Início » Sem categoria » Polícia prende líderes da oposição
Leste Europeu

Polícia prende líderes da oposição

Polícia prende líderes da oposição
Boris Nemtsov foi preso após desfilar com a bandeira russa

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

Um tribunal de Moscou deve julgar no fim de agosto, se três populares membros de partidos de oposição da Rússia são culpados de “insubordinação perante a polícia”. Boris Nemtsov, principal nome da oposição russa; Lev Ponomaryov, um veterano ativista dos direitos humanos; e Mikhail Shneider, um ativista anti-governo foram acusados após desfilar pela Rua Arbat no centro da cidade carregando uma gigantesca bandeira russa, em comemoração ao dia da bandeira, que celebra a vitória de Boris Yeltsin e seus aliados sobre a tentativa de golpe de estado no governo de Mikhail Gorbachev. A data serviu como marco do fim da dominação soviética e deu origem a uma Rússia independente e sua bandeira tricolor.

Nos últimos meses, o movimento encabeçado por Nemtsov, publicou um relatório condenado os dez anos de Vladmir Putin no poder. Embora tivesse permissão para realizar uma pequena passeata na rua, Nemtsov, juntamente com seus companheiros foi detido por 12 horas antes de ser acusado de “insubordinação”. Em seu blog, o líder da oposição criticou as autoridades russas, que classificou como “perigosamente incompetentes”: “Proibir que as pessoas carreguem a bandeira nacional, envergonhando a Rússia aos olhos de todo o mundo, é um sinal claro de paranóia política progressiva”, disse Nemtsov.

No entanto as autoridades ainda têm chance de se redimir, abandonando as queixas contra o trio. Uma decisão de multá-los, ou a aplicação da pena máxima para insubordinação – 15 dias – mandariam uma mensagem apavorante à sociedade russa e a seus parceiros internacionais, como os Estados Unidos: a de que se torna cada vez mais difícil crer nas palavras do presidente Dmitri Medvedev, que afirma defender as liberdades políticas.

O tribunal devolveu o caso à polícia, alegando que não há evidências para condenar Nemtsov. “O fato de o caso ter retornado à polícia mostra que eu fui preso injustamente. O juiz só não teve coragem de dizê-lo diretamente”, desabafou o líder da oposição russa.

Fontes:
The Economist - "Raise no flags"

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *