Início » Sem categoria » Região Norte pode ter a pior seca desde 2005
Estiagem

Região Norte pode ter a pior seca desde 2005

A Defesa Civil do estado decretou situação de atenção em 16 municípios e situação de alerta em outros nove

Região Norte pode ter a pior seca desde 2005
Barcos encalham por conta do baixo nível dos rios (Fonte: O Globo)

Prezados leitores, o Opinião e Notícia encerrará suas atividades em 31/12/2019.
Agradecemos a todos pela audiência durante os quinze anos de atuação do site.

A região Norte pode ter a pior seca desde 2005. O motivo é a baixa inédita no nível das águas do rio Amazonas causada pela seca no Peru. O Estado do Amazonas está em estado de alerta.

Segundo a Marinha peruana, em Iquitos, uma cidade no nordeste do país, as águas chegaram a 105 metros de altura em relação ao nível do mar, o que significa a maior baixa em 40 anos.

O baixo nível da água dificulta a locomoção em cidades ribeirinhas. A Defesa Civil do Amazonas decretou situação de atenção em 16 municípios e situação de alerta em outros nove. Na região, já entraram com pedido de situação de emergência as cidades de Itamarati, Envira e Benjamin Constant.

A situação de alerta é um estágio anterior ao de emergência, em que planos de contingência são colocados em prática. No estágio de alerta é feito um levantamento dos problemas e pessoas atingidas para servir de base para ações da Defesa Civil.

O nível de água no Rio Negro, um dos usados para a navegação, baixa 21 centímetros por dia. O normal, nesta época do ano, é de sete a oito centímetros diários.

A Agência Nacional de Águas (ANA) afirmou que os rios da Bacia do Amazonas já sentem os efeitos da seca. De acordo com o pesquisador Sérgio Bringel, caso a seca continue, os efeitos devem ser sentidos no início de outubro. O Instituto Nacional de Meteorologia prevê que a região deve ter nível normal de chuvas no próximo semestre.

Fontes:
BBC Brasil - Com seca no Peru, Região Norte teme pior estiagem desde 2005

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião deste site

Sua Opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *