reges cagliari disse:

    …deve ser por isso que o termo família ja era.
    Vemos nas pessoas em geral nas nossas gerações que quase todos tem algum tipo de problema. Cada dia que passa somos mais dependendentes de medicos e psicologos. Credo!
    Mas a verdade é que nossas bases ou seja familia está comprometida. Na maioria das vezes com “relacionamentos negócios” e a outra parte pessoas extremamente sem instrução. Exemplos como; familias na elite e nas favelas. Penso que temos que resgatar o viver bem, casar com quem nos faz feliz. O crescimento de um pode ajudar o outro . Com amor paciencia e confiança criamos em nosso parceiro ou parceira um compromisso até maior que o sexo e o dinheiro. Criamos um vinculo com base, solido e verdadeiro. Então ganhamos respeito , carinho e comprometimento.

  9. márcia disse:

    seria possivel sim conciliar se a mulher podeçe contar com marido dela para ajudar o que não aconteçe maioria dos casos,eles chegan do trabalho,’quando trabalham’ e vai ver jornal jogo estou errada é isso que aconteçe

  10. ellen disse:

    Eu prefiro minha independência econômica.Hoje em dia você não pode contar com um relacionamento serio ,pq a promiscuidade esta assídua.Imagine só, eu deixar minha carreira e viver com o meu marido rico e após dois anos ele me largar para ficar com uma nifetinha.Ficarei frustrada,sem carreira e marido.Uma carreira ,se consolidada pode ser para sempre um casamento nos dias de hoje penso que é praticamente impossível!

  11. minéia disse:

    Viver sozinha pra que?

  12. ilio borges de araujo disse:

    No momento acho que tem mulheres para todas as opçoes, contudo acredito que está mais em voga
    a profissionalização e a independencia financeira.

  13. Roberta disse:

    Trabalhei até dois anos atrás como gerente de grandes empresas; hoje tenho um empresa com meu marido. Pela minha experiência, observei que dos 20 aos 30 anos, as mulheres brasileiras conseguem conciliar vida pessoal/casamento e crescer na carreira na mesma velocidade que os homens, inclusive com mais preparo, pois se esforçam em aprender idiomas e fazer pós-graduação. Mas, quando optam por ter filhos, esse ritmo desacelera e é comum vermos em empresas talentos femininos estagnados na gerência média. É raro uma mulher ser promovida a diretora, VP ou CEO. É triste, mas é a realidade. Eu mesma optei em abrir minha própria pequena empresa para poder ter mais tempo com minha filha.

  14. Caio disse:

    Aqui na Alemanha, berço da emancipação do sexo feminino, hoje a grande maioria das mulheres preferem trabalhar meio período, ganhar bem o suficiente, e passar o outro período com as criancinhas, cumprindo com obrigaçōes do lar (divididas com os maridos) e curtindo a vida. Nao é pra menos que muitas brasileiras discordam, a realidade é outra em um país onde a qualidade de vida prevalasse sobre as dinâmicas capitalistas.

  15. Cristina disse:

    Não é que procuramos um marido rico, mas é claro que quero uma pessoas que tenha mais conhecimento e consequentemente uma condição financeira um pouco melhor que a minha. Isso não é pecado. Eu trabalho, sou independente financeiramente e busco uma pessoa com os mesmos objetivos.

  16. Andréa Farias disse:

    A mulher quer tudo. Carreira,família, quer casar com um homem já estabelecido e compartilhar a carreira quer tb um homem instruido e realizado como idividuo,profissional, marido e pai. Talves isso seja impossivel mais estamos buscando e os homens tentando atender tal demanda. Essa mulher de hoje não tem nada haver com sua mãe ou avó pois as condições de vida e necessidades são outras. Hoje s mulheres estão deixando a idéia de casamento, marido e filho para cada vez mais tarde. Ela vai tentando se adaptar a essa modernidade que ela mesmo se impõe diante da vida e do mundo moderno que a cerca.

  17. ANA CLAUDIA CORREA disse:

    EU QUERO E VOU TER UM MARIDO RICO…
    E QUE ME AMASSE MUITO, PRA ME DAR TUDO DO BOM E DO MELHOR, SEM NEM PRECISAR PEDIR!
    TEM MULHER QUE IMPLORA UM DINHEIRINHO PARA SEUS MARIDOS ASSALARIADOS, QUANDO QUEREM COMPRAR UMA PEÇA DE ROUPA! AFF…
    JÁ QUE QUEREM DEPENDER DOS MARIDOS, ENTÃO QUE ELE NÃ SEJA POBRE NÉ?? PQ AÍ NÃO ADIANTA…

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *